ago
24

O amor sempre vence

perdoar1[1]

ago
19

Solenidade da Assunção de Nossa Senhora

Missa de 21 de agosto de 2016

post domingo

Assunta” quer dizer: levada por alguém. No caso de Nossa Senhora, levada pelos anjos para o Céu. Mas… Como a gente sabe que Nossa Senhora foi levada pelos anjos para o Céu? E como a gente sabe que ela não foi só de alma, como todo mundo e foi de corpo e alma como seu filho Jesus?

São Tomé e o Santo Cinto de Nossa Senhora

Essa história vem da tradição da Igreja: histórias que são contadas desde os tempos dos apóstolos, mas que não estão na Bíblia.

São Tomé encontrava-se numa viagen missionária

Quando recebeu um recado de São Pedro: “Volte rápido à Jerusalém, pois  Maria, a mãe do Senhor,  está morrendo e deseja despedir-se de todos.”

Tomé chegou tarde demais e os apóstolos contaram a ele que Maria havia morrido. São Tomé pediu a São Pedro que abrisse o sepulcro, para poder prestar suas últimas homenagens à Mãe querida de Jesus. Atendido o seu pedido, constatou que o túmulo estava vazio, no local encontravam-se apenas muitos lírios e rosas.

Nesse mesmo momento, ao levantar os olhos para o céu, Tomé viu a assunção de Nossa Senhora: ela sorrindo, levada por muitos anjos. Maria desatou da cintura um  cordão e o lançou para Tomé… E porque? Para que os apóstolos dessem conta que ela não estava indo para o Céu só com sua alma, mas também com o seu corpo.

Texto: Tia Adelita

nossa_senhora assunção

ago
17

Semana da Família

A importância da Oração na Família.

A ORAÇÃO

4. Com a presente Carta, quereria dirigir-me não à família «em abstracto», mas a cada família concreta de cada região da terra, qualquer que seja a longitude e latitude geográfica, onde se encontre, ou a diversidade e complexidade da sua cultura e da sua história. O amor com que Deus «amou o mundo» (Jo 3, 16), o amor com que Cristo «amou até ao fim» a todos e cada um (Jo 13, 1), torna possível dirigir esta mensagem a toda a família, «célula» vital da grande e universal «família» humana. O Pai, Criador do universo, e o Verbo encarnado, Redentor da humanidade, constituem a fonte desta abertura universal aos homens como a irmãos e irmãs, e impele a abraçá-los todos com a oração que começa pelas ternas palavras: «Pai nosso».

A oração faz com que o Filho de Deus habite no meio de nós: «Onde estiverem reunidos, em meu Nome, dois ou três, Eu estou no meio deles» (Mt 18, 20). Esta Carta às Famílias quer ser sobretudo uma súplica dirigida a Cristo, para que permaneça em cada família humana; uma súplica feita a Ele, através da família restrita dos pais e filhos, para que habite na grande família das nações, a fim de que todos, juntos com Ele, possamos dizer com verdade: «Pai nosso»! É preciso que a oração se torne o elemento predominante do Ano da Família na Igreja: oração da família, oração pela família, oração com a família.

Significativo é que, precisamente na oração e pela oração, o homem descubra, de modo tão simples e ao mesmo tempo profundo, a sua típica subjectividade: na oração, o «eu» humano percebe mais facilmente a profundidade do seu ser pessoa. Isto vale também para a família, que não é apenas a «célula» fundamental da sociedade, mas possui mesmo uma própria e peculiar subjectividade. Esta obtém a sua primeira e fundamental confirmação, e consolida-se, quando os membros da família se encontram na invocação comum: «Pai nosso». A oração reforça a estabilidade e a solidez espiritual da família, ajudando a fazer com que esta participe da «fortaleza» de Deus. Na solene «bênção nupcial» durante o rito do matrimónio, o celebrante invoca deste modo o Senhor: «Efunde sobre eles (os recém-casados) a graça do Espírito Santo, a fim de que, em virtude do teu amor derramado nos seus corações, perseverem fiéis na aliança conjugal» (8). É desta «efusão do Espírito Santo» que dimana a força interior das famílias, bem como o poder susceptível de as unificar no amor e na verdade.

É indispensável que a oração se torne um hábito arraigado na vida quotidiana de cada família. A oração é acção de graças, louvor a Deus, pedido de perdão, súplica e invocação. Em cadauma destas formas, a oração da família tem muito que dizer a Deus. Também tem tanto que dizer aos homens, a começar pela recíproca comunhão das pessoas unidas por laços familiares.

CARTA AS FAMILIAS – PAPA JOÃO PAULO II (1994)

ago
16

Dom Bosco

Dom Bosco educai-nos para a Santidade! 

dom bosco

Vamos Colorir

dom_bosco-para-colorir

ago
15

São Tarcisio


Querido São Tarcísio, peça a seu amigo Jesus, por todas as crianças e adolescentes,

o mesmo amor que você teve por Jesus na Eucaristia aqui na terra. São Tarcísio, rogai por nós. Amém.

