A Canção Nova visitou uma sócia em São José dos Campos.
No dia 08 de abril tivemos uma Tarde da Providência promovida pelo Clube da Evangelização da missão de São José dos Campos.

O encontro foi na casa da Gina, no Jardim Colorado, que reuniu sua família e suas amigas para um momento forte de oração e Terço da Misericórdia, confraternização, venda de artesanatos, bijuteria, bolos e salgados e produtos do DAVI. Tudo em prol do Projeto Dai-me Almas!

A Gina é sócia da Canção Nova há 4 anos, e fez questão de receber a Canção Nova em sua casa, para este momento. Veja como foi:

IMG-20150408-WA0012_ More »

“O segredo é que o amor é mais forte do que o momento em que se discute e, por isso, aconselho aos esposos: não acabem o dia em que discutiram sem fazer as pazes, sempre”. Papa Francisco 02/04/2014

 

A Comunidade Canção Nova de São José dos Campos quer convidar você para participar da Santa Missa em oração pelas famílias, celebrada pelo Padre Eder da Canção Nova, no dia 14 de Abril, às 19h30 na Paróquia Sagrada Família (Rua Padre Rodolfo, 28 – Vila Ema – São José dos Campos).

Venha e traga a sua família! Esperamos por você!

IMG-20150408-WA0003

 

“Uma longa viagem, que não é feita de pedaços, dura a vida inteira! E precisam da ajuda de Jesus, para caminharem juntos com confiança, acolherem-se um ao outro cada dia e perdoarem-se cada dia. E isto é importante! Nas famílias, saber-se perdoar, porque todos nós temos defeitos, todos! Por vezes fazemos coisas que não são boas e fazemos mal aos outros. Tenhamos a coragem de pedir desculpa, quando erramos em família.” (Papa Francisco)

A resposta confirma a convicção: “Ressuscitou de verdade”

Uma antiga e sempre atual saudação para o Tempo Pascal resume, em poucas palavras, a fé dos cristãos: “Cristo ressuscitou!”. A resposta confirma a convicção: “Ressuscitou de verdade!”. Essa saudação pode ser retomada na Liturgia e repetida nos cumprimentos entre as pessoas e, mais ainda, pode ser roteiro de vida. É o nosso modo de desejar uma Santa Páscoa a todos, augurando vida nova e testemunho vivo do Ressuscitado, com todas as consequências para a vida pessoal e para a sociedade.
ASCENÇÃO2
Celebrar a Páscoa é penetrar no mistério de Nosso Senhor Jesus Cristo. Nos dias de Semana Santa, saltaram à vista Seu modo tão divino e humano de viver a entrega definitiva. “Antes da festa da Páscoa, sabendo Jesus que tinha chegado a sua hora, hora de passar deste mundo para o Pai, tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até o fim” (Jo 13,1). É a entrega livre daquele de quem ninguém tira a vida, mas se faz dom de salvação.

Jesus Cristo, que é verdadeiro Deus, oferece o testemunho de inigualável maturidade, na qual se encontra a referência para todos os seres humanos. “Os guardas voltaram aos sumos sacerdotes e aos fariseus, que lhes perguntaram: Por que não o trouxestes? Responderam: Ninguém jamais falou como este homem” (Jo 7, 45-46). Encontrá-Lo é descobrir o caminho da realização pessoal. Mas seria pouco O considerar apenas exemplo a ser seguido. “De fato, Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho único, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3, 16). O homem verdadeiro é Senhor e Salvador. N’Ele estão nossas esperanças e a certeza da ressurreição. Mais do que Mestre ou sábio de renome, n’Ele está a salvação.

Seus apóstolos e discípulos, antes temerosos diante das perseguições, tendo recebido o Espírito Santo, sopro divino do Ressuscitado sobre a comunidade dos fiéis, tornaram-se ardorosos anunciadores de Sua ressurreição e de Seu nome. Basta hoje o anúncio de Cristo: “Que todo o povo de Israel reconheça com plena certeza: Deus constituiu Senhor e Cristo a este Jesus que vós crucificastes. “Quando ouviram isso, ficaram com o coração compungido e perguntaram a Pedro e aos outros apóstolos: Irmãos, que devemos fazer? Pedro respondeu: “Convertei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para o perdão dos vossos pecados. E recebereis o dom do Espírito Santo. Pois a promessa é para vós e vossos filhos, e para todos aqueles que estão longe, todos aqueles que o Senhor, nosso Deus, chamar” (At 2, 36-39).

Cristo morreu, Cristo ressuscitou, Cristo há de voltar! O que parece simplório é suficiente, pois daí nascem todas as consequências: vida nova, alegria perene, capacidade para se levantar das próprias crises e pecados, amor ao próximo, vida de comunidade, testemunho corajoso da verdade, vida nova na família cristã, compromisso social, serviço da caridade! Tudo isso? Sim, na Páscoa de Jesus Cristo está o centro da fé cristã e a fonte de vitalidade, da qual gerações e gerações de cristãos beberam como de uma fonte verdadeiramente inesgotável.

Celebrar a Páscoa é ir além da recordação dos fatos históricos, para chegar ao encontro com Cristo vivo. Nós cristãos O reconhecemos hoje presente, fazendo arder os corações, vamos ao Seu encontro nos irmãos, especialmente na partilha com os mais pobres, acolhemos Sua palavra viva, lida da Sagrada Escritura e proclamada na liturgia, sabemos que Ele permanece conosco quando nos amamos uns aos outros, e está vivo na Igreja, quando se expressam os sucessores dos apóstolos e O buscamos na maior exuberância de Sua presença, que é a Eucaristia. Esse é nosso documento de identidade!

Com o necessário respeito à liberdade de todas as pessoas, queremos hoje dizer a todos os homens e mulheres, em todas as condições em que se encontram, que as portas estão abertas, mais ainda: escancaradas. Se quiserem, aqui está o convite para a maior de todas as comemorações: “Celebremos a festa, não com o velho fermento nem com o fermento da maldade ou da iniquidade, mas com os pães ázimos da sinceridade e da verdade!” (I Cor 5, 8). É Páscoa do Senhor! Feliz, verdadeira e Santa Páscoa da Ressurreição!

Por Dom Alberto Taveira Corrêa – Arquidiocese de Belém – PA

Fonte: formacao.cancaonova.com

Porque pela Vossa Santa Cruz, remistes o mundo…. 

A “Via Sacra” é um ato litúrgico celebrado para relembrar a paixão e morte de Jesus Cristo. E, nesta sexta-feira santa, queremos convidar você para rezar e meditar conosco as estações da Via Sacra:

 

formacao_xiii-estacao-–-jesus-e-descido-da-cruz11

 

Oremos:
Alguns momentos de silêncio.
Olhai, Pai Santo, o sangue que jorra do peito trespassado do Salvador; olhai o sangue derramado por tantas vítimas do ódio, da guerra, do terrorismo, e concedei, benigno, que o curso dos acontecimentos no mundo se desenrole segundo a vossa vontade na justiça e na paz, e a vossa Igreja se entregue com serena confiança ao vosso serviço e à libertação do homem.
Por Cristo nosso Senhor
R. Amém.

Ao final de cada estação reza-se: Pai Nosso, Ave Maria e Glória…

PRIMEIRA ESTAÇÃO

Nós vos adoramos, SENHOR JESUS, e vos bendizemos!
Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo!

Jesus em agonia no Horto das Oliveiras
Jesus que acalmava as águas agitadas pelo vento, agora não pode dar a paz a Si mesmo. A tempestade é a dúvida que lhe agita a mente e o peito, como agita o espírito de milhões de homens e mulheres ontem, hoje e amanhã, pois a verdadeira paz só virá depois da ressurreição.

SEGUNDA ESTAÇÃO

Nós vos adoramos, SENHOR JESUS, e vos bendizemos!
Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo!

Jesus, atraiçoado por Judas, é preso.
Naquela trágica noite escura do Getsémani, o Filho de Deus suscita em nós, com as suas palavras e gestos, sentimentos vários e estremecemos com a mesquinhez da traição. A partir da morte de Cristo, floresce a vida nova, memória e anúncio duma esperança que não morre: a salvação universal.

TERCEIRA ESTAÇÃO

Nós vos adoramos, SENHOR JESUS, e vos bendizemos!
Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo!

Jesus é condenado pelo Sinédrio
Deixar a própria identidade e anunciar a sua fé às vezes são atos passíveis de morte. Mas quantos são os que procuram Deus? Quantos O procuram atrás das grades? Quantos na prisão da sua vida, dos seus sofrimentos? Quantos no escarne suportado e na tortura sofrida? Aquela que condena sem provas, acusa sem motivo, julga sem apelo, esmaga o inocente.

QUARTA ESTAÇÃO

Nós vos adoramos, SENHOR JESUS, e vos bendizemos!
Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo!

Jesus é renegado por Pedro
Pedro revela a sua fraqueza. Tinha temerariamente prometido antes morrer. Humilhado, chora e pede perdão a Deus.Grande é a lição de Pedro: até os mais íntimos ofenderão Jesus com o pecado. Mas logo que o olhar de Jesus se cruza com o de Pedro o Apóstolo reconhece o seu triste erro.

