Na Igreja, a religiosidade popular é um alimento fecundo para nossa fé. Neste fim de semana vimos duas grandes manifestações de fé popular no Brasil: A festa de Nossa Senhora Aparecida e o Círio de Nazaré em Belém.

O culto aos santos, com as diversas religiosidades e devoções populares é muito salutar para a fé da Igreja. Hoje é algo quase indispensável e inseparável da espiritualidade do povo e das comunidades eclesiais. Por isso, não podemos ferir estas manifestações religiosas culturais de nosso povo.

Mas tem de se purificar as atitudes, que por vezes, levam a uma compreensão errada do culto aos santos, conduzindo a sincretismos, superstições, uma atribuição de “poderes mágicos” aos santos entre outras práticas.

Precisamos buscar uma justa medida nesta conscientização para corrigir erros e abusos mediante uma boa catequese. Pois, não se pode deixar o fiel viver erroneamente suas práticas religiosas. Mas também não podemos ser agressivos a fé do povo e a sua relação com a Igreja pelo culto dos santos.

É preciso bom senso, devemos conscientizar o nosso povo sem esvaziar ou ferir a sua religiosidade. Porque a piedade popular alimenta nossa fé.

Forte abraço,

Até a próxima!

Ademir Costa