“Na grata certeza de que Deus me perdoa sempre de novo, é importante continuar a caminhar, sem cair em escrúpulos mas também sem cair na indiferença, que já não me faria lutar pela santidade e o aperfeiçoamento. E, deixando-me perdoar, aprendo também a perdoar aos outros; reconhecendo a minha miséria, também me torno mais tolerante e compreensivo com as fraquezas do próximo.”(Bento XVI, Carta aos Seminaristas 2010)

É fácil ficar apontando o dedo para os outros, mas não perceber que tem três dedos apontando para mim. Reconhecer minhas misérias me faz mais humilde. Em um mundo tão egoísta não é fácil, somos levados a não enxergar as nossas fraquezas. Escondemos nas fraquezas dos outros aquilo que são fraquezas nossas. Quem nunca se pegou em um grupinho falando mal das pessoas que convivem conosco. Parece que a língua coça. Algumas vezes, até camuflado de espiritualidade, usamos da conversa para massacrar as pessoas que não gostamos. Oh miserável, antes de querer tirar a trave do olho do irmão tira primeira trave que está no teu olho.

O ensinamento do Papa é direto para mim, devo em primeiro lugar reconhecer minhas míserias, para deixando perdoar, aprenda também a perdoar as fraquezas do próximo. Como diz a música: “como a pecadora caída, derramo aos teus pés minha minha, vê as lágrimas do meu coração e salva-me…Kyrie Eleison!”

Amém…

Forte abraço… Até a próxima!

Ademir Costa

Assistindo o Chaves nas minhas férias, ouvi esta frase: “A vingança nunca é plena mata a alma e envenena.” Comecei a refletir que isto é uma verdade plena. Porque, a vingança nunca será completa, por mais que planejemos a vingança de forma perfeita. Ela nunca vai ser perfeita, nunca vai saciar nosso interior e ainda vai aumentar o ódio, rancor e a raiva dentro de nós.

É certo que num primeiro momento, vem o impulso de pagar o mal na mesma medida. Mas o Sr.Madruga está certo, a vingança mata a alma e envenena. Ao cometer uma vingança estamos matando nossa alma, porque estamos injetando em nós mesmo o veneno do “encardido”.

Portanto, a maior lição que podemos dar a quem nos faz o mal é o perdão. Este é o antídoto… Valeu sr. Madruga!

É nóis…

22. setembro 2011 · Write a comment · Categories: Sem categoria · Tags: , ,

“Tendes ouvido o que foi dito: Olho por olho, dente por dente. Eu, porém, vos digo: não resistais ao mau. Se alguém te ferir a face direita, oferece-lhe também a outra.”(Mt.5,38-39)

Sempre diante de uma briga ou desentendimento, a melhor coisa é afastar-se da pessoa naquele momento, esperar poeira abaixar para tomar decisões sensatas. O verdadeiro sábio é paciente. Este esperar é este oferecer a outra face. “Mais vale a paciência que o heroísmo, mais vale quem domina o coração do que aquele que conquista uma cidade.” (Prov. 16,32)

Claro que não é fácil controlar os instintos, a vontade muitas vezes é ir atrás do sujeito e “arrancar o pescoço do bendito”, mas não vai adiantar nada…

Por isso, é bom parar, respirar fundo, contar até mil, deixar a poeira abaixar, deixar Deus curar. Mas nunca “olho por olho, dente por dente.” Amém!!!!

Hoje senti raiva…

Muitas vezes as pessoas não sabem quais são os nossos pontos fracos ou até sabem. E assim sem querer ou “sem querer querendo” – como diria o Chaves – pisam no nosso “calo”. Por isso é preciso se dizer….

A partilha e Transparência é fonte de cura e libertação. Ao invés de fica murmurando, falando mal das pessoas, sendo língua do satanás, diga a sua verdade.

Para você não virar o Hulk, a solução é ser transparente.

(amanhã continuo com este assunto, fiquem ligados…)