Reunimos para você algumas dicas de como viver bem os 40 dias de Quaresma e como escolher uma penitência para esse tempo.

O que é a Quaresma? E qual é a melhor atitude que o cristão pode ter, durante esse tempo, para que, realmente, este período tenha sentido em sua vida?

A Quaresma é esse tempo litúrgico que antecipa todo o período da Semana Santa, da Morte e da Ressurreição de Nosso Senhor, do mistério Pascal. Então, é um grande tempo que a Igreja nos dá para que possamos preparar o nosso coração, viver verdadeiramente o tempo da Páscoa.

A Quaresma é um tempo de recolhimento para que possamos rever a nossa vida, rever até que ponto a nossa vida de cristão corresponde àquilo que Nosso Senhor nos pede. Ela serve para analisarmos se estamos verdadeiramente amando Deus sobre todas as coisas ou se outras coisas estão dominando o nosso coração. É um tempo de balanço geral em nossa vida, de pararmos, silenciarmos e refletirmos. É bonito como a Liturgia vai nos levando até isso por meio das leituras, das Missas de cada dia. A Liturgia nos conduz a fazermos essa experiência de rever a vida, de fazer dela uma vida diferente e poder entrar no tempo Pascal desejoso de uma vida nova.

Não comer carne nem chocolate, não tomar refrigerante e não abusar das mensagens no celular. Mas do que vale tudo isso?

Vale para colocar Deus como o centro da nossa vida. É legal falar das mensagens no celular! Quanto tempo temos demorado nas redes sociais e quanto tempo temos nos dedicado a Deus? Coloque isso na ponta do lápis e você verá quem tem ganhado mais espaço na sua vida. Então, se o tempo do Facebook e do Watsapp têm sido maior do que o tempo que você reza, que se dirige a Deus, você vai entender quem está dominando a sua vida.

Todas as vezes que botamos freio em alguma realidade, principalmente no tempo da Quaresma, é para colocarmos Deus em um centro. Então, o que nós gostamos de comer não nos domina, o que assistimos não nos domina, o que ouvimos não nos domina, porque o nosso amor está todo para Deus.

Diz a Palavra de Deus que onde está o seu tesouro, ali está o seu coração. Infelizmente, muitas vezes, os nossos tesouros estão enterrados em solos que não são os do coração de Deus. Então, a Quaresma é esse tempo. Por isso vale largar o chocolate, o refrigerante, as mensagens, para poder fazer a experiência de colocar o Senhor como o centro na nossa vida. Vale a pena! Por este motivo, temos de recolocar Deus onde Ele deveria estar na nossa vida.

Leia na íntegra a mensagem do Papa Francisco para a Quaresma 2017

 

 

SOBRE A PENITÊNCIA ( por Professor Felipe Aquino)

A melhor penitência, sem dúvida, é a do Sacramento que tem esse nome. Jesus instituiu a Confissão em sua primeira aparição aos discípulos, no mesmo domingo da Ressurreição (cf. Jo 20,22) dizendo-lhes: “A quem vocês perdoarem os pecados, os pecados estarão perdoados”. Não há graça maior do que ser perdoado por Deus, estar livre das misérias da alma e estar em paz com a consciência.

Além do Sacramento da Confissão a Igreja nos oferece outras penitências que nos ajudam a buscar a santidade, sobretudo, as que Jesus recomendou no Sermão da Montanha (cf. Mt 6,1-8): “O jejum, a esmola e a oração”, os quais são chamados pela Igreja de “remédios contra o pecado”.

Cristo jejuou e rezou durante quarenta dias (um longo tempo) antes de enfrentar as tentações do demônio no deserto e nos ensinou a vencê-lo pela oração e pelo jejum. Da mesma forma, a Igreja quer ensinar-nos como vencer as tentações de hoje. Vencemos o pecado praticando a virtude oposta a ele. Assim, para vencer o orgulho, devemos viver a humildade; para vencer a ganância devemos dar esmolas; para vencer a impureza, praticar a castidade; para vencer a gula, jejuar; para vencer a ira, aprender a perdoar; para vencer a inveja, ser bom; para vencer a preguiça, levantar-se e ajudar os outros. Essas são boas penitências para a Quaresma.

Todos os exercícios de piedade e de mortificação têm como objetivo livrar-nos do pecado. O jejum fortalece o espírito e a vontade para que as paixões desordenadas (gula, ira, inveja, soberba, ganância. luxúria, preguiça) não dominem a nossa vida e a nossa conduta. A oração fortalece a alma no combate ao pecado. Jesus ensinou: “É necessário orar sempre sem jamais deixar de fazê-lo” (Lc 18,1b); “Vigiai e orai para que não entreis em tentação” (Mt 26,41a); “Pedi e se vos darᔠ(Mt 7,7). E São Paulo recomendou: “Orai sem cessar” (I Ts 5,17).

A Palavra de Deus nos ensina: “É boa a oração acompanhada do jejum e dar esmola vale mais do que juntar tesouros de ouro, porque a esmola livra da morte, e é a que apaga os pecados, e faz encontrar a misericórdia e a vida eterna” (Tb 12, 8-9).

“A água apaga o fogo ardente, e a esmola resiste aos pecados” (Eclo 3,33). “Encerra a esmola no seio do pobre, e ela rogará por ti para te livrar de todo o mal” (Eclo 29,15).

Então, cada um deve fazer na Quaresma um “programa” espiritual: fazer o jejum que se consiga (cada um é diferente do outro), que pode ser parcial ou total. Pode-se, por exemplo, deixar de ver TV, ou deixar de ir a uma festa, a uma diversão, ou não comer ou beber algo de que se gosta muito; ou não dizer uma palavra no momento de raiva ou contrariedade, ou quem sabe não falar de si mesmo, dar a vez aos outros na igreja, na fila, no ônibus; ser manso e atencioso com os outros, perdoar a todos, dormir um pouco menos, rezar mais, ir à Santa Missa durante a semana, entre outros. Enfim, há mil maneiras de se fazer boas penitências que nos ajudam a fortalecer o espírito para que ele não fique sufocado e esmagado pelo corpo e pela matéria.

A penitência não é um fim em si mesmo; é um meio de purificação e santificação; por isso deve ser feita com alegria.

 

 

Remissão poderá ser alcançada com peregrinação ao Santuário de Aparecida ou a paróquias dedicadas à padroeira do Brasil.

 Os fiéis brasileiros poderão alcançar indulgência plenária durante o Ano Nacional Mariano / Foto: Santuário Nacional

Os fiéis brasileiros poderão alcançar indulgência plenária durante o Ano Nacional Mariano / Foto: Santuário Nacional

A Penitenciária Apostólica anunciou o pedido do Papa Francisco para o reconhecimento do ano jubilar em curso no Brasil e a concessão da indulgência para aqueles que “verdadeiramente penitentes e impulsionados pela caridade” visitarem na forma de peregrinação a Basílica do Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, em Aparecida (SP), ou qualquer igreja paroquial do Brasil dedicada à padroeira do país.

Convocado pela Presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), o Ano Nacional Mariano foi estabelecido como um tempo para celebrar, fazer memória e agradecer pelos 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora da Conceição no rio Paraíba do Sul.

A iniciativa de proclamação, aprovada pela 54ª Assembleia Geral da CNBB, teve início no dia 12 de outubro de 2016 e segue até o dia 11 de outubro de 2017.

Indulgência

papaPara alcançar a indulgência plenária, serão necessárias as condições habituais: a confissão sacramental, a comunhão eucarística e a oração na intenção do santo padre, o Papa. O documento enviado pelo Supremo Tribunal da cúria romana ressalta que a remissão será concedida “aos fiéis verdadeiramente penitentes e impulsionados pela caridade, se em forma de peregrinação visitarem a basílica de Aparecida ou qualquer Igreja paroquial do Brasil, dedicada a Nossa Senhora Aparecida”.

No local, deverão “devotamente participar das celebrações jubilares ou de promoções espirituais ou ao menos, por um conveniente espaço de tempo, elevarem humildes preces a Deus por Maria”. A conclusão deste momento deve acontecer com a Oração Dominical, pelo Símbolo da Fé e pelas invocações da Beata Maria Virgem, em favor da fidelidade do Brasil à vocação cristã, impetrando vocações sacerdotais e religiosas e em favor da defesa da família humana”.

“A indulgência é a remissão, diante de Deus, da pena temporal devida pelos pecados já perdoados quanto à culpa. O fiel bem-disposto obtém esta remissão, em determinadas condições, pela intervenção da Igreja que, como dispensadora da redenção, distribui a aplica, por sua autoridade, o tesouro das satisfações (isto é, dos méritos) de Cristo e dos santos” (Paulo VI, Constituição Apostólica Indulgentarium doctrina, Normae I: AAS 59 (1967) 21).

Idosos e enfermos

O documento enviado pelo organismo do Vaticano também estabelece uma condição especial para a obtenção das indulgências pelos devotos fiéis impedidos de fazer sua peregrinação por conta da velhice ou por grave doença. Igualmente poderão alcançar se “assumida a rejeição de todo pecado, e com a intenção de cumprir onde em primeiro lugar for possível as três condições, espiritualmente se dedicarem diante de alguma pequena imagem da Virgem Aparecida, a funções ou peregrinações jubilares, ofertando suas preces e dores ao Deus misericordioso por Maria”.

Orientações aos padres

De acordo com a orientação da Penitenciária Apostólica, os sacerdotes aos quais está confiado o cuidado pastoral da basílica de Aparecida e os párocos das paróquias que possuem o título de Nossa Senhora Aparecida deverão “com animo pronto e generoso” se oferecer para a celebração da Penitência e muitas vezes administrar “a Sagrada Comunhão aos enfermos”.

O pedido de concessão da indulgência durante o Ano Nacional Mariano foi feito pelo arcebispo emérito de Aparecida (SP), cardeal Raymundo Damasceno Assis.

Na solicitação, o cardeal explicou que durante o tempo jubilar na Igreja no Brasil serão realizadas “várias celebrações sagradas e peregrinações em honra da celeste Padroeira do Brasil não só na Basílica Nacional Santuário de Aparecida, mas também em todas as igrejas paroquiais dedicadas em honra d’Ela” para que cresça nos fiéis “piedoso afeto para com a ‘Virgem Aparecida’ e assim se tornem mais fortes nos veneradores d’Ela a fé, a esperança e a caridade, e eles próprios, refeitos pelos sacramentos, sejam mais e mais estimulados a conformarem a vida ao Evangelho”.

Olá! A Paz!

Meu nome é Ana Raquel, sou missionária da Comunidade Canção Nova há sete anos. Graças a Deus!

Quero conversar com você sobre os santos. Hoje, na Igreja, celebramos a Solenidade de todos os santos e santas, aqueles que são famosos e aqueles que nem conhecemos, aqueles que estão nos altares, que foram canonizados, e, também, aqueles que foram acolhidos no Reino dos Céus por seu testemunho e santidade no ordinário da vida.

O meu coração desde jovem sempre desejou viver de alguma forma a radicalidade, viver de forma diferente o cotidiano, as responsabilidades e as exigências próprias da vida, mas não sabia como poderia viver este anseio. Lembro que na minha família não tínhamos o costume de viver a devoção ao santos da Igreja, existia sempre o amor e a devoção a Nossa Senhora, a Mãe de Jesus, mas ela havia sido escolhida desde sempre para ser a Mãe de Jesus, foi preservada do pecado original para que pudesse gerar o Filho de Deus, então havia sim um amor e a busca de crescer na intimidade com Maria.
Depois que me engajei nas atividades da Igreja fui descobrindo que tínhamos homens e mulheres de todos os tempos, de varias nacionalidades e classes sociais, de histórias mais simples às mais desafiadoras que viviam a vida de forma diferente,  de maneira surpreendente. Eram o santos!

Nossa! Como era legal saber que o que eu sentia encontrava sentido na vida deles, para mim os santos eram e são esta referencia onde eu olho para a história deles e vejo Deus, vejo a ação de Deus mas vejo também a disposição destes homens e mulheres em querem Deus. Eu também quero Deus! E você?

Fui percebendo que precisava de alguém, um amigo que eu me identificasse com a forma de vida. Ficava pensando como os santos conseguiram alcançar em vida a santidade? Procurava ler e conhecer a história de alguns e me encantava com o jeito em que eles viviam e conseguiam dar passos para serem santos. Não que eu aspire ser uma santa de altar, mas trago o desejo de ser feliz e agradável a Deus. Para mim ser santo é ser feliz e agradável a Deus!

Mesmo conhecendo alguns santos e santas da Igreja eu ainda não havia conseguido, apesar da admiração por muitos deles, tomar um santo de referência para mim, para minha vida. Eu queria muito ter um santo para ser meu amigo no Céu porque eu entendia que se ele estava no Céu, se a Igreja reconheceu nele as virtudes e a santidade, então ele poderia interceder por mim e me ajudar a viver, também, este caminho de santidade. Quando conheci a Canção Nova me encantei com a forma de vida e com o desejo pela santidade. Eu encontrei na vocação Canção Nova aquele desejo antigo que relatei no início. Lendo os livros “Canção Nova: uma obra de Deus” e  “Eu acredito em milagres” fui surpreendida lendo a história, ainda no caminho vocacional de como Deus foi agindo na vida do Monsenhor Jonas e de toda a Canção Nova, que na vida do Monsenhor havia um santo que já tinha ouvido falar mas não tinha buscado saber a respeito dele, que inclusive, na minha cidade, Fortaleza (CE), tem um trabalho muito bonito dos salesianos e das filhas de Maria Auxiliadora e eu não tinha, até então, me interessado em conhecer mais.

ana raquel

Depois de ter lido a história do Monsenhor Jonas e de ter ouvido falar de Dom Bosco e dos meios que este santo da Igreja foi direcionando na vida do Monsenhor busquei me aprofundar e me apaixonei com a vida deste santo. O meu amigo do céu é São João Bosco!

Como vejo os seus sinais na minha vida depois de conhecer a sua vida o seu testemunho. A partir disso fui estreitando os laços com ele, buscando momento de rezar com ele, lendo os seus escritos. Vejo concretamente a amizade com ele se tornando mais próxima.

Em 2009 estava acontecendo em todo o Brasil a peregrinação das relíquias de Dom Bosco em comemoração dos 150 anos da Congregação Salesiana. Naquele mesmo ano a Canção Nova havia também se tornado Família Salesiana, confirmando ali para nós, especialmente, para mim que sou filha de Dom Bosco. Naquele dia rezando diante da relíquia do santo no qual estava conhecendo, eu disse a ele: “Dom Bosco, quero fazer aqui neste dia o mesmo que Dona Josefa fez com o Monsenhor Jonas no momento do parto, estou nascendo para a minha vocação neste tempo de Pré Discipulado e quero entregar a você a minha vocação. Cuide da minha vocação, da minha vida dentro da Canção Nova. Seja meu amigo, meu diretor para que eu me dedique inteiramente a vocação que o Senhor Jesus me deu para viver.”

Mal sabia que ele levou a sério! No ano seguinte meu tempo de formação no Discipulado foi em uma casa salesiana, a casa de Lavrinhas onde fazemos uma etapa formativa na Canção Nova. Em 2011 fui remanejada para Brasília, a cidade onde há a profecia de Dom Bosco em um sonho que ele teve, que dizia: “Entre o grau 15 e 20, havia uma enseada bastante extensa, que partia de ponto onde se formava um lago. Disse então uma voz repetidamente: – quando se vierem cavar as minas escondidas em meio a estes montes, aparecerá aqui a terra prometida, que jorra leite e mel. Será uma riqueza inconcebível.”. A primeira obra em Brasilia construída de concreto foi a ermida de Dom Bosco.

Em 2012 tive mais um carinho de Deus! Pude ir morar na Missão da Canção Nova em Cuiabá-MT que continua a extensão deste sonho que mencionei acima, lá onde temos o lindo trabalho dos salesianos de Dom Bosco.
Vejo os sinais do cuidado de Deus na minha vocação, onde fui aprendendo nestes lugares a dedicação e o amor ao Evangelho que deveria ter o mesmo amor e dedicação aos que precisavam ser evangelizados.

Amigo é assim: sempre e de alguma forma deseja dar os seus sinais que está próximo, que não esquece da gente. Você, com certeza, já viveu isso com um amigo, com alguém da sua família, da sua vida… Agora, imagina o que um amigo do céu pode fazer, não é?!

ana raquel3O meu amigo do céu, Dom Bosco, me deu um pedacinho dele! Você pode se perguntar: “Como assim um pedacinho dele?!”. Explico: No ano em que eu morei no Mato Grosso pude conhecer e ter como meu diretor espiritual o Padre Marcos Cesar, sacerdote Dehoniano que muito ama a Canção Nova, e que em um dos meus atendimentos, ele me perguntou sobre os santos de devoção e contei a ele o que digo a você neste momento. Ele ouviu atentamente e me disse: “Você tem um amigão no céu!”. E vc acredita que  depois de uma semana, esse padre vem até mim e diz: “Ana, seu amigo quer ficar com você!”. Eu olhei pra ele e sem entender o que significava e disse: “Padre não entendi: que amigo?”. Ele sorriu pra mim e disse: “O seu amigão! Estou trazendo o seu amigão!”

Gente, quando eu vejo nas mãos do padre Marcos a relíquia de primeiro grau de Dom Bosco, um pedacinho do osso, para ser mais exata, o pedacinho do fêmur de Dom Bosco que o padre tinha ganhado na Itália quando estudou lá. Meu Deus! Não sei se chorava, ria, gritava pois tamanha era a minha emoção!
Pude entender e ter a dimensão de quanto é importante ter um santo de devoção.

Entendi, também, que com o santo não pode haver um relacionamento de superstição. Não! Devoção a um santo é um caminho de amizade, de conhecimento do que Deus fez na vida dele e o que Deus pode fazer na minha.

Não sei se você tem um santo de devoção, mas hoje peço que você conheça os santos da Igreja e veja a riqueza da ação de Deus na vida deles e que pode, também, fazer maravilhas na sua vida. E claro, hoje, Dia de todos os Santos, se você ainda não tem um santo amigo, peça ao Senhor a graça de encontrar um santo amigo para te ajudar na caminhada da sua história de santidade.

Deus abençoe!

Ana Raquel Faria de Araújo.

 “A festa de Maria Auxiliadora deve ser o prelúdio da festa eterna que deveremos
celebrar todos juntos um dia no Paraíso
” (Dom Bosco)

 

auxiliadora1No dia 24 de maio, a Igreja celebra o Dia de Nossa Senhora Auxiliadora, quem Dom Bosco escolheu como protetora dos salesianos, e a Canção Nova, que faz parte da família salesiana, tem a alegria de celebrar, também, especialmente, essa Festa.

O grande apóstolo da juventude, Dom Bosco, adotou esta invocação para sua Congregação Salesiana porque ele viveu numa época de luta entre o poder civil e o eclesiástico. A fundação de sua família religiosa, que difunde pelo mundo o amor a Nossa Senhora Auxiliadora, deu-se sob o ministério do Conde Cavour, no auge dos ódios políticos e religiosos que culminaram na queda de Roma e destruição do poder temporal da Igreja. Nossa Senhora foi colocada à frente da obra educacional de Dom Bosco para defendê-la em todas as dificuldades.

No ano de 1862, as aparições de Maria Auxiliadora na cidade de Spoleto marcam um despertar mariano na piedade popular italiana. Nesse mesmo ano, São João Bosco iniciou a construção, em Turim, de um santuário, que foi dedicado a Nossa Senhora, Auxílio dos Cristãos.

A partir dessa data, Dom Bosco, que desde pequeno aprendeu com sua mãe Margarida, a confiar inteiramente em Nossa Senhora, ao falar da Mãe de Deus, lhe unirá sempre o título Auxiliadora dos Cristãos. Para perpetuar o seu amor e a sua gratidão para com Nossa Senhora e para que ficasse conhecido por todos e para sempre que foi “Ela (Maria) quem tudo fez”, quis Dom Bosco que as Filhas de Maria Auxiliadora, congregação por ele fundada juntamente com Santa Maria Domingas Mazzarello, fossem um monumento vivo dessa sua gratidão.

Dom Bosco ensinou aos membros da família Salesiana a amarem Nossa Senhora, invocando-a com o título de AUXILIADORA. Pode-se afirmar que a invocação de Maria como título de Auxiliadora teve um impulso enorme com Dom Bosco. Ficou tão conhecido o amor do Santo pela Virgem Auxiliadora a ponto de Ela ser conhecida também como a “Virgem de Dom Bosco”.

 

                                               Oração a Nossa Senhora Auxiliadora, Protetora do Lanossa1

Santíssima Virgem Maria a quem Deus constituiu Auxiliadora dos Cristãos,
nós vos escolhemos como Senhora e Protetora desta casa.
Dignai-vos mostrar aqui Vosso auxílio poderoso.
Preservai esta casa de todo perigo: do incêndio, da inundação, do raio, das tempestades,
dos ladrões, dos malfeitores, da guerra e de todas as outras calamidades que conheceis.
Abençoai, protegei, defendei, guardai como coisa vossa as pessoas que vivem nesta casa.
Sobretudo concedei-lhes a graça mais importante,
a de viverem sempre na amizade de Deus, evitando o pecado.
Dai-lhes a fé que tivestes na Palavra de Deus, e o amor que nutristes para com Vosso Filho Jesus
e para com todos aqueles pelos quais Ele morreu na cruz.Maria, Auxílio dos Cristãos, rogai por todos que moram nesta casa que Vos foi consagrada.
Amém.

 

pagesemjozepagespftx casalultimso1317

Vai e reconstrói a minha igreja!

Senhor, que queres que eu faça?

– Vai e reconstroi a minha igreja!

Esta frase, dita por Jesus na cruz do crucifixo da capelinha de São Damião e escutada por São Francisco de Assis, foi o inicio de todo o carisma franciscano na Igreja.

Minha vocação é o amor – Santa Terezinha do Menino Jesus

Hoje, 1º de outubro, a Igreja celebra Santa Teresinha do Menino Jesus.  Santa Teresinha descobriu que, não somente, sua vocação no coração da  igreja era  o amor, mas também sabia que o seu coração – e o de todos nós  – foi feito para amar…

Santa Teresinha do Menino Jesus, rogai por nós!

Família abençoada

Uma família abençoada. Assim, poderíamos definir a família de Imaculada e Alejandro, casal espanhol, que se consideram agraciados por Deus pela vocação religiosa de suas filhas.

Acompanhe matéria.

Imaculada Sánchez e Alejandro Ripoll têm cinco filhas que abraçaram a vida consagrada como religiosas do novo instituto de vida contemplativa Iesu Communio. Estes pais espanhóis asseguram que receberam a consagração de suas filhas como uma verdadeira bênção.
“É como quando um filho se casa. Você quer tê-los ao seu redor, perto, mas cada um tem que levar seu estudo, igual quando um filho se casa e você não pode intervir em sua história, no caso, é em um convento, mas tem um segredo especial. E o segredo é que com cada uma e com cada consagração Deus derrama uns dons impressionantes à família, e portanto é uma bênção”, afirmou Alejandro.
Irmã Jordán, Irmã Amada de Jesus, Irmã Francesca, Irmã Ruth, e Irmã Nazaret, têm entre 20 e 28 anos de idade e são as cinco irmãs de sangue que compartilham sua vida dentro da Iesu Communio, a nova comunidade de clausura que surgiu das clarissas de Lerma na Espanha e que surpreendeu o mundo com uma explosão de vocações.
“Mas os primeiros surpresos somos nós e a própria Igreja. Que em uma família haja cinco vocações a um convento de clausura acredito que desde Teresa de Lisieux isso não aconteceu”, considerou Imaculada.
De um total de sete irmãos, as cinco jovens decidiram ingressar no mesmo instituto religioso, onde três já são consagradas e as outras duas são noviças.
Cada história de vocação foi algo pessoal e único, cada uma “teve uma história de muitos anos nos que se deram encontros com o Santo Padre desde João Paulo II. Cada uma foi um processo distinto, porque entre elas são muito diferentes”, explicou o pai ao grupo ACI.
A vocação de nossas filhas só pode ter uma explicação divina, “a própria Igreja está surpresa e esperando”, mas nisto “os primeiros assombrados somos nós. Explicação humana não tem”, acrescentou Imaculada.

Leia mais…

Fonte: ACIDIGITAL

Sacerdotes, operários da civilização do amor

” O sacerdote é um dom do Coração de Cristo: um dom para a igreja e para o mundo. Do coração do Filho de Deus, transbordante de caridade, brotam todos os bens da Igreja, e de modo particular tem sua origem a vocação daqueles homens que, conquistados pelo Senhor Jesus, deixam tudo para dedicar-se inteiramente ao serviço do povo cristão, sob o exemplo do Bom Pastor.

O sacerdote é aquele que, plasmado pela mesma caridade de Cristo, dá a vida por seus amigos e perdoa seus inimigos.

Os sacerdotes são os primeiros operários da civilização do amor. ”

Bento XVI, por ocasião do Ano Sacerdotal

Que Deus abençoe a todos os sacerdotes, sua vocação e missão

Vocação, um chamado de Deus

A Pastoral vocacional da Arquidiocese de Vitória da Conquista estará realizando nos dias 19 e 20 de outubro, um encontro vocacional com o tema: ” jovens, arrisquem a vida por grandes ideais.”

Participe!!! Faça já a sua inscrição na sua paróquia

Informações: 77 3426-0384

Canção Nova
Vocação – Chamado de Deus
‘Toda vocação começa simples e pequena quando eu me dedico ao que Deus me pede no momento’, diz padre Carlos

Para os católicos, agosto é o mês das vocações, o período de celebrar o chamado que Deus faz para cada um, convidando ao exercício da ordem ou à vida em família, por exemplo. Seja qual for a vocação, ela existe e vai sendo descoberta aos poucos.

Para o padre Carlos Alberto Victal, da Comunidade Canção Nova, a dedicação de um mês inteiro para falar sobre vocação é um trabalho vocacional da Igreja no Brasil. O objetivo é valorizar o chamado de Deus para cada um de seus filhos, em especial os batizados, que são chamados a evangelizar.

A cada semana deste mês, os católicos refletem sobre determinado tipo de vocação. Leia mais …

Grande evento do Ano da Fé

Papa Francisco convida os fiéis para o grande evento do Ano da Fé. – Uma Solene adoração eucarística e dia em defesa da vida, realizada simultaneamente em todo mundo.

PTFoto: www.annusfidei.va/

Na manhã de terça-feira, 28, na Sala de Imprensa da Santa Sé, em um encontro com os jornalistas, foi apresentado a ‘Solene Adoração Eucarística,  com transmissão simultânea para todo o mundo’ e o Dia da Evangelium Vitae.

Os dois eventos inserem-se nas iniciativas do Ano da Fé, às quais já aderiram mais de 4 milhões de peregrinos. A Adoração Eucarística será realizada na Basílica de São Pedro, no próximo domingo 2 de junho, das 17 às 18 horas (horário italiano – 12h no Brasil) e o Dia da Evangelium Vitae,em 15 e 16 de junho.

A TV Canção Nova fará a transmissão ao vivo da adoração com o Papa neste domingo.

O Presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização, Arcebispo Rino Fisichella, falou sobre o significado destes dois eventos. “A expressão que usamos para dar significado a este evento é ‘Um só Senhor, uma só fé”, para testemunhar o sentido de profunda unidade que caracteriza este momento. Será um evento que pela primeira vez realizar-se-á na história da Igreja e temos motivos para defini-lo como ‘histórico’”.

Em todas as latitudes, o povo de Deus estará sintonizado com Roma, em comunhão com o Papa. “Será uma hora de uma oração plena, de comunhão fraterna e sustento à fé de todos”.

O Papa Francisco indicou duas intenções para este momento de oração que foram recordadas por Dom Fisichella.

Primeira: “Pela Igreja espalhada em todo o mundo e hoje em sinal de unidade, recolhida na Adoração da Santíssima Eucaristia”.

Segunda: “Por todos aqueles que nas diversas partes do mundo vivem no sofrimento devido às novas formas de escravidão e são vítimas de guerras, do tráfico de pessoas, do narcotráfico e do trabalho escravo; pelas crianças e mulheres que são submetidas a qualquer tipo de violência”. Leia mais …

Corpus Christi


Conheça um pouco sobre a Festa de Corpus Christi que celebra o Santíssimo Sacramento, ‘ Corpo de Cristo.’i

A Festa de Corpus Christi é a celebração em que solenemente a Igreja comemora a instituição do Santíssimo Sacramento da Eucaristia; sendo o único dia do ano que o Santíssimo Sacramento sai em procissão às nossas ruas. Propriamente é a Quinta-feira Santa o dia da instituição, mas a lembrança da Paixão e Morte do Salvador não permite uma celebração festiva. Por isso, é na Festa de Corpus Christi que os fiéis agradecem e louvam a Deus pelo inestimável dom da Eucaristia, na qual o próprio Senhor se faz presente como alimento e remédio de nossa alma. A Eucaristia é fonte e centro de toda a vida cristã. Nela está contido todo o tesouro espiritual da Igreja, o próprio Cristo.

Quando surgiu?

A Festa de Corpus Christi surgiu no séc. XIII, na diocese de Liège, na Bélgica, por iniciativa da freira Juliana de Mont Cornillon, (†1258) que recebia visões nas quais o próprio Jesus lhe pedia uma festa litúrgica anual em honra do sacramento da Eucaristia.
Aconteceu, porém, que quando o padre Pedro de Praga, da Boêmia, celebrou uma Missa na cripta de Santa Cristina, em Bolsena, Itália, aconteceu um milagre eucarístico: da hóstia consagrada começaram a cair gotas de sangue sobre o corporal após a consagração. Alguns dizem que isto ocorreu porque o padre teria duvidado da presença real de Cristo na Eucaristia.

O Papa Urbano IV (1262-1264), que residia em Orvieto, cidade próxima de Bolsena, onde vivia São tomás de aquino, informado do milagre, então, ordenou ao Bispo Giacomo que levasse as relíquias de Bolsena a Orvieto. Isso foi feito em procissão. Quando o Papa encontrou a Procissão na entrada de Orvieto, teria então pronunciado diante da relíquia eucarística as palavras: “Corpus Christi”.
Em 11 de agosto de 1264 o Papa emitiu a bula ” Transiturus de mundo “, onde prescreveu que na quinta-feira após a oitava de Pentencostes, fosse oficialmente celebrada a festa em honra do Corpo do Senhor. São Tomás de Aquino foi encarregado pelo Papa para compor o Ofício da celebração. O Papa era um arcediago de Liège e havia conhecido a Beata e percebido a luz sobrenatural que a iluminava e a sinceridade de seus apelos.
Em 1290 foi construída a belíssima Catedral de Orvieto, em pedras pretas e brancas, chamada de ” Lírio das Catedrais. Antes disso, em 1247, realizou-se a primeira procissão eucarística pelas ruas de Liège, como festa diocesana, tornando-se depois uma festa litúrgica celebrada em toda a Bélgica, e depois, então, em toda o mundo no séc. XIV, quando o Papa Clemente V confirmou a Bula de Urbano IV, tornando a Festa da Eucaristia um dever canônico mundial.
Em 1317, o Papa João XXIII publicou na Constituição Clementina o dever de se levar a Eucaristia em procissão pelas vias públicas. A partir da oficialização, a Festa de Corpus Christi passou a ser celebrada todos os anos na primeira quinta-feira após o domingo da Santíssima trindade. A celebração normalmente tem início com a missa, seguida pela procissão pelas ruas da cidade, que se encerra com a bênção do Santíssimo.


Tradição dos tapetes

Todo católico deve participar dessa Procissão por ser a mais importante de todas que acontecem durante o ano, pois é a única onde o próprio Senhor sai às ruas para abençoar as pessoas, as famílias e a cidade. Em muitos lugares criou-se o belo costume de enfeitar as casas com oratórios e flores e as ruas com tapetes ornamentados, tudo em honra do Senhor que vem visitar o seu povo. Tudo isto tem muito sentido e deve ser preservado.
Começaram assim as grandes procissões eucarísticas e também o culto a Jesus Sacramentado foi incrementado no mundo todo através das adorações solenes, das visitas mais assíduas às Igrejas e da multiplicação das bênçãos com o Santíssimo no ostensório por entre cânticos cada vez mais admiráveis. Surgiram também os Congressos Eucarísticos, as Quarenta Horas de Adoração e inúmeras outras homenagens a Jesus na Eucaristia. Muitos se converteram e todo o mundo católico.
O culto eucarístico não começou no século XIII, pois começou desde o Cenáculo, quando Jesus instituiu a sagrada Eucaristia. Mas faltava, porém, uma festa especial para agradecer ao “Prisioneiro dos Sacrários” esta presença inefável que o faz contemporâneo de todas as gerações cristãs. Era necessário, realmente, uma data distinta para que se manifestasse um culto especial ao Corpo e Sangue de Cristo, atraindo d’Ele novas graças e bênçãos para os que caminham neste mundo.

Fonte: wiki.cancaonova.com

27. março 2013 · Comentários desativados em Quarta Feira Santa · Categories: formacao, Igreja · Tags: , ,

Procissão do Encontro de Nosso Senhor dos

Passos e Nossa Senhora das Dores

Dentro da Semana Santa, também chamada de “A Grande Semana,”  em muitas paróquias, especialmente no interior, realiza-se a famosa Procissão do Encontro entre o Senhor dos Passos e Nossa Senhora das Dores.

Os homens saem de uma igreja com a imagem de Nosso Senhor dos Passos e as mulheres saem de outra igreja com Nossa Senhora das Dores. Acontece então o doloroso encontro entre a Mãe e o Filho. O padre, então, proclama o célebre Sermão das Sete Palavras, que na verdade são sete frases:

  • 1. Pai, perdoa-lhes porque não sabem o que fazem. (Lc 23,34 a);
  • 2. Hoje estarás comigo no paraíso. (Lc 23,43);
  • 3. Mulher eis aí o teu filho, filho eis aí a tua mãe. (Jo 19,26-27);
  • 4. Meu Deus, Meu Deus, porque me abandonastes?! (Mc 15,34);
  • 5. Tenho sede. (Jo 19,28 b);
  • 6. Tudo está consumado. (Jo 19,30 a);
  • 7. Pai, em tuas mãos entrego o meu espírito. (Lc 23,46 b).

O sacerdote, diante das imagens, faz uma reflexão com estas frases, chamando o povo à conversão e à penitência. O silêncio é grande, já que a imagem de Nosso Senhor dos Passos mostra-o com a cruz às costas. É tudo isso que vivemos neste tempo de profunda reflexão. Nossa fé é pascal, passa pelo sofrimento, morte e ressurreição do Senhor.

Fonte:wiki.cancaonova

” Queridos jovens! Não desperdiceis vossa juventude.”

Em discurso aos jovens, por ocasião da Viagem Apostólica ao Brasil,  durante a  V Conferência Geral do Episcopado da América Latina e Caribe, o Papa Bento XVI exortou os jovens a viver de forma digna sem desperdiçar a juventude.

” Meu apelo para vós jovens, é, que não desperdiceis vossa juventude. Não tenteis fugir dela. Vivei-a intensamente. Consagrai-a aos elevados ideais da fé e da solidariedade humana.

Vós, jovens, não sois apenas o futuro da Igreja e da humanidade, como uma espécie de fuga do presente. Pelo contrário: vós sois o presente jovem da Igreja e da humanidade. Sois seu rosto jovem. A Igreja precisa de vós, como jovens, para manifestar ao mundo o rosto de Jesus Cristo, que se desenha na comunidade cristã. Sem o rosto jovem a Igreja se apresentaria desfigurada.”
Na íntegra, discurso do Papa

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com

Network-wide options by YD - Freelance Wordpress Developer