Certo momento na comunidade estava com um monte de coisas entaladas no meu coração. Pelo clima do ambiente, tinha medo e receio de dizer o que estava sentindo.

Até que certo dia, o nosso padre formador, coloco-nos todos na casa em círculo de frente um para outro para “lavar as roupas sujas”. Naquele dia, eu e meus irmãos podemos dizer uns para os outros, tudo o que estava entulhado em nosso corações, as coisas que cada um achava que não estava certo e etc. Não foram coisas ditas fora do amor e no desequilíbrio. Foram nossas verdades…

Isto foi uma grande libertação para mim naquele ano.

Por isso digo que às vezes é preciso sim “lavar as roupas sujas”, sempre em um clima de amor e verdade.

Be Sociable, Share!

2 Comentários

  1. Pingback: Ademir Costa

  2. Liliane Carrillo

    Ademir,

    caracas… E eu com medo de lavar a roupa suja… Estou como vc no início, coração cheio de entulhos, travado.
    Concordo plenamente com “clima de amor e verdade”. Acho q era isso q estava faltando: era o nosso sabão pra lavarmos a roupa suja.

    • diariodeumconsagrado
      diariodeumconsagrado

      irmã, a palavra nos fala que a verdade nos libertará…Em um grupo é preciso existir este clima de transparência e amor, porque senão cedo ou tarde este grupo vai acabar. O importante é sempre cortar as arestas…As vezes as coisas podem esquentas, mas se tudo for feito no amor e eum clima de oração, vc verá que efeito maravilhoso terá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *