Logo no início da encíclica “Ut Unum Sint” (Que todos seja um), sobre o ecumenismo, o Papa João Paulo II lembra que os cristãos (católicos, ortodoxos e protestantes) precisam se unir para enfrentar a atual “corrente anticristã”. São essas as suas palavras:

“Afirmei então que, unidos na esteira dos mártires, os crentes em Cristo não podem permanecer divididos. Se querem verdadeira e eficazmente fazer frente à tendência do mundo a tornar vão o Mistério da Redenção, os cristãos devem professar juntos a mesma verdade sobre a Cruz. A Cruz! A corrente anticristã propõe-se dissipar o seu valor, esvaziá-la do seu significado, negando que o homem possa encontrar nela as raízes da sua nova vida e alegando que a Cruz não consegue nutrir perspectivas nem esperanças: o homem — dizem — é um ser meramente terreno, que deve viver como se Deus não existisse” (UUS,1).

Mais do que nunca hoje é preciso esta união, pois forças gigantescas se movem contra a fé cristã. Nesta quarta feira (1/6/2011) cerca de cinqüenta mil cristãos (católicos e protestantes) se uniram em manifestação pública em Brasilia para contestar o projeto de Lei 122 que criminaliza quem discordar da prática homossexual, que o Catecismo da Igreja chama de “depravação grave” (§2375). E o pastor Silas Malafaia entregou ao Presidente do Senado José Sarnei um abaixo assinado com mais de um milhão de assinaturas pedindo o cancelamento do Projeto famigerado. (http://noticias.cancaonova.com/noticia.php?id=281980)

O projeto é malicioso e maldoso; vai contra o Artigo 5º da Constituição Federal que defende a livre expressão. Já existem leis para coibir quem ofende, discrimina ou zomba de qualquer pessoa, seja  homossexual ou não; mas o que o projeto visa é muito mais: é impedir que se pregue contra o pecado; é colocar na cadeia quem se posicionar contra a prática homossexual (não contra a tendência).

Os cristãos correm risco de serem presos se pregarem contra a prática homossexual, ainda que defendam o direito da pessoa fazer esta opção sem sofrer qualquer violência, discriminação ou zombaria. O que se deseja com este Projeto é estimular a prática homossexual mais do que garantir o direito da pessoa assumir esta opção.

Precisamos amar os homossexuais, respeitá-los, jamais discriminá-los ou zombar deles, mas não podemos negar a Lei de Deus e o ensino da Igreja sobre a prática homossexual, como pecado grave (sodomia).

“Esse projeto pode transformar em criminosa qualquer pessoa ou instituição que tenha posição contrária ao incentivo e prática homossexual”, explica o vigário episcopal da Arquidiocese de Brasília, padre Paulo Sérgio Casteliano.  Se a lei for aprovada, não poderemos pensar diferente, sob pena de crime.

A posição da Igreja não muda. Portanto, é hora de união de todos os cristãos, deixando de lado o que nos divide, e deixando de nos ferirmos mutuamente, para defender a Lei santa de Deus.

Precisamos exigir dos parlamentares (por carta, email, telefone, manifestação pública, etc.) que este maldoso e disfarçado Projeto seja arrancado desde as raízes, enquanto é tempo. Depois não adiantará chorar. Não podemos ficar em nossas grupos de “consolo mútuo”, onde cada um chora no ombro do outro e não faz nada. “Cristãos unidos jamais serão vencidos”, como no primeiro século da Igreja.

Todos precisamos nos manifestar, especialmente o clero em suas homilias, pregações, sites, etc., como muitos já estão fazendo graças a Deus.


Prof. Felipe Aquino – Professor aposentado da USP (Lorena,SP), doutor em Engenharia pela UNESP; professor de História da Igreja no Seminário da Canção Nova, tem 60 livros publicados, realiza o Programa Escola da fé na TV Canção Nova.

6 Comentários

  1. Gostei do seu blog. Vou te seguir.
    Um abraço

  2. Concordo plenamente, devemos nos unir contra esse ABSURDO q esta acontecendo em nosso País, onde os valores morais estão perdendo dia a dia os valores, o q antes era errado agora passou a ser o certo e o certo passou a ser CAFONA, ate onde vai isso???

  3. Ione Rebeca

    Prof. Felipe,

    Sou evangélica e há anos aprecio muito suas palestras na TV Canção Nova. Fico muito feliz com a manifestação do povo de Deus em Brasília e mais feliz ainda em ver que os irmãos católicos estão atentos e atuando contra essa afronta ao Direito, à Democracia, à Liberdade Religiosa e à Verdade. Nós somos maioria e não podemos ter direitos constitucionais cerceados por grupos minoritários em busca de privilégios. Parabéns pelo texto! Deus o abençoe!

    Rebeca

  4. Parabéns pelo blog Prof. Felipe Aquino, sou um ávido leitor, gosto de acompanhar como que a Igreja lida com os problemas sociais.

    A mídia geralmente confudi as pessoas principalmente quando se trata de ponto de vista, a Igreja mostra realmente a verdade, pois não usa de suas palavras mas sim as de Deus. E seu ponto de vista estão atrás do óculos emprestado por Jesus Cristo e, usam da arma maior que é o Espirito Santo.

    Minha opinião sobre tudo isso que está acontecendo é de que o Estado Brasileiro sempre tenta maquiar tudo, Jesus nos deixa o mandamento de amar ao próximo como a nós mesmo, concerteza os homossexuais devem ser amados e, respeitados, mas suas ações não merecem amor, pois vão contra a cultura Cristã, o próprio Cristo sempre gostou das coisas certas, quando entrou no templo e viu aquele monte de vendedores. Ele amava a todos e por amar a todos não podia permitir que eles pecassem, expulsou todos.

    O estado quer criar um terceiro sexo, para resolver problemas de discriminação, querem o respeito por leis, Jesus ensina-nos a respeitar por amor.

    O Problema do homossexualismo tem diversas pontos, o primeiro é como as pessoas se tornam homessexuais e, ai cada caso é um caso, se nas escolas as crianças desde cedo tivessem acompanhamentos sociais corretos, talvez seriam amenizados estas coisas, dizem que cada um escolhe o que quer, mas como escolher o que quer se não tiver opção, como um homem vai querer exercer sua masculinidade, se quando criança presenciava todos os dias o espancamento da mãe. Como uma mulher vai querer deitar com um homem se quando nova todos os dias era estrupada pelo padrasto. Não estou falando que tudo esta é volta disto, tem casos diferentes existem pessoas que estão de livre e espontânea vontade, que tiveram até mais opção que muitos outros. Mas um dia vi um documentário de uma região no Brasil que os meninos desde cedo eram preparados para se tornarem travestis, davam até remédios para as crianças de 12 anos, muito triste.

    O estado podia fiscalizar mais o País, mas creio que uma lei para liberar tudo é sempre mais para eles.

    Enquanto isso continuemos à amar todos como à nós mesmos, só o amor muda o mundo…

    abraço

    Daniel

    http://acedores.blogspot.com/

  5. Pingback: Sallatty

  6. Luciane Zampa

    Professor Felipe,
    Estarei repassando essa sua postagem como e-mail a todos os meus contatos, para que nos unamos contra essa “lei” que rogo a Deus que não seja transformada em “Lei”.
    Cristão Unidos jamais serão vencidos.
    Que Deus abençoe vc e sua lindíssima família!

  7. Pingback: Colina Vaticana

  8. Professor Felipe,
    Sou evangélico, porém tenho acompanhado a programação da Canção Nova onde, Graças a Deus, eu e minha familia temos encontrado (também) farto alimento espiritual. Realmente, forças poderosas têm se levantado contra a fé cristã, inclusive de alguns segmentos do seio da própria igreja, o que torna a nossa luta mais difícil. A mídia, salvo raríssimas excessões, fazem apologia de forma escancarada ao comportamento homosexual. Tudo isso nos leva a crer que tempos difíceis estão por vir, e o que nos serve de alento é que vozes, como a do senhor e a do Pastor Silas Malafaia, estão se fazendo ouvir. Deus o abençoe na sua missão de pregar a Palavra.

  9. Pingback: Raiz de Deus Comunid

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *