Vivendo o tempo especial da Quaresma

Neste tempo especial de graças que é a Quaresma devemos aproveitar ao máximo para fazermos uma renovação espiritual em nossa vida. O Apóstolo São Paulo insistia: “Em nome de Cristo vos rogamos: reconciliai-vos com Deus!” (2 Cor 5, 20);  “exortamo-vos a que não recebais a graça de Deus em vão. Pois ele diz: Eu te ouvi no tempo favorável e te ajudei no dia da salvação (Is 49,8). Agora é o tempo favorável, agora é o dia da salvação.” (2 Cor 6, 1-2).

Cristo jejuou e rezou durante quarenta dias (um longo tempo) antes de enfrentar as tentações do demônio no deserto e nos ensinou a vencê-lo pela oração e pelo jejum. Da mesma forma a Igreja quer ensinar-nos como vencer as tentações de hoje. Daí surgiu a Quaresma.

Na Quarta-Feira de Cinzas, quando ela começa, os sacerdotes colocam um pouquinho de cinzas sobre a cabeça dos fiéis na Missa. O sentido deste gesto é de lembrar que um dia a vida termina neste mundo, ”voltamos ao pó” que as cinzas lembram. Por causa do pecado, Deus disse a Adão: “És pó, e ao pó tu hás de tornar”. (Gênesis 2, 19)

Este sacramental da Igreja lembra-nos que estamos de passagem por este mundo, e que a vida de verdade, sem fim, começa depois da morte; e que, portanto, devemos viver em função disso. As cinzas humildemente nos lembram que após a morte prestaremos  contas de todos os nossos atos, e de todas as graças que recebemos de Deus nesta vida, a começar da própria vida, do tempo, da saúde, dos bens, etc.

Esses quarenta dias, devem ser um tempo forte de meditação, oração, jejum, esmola (“remédios contra o pecado”). É tempo para se meditar profundamente a Bíblia, especialmente os Evangelhos, a vida dos Santos, viver um pouco de mortificação (cortar um doce, deixar a bebida, cigarro, passeios, churrascos,  a TV, alguma diversão, etc.) com a intenção de fortalecer o espírito para que possa vencer as fraquezas da carne.

Cadastre-se grátis e receba os meus artigos no seu e-mail

Na Oração da Missa de Cinzas a Igreja reza: “ Concedei-nos ó Deus todo poderoso, iniciar com este dia de jejum o tempo da Quaresma para que a penitência nos fortaleça contra o espírito do Mal.”

Sabemos como devemos viver, mas não temos força espiritual para isso. A mortificação fortalece o espírito. Não é a valorização do sacrifício por ele mesmo, e de maneira masoquista, mas pelo fruto de conversão e fortalecimento espiritual que ele traz; é um meio, não um fim.

Quaresma é um tempo de “rever a vida” e abandonar o pecado (orgulho, vaidade, arrogância, prepotência, ganância, pornografia, sexismo, gula, ira, inveja, preguiça, mentira, etc.). Enfim, viver o que Jesus recomendou: “Vigiai e orai, porque o espírito é forte mas a carne é fraca”.

Embora este seja um tempo de oração e penitência mais profundas, não deve ser um tempo de tristeza, ao contrário, pois a alma fica mais leve e feliz. O prazer é satisfação do corpo, mas a alegria é a satisfação da alma.

Santo Agostinho dizia que “o pecador não suporta nem a si mesmo”, e que “os teus pecados são a tua tristeza; deixa que a santidade seja a tua alegria”. A verdadeira alegria brota no bojo da virtude, da graça; então, a Quaresma nos traz um tempo de paz, alegria e felicidade, porque chegamos mais perto de Deus.

Para isso podemos fazer uma Confissão bem feita; o meio mais eficaz para se livrar do pecado. Jesus instituiu a Confissão em sua primeira aparição aos discípulos, no mesmo domingo da Ressurreição (Jo 20,22) dizendo-lhes: “a quem vocês perdoarem os pecados, os pecados estarão perdoados”. Não há graça maior do que ser perdoado por Deus, estar livre das misérias da alma e estar em paz com a consciência.

Jesus quis que nos confessemos com o Sacerdote da Igreja, seu ministro, porque ele também é fraco e humano, e pode nos compreender, orientar e perdoar pela autoridade de Deus. Especialmente aqueles que há muito não se confessam, têm na Quaresma uma graça especial de Deus para se aproximar do Confessor e entregar  a Cristo nele representado, as suas misérias.

Uma prática muito salutar que a Igreja nos recomenda  durante a Quaresma, uma vez por semana, é fazer o exercício da Via Sacra, na igreja, recordando e meditando a Paixão de Cristo e todo o seu sofrimento para nos salvar. Isto aumenta em nós o amor a Jesus e aos outros.

Não podemos esquecer também que a Santa Missa é a prática de piedade mais importante da fé católica, e que dela devemos participar, se possível, todos os dias da Quaresma. Na Missa estamos diante do Calvário, o mesmo e único Calvário. Sim, não é a repetição do Calvário, nem apenas a sua “lembrança”, mas a sua “presentificação”; é a atualização do Sacrifício único de Jesus. A Igreja nos lembra que todas as vezes que participamos bem da Missa, “torna-se presente a nossa redenção”.

Assim podemos viver bem a Quaresma e participar bem da Páscoa do Senhor, enriquecendo a nossa alma com as suas graças extraordinárias; podendo ser melhor e viver melhor.

Prof. Felipe Aquino

10 Comentários

  1. Waleska Frota

    Olá Prof.Felipe Aquino?
    Bem,viver bem a quaresma é ter consciencia de
    estar seguindo a vontade de Deus.Permanecer na
    fidelidade,é muito importante.
    Grande abraço.

  2. A Quaresma é um tempo muitoespecial de meditação e sacrifícios. Este são os aqueles que nós cometemos diariamente “não, no tempo da quaresma não vou tomar café!”. Este é um pequeno exemplo de sacrifício que nos aproxima do sacrifício divino de Cristo um tempo no deserto jejuandoe sendo tentado. As tentações existem, mas nós devemos seguir o exemplo de Cristo e renunciá-las.

  3. ANTONIO CARLOS CAMPOS

    EU AGRADEÇO A DEUS POR CONHECE-LO POIS ESTAS PALAVRAS SUAS PROFESSOR FELIPE, COMO AS QUE EU LI NO SEU BLOG SOBRE A QUARESMA ME AJUDA A VIVER MELHOR A QUARESMA E ENTENDER MELHOR.
    OBRIGADO POR COLOCAR SUA VIDA A SERVIÇO DE DEUS E DOS IRMAOS QUE TANTO ANCEIAM POR UMA PALAVRA AMIGA.

  4. Olá Prof. Felipe,

    Quero dizer que gostei muito desse artigo e que acabei de conhecer este seu blog (só conhecia o site cleofas). Gostei tanto que, como eu estava querendo colocar algo interessante e com uma linguagem simples sobre a Quaresma no meu blog, tomei a liberdade de transpor este artigo lá, mas eu coloquei a referência, espero que não se incomode, se puder dar uma visitinha lá no blog eu agradeço.

    Um abraço e Deus o abençoe!

  5. BRUNO ROCHA

    Professor e Irmão Felipe:
    É verdade que o Carnaval é uma festa cristã que paganizou-se com o passar dos anos? assisti o seu programa e ouvi o senhor dizer que não, mas gostaria que me explicasse isso. Qual é, no final das contas, a finalidade da quaresma estar posicionada justamente neste tempo de carnaval? É uma questão de calendário?
    Por favor, responda-me por e-mail, assim que puder, pois sou catequista de jovens e crianças e gostaria de obter uma informação segura a esse respeito.
    Aproveito a oportunidade para elogiá-lo por seu bom trabalho de evangelização e dizer que me inspiro muito no senhor para minhas reuniões com meus grupos de crisma e catequese.
    Que Deus te abençoe!

    Caro Bruno Rocha,
    Veja artigos no site do Prof. Felipe sobre suas dúvidas:
    http://www.cleofas.com.br/virtual/texto.php?doc=OPINIAO&id=opi0094
    http://www.cleofas.com.br/virtual/texto.php?doc=OPINIAO&id=opi0084

    Att.

  6. Rita Ferraz

    Caros

    Gostaria que alguem me ajudasse a terminar com uma dúvida. É verdade que durante a quaresma não se diz “A PAZ DE CRISTO” ? Se sim, porque isso?. Agradeço imensamente a juda.

    Rita

  7. eu a cho que a quaresma e um tempo de penitencia e amor a deus

    liziane rn natal rio grande do norte
    eu amor jesus cristo
    eu tenho 12 anos

  8. Pingback: aline oliv

  9. O jejum pode ser uma coisa boa e Deus se agrada quando nos arrependemos de hábitos pecaminosos. Não há absolutamente nada de errado em tirar um tempo para se concentrar na morte e ressurreição de Jesus. No entanto, arrepender-se do pecado é algo que devemos fazer todos os dias do ano, não apenas durante os 46 dias da Quaresma.

    Se um cristão desejar observar a Quaresma, ele é livre para fazê-lo. O importante é concentrar-se no arrependimento dos pecados e em consagrar-se a Deus. A Quaresma não deve ser um momento de se gabar de um sacrifício ou tentar ganhar o favor de Deus ou aumentar o Seu amor. O amor de Deus por nós não poderia ser maior do que já é.MEU E-MAIL- MFERNANDESJR@YAHOO.COM.BR.

  10. Agradeço a DEUS pelo dom da sua vida, professor. Sempre nos informando e formando! Que DEUS o abençoe!

  11. Odacir Policarpo Pereira

    Obrigado professor vou usar este texto na catequese de sábado
    .

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>