Invoquemos o Espirito Santo. Nosso ideal de vida é a santidade.

Existe um tempo para cada coisa, diz o Senhor em sua palavra e assim, E agora também, este tempo para estarmos em casa, temos como usa-lo para evangelizar e para falar de Deus a quem nos comunicamos por meio dos modernos meios de contato. 

Nosso ser de Deus, continua e como sempre fizemos continuamos a fazer com que seja santa esta nossa viagem aqui na terra. E’ uma viagem santa, e o deve ser.

A quarentena de que tanto se fala, para nos proteger, nos leve a aumentar em nossa alma, o amor por Deus, exercitanto a santa virtude da paciencia. Esta virtude, para este tempo, é aquela apropriada que neste tempo, o Espirito Santo nos pede para viver com intensidade.

Portanto, coragem, todos coragem! Deus esta conosco!

O Senhor te abençoe e te guarde,

Padre Antonio Lima.

 

Existir e resistir a um Virus criado pelo proprio homem

 

Estar em Deus requer a vigilância e a constância

Um dia Jesus disse aos discípulos: “O que vos digo, o digo a todos: ‘Vigiai’!” (Marcos 13,37). Jesus pediu a seus amigos di vigiar, quer dizer, de estarem acordados e de espera-lo.

Quem ama sabe o que significa esperar. Quem tem um amigo distante e espera suas noticias, a cada momento se pergunta o que possa estar fazendo naquele instante o amigo. O cristão que ama a Deus, seu Pai, e que ama Jesus, seu Senhor e Senhor de sua historia, manifesta a sua espera principalmente por meio da oração.

“O Espírito e a esposa dizem: ‘Vem’… Amém. Vem Senhor Jesus!” (Apocalipse 22,17-37).

O Evangelho nos mostra a imagem de Jesus que parte ao deserto ou sobre um monte para orar. Nos indica Jesus que levanta cedo de manhã para orar, ou passa a noite inteira em oração, nos diz que Jesus esta orando quando lhe vem revelada pelo Pai a sua missão, ora antes de chamar os apóstolos etc..

Esta imagem de Jesus em oração, nos faz entender como seja grande o seu amor pelo Pai.
Seu ser vigilante em fazer a vontade do Pai, manifesta seu desejo de estar em comunhão com o Ele por meio da santa obediencia.

Portanto, amigos, não è bastante orar, è necessário orar, fazendo a vontade de Deus, aquela revelada por Jesus nos conselhos evangélicos.

Jesus ensina que a oração junto à obediência, completam o esforço de permanecer desde aqui na terra, em comunhão com o Pai por meio do Filho. Nem uma, nem a outra, sozinhas, em base aos ensinamentos de Jesus, formam a vontade do Pai, fica imcompleto o nosso esforço, em outras palavras, ainda nao estamos na vontade de Deus, pois falta os outros cinquenta por cento. Isto è o que Jesus exige para o nosso ser seguidores seus, cristãos.

O nosso esforço faz parte daquele caminho a percorrer para sermos santos. Portanto a palavra è: Viver com uma constante tensão ao Céu para chegarmos às moradas eternas e viver eternamente ao lado de Deus.

“O Espírito vem em auxílio à nossa fraqueza; porque não sabemos o que devemos pedir, nem orar como convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inefáveis. E Aquele que perscruta os corações sabe o que deseja o Espírito, o qual intercede pelos santos, segundo Deus” (Romanos, 8,26-27).

Esta è a grande riqueza da oração e seu poder! Quando ela se transforma em testemunho de vida e explode no louvor, com canticos, com celebraçoes e com a festa, em seu verdadeiro significado.

Hoje Jesus me chama e te chama a retomar sem paradas, sem pausas… o caminho com Ele.

O Senhor te abençoe e te guarde,
Padre Antonio Lima.

Contra corrente para espalhar o amor de Deus

Esta é aquela grande, velha e sempre nova verdade que lembramos pouco, refletimos e nos empenhamos em refletir e crer, se nos encontramos em momentos onde a nossa alma se encontra naquela sensação da ausencia do Senhor.

Esta foi a mesma sensação que o povo de Israel havia experimentado, chegando ao ponto de pedir a Moisés, um sinal do céu.

“Entretanto, o povo que ali estava privado de água e devorado pela sede, murmurava contra Moisés: “Por que nos fizeste sair do Egito? Para nos fazer morrer de sede com nossos filhinhos e nossos reba­nhos?” (Ex 17,3).

Uma sensação que nasce de uma necessidade, de um momento de preocupação ou de desespero.

Deus porém esta e resta sempre pertinho de voce, sempre quiz e quer lhe amar, pois ele è aquele Pai que sabe amar infinitamente.

Todo amor que experimentamos aqui na terra, a começar pelo infinito amor, terreno de nossos pais e mães. Estes, são um pequeno espelho do que seja o infinito amor de Deus.

