“Quando o Senhor fala de «orar sempre», naturalmente não pede para estarmos continuamente a rezar por palavras, mas para conservarmos sempre o contato interior com Deus. Exercitar-se neste contato é o sentido da nossa oração. Por isso, é importante que o dia comece e acabe com a oração…”(Bento XVI, Carta aos seminaristas 2010)

Caros amigos é muito fácil ficar rezando exteriormente o tempo todo. Mas com o tempo esta oração pode se tornar vazia, porque não se fazer por amor, mas sim muitas vezes por obrigação ou por uma compreensão errada do que é orar sempre.

Já testemunhei aqui que certo tempo de minha vida rezava cinco rosários (na época 15 terços). Porém, fazia isto no serviço e em outros momentos inconvenientes, isto atrapalhava meu trabalho, e além de tudo isso não rezava direto, pois pelo menos para mim, é impossível fazer bem duas coisas ao mesmo tempo.

Com o passar do tempo fui colocando os pés no chão e compreendendo que o fundamental da oração é este contato íntimo e pessoal com Deus, durante todo o meu dia.

Aqui na Canção Nova chamamos de “Oração ao Ritmo Vida”. Que é fazer tudo no meu dia com Deus, na intimidade do meu coração, saber ouvi-lo, pedir sugestões para Ele, pedir ajuda nos momentos difíceis. É um contato íntimo e pessoal. Isto mesmo contato com uma pessoa, não é esquizofrenia, não. É um relacionamento de amor de alguém que teve um verdadeiro encontro pessoal com o Senhor.

Eu preciso durante todo o meu dia manter este contato interior, sempre alimentando com as práticas devocionais que servem como suporte para este contato pessoal com Deus que está no meio de nós.

Forte abraço

Ademir Costa