images (1)O dia 20 de fevereiro foi instituído pela Igreja como a festa em memória aos beatos Jacinta e Francisco Marto, os pastorinhos de Fátima.

Os beatos assimilaram bem a mensagem recebida do céu, por intermédio de Nossa Senhora, e se esmeraram em atender os apelos por ela apresentados.

A partir das Aparições de Nossa Senhora, deixaram-se conduzir, de modo autêntico e genuíno, pela Mensagem de Fátima, houve um entendimento de coração e de alma do interior de cada um deles. Com naturalidade, expressaram em suas atitudes virtudes tão nobres de caridade, que, além de atrair milhares de devotos a Fátima, colaborou para expandir a Mensagem pelo mundo.

As aparições trouxeram sim alguns contratempos na família, como por parte dos céticos, a prisão, os insultos, a liberdade de ir e vir. O caminho de Deus para os Pastorinhos não ofereceu glória terrena, poder ou riqueza, mas os convidou a continuar uma vida de austeridade, de simplicidade, e a trilharem a ascendência espiritual por meio de constantes orações, sacríficos pela conversão dos pecadores e reparação ao Imaculado Coração de Maria. A maior glória foi oferecida por Deus e revelado a eles por Nossa Senhora, a garantia de irem para o céu.

Por mais novos que fossem, os Pastorinhos faziam tudo com sobriedade, e a cada dia crescia o amor pela salvação das almas. O amor os movia a ponto de não medirem sacrifícios pra resgatá-las e livrá-las do inferno.

Jacinta também era inspiradora dos sacrifícios que podia oferecer a Deus juntamente com sua prima Lúcia e com seu irmão, Francisco. Ela possuía um amor imensurável pelos pecadores, e, muitas vezes ao dia, rezava: “Oh, meu Jesus, perdoai-nos e livrai-nos do fogo do inferno, levai as alminhas todas para o céu, principalmente as que mais precisarem” As pessoas, logo ao vê-la,  apresentavam-lhe um caso para que rezasse. Jacinta não se esquecia, e sempre ao rezar os apresentava a Deus.

Muitas foram as graças alcançadas por intermédio dela:

Encontrou-nos um dia uma pobre mulher e, chorando, ajoelhou-se diante da Jacinta a pedir-lhe que Ihe obtivesse de Nossa Senhora a cura de uma terrível doença. Jacinta, ao ver de joelhos, diante de si, uma mulher, afligiu-se e pegou-lhe nas mãos trêmulas para a levantar. Vendo que não era capaz, ajoelhou também e rezou com a mulher três Ave-Marias; depois, pediu-lhe que se levantasse, que Nossa Senhora havia de curá-la. E não deixou mais de rezar todos os dias por ela, até que, passado algum tempo, tornou a aparecer para agradecer a Nossa Senhora a sua cura.” (Memorias de Ir. Lucia, pg 56.57)

Francisco, mais silencioso e contemplativo, tinha predileção em consolar Nosso Senhor, e era de muita oração. Certa vez, sua prima Lúcia lhe perguntou:Francisco, tu, de que gostas mais: de consolar Nosso Senhor ou converter os pecadores, para que não fossem mais almas para o inferno?

Gostava mais de consolar Nosso Senhor. Não reparaste como Nossa Senhora, ainda no último mês, pôs-se tão triste quando disse que não ofendessem a Deus Nosso Senhor que já está muito ofendido? Eu queria consolar Nosso Senhor e depois converter os pecadores, para que não O ofendessem mais.” (Memorias de Ir. Lucia, pg 155)

Muitos são os relatos da vida dos Beatos Jacinta e Francisco Marto para contar, porém, apenas nesses simples fatos é perceptível que, já em vida, tinham fama de santidade, praticaram virtudes heroicas e foram dignos de receber a honra nos altares.

Somos convidados a trilhar o mesmo caminho de santidade percorrido por Jacinta e Francisco, com eles podemos contar para conversão de muitos dos nossos e também suplicar a eles para receber as graças de que necessitamos.

Oração aos beatos Jacinta e Francisco Marto

Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo, adoro-vos profundamente e agradeço-vos as aparições da Santíssima Virgem em Fátima.

Pelos méritos infinitos do Santíssimo Coração de Jesus e por intercessão do Coração Imaculado de Maria, peço-vos que, se for para Vossa maior glória e bem das nossas almas, digneis-Vos glorificar diante de toda a Igreja os bem-aventurados Francisco e Jacinta, concedendo-nos, por sua intercessão, a graça que Vos pedimos. Amém.

Pai-Nosso, Ave-Maria e Glória.

Nilza e Giba Maia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *