Mas a prática do amor a Deus leva a alma a conhece-lo e ama-lo!

As coisas humidas e liquidas, se como não tem em si mesmas alguma solidez que as mantenha ou que as definam, recebem pouco a pouco a forma e o limite de espaço que lhes damos.

Coloquem licor em um copo, e verão que o liquido tomará somente o espaço daquele copo redondo ou quadrado, assim, tomará forma naquele recipiente, também o licor.

O mesmo pode-se dizer da alma, se observamos a sua natureza, se como porém ela tem suas formas e seus limites proprios, tomará a forma e se definirá a partir de seus hábitos e de suas inclinações facendo a sua propria vontade.

Diferentemente do licor, a alma que pára em suas inclinações e vontade proprias, geralmente este tipo de alma chama-se “dura”, “obstinada”, isto é, fechada ao amor de Deus e sua vontade.

Daqui a explicação divina “coração de pedra”. Quando não ve feita a sua propria vontade, se toma de ira por dentro, a alma porém que busca fazer a vontade de Deus, é a “alma amorosa”. (Tratado do amor de Deus, livro VI, Cap. 12).

O Senhor te abençoe e te guarde,

Padre Antonio Lima.

Escute a voz do Espirito Santo de Deus!
Para podermos receder os Dons do Espirito Santo é suficiente que peçamos ao Senhor. Não podemos fazer nada para merecer-los, ma é uma graça de Deus que nos vem concedida para o bem dos que necessitam, para a utilidade do bem comun de todos.

Podemos fazer porém muito para abrir o coração, recebermos e esercita-los “em humildade”.

Renunciando tudo o que é incompativel com a vida cristã, deixemos-nos guiar pelo Espirito Santo de Deus. Ele se manifesta em nós quanto mais nos abandonamos à sua graça com confiança, não à nossa ação, e capacidades. Me compreende?

O Senhor da os seus dons para cada um de nós, e cumprimos as mesmas obras boas de Jesus e mais ainda. Ele mesmo o disse.

Peçamos com confiança os seus Dons e seus Carismas e o Espirito Santo o dará para o bem da Comunidade e nunca para a nossa vaidade humana.
Peça-lhe voce também, para ser inserimento de salvação para os outros, de ser dom para a conversão sua e de tantos que encontrar.

Oremos juntos? “Vem Espirito Santo em mim, em minha conversão, deixe que eu me disponha ao seu querer e ao seu desejar, que eu seja um instrumento. Mande os seus Dons sobre mim e em mim! Eu quello ser um instrumento em suas mãos. Alimente minha alma de sua presenza e dai-me o costo pela oração diaria, pela liturgia da Igreja, pelo estudo de vossa palavra que diariamente, com o coração despojado, poderei mostrar com minha vida a obra de arte que fizeste em mim. Espirito Santo de Deus, sopra sobre a Igreja e suas comunidades, assim poderemos todos escutar a sua doce voz. Amen.

O Senhor te abençoe e te guarde,
Padre Antonio Lima.

A vinha do Senhor esta lá onde ele nos deixou para trabalhar, como esposos, esposas, filhos, filhas ou consagrados…

“… Nunca lestes estas palavras da Escritura: A pedra que os construtores rejeitaram veio a tornar-se pedra angular. Isto é obra do Senhor, e ela é admirável aos nossos olhos? ”(Mc 12, 10-11).

Temos todos uma vinha para cuidar dom do Senhor para cada um de nós, uma vinha, que serve para a salvação de nossa alma. Cuidada, molhada, protegida e podada, esta si transforma em uma obra de arte divina.
Qual é a minha vinha? Onde o Senhor me colocou ou quer colocar para trabalhar?
Ao longo do caminho da vida, ocupemo-nos, para operar assim como o Senhor nos pede, na vinha, que ele nos doou. A primiera colheita ja acontece quando escolhemos trabalhar em sua vinha.
Então: “a escolha de vida”.

E a quem sirvo? ao Senhor? para sermos seus trabalhadores? escolher trabalhar para o Senhor, é como uma consagração onde “eu escolho a Deus”, como meu Senhor e confio, e me abandono em sua providência, e começo a trabalhar.

A realização de nossa escolha de vida está lá! Naquele terreno confiado e confirmado pelo Senhor!
O meu terreno é minha familia para cuidar?
– Se voce é mãe e esposa, se preocupe de sua familia, seus filhos, sua casa, seu esposo;
– Se pai e marido, se preocupe em amar sua esposa e seus filhos;
– Se filho ou filha, de amar concretamente seus pais;
– Consagrado ou consagrada, seja fiel, testemunhe em proposito de santidade e de fidelidade para a conversão do povo santo de Deus, que espera ver em nós, uma vida mergulhada nestes dois propositos, Não podemos, brincar de ser consagrados, porque a responsabilidade é grande, a de um consacrado ou consacrada, de um Sacerdote ou Bispo.

Todos temos o dever da “caridade” constante para com todos, antes de qualquer outra atividade ou iniciativa, ou burocracia; sem esta, é tudo fogo de palha aos olhos do Senhor. Principalmente quem o prometeu em modo solene, na consagração total ou na consagração matrimonial.
Não esqueçamos nunca, ICor 13, regra magna para quem recebeu do Senhor, uma vinha para cuidar.

E a oração?
Sem a oração diaria, que nutre o amor por Deus e manda longe a tentação, destruimos o que o Senhor constroi, passamos assim a ignorar a sua vontade e raciocinarmos além do necessario, encontrando boas desculpas. E Aqui quem fica feliz é o encardido! Ou não?
Sejamos fortes, e bons trabalhadores, onde o Senhor nos collocou, na vinha que ele nos pos para fazer em nós sua obra de arte.

O Senhor te abençoe e te guarde,
Padre Antonio Lima.

A compreensão racional da fé tem limite.

Se conta que o Bispo Santo Agostinho caminhava à margem do mar. Estava concentrado em pensamentos profundos pois estava compondo um seu famoso tratado sobre a Trindade no qual se esforçava de aprofundar il grande misterio.

De repente avistou a breve distancia um menino, que com uma conchinha pegava água do mar e transpostava em um pequeno buraquinho, que havia cavado na areia.

Perguntou o santo, o que estava fazendo e o menino: Quero esvaziar o mar e coloca-lo neste buraco.

O Santo retrucou: Mas não percebe que é impossivel? o mar é enorme e o buraco é assim tão pequeno! E o menino:

E como poderá, voce que é uma pequena criatura da terra, com a sua inteligência, compreender um mistério assim tão alto, como o mistério da Trindade? dito isto, desapareceu. Era um anjo.

O Senhor te abençoe e te guarde,

Padre Antonio Lima.