No dia 1º de Novembro a Igreja celebra a festa de Todos os Santos. Segundo a tradição ela foi colocada neste dia, logo após o 31 de outubro que os Celtas ingleses, pagãos, celebravam as bruxas e os espíritos que vinham se alimentar e assustar as pessoas nesta noite (Halloween).  

Nesse dia a Igreja militante (que luta na Terra) honra a Igreja triunfante do Céu “celebrando numa única solenidade todos os Santos” – como diz o sacerdote na oração da Missa – para render homenagem aquela multidão de Santos que povoam o Reino dos céus que São João viu no Apocalipse: “Ouvi então o número dos assinalados: cento e quarenta e quatro mil assinalados, de toda tribo dos filhos de Israel… Depois disso, vi uma grande multidão que ninguém podia contar, de toda nação, tribo, povo e língua: conservavam-se em pé diante do trono e diante do Cordeiro, de vestes brancas e palmas na mão,”. “Esses são os sobreviventes da grande tribulação; lavaram as suas vestes e as alvejaram no sangue do Cordeiro.” (Ap 7,4 – 14) 

Esta imensa multidão de 144 mil, “que está diante do Cordeiro” compreende todos os servos de Deus, aos quais a Igreja canonização através da decisão infalível de algum Papa, e todos aqueles, incontáveis, que conseguiram a salvação, e que desfrutam da visão beatífica de Deus. Lá “eles intercedem por nós sem cessar”, diz uma de nossas Orações Eucarísticas. Por isso a Igreja recomenda que os pais ponham nomes de Santos em seus filhos.  

Esses 144 mil significam uma grande multidão (12 x 12 x 1000). O número 12 e o número 1000 significavam para os judeus antigos plenitude, perfeição e abundância; não é um valor meramente aritmético, mas simbólico. A Igreja já canonizou mais de 20 mil Santos, mas há muito mais que isto no Céu. No livro RELAÇÃO DOS SANTOS E BEATOS DA IGREJA, eu pude relacionar, de várias fontes, quase 5000 dos mais importantes, e os coloquei em ordem alfabética.   

         A “Lúmen Gentium” do Vaticano II, lembra que: “Pelo fato de os habitantes do Céu estarem unidos mais  intimamente com Cristo, consolidam com mais firmeza na santidade toda a Igreja. Eles não deixam de interceder por nós junto ao Pai, apresentando os méritos que alcançaram na terra  pelo único mediador de Deus e dos homens, Cristo Jesus. Por seguinte, pela fraterna solicitude deles, a nossa fraqueza recebe o mais valioso auxílio” (LG 49) (§956) 

         Na hora da morte, S. Domingos de Gusmão dizia a seus frades: “Não choreis! Ser-vos-ei mais útil após a minha morte e ajudar-vos-ei mais eficazmente do que durante a minha vida”. E Santa Teresinha confirmava este ensino dizendo: “Passarei meu céu fazendo bem na terra”. 

         O nosso Catecismo diz que:Na oração, a Igreja peregrina é associada à dos santos, cuja intercessão solicita”. (§2692) 

         A marca dos Santos são as Bem–aventuranças que Jesus proclamou no Sermão da Montanha; por isso este trecho do Evangelho de S. Mateus (5,1ss) é lido nesta Missa. Os Santos viveram todas as virtudes e por isso são exemplos de como seguir Jesus Cristo.  

Deus prometeu dar a eterna bem-aventurança aos pobres no espírito, aos mansos, aos que sofrem e aos que têm fome e sede de justiça, aos misericordiosos, aos puros de coração, aos pacíficos, aos perseguidos por causa da justiça e a todos os que recebem o ultraje da calúnia, da maledicência, da ofensa pública e da humilhação.  

         Esta Solenidade de Todos os Santos vem do século IV. Em Antioquia celebrava-se uma festa por todos os mártires no primeiro domingo depois de Pentecostes. A celebração foi introduzida em Roma, na mesma data, no século VI, e cem anos após era fixada no dia 13 de maio pelo papa Bonifácio IV, em concomitância com o dia da dedicação do “Panteon” dos deuses romanos a Nossa Senhora e a todos os mártires. No ano de 835 esta celebração foi transferida pelo papa Gregório IV para 1º de novembro. 

         Cada um de nós é chamado a ser santo. Disse o Concilio Vaticano II que: “Todos os fiéis cristãos, de qualquer estado ou ordem, são chamados à plenitude da vida cristã e à perfeição da caridade” (Lg 40). Todos são chamados à santidade: “Deveis ser perfeitos como vosso Pai celeste é perfeito” (Mt 5,48): “Com o fim de conseguir esta perfeição, façam os fiéis uso das forças recebidas (…) cumprindo em tudo a vontade do Pai, se dediquem inteiramente à glória de Deus e ao serviço do próximo. Assim a santidade do povo de Deus se expandirá em abundantes frutos, como se demonstra luminosamente na história da Igreja pela vida de tantos santos” (LG 40). 

         O caminho da perfeição passa pela cruz. Não existe santidade sem renúncia e sem combate espiritual (cf. 2Tm 4). O progresso espiritual oração, mortificação, vida sacramental, meditação, luta contra si mesmo; é isto que nos leva gradualmente a viver na paz e na alegria das bem-aventuranças. Disse S. Gregório de Nissa (†340) que: “Aquele que vai subindo jamais cessa de ir progredindo de começo em começo por começos que não têm fim. Aquele que sobe jamais cessa de desejar aquilo que já conhece” ( Hom. in Cant. 8). 

Prof. Felipe Aquino – www.cleofas.com.br 

7 Comentários

  1. LOUVADO SEJA DEUS PELA INTERCESSAO DOS SANTOS!!!!!!!!!!!!!! ESPERO UM DIA ALCANÇAR A GRAÇA DA SANTIDADE COMO ELES!

  2. Uma das doutrinas mais belas do cristianismo, e que tem sim, apesar de muitos negarem como os protestantes, embasamento bíblico é a doutrina da Comunhão dos Santos, em saber que todos os cristãos, tanto aqueles que participam da Igreja triunfante no céu, da Igreja padecente no Purgatório e da Igreja militante, a nós que ainda estamos neste mundo, estamos unidos pela cabeça da Igreja que é JESUS CRISTO NOSSO SENHOR, é de uma consolação imensa e de uma enorme alegria, pois não só garante que os nossos irmãos que estão no céu possam orar por nós que ainda estamos neste mundo, assim como podemos orar uns pelos outros e pelas almas do Purgatório em nome de JESUS como reforça, através do próprio SENHOR JESUS a união de todos, glórias sejam dadas a DEUS por esta graça tão imensa de formarmos em um só corpo esta grande família de DEUS que se chama Igreja Católica.

  3. Obrigada, Professor por nos esclarecer.

    Deus o abençoe e conserve.

  4. marcos brito

    Caro Professor que Deus lhe conceda sempre esse ardor, zêlo e dedicação que o senhor têm para com a nossa Igreja. Oro para ele lhe dar cada vez mais a luz do E.S., muita Saúde e Paz, para que possas continuar a dar-nos informações tão valiosas para o
    maior conhecimento da nossa fé e doutrina.

  5. Maria de la Salette

    Prof. Filipe Aquino
    Hoje, por estar doente, vão só umas palavras! Gosto muito da Festa de Todos os Santos, não só pelo que ela representa agora, mas, também, porque ela será a minha futura festa!…O Pai nunca falta e Jesus, meu irmão, está sempre acompanhando e levando ao Pai as minhas orações e tudo o que faço em união com Ele, no Espírito Santo e pelas mãos do Imaculado Coração de Maria.
    Maria de la Salette

  6. Bom dia Prof. Felipe Aquino, é muito bom tudo o que o senhor tem para nos ensinar,mas tenho uma dúvida sobre outra coisa: mandei um e-mail para o site cléofas pois gostaria de saber quem pode usar o solidéu, ou se o seminarista pode fazer isso. Desde já o agradeço…

  7. OLÁ OBRIGADO POR ESTES TEXTOS RIQUISÍMO QUE NOS TRAZ PRECIOSAS INFORMAÇOES MAS DEIXO A PREGUNTA QUE A MUITO TEMPO VENHO A PROCURA ÕNDE NOS CATÓLICOS PODEMOS FAZER UM CURSO BIBLÍCO À DISTÂNCIA PARA MAIS NOS APROFUNDARMOS NAS SAGRADAS ESCRITURAS POIS FIZ 2 ANOS TEOLOGIA PARA LEIGO EM MINHA DIOCESE E ADOREI POIS MINHA VIDA EM TERMO PESSOAL E MISSÃO NA COMUNIDADE MELHOROU BASTANTE E O QUE APRENDI PROCURA PASSAR PARA FRENTE MAS SINTO DESEJO DE ME APROFUDAR MAIS EX:O SINAL DA CRUZ JÁ ERA USADO LÁ NO ANTIGO TESTAMENTO FICO NO AGUARDO DE UMA RESPOSTA POIS MEU PARACO DISSE QUE ISTO SÓ EM SÃO PAULO É FACULDADE APARTIR DE 2000.00 REAIS FIQUEM NA PAZ DE DEUS E DE MARIA SANTISÍMA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *