Pensando bem, a pobreza espiritual e material do mundo é também antropologica.

Em geral creio, esqueceu-se da importância
De quem é a pessoa como criatura de Deus, e também da importância de Deus. Onde estão as provas a partir das ações, de que Deus tem um lugar especial em minha vida?
Perdeu-se pois, o sentido do ser criaturas, filhos, necessitados dele em tudo e não se percebe. Quem tem muito quer ter sempre mais. Se pensa de ser auto suficientes, de poder viver sem Deus mas é na realidade tudo uma mentira.
A grande mentira da auto suficiência dos nossos dias, pois daqui saem os males como o egoismo, a inveja, a soberba, a ganância, o medo dos outros etc., e nem se pensa senão que, criar as próprias defesas e justificativas e a pobreza espiritual, material e portanto também antropologica so aumentam.
Porque não se pensa nunca em ir ao encontro do outro semelhante a nós?
Se procura Deus no vazio, la onde ele não está.
E perdeu-se aquela que é a fraternidade, a ajuda mútua, a caridade, a paz, dando lugar a uma desonestidade profunda.
O “bem” da pessoa está hoje justamente no recomeço mesmo nas pequenas realidades.
Recomeçar, refletindo no que na verdade somos, recomeçar pela honestidade para com o amor de Deus, reencontrar Deus de novo dentro de nós, através da oração, pequena gota de água boa!
Do que precisamos a não ser antes de tudo de Deus em nossa vida?
A ausência de Deus é a grande pobreza que gera todas as outras manifestações de pobreza em nossa vida.
Precisamos…
Precisamos encontrar antes de tudo a Deus em nossa vida ou ir até la onde o deixamos.
Precisamos re-experimentar o amor do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
Esta é a grande necessidade, este é o grande desafio de nossos dias.
Combatemos, mas onde chegamos com a nossa batalha?
Se combatemos para ganhar nas batalhas terrenas, agora precisamos combater para a vida eterna.
A paz passa por estes binários, nós que queremos tanto um mundo de paz! não a paz como imaginamos, sinônimo de realização humana, tranquilidade, ausência do necessario, de problemas… também, mas,
Existe uma outra paz…

O Senhor te abençoe e te guarde,
Padre Antonio Lima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *