passosPare um instante e reflita no que dizem essas poucas linhas…

Realmente hoje temos muita ciência, mas pouca sabedoria. O primado da técnica sobre a ética e da ciência sobre a moral não garantem a felicidade do homem moderno. Isto faz com que ele tenha medo daquilo mesmo que construiu com suas mãos e sua inteligência. Há um caminho mais suave para se viver e ser feliz. Que caminho é esse?

É por onde se observa coisas simples e naturais, medita e equilibra: ciência e fé. Por exemplo: More »

A Igreja nos ensina que todos os livros da Sagrada Escritura são inspirados pelo Espírito Santo.

Neste vídeo, o Prof. Felipe Aquino explica o significado disso. More »

O ser humano é formado por pelo menos 3 níveis, bem identificáveis: o nível físico, que é o inferior, e é bonito, mas é o menos importante, pois é o primeiro que acaba; o nível da inteligência, vontade, desejo, razão, sensibilidade e o nível da espiritualidade. Para que o homem seja equilibrado e saiba organizar esses níveis, não podemos desprezar a educação religiosa. Ouça o podcast…

“O homem não acreditaria se não visse que deve crer”, disse São Tomás de Aquino

O Concílio do Vaticano I (1870), para dissipar erros do século XIX, definiu a fé nos seguintes termos: “A fé… é uma virtude sobrenatural pela qual, prevenidos e auxiliados pela graça de Deus, cremos como verdadeiro o conteúdo da Revelação, não em virtude da verdade intrínseca (evidência) das proposições reveladas, vistas a luz natural da razão, mas por causa da autoridade de Deus, que não se pode enganar nem pode enganar a nós” (DS, Enquirídio de Definições… 3008 [1789]).

O Concílio do Vaticano II, em 1965, também se pronunciou: “Ao Deus que revela, deve-se a obediência da fé, pela qual o homem livremente se entrega todo a Deus, prestando ao Deus revelador um obséquio pleno do intelecto e da vontade e dando voluntário assentimento à revelação feita por Ele” (Constituição Dei Verbum nº 5). Continue lendo…