Deus è bom! Nosso viver limitado e cego por não conhecer profundamente nem mesmo a realidade do que somos, não consegue nem mesmo intuir onde inicia e como acontece este amor do Pai.

Eis a razão do abandono n’Ele, como resposta ao que não compreendemos e ao que não intuimos.

Deus è Deus, e por sua bondade, como no deserto em tempos antigos, com a aliança com os seus por meio dos profetas, sempre alimentou e alimenta seus filhos, todos os seus filhos, do que necessitam, sem deixar-lhes faltar o necessario existencial e espiritual, para viver feliz aqui na terra.

E Ele continua também hoje a lhe dizer, como então, de voltar seu olhar para a sua bondade, de reconhecer que è Pai e Criador.

Seu Espirito, que sempre guiou seu povo à terra prometida, ainda hoje quer te guiar e quer me guiar para esta mesma terra, onde escorre leite e mel.

“Desci para libertá-los das mãos dos egípcios e fazê-los sair desse país para uma terra boa e espaçosa, terra onde corre leite e mel: para a região dos cananeus e dos heteus, dos amorreus e dos fereseus, dos heveus e dos jebuseus” (Êxodo 3,8).

Nunca canse, na sensação apenas, da ausencia do Senhor, de crer e de abandonar-se nas mãos do Senhor.

O que nos resta em nossa vida senão amar o Senhor? Quando nos abandonamos em sua bondade, não deveriamos nos preocupar mais de nada. Pois Deus è Pai.

O Senhor te abençoe e te guarde,

Padre Antonio Lima.

“Nossa Quaresma em tempo de Coronavirus” 

Sejamos todos doceis e obedientes para vencermos o mal com a obediencia.Nos apeguemos sempre mais ao Deus verdadeiro que tudo pode.

 

Maria Santissima Arca da Aliança

O Salmista canta no Salmo 131,8 o mistério profético da Mãe do Senhor: “ Levanta-te Senhor ao lugar do teu repouso tu e a arca do teu poder”.

O Senhor ressuscitou e quando subiu à direita do Pai; ressuscitou também a Arca (Maria), quando foi assunta até os altos dos céus.

Assim se expressa a Sagrada Teologia nos escritos de S. João Damasceno, grande místico e teólogo da Santa Mãe Igreja.

Somos certos e guiados por grande fé, que Deus preservou Maria santíssima da violação do pudor e da integridade virginal na concepção e no parto de Jesus, assim , o Pai não permitiu que seu corpo se desfizesse em potridão e nas cinzas.

A gloriosa Virgem Maria, como em sua vida, na concepção do Verbo divino, não foi submetida à corrupção do corpo. A ela são dedicadas as palavras do Senhor no Cântico dos cânticos: “Quem è esta que sobe ao deserto, e o preenche de delicias, apoiada por seu dileto?” (Cântico dos cânticos, 8,5).

E assim, pode-se dizer com mais tantas outras razões de fé que onde está Deus, ali está também a Mãe de Deus.

Seria uma contradição dos designios de Deus, se ela não fosse elevada aos céus, antes de qualquer outro mortal como o Filho. E porque a pessoa não è somente alma, mas tudo o que ela è, e a completa, è claro que também de corpo e alma, ascendeu também a Mãe do Filho de Deus.

Não se pode nem se deve pensar, os que tem fé, que a Celestial Rainha fique separada do Rei dos Céus, Jesus! Ela está onde está Cristo; além disso, è racional, normal e conveniente que estejam e sejam glorificados no céu.

A Solenidade da Assunção de Maria santissima, è celebrada desde os primeiros tempos da Igreja depois da ressurreiçao do Senhor.

Grandes santos teólogos e estudiosos da Vida de Maria escreveram sobre a sua Assunção e glorificação: S. Roberto Bellarmino, S. Francisco de Sales, S. Alfonso de Liguori e tantos outros.

Por fé universalmente, os cristãos crêem que a Mãe do Salvador está lá, de corpo e alma, junto a seu Filho, intercedendo por nós para o dia final e nossa salvação.

O Senhor te abençoe e te guarde,

Padre Antonio Lima.

Tempos modernos em reflexao sobre Clara de Assis

Clara, no dia 11 agosto de 1253 deixa esta terra para encontrar o Amor e com sua vida contagiante e indomável fidelidade, se consigna: “Vai segura e em paz, alma minha bendita, porque Aquele que te criou, te santificou e sempre te olhou como mäe ao filho pequeno que ama”.

Vale a pena conhecer hoje a profundidade de seu rosto e de seu coraçäo, com toda dificuldade daquele tempo em que viveu e com o tempo que já passou. Mas seu testemunho continua fortemente presente, através do tempo.

No silêncio de uma noite de domingo de palmas dia 27 de março de 1211, Clara foge de casa por aquela porta estreita e pequena, cheia de grades enferrujadas: Num esforço que fez a abriu, apoiando-se ao ferro, certa de sì e de onde queria ir.

Como falar de ti, em poucas palavras? Näo è täo facil. Tantas fontes, historias, artigos e livros! Parece porém que nenhum consiga dizer tudo exatamente da vida desta mocinha que deixa os afetos de sua casa e sua riqueza, para servir os pobres! As dificuldades foram muitas e me pergunto o porque. As dificuldades säo ainda muitas hoje para falar de tua vida. Bastaria usar teu nome “Clara”, como chave de referencia para viver aquela mesma tua historia.

Neste nosso moderno e arrogante modo de pensar, onde a lógica e as regras excessivas proibem a fé de de desenvolver seu papel, no entanto, Clara nos ensina ainda hoje que valem nada, sem o abandono e a coragem de amar a Deus, e olhar as lógicas como empecilhos para o Céu!

Quanta coragem realmente! A Coragem realmente è o que nos faz santos!

A coragem da renúncia a estes, e tudo o que diz respeiro às coisas do mundo, é o que solta o nò para dar passos de gigantes! E näo è impossivel estando em Deus!

Mulher apaixonada, mulher da obediencia até o ponto de esconder-se ao seu diretor espiritual, S. Francisco, mulher da pobreza e mulher da renuncia as coisas e pessoas que näo indicassem Deus.

Näo è facil convencer as pessoas principalmente as de hoje em dia, e me pergunto, porque em silencio uma moça, depois de épocas continua a convencer e a falar de Deus no silêncio da palavra e com a palavra do testemunho? Eis ai a chave! A chave para convencer e converter: o testemundo da vida, que näo nos deixa somente na admiraçäo do: “Que lindo!” E do que ”Quanto è importante!”

Queira, o meu e seu coraçäo, que nos tornemos gigantes da fé, sem tantas palavras bonitas pronunciadas mas tanto “silêncio rumoroso” que chega aos coraçoes!

Lhes digo, o segredo de Clara foi portanto: a paixäo por Deus, o desejo e a vontade de querer estar o dia inteiro em sua companhia, a obediência, até o ponto de esconder-se ao seu diretor espiritual, S. Francisco, mulher da pobreza e mulher da renuncia as coisas e pessoas que näo indicassem para ela, Deus!

O Senhor te abençoe e te guarde,

Padre Antonio Lima.

Estar em Deus requer a vigilância e a constâcia

Jesus havia pedido a seus amigos de vigiar, quer, dizer, de estarem acordados e de esperar por ele. Quem ama sabe o que significa esperar. Quem tem um amigo distante e espera suas noticias, a cada momento se pergunta o que possa estar fazendo naquele instante o amigo.

O cristão que ama a Deus, seu Pai, e que ama Jesus, seu Senhor e Senhor de sua historia, manifesta a sua espera principalmente por meio da oração.

“O Espírito e a esposa dizem: ‘Vem’… Amém. Vem Senhor Jesus!” (Apocalipse 22,17-37).

O Evangelho nos mostra a imagem de Jesus que parte ao deserto ou sobre um monte para orar.

Nos indica Jesus que levanta cedo de manhã para orar, ou passa a noite inteira em oração, nos diz que Jesus está orando quando lhe vem revelada pelo Pai a sua missão, ora antes de chamar os apóstolos etc..

Esta imagem de Jesus em oração, nos faz entender como seja grande o seu amor pelo Pai.

Seu ser vigilante em fazer a vontade do Pai, manifesta seu desejo de estar em comunhão com o Ele por meio da santa obediência.

Portanto, amigos, é necessário orar, fazendo a vontade de Deus, aquela revelada por Jesus nos conselhos evangélicos.

Jesus ensina que a oração junto à obediência, completam o esforço de permanecer desde aqui na terra, em comunhão com o Pai por meio do Filho.

Nem uma, nem a outra, sozinhas, em base aos ensinamentos de Jesus, formam a vontade do Pai, fica incompleto o nosso esforço, em outras palavras, ainda não estamos na vontade de Deus, pois falta os outros cinquenta por cento. Isto é o que Jesus exige para o nosso ser seguidores seus, cristãos.

O nosso esforço faz parte daquele caminho a percorrer para sermos santos. Portanto a palavra é: Viver com uma constante tensão ao Céu para chegarmos às moradas eternas e viver eternamente ao lado de Deus.

“O Espírito vem em auxílio à nossa fraqueza; porque não sabemos o que devemos pedir, nem orar como convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inefáveis.

E Aquele que perscruta os corações sabe o que deseja o Espírito, o qual intercede pelos santos, segundo Deus” (Romanos, 8,26-27).

Esta é a grande riqueza da oração e seu poder!

Quando ela se transforma em testemunho de vida e explode no louvor, com cânticos, com celebrações e com a festa, em seu verdadeiro significado.

Hoje Jesus me chama e te chama a retomar sem paradas, sem pausas… o caminho com Ele.

O Senhor te abençoe e te guarde,
Padre Antonio Lima.