Vamos colorir

sao-tarcisio-para-colorir

ago
15

Assunção de Nossa Senhora

“Bendita és tu entre todas as mulheres.”

Evangelho – Lucas 1,39-56

O Evangelho nos mostra o encontro de duas pessoas, Maria e sua prima Isabel.

Nossa Senhora vai até Isabel para servir, para ajudá-la nas coisa simples de casa, pois Isabel já esta no sexto mês de gravidez.

Quando se encontram João Batista, o bebê de Isabel estremece de alegria e fica cheio do Espírito Santo, pois Nossa Senhora estava grávida e a presença de Jesus encheu toda aquela casa e as pessoas foram contagiadas pela presença de Deus.

Assim também deve ser cada um de nós, temos a graça de receber Jesus na Eucaristia, Ele está presente em nossa vida, quando encontrarmos as pessoas devemos resplandecer Jesus.

Como tem sido o seu encontro com as pessoas? Você tem refletido Jesus nas suas atitudes, palavras e gestos?

Vamos pedir essa graça a Deus no dia de hoje: sermos pessoas cheias do Espírito Santo! E como Maria proclamar:

“O Poderoso fez por mim maravilhas, santo é seu nome.” (Lucas 1,49)

ATIVIDADE: Convide as crianças para rezarem juntos o Magnificat. (A Canção de Maria)

Deus abençoe!

ago
12

Frutos do Espirito Santo

Frutos do Espirito Santo

O Espirito Santo, Mestre interior da oração cristã, forma a Igreja na vida de oração e a faz  entrar cada vez mais profundamente  na contemplação e na união com o insondável mistério de Cristo. ( Compêndio do Catecismo da Igreja Catolica).

Os frutos do Espirito Santo são presentes que Deus nos dá para que possamos colocar em prática a nossa fé e construir nosso lugar no céu.

VAMOS DESCOBRIR JUNTOS OS FRUTOS DO ESPIRITO SANTO?

Forca Dons Do Espírito Santo

Depois partilhe conosco qual fruto do Espirito Santo você mais precisa hoje.

Deus abençoe

ago
11

Santa Clara rogai por nós!

Clara nasceu em Assis, em 1193, da nobre família dos Offreducci. Teve duas irmãs, Catarina e Beatriz, e um irmão, Bosone. Sua mãe Ortolana, era cristã fervorosa, não é pois de se estranhar a profunda piedade de Clara, desde menina.Nos domingos de 1211, Francisco pregou na Igreja de São Jorge e Clara foi ouvi-lo. Cada palavra penetrava em sua alma e incendiava seu coração. Chegava o domingo de Ramos, escolhido por Francisco para a doação de Clara a Deus. Pe. Francisco lhe ordena que, no dia da festa, adornada e elegante, vá pegar a palma em meio à multidão e, na noite seguinte, converta a alegria mundana no pranto da paixão do Senhor.
Clara entrou na igreja e, ajoelhada diante do altar da Virgem Maria, consagrou-se a Deus, pelas mãos de Francisco, e em sinal de consagração, teve seus cabelos cortados. Tão logo foi informado do acontecido, seu pai reuniu os homens da casa, enviando-os ao convento, para trazer Clara de volta. Clara porém, não renunciou a sua decisão e, tirando o véu da cabeça, mostrou-lhes o cabelo para provar que não era mais Clara de Offreducci, mas Irmã Clara. Ela ficou no convento beneditino onde foi acompanhada de sua irmã Catarina, que logo após passou-se a chamar Inês. Em 1215, Clara tornou-se superiora da comunidade, o Papa Inocêncio III deu a eles a regra da pobreza absoluta, e então Clara fundou a ordem das Clarissas Pobres.
Clara permaneceu por toda a vida fiel e coerente com a Regra que ela havia ditado. Não conhecia limites à caridade, ao serviço junto às irmãs, aceitando com alegria mesmo incumbência mais humildes. Considerava honra lavar os pés das externas, quando voltavam ao convento. Penitência e mortificação impõe a si mesma em medida tão dura que suscitava preocupação e advertências da parte de Francisco. A moderação recomenda às outras, não a si mesma.
Clara morreu, a 11 de agosto de 1253. O Pontífice, qua se achava em Assis, propôs celebrar o ofício das virgens e não o dos mortos, como demonstração de que considerava Clara já santa. A igreja converteu-se logo em santuário, meta de numerosíssimos fiéis, mesmo porque Clara começou logo a fazer milagres. O culto, assim, cresceu espontâneamente, enquanto se difundia a fama de curas prodigiosas. O início imediato do processo de canonização baseava-se em vasta e crescente devoção popular. Dois anos após sua morte (1255) Clara é declarada Santa.

CLIQUE AQUI!

Para ter acesso a Novena a Santa Clara clique acima.

Deus abençoe

ago
10

São Lourenço

Ele foi um diácono que deu a vida por Jesus, de bom humor e muita coragem!

sao lourenço

ago
10

Sede Santos

Posts mais antigos «