Vi num programa de TV uma pessoa ensinando o cachorro a saber se comportar diante de outros animais. O cachorro se comportava muito mal diante de outros animais, além de não respeitar seu róprio dono.
O rapaz no programa disse que era importante o dono se impor, mostrando quem era a autoridade, para que o cachorro voltasse ao lugar. Para que o animal voltasse para o lugar que ele deveria ficar.
Algumas outras atitudes também se faziam importantes como, por exemplo, dar limites ao cachorro, para que ele soubesse que as atitudes geram consequências positivas ou negativas e que ele, o cachorro, poderia escolher ser castigado ou não, dependendo da atitude que tivesse.
Vi que existe uma grande analogia com a criação dos filhos: os pais precisam se impor e mostrar quem é a autoridade da casa. Assim como os filhos têm seus lugares, pai tem um lugar e mãe tem outro, e o lugar de um não pode ser tomado pelo outro, mas o lugar de ambos precisa ser de autoridade para com os filhos.
Limitar as atitudes das crianças também é importante, mostrando para as crianças que eles podem desejar o castigo, quando são mal-criados, ou não, quando se comportam. Não é o pai/mãe que o coloca o filho de castigo. É a criança que decide, quando deseja errar, que quer receber castigo e o pai/mãe só executa seu pedido.
Acontece que exige muito dos pais essas atitudes… é cansativo… desgastante… mas é imprescindível para que nossos filhos cresçam com limites e reconheçam a importância.

Eu, como pai, estou tentando… vamos juntos, pais, e não desistamos dos nossos filhos!!!

Junior Alves, missionário da Comunidade Canção Nova
Missão Rio de Janeiro

Comments closed.