Voce è cidadão do céu, tome posse desta graça

Alguém ama voce demais, se preocupa muito com voce e está do seu lado sempre.  

Esta pessoa è Jesus. Deus ama mesmo voce, não por causa da cor da pele ou do cabelo, não è por aquilo que se tem ou pelo que se quer ser, Ele ama assim como voce é, e como Ele te fez.

Temos como Jesus muitas maneiras de demonstrar que amamos alguém: elogiando, usando uma roupa da maniera que a pessoa gosta, usando um perfume, escovando os dentes etc.. Existem portanto, várias maneiras em que nós humanos, demonstramos de amar alguém.

Por mais convivência que voce tenha com alguem, porém, humanamente ninguém amaria voce, até o ponto de morrer. JESUS morreu por voce! Parece hoje uma conversa “à toa” ou uma conversa ultrapassada dizer que Jesus te ama não è? Mas è uma verdade que nunca acaba, sempre precisamos ser incentivados, encorajados e recordados:

E importante dizer a alguém:

Almir, Jesus te ama, Lucia, Jesus te ama, Maria Jesus te ama, Roberto, Jesus te ama etc..

Mas precisa experimentar o “Amor” para amar o irmão. Saber que Jesus ama, até o diabo sabe. Portanto saber somente que alguem te ama, não è nada, importante è viver, sentir e experimentar esse amor, todos os dias da vida.

Voce é uma criatura amada pelo criador e pelo Filho do Criador. Voce è cidadão do céu!

E quando tudo parece escuro, e sentimos que de repente alguém não nos ama, Precisamos lembrar desta verdade. Deus te ama!

E quando pensamos que as barreiras parecem não passar, lembremos o sempre: Jesus me ama!

Quando encontrar alguém desanimado, e que para ele ou ela, as barreiras não vão passar, diga sempre a esta pessoa: Pensa, que quem te ama è Jesus!

O Senhor te abençoe e te guarde,

Padre Antonio Lima.

 

Maria Santissima Arca da Aliança

O Salmista canta no Salmo 131,8 o mistério profético da Mãe do Senhor: “ Levanta-te Senhor ao lugar do teu repouso tu e a arca do teu poder”.

O Senhor ressuscitou e quando subiu à direita do Pai; ressuscitou também a Arca (Maria), quando foi assunta até os altos dos céus.

Assim se expressa a Sagrada Teologia nos escritos de S. João Damasceno, grande místico e teólogo da Santa Mãe Igreja.

Somos certos e guiados por grande fé, que Deus preservou Maria santíssima da violação do pudor e da integridade virginal na concepção e no parto de Jesus, assim , o Pai não permitiu que seu corpo se desfizesse em potridão e nas cinzas.

A gloriosa Virgem Maria, como em sua vida, na concepção do Verbo divino, não foi submetida à corrupção do corpo. A ela são dedicadas as palavras do Senhor no Cântico dos cânticos: “Quem è esta que sobe ao deserto, e o preenche de delicias, apoiada por seu dileto?” (Cântico dos cânticos, 8,5).

E assim, pode-se dizer com mais tantas outras razões de fé que onde está Deus, ali está também a Mãe de Deus.

Seria uma contradição dos designios de Deus, se ela não fosse elevada aos céus, antes de qualquer outro mortal como o Filho. E porque a pessoa não è somente alma, mas tudo o que ela è, e a completa, è claro que também de corpo e alma, ascendeu também a Mãe do Filho de Deus.

Não se pode nem se deve pensar, os que tem fé, que a Celestial Rainha fique separada do Rei dos Céus, Jesus! Ela está onde está Cristo; além disso, è racional, normal e conveniente que estejam e sejam glorificados no céu.

A Solenidade da Assunção de Maria santissima, è celebrada desde os primeiros tempos da Igreja depois da ressurreiçao do Senhor.

Grandes santos teólogos e estudiosos da Vida de Maria escreveram sobre a sua Assunção e glorificação: S. Roberto Bellarmino, S. Francisco de Sales, S. Alfonso de Liguori e tantos outros.

Por fé universalmente, os cristãos crêem que a Mãe do Salvador está lá, de corpo e alma, junto a seu Filho, intercedendo por nós para o dia final e nossa salvação.

O Senhor te abençoe e te guarde,

Padre Antonio Lima.

Onde estão os comunicadores da fé?

O Senhor Jesus, que prometeu e enviou o Espirito Santo pelo Pai, para a sua Igreja, ordenou aos Apóstolos de não sairem de Jerusalém e de serem suas testemunhas. …E enquanto o adoravam, subiu ao céu (Lc 24,46-53).

A nossa vocação principal è de sermos então suas testemunhas. Somos testemunhas com a vida e com a evangelização: ensinando em seu nome as maravilhas que ele mesmo nos ensinou.

Não podemos escolher somente uma entre estas duas, mas estas caminham juntas, seja o ensinamento ou a formação, e seja o testemunho de vida.

Hoje em dia, nos sentimos em muitos, muito capazes talvez de falar do Senhor Jesus, das Escrituras, a explicar e a pregar mas não basta. Precisa testemunhar. Hoje vai de moda as grandes formações, catequeses, as grandes conferências de pessoas espertas e de fama que muitos escutam pela fama que tem, mas não è tudo.

Sobre a importancia de falar de Jesus e do testemunho que devem caminhar juntos, o encomodo Padre Primo Mazzolari, da Italia, dizia profeticamente assim:

“Já terminou o tempo de fazer show com a desculpa que somos cristãos honesto. Muitissimos não sujaram ainda suas mãos, ainda não fizeram o que deviam”.

É realmente comodo, di fato, estar na moda que hoje gira por ai: a moda de sermos todos pregadores, das reflexðes, das formaçðes, das catequeses, das meditaçðes e assim por diante. Escutamos muito que “o fulano” é pregador, que “o sicrano” é pregador etc. Mas somos poucos aqueles que escolhem testemunhar arriscando a propria pele. Para testemunhar o Evangelho precisamos de simplicidade de vida, sem montarmos a cabeça de estar fazendo grandes coisas.

Falemos de Deus com simplicidade, falemos do seu amor, com a nossa vida em simplicidade, antes de tudo. Como o fez Jesus e o ensinou: Todos, cristãos leigos, cristãos padres, e consagrados.

A simplicidade leva ao acolhimento, à bondade, à paciencia, à caridade material e espiritual à calma, à honestidade e assim por diante. Somente assim poderemos propor um verdadeiro caminho de fé.

O Espirito Santo nos acompanhe e nos cure de nossas fraquezas de modo que acolhamos com coragem a sua voz interior, para mostrar a este nosso mundo que não reconhece mais em geral, que Deus existe, não reconhece a sua presença e seu amor. Que ele cure a partir do mais profundo nossas almas para que possamos aceitar a proposta de Jesus, para uma con-versão a ele.

Hoje se fala muito de comunicação e de evangelização.

Para sermos verdadeiros comunicadores da fé e testemunhas, precisamos também correr o risco da não-aceitação. Olhemos para o testemunho de Papa Francisco, não sempre vem aceito! Quantas coisas se leem dele negativamente! È um papa que encomoda!

Quem testemunha de verdade o Cristo, deve correr este risco: o risco de encomodar.

A pergunta é então: onde estão os verdadeiros comunicadores da fé? Onde está a nossa credibilidade? E principalmente onde está o primeiro passo para formarmos verdadeiras testemunhas? O primeiro passo è a intimidade com Deus pela santa Adoração. Onde estão os verdadeiros adoradores que o Pai procura? Diz Jesus. (Jo 4,23).

Se não somos testemunhas da adoração ao Senhor, como seremos testemunhas autenticas? Precisamos nos perguntar se paramos nossas atividades diarias para adorar, para estarmos em oração diante do Senhor, e depois partir naquela obediencia à sua palavra?

Nunca esqueçamos que, como os apostolos precisamos ser testemunhas da Ascensão do Senhor.

“Ordenou-lhes de não sairem de Jerusalem e serem suas testemunhas. Eis a nossa missão de seguidores do Senhor Jesus no mundo de hoje. Não deve ter sido fácil para os Apóstolos e os primeiros cristãos, não o será nunca fácil e simples também em nossos dias. Eles porém após a sua Ascensão, estavam sempre no templo em oração.

A verdadeira comunicação da fé, nasce da adoração, e da vida. Somente assim seremos testemunhas criveis do Senhor, verdadeiros cristãos.

Paz e bem, seu irmão,

Padre Antonio Lima.

Fixando os olhos no que é essencial

Em meio a este modo de viver e de pensar de hoje em dia,  onde o Senhor cabe pouco, somos insconscientemente levados a crer numa normalidade mas sem Deus, onde tudo è aparentemente normal, mas que è puramente obra do inimigo no mundo.

Não nos deixemos levar pelos que raciocinam segundo esta cultura do prazer e do estar falsamente bem… pelas palavras lindas, e até mesmo espiritualmente lindas, mas que não tem consistência, nem vida, nem um testemunho “real” que os antecede. Me compreende?

São somente “palavras lindas”, tomemos cuidado com estas, ou por tantos modos de pensar onde o Senhor deve ser segundo o prorio modo de pensar… O Senhor tem outro caminho, muito melhor: Se o queres seguir, siga-o em espirito e em verdade”. Portanto, seja firme!

E não nos iludamos com falsas liberdades… com luxos, riquezas materiais… e aparências… Deus vale mais que tudo isto!

Amem?

O Senhor te abençoe e te guarde,

Padre Antonio Lima.

A arte antiga e sempre atual

Hoje é o dia do trabalhador. Esta, que è uma arte antiga e sempre atual. Infelizmente o trabalho hoje é o grande problema que aflige a humanidade. Este, e a arte, caminham juntas e não poderia ser diferente, pois, sem o trabalho não se vive; com ele, de fato, se vive e se come.

Onde encontrar portanto o trabalho justo, aquele que restitui, dá dignidade à pessoa humana e rende justo seu salario?

A justa sintonia dos dois, são aquilo que restituiria à humanidade a justiça e a paz. Estes dois, assim tão desejados, na realidade são ideais distantes mas ao mesmo tempo muito perto um ao outro e do homem. A gula economica porém, e os interesses dos homens em geral, é o que rendem impossivel a sua realização, mesmo desejando-o, mas em teoria somente, assim, esta nunca sera real.

E o mundo continua a sofrer na pessoa dos que os chamam de: “homens do terceiro mundo”.

José, na tradição religiosa, vem indicado como o homem que soube viver da arte do trabalho, ele è tido desde sempre como exemplo de justiça e guardião do Filho de Deus sobre a terra. (Mt 1,24; Lc 1,27).

Homem sempre pronto a realizar os designios de Deus, em meio às “tempestades” do dia-a-dia e incompreensðes humanas. Foi porém nada menos que o filho de Davi (Mt 1,20).

S. José, com “a escuta” interior, soube reger a vontade de Deus, assistido pelo Espirito Santo. Os Evangelhos o definem homem justo Mt 1,19), e para a Igreja na historia, modelo de vida fiel, por que acreditou no mistério, sem ver nada claro humanamente, do que Deus lhe propunha para que fisesse.

Quem Foi S. José em duas palavras? Um humilde, carpinteiro de nazaré, que não fez perguntas a Deus nem duvidou, obedeceu! Viveu em exercicio de pequenez a cada dia com somente a fé como segurança, abandonado ao que o Espirito Santo de Deus lhe guiava na alma.

O Senhor te abençoe e te guarde,

Padre Antonio Lima.

A pessoa bondosa: Nâo somente olhar nos outros suas virtudes e vive-las também nós!

Ao Senhor Jesus, toda honra, todo louvor e toda a adoraçâo por tudo o que è, e sempre será: Ele è o Filho de Deus. Exaltemos o seu Santo nome, pois, todo aquele que exaltar o nome do Senhor Jesus será  salvo e sua promessa se cumprirá: “Eu o ressuscitarei no dia final” (Jo 6,35-40).

Em sua vida aqui na terra somente amou e nos amou até a morte de cruz, obediente ao Pai, veio ao mundo para nos desvelar o grande amor e por isso pagou um preço caro por nâo ser entendido e aceito pelos homens e autoridades de seu tempo.

As autoridades e povo do seu tempo, e muitos ainda hoje, (esses muitos que podemos ser também eu e voce, diretamente ou indiretamente nâo esqueçamos, por conta de nossos pecados),  nâo o reconheceram filho de Deus e o maltrataram até leva-lo à colina da crucifixâo.

Jesus sabia tudo o que iria acontecer mas nâo recuou. Como disse o profeta,

…Nâo abriu a boca, mesmo sendo humilhado (Is 53).

Vivamos o exemplo de Jesus em sua obediência a Deus. Sejamos bons porque foi o que ele nos ensinou.

Nâo paremos a meditar somente estes tres dias quase que poeticamente sobre a vida de Jesus, porque ele pede fidelidade hoje e no tempo, seremos sentimentais demais; isto nâo è ser de Jesus, ser dele, tem o que a ver com a fidelidade, com a fé, com o amor, que é o que o Senhor pede de nós. Só assim poderemos ser seus verdadeiros amigos e filhos bondosos.

A sua e nossa Mâe, possuia todos os motivos deste mundo, para ser uma grande poeta e admiradora do Filho, ela porém juntou-se a ele na obediência, nâo recuou o sofrimento. Escolhida pelo Pai para ser a Mâe por excelência, se fez sinal e ponte por esta sua obediência, mesmo diante da desolaçâo em ver o Filho pregado e desfigurado numa cruz!

Que Mâe! Que coraçâo materno: Obedecer, sofrer, amar, acolher e esperar! Grande exemplo de Mâe e de Mestra de bondade.

E ela estava lá! Aos pés da Cruz do Filho, junto ao Filho! (Jo 19,25).

Como nâo amar-te e charmat-te “Mâe”, que è o que és, Maria Mâe de Jesus! (Jo 19,27).

Bons portanto para com todos, contra as maldades que afloram dentro de nós, todo tipo de maldade do pequeno julgar ao maior, da mais simples palavra ofensiva, que pode parecer nada, da mentira para defender-nos para nâo passarmos vergonha, dos tantos desinteresses para com quem nos passa ao lado, do egoismo de pensar antes em salvar a nossa pele, das espertezas humanas que nâo sâo por nada de Deus, do saber perder qualquer coisa: material, espirtual ou moral, por Deus, etc. Enfin, viver de bondade!

O Senhor nos ensina isto: sermos bons! A bondade e a pequenês junto às outras virtudes cristâs, vividas, e nâo somente contempladas e admiradas em quem as pratica por exemplo, é o que faz de nós, bons filhos de Deus.

Somos habituados a ver a bondade nos outros, a caridade, o interesse de quem ama e evita de julgar… nâo é mesmo? e os admiramos por suas virtudes: “Nosssa como fulano è bom!” E eu? E voce? Fazemos o mesmo? Esta aqui a chave! Nâo olhar nos outros suas virtudes mas vive-las também nós.

Seremos fieis e verdadeiros adoradores, amaremos o Senhor de verdade quando pararmos de olhar a bondade dos outros e nos juntarmos àquele fulano ou fulana, para vivermos como “bons filhos, imitando o Senhor Jesus que se fez pequeno e humilhou-se. Amem?

O Senhor te abençoe e te guarde!

Padre Antonio Lima.

As ameças mundanas à fé e à graça, destroem nossa vida na graça de Deus

O Espirito Santo de Deus vai além das realidades humanas, qualquer que sejam: estruturas, organizações humanas. Para estarem na verdade, estas, precisam submeterem-se Aquele que rege todas as coisas. A Palavra de Deus a este propósito, declara que tudo è renovado pelo Espirito Santo de Deus, Ele è presente e guia tudo o que è seu:

“Eis que faço novas todas as coisas” (Ap 21,5).

A Igreja, se submente ao Espirito Santo, e não pode ser diferente, pois o Senhor Jesus o prometeu no dia de Pentecostes, portanto, não existe outra regra a não ser aquela de deixar-se guiar.

Cada inspiração, ideia,, carisma e dom, estão além das realidades humanas que são falhas, se não provém de Deus.

O cristão que vive sua fé no Senhor Jesus e vive em uma diária tensão em vive-la por meio dos meios que a Igreja oferece para a união com Deus, pelo Batismo que è “ex opere operato”, ele vive deixando-se reger a cada dia por Ele, vive Assim em sua graça e em meio a seus dons.

Os estudos das coisas de Deus, (a Sagrada Teologia) recita assim no Catecismo da Igreja Católica:

“Os batizados estão revestidos de Cristo. Por meio da ação do Espirito Santo, o Batismo è um lavacro que purifica, santifica e giustifica. O Batismo è portanto um banho de agua no qual, a semente incorruptivel da Palavra de Deus produz o seu efeito vivificante”. (Catecismo da Igreja Católica 1227-28).

Tomemos posse desta graça que è a presença Do Espirito Santo em nós, e façamos conforme sua santa vontade para que nossas decisões tenham sua origem n’Ele.

Obedeçamos! Obedeçamos e sejamos fieis, meus amigos, evitando de ceder a racionalismos e as diversas formas de tentação de indiferentismo ou de capricho indiretos, onde se atribui a Deus, o que è puramente humano demais e nosso. Esta, que è o que se chama de “vaidade espiritual”. È

Isto è justamente que o tentador quer fazer em nossa alma: desviar nosso olhar da Verdade.

“Chamaram-nos e ordenaram-lhes que absolutamente não falassem nem ensinassem em nome de Jesus. Responderam-lhes Pedro e João: Julgai-o vós mesmos se é justo diante de Deus obedecermos a vós mais do que a Deus”. Atos dos Apóstolos 4,18-19).

Obedecer em consciencia a Verdade: esta è a palavra de ordem do cristão batizado, consagrado ou não, porque o mundo não è nosso. Quem è de Cristo vive no mundo mas não è do mundo, conforme nos ensina a Palavra.

Tudo passa aqui na terra. È como diz o Apostolo: “Vivemos mas não somos deste mundo” (Jo 17,14).

O Senhor te abençoe e te guarde,

Padre Antonio Lima.

Precisamos morar no coração de Deus

Temos uma casa onde morar, que nenhum poder terreno ou sobrenatural destroem, pois esta habitação é a habitação onde reina o amor, justamente porque o mesmo Amor em pessoa, são seus proprietários, defensores e chefes: A habitação da Santissima Trindade. Nela, não reina senão o proprio amor que está no Pai, no Filho e no Espirito Santo.

Tomemos posse uma vez por todas das promessas divinas de querer para sempre, já desde esta terra, fazer nossa, a casa trinitária, a casa do Amor! “Não se perturbe o vosso coração. Credes em Deus, crede também em mim.Na casa de meu Pai há muitas moradas” (Jo 14, 1-2).

Sabemos que aqui na terra por mais que queiramos nos apegar, esta não è nossa habitação mais certa, mas è o céu. Precisamos desejar sim, morar no céu, e la o nosso lugar. Nascemos do Pai, e dele somos. Não nos iludamos e decidamos, não demos aquela importancia irreal, a tudo o que è terreno, pois Como dizia Santa Teresa: “tudo passa”. Oh, que verdade imensa e certa que o Espirito Santo colocou no coraçao desta grande santa da Igreja.

Pensemos bem, a cada coisa, a cada açao, a cada atividade ou afazer e pessoas também, e demos aquela importancia, que cada um merecem sem substituir pelo essencial: Deus! Porque tudo passa.

O Senhor te abençoe e te guarde,

Padre Antonio Lima.