QUINTA ESTAÇÃO

Nós vos adoramos, SENHOR JESUS, e vos bendizemos!
Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo!

Jesus é julgado por Pilatos
Sempre encontramos uma justificação para as nossas culpas e os nossos erros. Jesus responde com o silêncio ao ver a hipocrisia e a soberba do poder, a indiferença daqueles que se subtraem às suas responsabilidades.

SEXTA ESTAÇÃO

Nós vos adoramos, SENHOR JESUS, e vos bendizemos!
Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo!

Jesus é flagelado e coroado de espinhos
Verdadeiro homem sofreu dores indescritíveis; contemplando o vosso rosto, conseguimos suportar as nossas dores, na esperança de ser acolhidos no vosso Reino, o verdadeiro e único Reino. O vosso Reino não é deste mundo, mas nós, homens, esperamos favores, poder, sucesso, riquezas: um mundo sem sofrimento.

SÉTIMA ESTAÇÃO

Nós vos adoramos, SENHOR JESUS, e vos bendizemos!
Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo!

Jesus recebe a Cruz aos ombros
Não obstante fosse revestido da glória e do poder que Lhe fora dado pelo Pai, Jesus aceitou uma morte horrível, inglória, antes, vergonhosa. Os poderosos do mundo aliam-se, para cumprir represálias,
para atingir as populações pobres e extenuadas. Justifica-se até mesmo o terrorismo em nome da justiça e da defesa dos pobres.

OITAVA ESTAÇÃO

Nós vos adoramos, SENHOR JESUS, e vos bendizemos!
Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo!

Jesus é ajudado por Simão de Cirene a levar a Cruz
Um homem que vinha do campo entrou em Jerusalém para negociar. Lucrou com isso: cinco minutos na história da salvação, uma frase no Evangelho. A cruz é pesada demais para Deus, que se fez homem. Jesus necessita de solidariedade. O homem tem necessidade de solidariedade. Foi-nos dito: Levai os fardos uns dos outros.

NONA ESTAÇÃO

Nós vos adoramos, SENHOR JESUS, e vos bendizemos!
Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo!

Jesus encontra as mulheres de Jerusalém
Um lamento fúnebre acompanha a caminhada do Condenado a morte. No caminho que leva ao Calvário as mulheres choram batendo no peito. Ele, levando a cruz aos ombros, vacila sob o peso do pecado e da dor dos homens, que quis como irmãos. Bem sabe como é longa na história
a via dolorosa que leva aos Calvários do mundo.

DÉCIMA ESTAÇÃO

Nós vos adoramos, SENHOR JESUS, e vos bendizemos!
Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo!

Jesus é crucificado
As chagas do Salvador continuam hoje a sangrar, agravadas pelos cravos da injustiça, da mentira e do ódio, dos ultrajes, sacrilégios e indiferenças. Nas palmas das Suas mãos trespassadas pelos cravos está escrito o nome dos que, com Ele, continuam a ser crucificados.

DÉCIMA PRIMEIRA ESTAÇÃO

Nós vos adoramos, SENHOR JESUS, e vos bendizemos!
Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo!

Jesus promete o seu Reino ao bom ladrão
O bom ladrão, certamente, tinha matado, possivelmente mais de uma vez, e de Jesus nada sabia, a não ser aquilo que escutou gritar pela multidão. Um sentimento de solidariedade e um grito de ajuda bastaram para salvá-lo. Aquele ladrão representa todos nós. A sua rápida aventura nos ensina que o Reino pregado por Jesus não é difícil de alcançar para os que o invocam.

DÉCIMA SEGUNDA ESTAÇÃO

Nós vos adoramos, SENHOR JESUS, e vos bendizemos!
Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo!

Jesus na Cruz, a Mãe e o Discípulo.
Maria está de pé junto à Cruz; o discípulo mais jovem está ao teu lado. Agora oferece o teu Filho ao mundo e recebes o discípulo que Ele amava. Daquele instante, João te acolhe na morada do coração e na sua vida, e a força do Amor nele se difunde. Ele é agora, na Igreja, a testemunha da luz
e com o seu Evangelho revela o Amor do Salvador.

DÉCIMA TERCEIRA ESTAÇÃO

Nós vos adoramos, SENHOR JESUS, e vos bendizemos!
Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo!

Jesus morre na Cruz
Sofre com o tormento de sua Mãe, escolhida para dar à vida um Filho que verá morrer.
No entanto Jesus, no amor e na obediência, aceita o projeto do Pai. Sabe que sem o dom da Sua vida a nossa morte seria sem esperança; as trevas do desespero não se transformariam em luz; a dor não resultaria na consolação, na esperança da eternidade.

