Santa Corona e São Vitor, rogai por nós!

Você conhece estes santos?

Estes santinhos não eram tão conhecidos, mas nestes tempos, estão bem populares. 

Sua devoção se espalhou mundialmente graças a internet!

Vamos conhecer um pouquinho sobre eles?

Santa Corona:

Em meados de março de 2020 sua devoção se espalhou como a “santa das epidemias”.

Santa Corona não era conhecida desta forma, até alguém lhe chamar assim, e este título foi colocado pelo povo, mundo à fora, por conta da semelhança de seu nome ao novo vírus.

Pouco se sabe sobre a história de Santa Corona, mártir da tradição cristã primitiva, que viveu no século II, na Síria.  

Seu nome verdadeiro, provavelmente pode ter sido Stéfane.  

“Corona”, vem da palavra coroa, também uma tradução para o grego do seu nome latino Stefania” ou “Stephana”, que significa “coroa”.

Conta-se que Corona tinha 16 anos quando foi executada, por professar a fé.

Ao ver soldados romanos torturando um homem, chamado Vitor, por se recusar a negar Cristo, a jovem tentou ajudá-lo.

Assim se deu o martírio de São Vitor e Santa Corona.

São Vitor:

Pouco se conhece sobre ele, mas o que se sabe é que Vitor era um soldado romano de ascendência italiana que servia na cidade de Damasco, na Síria. 

Ele foi preso e torturado por professar sua fé em Cristo. Enquanto sofria as torturas, a esposa de um de seus companheiros, Corona, também conhecida como Stefania ou Stephana, o confortava e encorajava.

Por isso Stefania (Santa Corona) foi presa, interrogada e também torturada e martirizada.

Vitor terminou decapitado por amor à Jesus Cristo.

“Fonte – https://padrepauloricardo.org/blog/santa-corona-rogai-por-nos Artigo adaptado”  

Intercessão dos Santos.

Como a “especialidade” dos santos são designadas pela fé do povo de Deus, podemos dizer que Santa Corona e São Vitor são padroeiros das epidemias. 

Os santos sempre querem ajudar, e nada há de mal em clamar sua intercessão e chamá-los assim.

No Catecismo da Igreja Católica, no parágrafo 2635, está escrito:

“Interceder, pedir a favor de outrem, é próprio, desde Abraão, dum coração conforme com a misericórdia de Deus.  No tempo da Igreja, a intercessão cristã participa na de Cristo: é a expressão da comunhão dos santos.  Na intercessão, aquele que ora não olha aos seus próprios interesses, mas aos interesses dos outros (Fl 2, 4), e chega até a rezar pelos que lhe fazem mal.”

Então, vamos rezar: Santa Corona e São Vitor, rogai por nós!

 

 

Que o Espirito Santo nos mantenha em comunhão com os Santos! 

 

 

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas