jul 262015
 

O evangelho da multiplicação dos pães foi um marco muito significativo para nós cristãos e por este motivo os quatro evangelistas relatam essa história. Fato este que ocorreu próximo a páscoa da ressurreição, como um gesto eucarístico onde a vida em Jesus se mostra como um alimento que nos sacia para sempre. Jesus se dá como alimento para uma numerosa multidão.

Jesus sempre se coloca em um exagero de graça, pois seu milagre sempre é abundante. Aqueles pães multiplicados poderiam ainda alimentar aquela multidão em outros momentos. A fome no mundo hoje se responde por dois motivos, a falta de partilha e o desperdício. O evangelho da multiplicação dos pães nos ensina corrigir esses dois problemas.O menino nos ensina a partilhar ofertando seu único alimento, os cinco pães e dois peixes que parece pouco, porém que foi necessário para aquela multidão. Precisamos saber que tudo o que temos é importante e necessário, não podemos pensar que nossa oferta é pouca ou que é insignificante para nós, nossa entrega pode gerar um efeito gigante no outro. Sobre o desperdício Deus nos ensina que devemos recolher os pedaços de pão que sobraram para que nada se perca.

Os alimentos são uma prova do amor de Deus por nós, cada fruto e verdura criada por Deus para nosso sustento é um presente de Deus que precisa ser valorizado, por esse motivo, Deus quis se fazer alimento para estar em comunhão conosco. Deus quis deixar seu corpo e seu sangue como alimento para nos saciar e nos alimentar todos os dias.

Encontre essa e todas as fotos do evento clicando aqui

Nosso encontro de oração terminou, mas pode ser vivido todos os dias em suas casas!

Adquira todas as pregações do Encontro de Oração desse final de semana e exercite o amor a humildade e o arrependimento para a cura e derramamento da graças sobre as maldições que derramaram em sua vida!

Ligue em nossa casa de evangelização pelo telefone 41 3091-1370 ou em nossa casa de missão Cancão Nova em Curitiba

Av Marechal Floriano Peixoto 4809 – Vila Hauer

Deus Abençoe

 Posted by at 16:54
jul 262015
 

Durante toda a manha de domingo, no encontro de oração “Cura da Arvore Genealógica”, Pe Jorge Tadeu Hernes discutiu conosco sobre as sete fontes de maldições e suas possíveis soluções para esse mal. Acompanhe.

Jesus nos pede para que abençoemos sempre os que vos maldizem pois a benção de Deus é um remédio para essa possível doença que pode ou não atingir as nossas vidas. Precisamos estar no caminho da benção.

Te pergunto, a maldição tem o poder de nos atingir? Para essa pergunta temos três respostas, o sim, não e em partes. Tudo vai depender das defesas espirituais e morais da pessoa, se a pessoa está com a vida afastada de Deus e mergulhada no pecado, ela está exposta a maldição. O contrário, que é a decisão por seguir Jesus nos traz a proteção a essa maldição. O próprio Deus se encarrega de transformar a maldição em bençãos.

Deus tomou as nossas maldições e morreu como um amaldiçoado por nossa salvação! Jesus se fez pecado por nós para que n’Ele nos tornemos justos. Padre Jorge nos diz que é melhor ir tropeçando no caminho certo do que ir correndo no caminho errado. As soluções das maldições já foram solucionadas por Cristo Jesus, precisamos somente tomar posse dessa graça!

Padre Jorge Tadeu Hermes nos traz em detalhes as 7 Fontes da maldição e suas possíveis soluções.

1ª – Maldições que vem da parte de Deus: Nós nos autoamaldiçoamos quando seguimos o pecado. O pecado é um veneno que nos autocondena. Quem peca contra Deus prejudica a si próprio. Quem está em pecado não está debaixo da benção. Deuteronômio 27, 15-26 descreve algumas situações na qual estamos cobertos pela maldição. Como resposta, Jesus nos diz que humildade, confissão, joelho no chão, renuncias são respostas para a quebra dessas maldições.

Maldições de origem satânica: O diabo nunca trará bençãos, só trará desgraças. O diabo não tem amigos, só tem escravos, aqueles que o alimentam com seu próprio sangue em sacrifícios. Nós não precisamos ter medo do diabo, mas precisamos permanecer longe. Se aproximar nos pode trazer malefícios (Malefícios: pedidos de ajuda do diabo para prejudicar alguém – simpatias, promessas, ocultismo, magias, despache, bruxaria, feitiçaria, entre outros – ). O maior aliado do diabo das nossas vidas é o nosso pecado. O pecado não é criação de Deus mas sim criação do diabo.

Maldições proferidas por parte das pessoas que falam de Deus: Um servo de Deus nunca poderá amaldiçoar, mas sempre abençoar. Servos de Deus, sacerdotes, corpo da igreja, coordenadores, precisamos edificar os cristãos e não arruinar a vida nas pessoas. Não temos o direito de usar os dons que Deus nos deu para destruir a vida das pessoas, pelo contrário precisamos sempre edificar e apresentar a benção de Deus a todos.

Maldiçoes proferidas por quem tem autoridade relacional: Autoridades familiares (pai-filho; avós e netos…); a melhor herança que você pode dar para o filho é a benção! Nunca deixe de abençoar os seus por que precisamos disseminar a benção para nossa família. Da mesma forma que a benção tem poder, a maldição lançada por essas autoridades também tem essa força. Se em algum momento aconteceu essa maldição, renuncie e peça a Deus a benção.Se a pessoa que te amaldiçoou já morreu, perdoa essa pessoa, abençoe essa pessoa e renuncie essa maldição.

O primeiro mandamento seguido de uma promessa é o honrar pai e mãe para que sejas feliz e para que tudo vá bem na sua vida. Não há maldição com um ambiente de amor, humildade, abertura a graça de Deus.

Maldiçoes proferidas por terceiros. Injustiças, maltratos, agressões, roubos, pecados sociais entre outros(…) Geralmente amaldiçoamos ou reagimos de alguma forma depois dessa situação. Jesus nunca está do lado do opressor mais sim do lado do oprimido. Precisamos ter humildade de pedir perdão e corrigir nossos erros. Precisamos reparar nossos erros e se são possíveis de reconciliação, é nosso dever agir, se não, precisamos tomar iniciativa de melhorar o contexto social com doações, serviços voluntários, entrega do seu tempo para o bem.

Automaldiçoes: Quando uma pessoa amaldiçoa a si mesmo como palavras negativas a si mesmo – Que nenhuma palavra má saia da nossa boca mais só o  que for útil para nossa edificação. Ef 4,29 – Nossas palavras possuem o poder de nos amarrar por toda a nossa vida. Precisamos louvar a Deus por nossas vidas, bendizer por tudo o que temos e somos, renunciarmos as maldições lançadas por nós mesmos e vivermos em estado de graça!

Maldições que lançamos para as outras pessoas: Falar mal do outro, amaldiçoar o próximo são exemplos. Está em suas mãos o poder de solucionar essa maldição por que quando prejudicamos o outro acabamos prejudicando a nós mesmos. Amaldiçoar o outro é também amaldiçoar a nós mesmos, nos envenenamos com a maldição que desejamos ao outro. Precisamos tomar a decisão de não querer mais rogar pragas e maldições as outras pessoas e peça a Deus que converta todas essas maldições em bençãos.

Veja mais fotos clicando aqui

Adquira essas duas palestras do domingo de manha e leve o material completo dessa manha para sua casa!

Ligue 3091-1370 e faça sua encomenda! Deus abençoe! 

 Posted by at 13:55
jul 252015
 

O filho do homem não veio para ser servido mas sim para servir. Jesus se deu em uma cruz para os vivos e falecidos. Nós caminhamos para a vida eterna, para o céu. Caminhamos em um mundo cheio de perguntas para o céu, cheio de respostas.

Precisamos rezar para os nossos membros falecidos por que mesmo não estando mais ao nosso lado, eles não deixaram de ser nossos familiares.

O tempo de Deus é um eterno presente, enquanto para nós é estranho rezarmos para alguém falecido a mais de 100 anos, para Deus essa oração é presente, é atual. Deus acolhe essa oração sempre por que Deus não tem relógio, o tempo físico é presente somente aqui na terra. Precisamos entregar sempre os nossos familiares falecidos.

Devemos entregar nossos familiares que por algum motivo não tiveram uma morte serena ou que por algum motivo deixou alguma marca ruim aqui na terra. São diversos os testemunhos de cura relacionados à árvore genealógica. Estar bem, tratar bem e rezar bem faz com que alcancemos a cada vez mais a sobreposição da graça em nossos pecados.

Assumir os familiares falecidos é importante e necessário para a cura de gerações. Crianças falecidas a partir de abortos também precisam ser contabilizados como membros de nossa família pois são vidas que estão a lado do Senhor. Crianças são puras e estão ao lado de Jesus vivendo o bem e olhando por nós.

Não podemos reter conosco sentimentos de tristeza e opressão, precisamos ser curados do trauma de morte, porém precisamos estar de mãos abertas para entregar nossos falecidos a Deus. Chorar é necessário e significa força, as lagrimas são forma de louvar a Deus e simboliza ainda que essa pessoa é importante para você. Precisamos liberar nossos sentimentos através de um choro consciente porém não podemos segurar esse sentimento de perda para nós e sofrermos por esses motivos.

“Lembrai-vos daqueles que morreram na esperança da ressurreição (nós cristãos) e a todos os que partiram dessa vida (aqueles que não acreditam na ressurreição) acolhei-vos junto a vós a luz da Vossa face”.

Precisamos compreender e entender o que dizemos em toda Santa Missa e intensificarmos em oração aos nossos mortos.

Adquira todas as palestras do Encontro de Oração “Cura da Árvore Genealógica”  com Pe. Tadeu Hermes pelo telefone (41) 3091-1370.

Conheça nossa Casa de Evangelização:
Avenida Marechal Floriano Peixoto 4809 – Vila Hauer –

Acompanhe a programação semanal pela rádio Canção Nova AM1370.

Deus abençoe!

jul 252015
 

O Perdão de Deus inaugura a cura.

O nosso processo de cura inicia quando nos decidimos à amizade do Senhor que ocorre quando nosso pecado é arrependido e confessado. Um pecado perdoado por Deus é um pecado esquecido por Ele. Quando reconheço o pecado e me arrependo Deus faz a sua obra, perdoa e nos purifica. Um pecado tratado é um pecado solucionado, por outro lado, um pecado não tratado é um pecado à espera de uma graça.

Salmista Davi clama a Deus dizendo“Sarai-me, pois pequei contra vós” (Sl 102-103) e “Deus perdoe as nossas faltas e sara as nossas enfermidades”. Esses dois versículos nos mostram que o perdão de Deus inaugura a cura.

Deus nos cura a partir do momento em que nossos pecados forem perdoados. Por isso precisamos buscar sempre o arrependimento e a confissão. Precisamos nos derramar a essa graça. Tribulação e angustia são resultados de quem toma atitudes ruins, pois como diz nas escrituras que “- o salário do pecado é a morte.” (Rm 6:23)

A abordagem da arvore genealógica trata as consequências dos erros de nossas famílias, porém nós somos responsáveis pelos nossos pecados, não devemos colocar a culpa de nossos erros aos nossos antepassados.

Quando sabemos o que é pecado e insistimos no erro, infelizmente colheremos as consequências. Precisamos buscar o caminho da cruz para a nossa santificação e não o caminho fácil e rápido por que dessa forma corremos o risco de cair em alguma cilada do pecado.

Adquira todas as palestras do Encontro de Oração “Cura da Árvore Genealógica”  com Pe. Tadeu Hermes pelo telefone (41) 3091-1370.

Conheça nossa Casa de Evangelização:
Avenida Marechal Floriano Peixoto 4809 – Vila Hauer –

Acompanhe a programação semanal pela rádio Canção Nova AM1370.

Deus abençoe!

jul 252015
 

Iniciamos nosso encontro de Oração com louvor e pregação do Pe. Jorge Tadeu Hermes pedindo pela cura da árvore genealógica.

Deus nos criou desde sempre no amor e na benção. O Medo, o ódio, a dor e a traição só vieram ao mundo devido ao pecado original cometido por nossos antepassados Adão e Eva.

Na palavra de Deus em (Romanos, 5-12), fala que foi a partir do pecado que foi cometido pelo primeiro homem gerou a morte, esse pecado original marcou todos os humanos, é por isso que o pecado entrou no mundo.

O pecado e o sofrimento podem nos atingir de diversas formas. A primeira seria por motivo pessoal, gerado pela própria culpa através de vícios, escolhas erradas na vida. O segundo é ocasionado pela culpa dos outros impulsionados pelas mentiras, injustiças, roubos e o assassinato. A terceira ocasião são pelos sofrimentos por fenômenos naturais como chuvas, terramotos, secas. O quarto é pelo limites e ciclo de vida humano como idade, cansaço, doenças, desgaste e a morte. O quinto modo seriam por situações sociais como uerras, acontecimentos políticos, desemprego, injustiças e a desigualdade social. Uma sexta forma pode gerar o sofrimento: histórico familiar, problemas hereditários romanos e o suicídio.

Em nossa carga genética são comunicadas características ancestrais”

Nós trazemos características, físicas, sociais e espirituais de nossos avós, bisavós, pais. Uma longa história por trás de nossas vidas. Muitas vezes estamos tratando o mal mas sem se preocupar com as origens. É necessário tratar a raiz dos problemas e não somente podar superficialmente, descobrindo desta forma, onde está o nó dos problemas.

Precisamos trabalhar com nossa árvore genealógica em 4 áreas. A primeira é o tratamento do pecado da nossa história. Como tratamento precisamos renunciar nossos pecados e realizar um ato de fé e decisão para com Deus. Segundo o ocultismo, terceiro a história das maldições da família e para finalizar a necessidade de rezar pelos falecidos.

A oração de cura da árvore genealógica não pode ser resposta fácil ou simplista quando não encontramos resposta para os problemas. Não significa também jogar a culpa dos problemas para os os antepassados, como se fosse a culpa deles. Todos nós temos a responsabilidade individual perante nossa história, temos a liberdade, memória, entendimento, vontade e capacidade de decidir o que queremos para a vida. Não somos resultados do que os outros fizeram ou fomos programados pra ser infeliz. Não existe espaço para crenças “carmas”, “reencarnação” – uma dívida que se passa de geração em geração – na fé cristã. Não existe esse tipo de crença, não tratamos “vidas passadas” pois, nascemos para a ressurreição, não nascemos de novo e não voltaremos depois da morte. Nascemos amados e abençoados por Deus. E por último precisamos ter fé em Jesus Cristo pois Ele é capaz de reescrever a história mas é imprescindível acreditar na mudança da maldição em benção, morte em vida.

Adquira todas as palestras do Encontro de Oração “Cura da Árvore Genealógica”  com Pe. Tadeu Hermes pelo telefone (41) 3091-1370.

Conheça nossa Casa de Evangelização:
Avenida Marechal Floriano Peixoto 4809 – Vila Hauer –

Acompanhe a programação semanal pela rádio Canção Nova AM1370.

Deus abençoe!

jul 202015
 

ENCONTRO DE ORAÇÃO NA CANÇÃO NOVA DE CURITIBA/PR

Presença: Pe. Jorge Tadeu Hermes

Tema: Cura da árvore genealógica

25/26 de julho

Sábado

8h30 – Acolhida e cânticos
9h
00 – Oração
9h30 – Pregação: Padre
Jorge Tadeu
10h30 – Intervalo
11h00 – Cânticos
11h30 –
Pregação: Pe Jorge Tadeu
12h35 – Intervalo
14h30 –
Adoração ao Santíssimo – Oração pela Árvore Genealógica
15h30 –
Intervalo
16h
00Santa Missa Pe Jorge Tadeu – Oração pela Árvore Genealógica

Domingo

8h30 – Acolhida e cânticos
9h
00 – Oração
9h30 – Pregação:
Padre Jorge Tadeu
10h30 – Intervalo
11h00 – Cânticos
11h30 –
Pregação: Padre Jorge Tadeu
12h35 – Intervalo
14h30 –
Santa Missa – Pe. Jorge Tadeu – Oração pela Árvore Genealógica

Jorge Tadeu Hermes

Venha participar!
Canção Nova Curitiba
Av. Marechal Floriano Peixoto – 4809 / Vila Hauer

Mais informações
Fone: (41) 3091 1370

 Posted by at 12:38