"Os sofrimentos presentes não têm proporção com a glória futura"

“Tenho para mim que os sofrimentos da presente vida não têm proporção alguma com a glória futura que nos deve ser manifestada.” (Rom 8,18.)

Nós somos tentados a pensar logo na Glória futura que nos deve ser manifestada lá no Céu. Não! É a esta Terra que o Céu virá, o Reino de Deus virá e será restaurado aqui nesta Terra.

Vaidade”, aqui não significa estar toda arrumadinha,, vaidosa…, mas vaidade no sentido exato da palavra: vazio, vão, esvaziado. A Terra foi criada e com ela, tudo o que a povoa; estrelas, mares, rios, plantas, montanhas, passarinhos, insetos, flores… Tudo isso foi criado para ser o palco do Céu, o palco do Reino de Deus, onde o trono do Filho de Deus seria instalado para que ele reinasse aqui como o Senhor:

Pois a criação foi sujeita à vaidade (não voluntariamente, mas por vontade daquele que a sujeitou), todavia com a esperança de ser também ela libertada do cativeiro da corrupção, para participar da gloriosa liberdade dos filhos de Deus.

Hoje porém, está sendo profanada. Os lugares mais lindos sãos os mais profanados, não só por pecados vergonhosos, que se cometem justamente nesses lugares, mas porque para a as práticas de rituais são escolhidos os lugares mais bonitos; as mais lindas montanhas e praias, os mais belos panoramas… Assim profanam a Terra… Mas graças a Deus, a criação vive.

“Todavia com a esperança de ser também ela libertada do cativeiro da corrupção, para participar da gloriosa liberdade dos filhos de Deus.” (Rom 8, 21).


Seu irmão,

Zezinho


Não entregues tua alma à tristeza

Não entregues tua alma à tristeza, não atormentes a ti mesmo em teus pensamentos.
A alegria do coração é a vida do homem, e um inesgotável tesouro de santidade.

A alegria do homem torna mais longa a sua vida.
Tem compaixão de tua alma, torna-te agradável a Deus, e sê firme; concentra teu coração na santidade, e afasta a tristeza para longe de ti, pois a tristeza matou a muitos, e não há nela utilidade alguma.

Surgem tristezas durante a vida: traumas e marcas, situações que não aceitamos e que ferem profundamente nosso animo.

Sofrimentos que chegam quando menos esperamos: a morte de alguem, uma doença, dificuldade na família, com o filho a filha, o marido, a esposa, os pais; situações que as vezes decepcionam. Por algum motivo qualquer a tristeza pode aparecer. Mas você não pode se entregar a ela.

“Não entregues tua alma à tristeza, não atormentes a ti mesmo em teus pensamentos
Isto é Deus que fala através do Livro do Eclesiástico, 30, 22…

A pessoa paga um alto preço quando se estrega ao desanimo, a partir da tristeza da vida.

A entrega de si as doenças da alma, quando si perde a alegria, a paz , a saúde, desarticula tudo e tudo transforma em pré-ocupações.

A vida se transforma num inferno e não é assim que você merece viver.
Mesmo que seu marido ou sua esposa tenha sido infiel, cometendo adultério, mesmo que haja brutalidades dentro da sua casa, ingratidões, irresponsabilidades, se seu marido deixou você na rua da miséria. com os filhos dentro de casa, sem dinheiro, sem pensão, sem nada, não permita que sua chama se apague. Mesmo que você tenha decepcionado com o amor ou com uma grande amizade, mesmo que sua família esteja dividida, ou você esteja sem nenhuma expectativa de futuro:

“Jamais se desespere em meio as sombrias aflições de sua vida , pois das nuvens mais negras cai água límpida e fecunda”. (Proverbio chines)

Livro de Monsenhor Jonas Abib

Wordpress