Conhecer-se Mulher

ser mulher

Como instrutora do Método de Ovulação Billings ™, todos os dias atendo mulheres com a finalidade de conseguir uma gestação, espaçar uma gravidez ou particularmente, mulheres que optaram pelo conhecimento  de sua fertilidade de maneira natural e de modo autônomo. Essas mulheres com o passar do tempo são capazes de monitorar a sua própria saúde reprodutiva, pela análise do gráfico de seu ciclo menstrual. E assim, juntas, traçamos um caminho de conhecimento da fertilidade que é estabelecido entre a instrutora do Método de ovulação Billings™ e a usuária.
A primeira pergunta que realizo para a nova usuária do Método Billings é extremamente íntima e para algumas mulheres pode ser até mesmo um pouco impactante, porque não é uma pergunta que se escuta com certa frequência. Pergunta essa que pode questionar toda uma vida dessas mulheres, que na maioria  das vezes, não encontram uma resposta ideal que enquadra essa pergunta, pela falta de percepção de si mesma.  Ao ser questionadas percebo que umas coram a face do rosto, outras, percebo que chegam a engolir a própria saliva. Mas, passado o primeiro desconforto, vou abordando essa mulher e procuro sempre estimulá-la para que faça uma profunda reflexão de si mesma, mesmo que nunca antes tenha se dado conta, como é fundamental conhecer-se mulher, com um sistema reprodutivo fantástico, perfeito e com toda a capacidade da geração de uma nova vida.
Bem, para não aguçar ainda mais a curiosidade do leitor em relação à pergunta que realizo, vou descrevê-la. A pergunta é a seguinte: O que você está sentindo hoje na sua vulva?
Esse questionamento é feito para todas as mulheres, sejam elas casadas, solteiras ou até mesmo religiosas. Pois cada mulher traz em sim, dependendo de sua idade um potencial de fertilidade que muitas vezes desconhece.
Com essa pergunta, que como já disse, algumas mulheres em primeiro momento não conseguem responder, faz com que esse ser dotado de feminilidade e ternura possa fazer uma pausa em sua vida e comece a perceber-se e a olhar para si mesma.
Após a reflexão desse questionamento a mulher procura descrever uma sensação de seca, umidade ou molhada, que ocorre pelo muco cervical produzido nas criptas cervicais, que ultrapassa o canal vaginal e chega até a vulva. E assim, com o passar do tempo em seu gráfico ela vai descrevendo suas sensações: umas iguais dia após dia e outras sensações que são diferentes e em crescimento, até que seja capaz de reconhecer o dia de sua própria ovulação.
No início das anotações há uma mistura de emoções e descobertas, que as vezes denotam insegurança e  revela a importância que ela deve dar a si mesma, para que possa nos oferecer a garantia de que aquilo que descreve no seu gráfico é realmente a realidade ou não.
Com o passar dos meses de acompanhamento dessas mulheres, vejo a alegria estampada em seus rostos, por serem capazes de ter sua fertilidade nas próprias mãos.
Tudo muda com o reconhecimento da fertilidade da mulher que se percebe totalmente feminina, cheio de ternura e capaz de ser ao mesmo tempo forte, possuidora de si mesma e ao mesmo tempo apresentar-se tão gentil, amorosa e acolhedora.
Percebo nos atendimentos com o passar dos meses, até mesmo a delicadeza que essas mulheres tem de vestirem uma roupa mais feminina, usar um adorno a mais que valorize seu corpo de modo digno, mas ao mesmo tempo belo.
Enfim, como instrutora do Método de Ovulação Billings™, vou mergulhando na profundidade da beleza dessas mulheres, que vão se transformando e conhecendo-se mulher, criada a imagem e semelhança de Deus.
E essa reflexão profunda de si mesma, que cada mulher, todos os dias deveria fazer, começa apenas com uma simples pergunta: O que você está sentindo na sua vulva hoje?

Luciane Ida

Enfermeira,Instrutora do Método de Ovulação Billings™

Comments

comments