DÉCIMA QUARTA ESTAÇÃO

Nós vos adoramos, SENHOR JESUS, e vos bendizemos!
Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo!

Jesus é colocado no sepulcro
Após o terrível trovão no instante da morte, o grande silêncio. O Filho de Deus desce à mansão dos mortos para resgatar aqueles que a morte retém. A Sua luz transtorna as trevas do Inferno. A terra treme e os sepulcros se abrem. Jesus vem para libertar os justos e devolvê-los à luz da ressurreição.

Pai Nosso, Ave Maria e Glória…

Oração Final

Eu te suplico Senhor, que me concedas,
por intercessão de tua Mãe a Virgem Maria,
que cada vez que medite tua Paixão,
fique gravado em mim
com marca de atualidade constante,
o que Tu fizeste por mim
e teus constantes benefícios.
Faz Senhor, que me acompanhe,
durante toda minha vida,
um agradecimento imenso a tua Bondade. Amém.

Seis anos sendo pastor e servindo a todos com o lema “Somos de Deus”.

A Comunidade Canção Nova esteve presente no 6º aniversário de Ordenação Episcopal de Dom César Teixeira, SDB,  que aconteceu neste domingo, dia 29 de março, na Catedral São Dimas, em São José dos Campos.

Dom César, foi eleito bispo pelo Papa Emérito Bento XVI, em 28 de Janeiro de 2009, e sua sagração episcopal aconteceu no dia 29 de Março, do mesmo ano, na Catedral de Rio do Sul (SC). Escolheu como lema episcopal “Somos de Deus”.

A comemoração aconteceu na Celebração da Missa às 10h, com a Procissão e Benção dos Ramos, dando início a Semana Santa.

Jpeg

Comunidade Canção Nova SJC com Dom César, SDB

 

11091275_786469178115634_1215997005266332789_n

Foto: Ana Lúcia Zombardi (Pascom)

10306171_786469718115580_7370430945075292344_n

Foto: Ana Lúcia Zombardi (Pascom)

 

 

 

São José, padroeiro da Boa Morte.

saojose5
A tradição ensina que São José morreu nos braços de Jesus e Maria, ainda antes da vida pública de Jesus. E, por ter sido tão bem assistido em seus últimos momentos é que São José tornou-se o Padroeiro da Boa Morte, afinal quem mais na terra, pôde ter Jesus e Maria na hora de sua morte?!

No entanto, não podemos esquecer que  este também foi um momento difícil para José. Pois, ao falecer, separava-se do convívio inefável com sua virginal esposa e com Jesus, o Filho de Deus. José partia para a Eternidade, deixando na terra o seu Céu…

REZEMOS: 

>> Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

9º Dia: São José, padroeiro dos moribundos
          Ditoso São José, morrendo nos braços de Jesus e de Maria, partistes deste mundo ornado de virtudes e enriquecido de méritos. Assisti-me na hora suprema e decisiva de minha vida contra os ataques do poder infernal. Obtende-me a graça de morrer confortado com os santos sacramentos para a minha salvação. Tende compaixão de todos os agonizantes, alcançando-lhes a graça da salvação por intermédio de Maria, vossa Esposa Santíssima. Amém.

Rogai por nós, São José, padroeiro dos moribundos, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

Para todos os dias:

Oremos: Ó Deus, que por inefável providência Vós dignastes escolher o bem-aventurado São José para esposo de Vossa Mãe Santíssima, concedei-nos que aquele mesmo que na terra veneramos como protetor mereça ter no Céu por nosso intercessor. Vós, que viveis e reinais por todos os séculos dos séculos. Amém.

Pode-se acrescentar todos os dias:
Glorioso São José, que fostes exaltado pelo Pai, obedecido pelo Verbo Encarnado, favorecido pelo Espírito Santo e amado pela Virgem Maria, louvo e bendigo a Santíssima Trindade pelos privilégios e méritos com que vos enriqueceu. Sois poderosíssimo e jamais se ouviu dizer que tenha alguém recorrido a Vós e tenha sido por vós desamparado. Sois o consolador dos aflitos, o amparo dos míseros e o advogado dos pecadores. Acolhei, pois, com bondade paterna a quem vos invoca com filial confiança e alcançai-me as graças que peço nesta novena ……….  Eu vos escolho por meu especial protetor. Sede, depois de Jesus e Maria, minha consolação nesta terra, meu refúgio nas desgraças, meu guia nas incertezas, meu conforto nas tribulações, meu pai solícito em todas as necessidades. Obtende-me finalmente, como coroa dos vossos favores, uma boa e santa morte na graça de Nosso Senhor.
Assim seja.

— Deixe aqui no comentário suas intenções.