Para Francisco de Assis a pobreza era uma riqueza. Ele tratava-a como a uma amada de tão intenso era sua relação com ela. Ele foi na terra aquele mais contemplou esta virtude celestial, por isso contemplou o Céu aqui na terra.

Quando nos encontramos com essência da pobreza como São Francisco, percebemos a graça da felicidade, por estarmos despojado de várias amarras do mundo. Sentimo-nos livres em Deus.

Não posso jamais perder a essência da nossa pobreza na comunidade, que é a pobreza evangélica, o Viver da Providência. Perdê-la, é perder a vocação.

Não tenho medo de dizer que sou pobre, mas sou muito muito feliz…

Be Sociable, Share!

2 Comentários

  1. Pingback: Ademir Costa

  2. Bem, nada é por acaso e de repente cai no seu blog.Precisava muito de uma mão amiga…de verdade que ajudasse arrebanhar meu filho.Mas só ouço conselhos e nada de mão estendida.Enfim estava lendo teu blog e me deu esperança.
    Fique na paz

  3. São Francisco, grande modelo de “Pobreza”, e grande Instrumento de Paz e de Bem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *