O Natal de Jesus é uma grande festa também de cada família, pois naquele Nascimento divino se formava a Sagrada Família de Nazaré. A Igreja ensina que o “os filhos são o dom mais excelente do matrimônio” (CIC,§ 2378). Sobretudo esta alegria é insuperável quando nasce como homem o próprio Deus.

Por isso, toda família cristã precisa celebrar com júbilo o Natal do nosso divino Redentor e Salvador. Naquela criança pobre, humilde, desprovida de toda honra e glórias humanas, estava o Rei do Universo, o Senhor dos Senhores. More »

1. Prepare um belo Presépio na sua casa e medite, sem pressa, o papel importante de cada pessoa que nele você colocou.

2. Pare um bom tempo diante do Presépio, e como os pastores e os reis Magos, adore profundamente este divino Menino que veio nos tirar da sombra da morte.

3. Rogue ao Menino Deus que traga a paz a seu lar, às famílias, aos casais, à Igreja, ao nosso país. Que Ele derrame sobre nós as Suas graças e as Suas Bênçãos. More »

1. O Papai Noel é um mito, Jesus é uma realidade! Papai Noel é um deleite, Jesus um Sacrifício.

2. A nossa expectativa em esperar o Natal é a mesma de toda a humanidade de todos os tempos a espera de que o Filho de Deus viesse a nós, em nossa natureza, para de novo ligar o Céu com a Terra.

3. O Natal nos lembra que estamos mergulhados no amor de Deus e não damos conta disso. More »

Natal em Família: primeira semana do Advento

No próximo domingo iniciamos o tempo do Advento. Todos comentamos que o tempo está passando rápido demais. Mas pode ser que nós temos feito coisas demais a ponto de não saborear cada momento de nossa vida. Fato é que, de repente, nos assustamos ao ver que o Natal novamente se aproxima. Enquanto o comércio só pensa em “terminar bem o ano” batendo recordes de vendas, nós temos a oportunidade de “começar bem o ano”, acolhendo Jesus em nosso meio. É por isso o ano litúrgico começa com o Advento, para que nos preparemos bem para acolhê-lo. More »

Eu nasci numa família de nove irmãos. Perto da minha casa, morava um tio, que tinha quinze filhos. Um pouco mais longe, morava o senhor Guatura com seus 24 filhos e mais um adotivo. Era assim há uns cinquenta anos. E que festa era! Faltava bola para jogarmos futebol no quintal; então, fazíamos bolas de pano.

No aniversário de cada filho, bastava convidar os primos para a casa já ficar cheia. Minha mãe fazia um delicioso “pão de ló” coberto com suspiro. Era o manjar dos deuses! Cada um tinha o direito – só naquele dia – de tomar um guaraná “caçula”. Para acabar devagar, pedíamos ao papai para fazer um furinho na tampa. Que tempo bom! More »