A vida sempre oferece muita coisa! E sempre somos tentados ao apego, ao comodismo, a zona de conforto. E se realmente nos entregamos a essa vida sem grandes desafios e sem grandes descobertas, corremos o risco de entrarmos numa avenida chamada rotina. E a rotina que falo não é uma rotina sadia, repleta de realizações na vida profissional, emoções na vida familiar e horário marcado e bem planejado do cotidiano. A rotina que me refiro aqui é aquela que força o cidadão a fugir das novidades que cada dia reserva. Me recordo o dia em que entrei numa rua de minha cidade natal, que havia mudado o sentido. Fiquei impressionado como ela era diferente de tudo que estava acostumado a ver nos quase 10 anos que andei de carro no sentido inverso. Bastou a secretaria de Trânsito mudar a mão da bendita para que todos os motoristas tivessem uma nova visão, um novo ângulo das casas e prédios que faziam parte daquele reduto por tantas décadas. Entrei nessa “viela” pra explicar a alegria que tenho sentido ao descobrir um novo sentido para minha missão como jornalista, missionário e homem que busca a santidade. Por 25 anos trabalhei com telejornalismo. E justamente no ano em que completei 25 anos de estrada, fui convidado a escrever um livro com base numa série de reportagens que fiz para o jornal Canção Nova Notícias ( @cnnoticias ) , na TV Canção Nova. Ao terminar aquele trabalho editorial, fiquei muito mexido, porque além de fazer uma linda experiência com Nossa Senhora Aparecida, também fui conduzido a uma nova “veia” profissional, que estava ali, guardadinha esperando uma oportunidade para ser usada. O livro Mãe de Milagres – Nossa Senhora Aparecida, foi um presente do céu. Não tenho dúvidas que muito daquelas 160 páginas foram escritas pela força do Espírito Santo, com o auxílio da Virgem Maria. E quando achei que a “poeira” estava se assentando e retomando minha “rotina” na redação do CNN, eis que surge uma nova provocação da Mãe de Milagres. E com a coragem de quem acredita em Nossa Senhora e na ação do Espírito Santo, pedi sinais e confirmações de que o segundo livro dedicado a Maria, não fosse algo de minha humanidade, mas sim da vontade de Deus e de Nossa Senhora. Foram várias confirmações e uma delas com uma das Irmãs de Maria, do Movimento Apostólico de Schoensttat. Irmã M. Nilza veio pessoalmente a redação, parabenizar-me pelo livro, justamente no dia em que pedia a Nossa Senhora para mostrar-me que o segundo material era também vontade Dela e de Deus. E ao olhar para a irmã na redação, não tive mais dúvidas. Começava ali meu segundo trabalho editorial, com todo o auxílio e apoio da Editora Canção Nova. E justamente no dia em que a Igreja celebra a Assunção de Nossa Senhora, o livro Mãe de Milagres – Experiências de carinho e amor de 

mãe vivenciadas nos santuários da Mãe Rainha, ficou pronto. O conteúdo narra a beleza de um sacerdote que enfrentou muitas adversidades e que encontrou suporte em Nossa Senhora, para vencer. E é um mergulho, digamos que raso, tamanha grandiosidade do Movimento Apostólico de Schoenstatt. Mas refrescante e confirmador de que para ser santo é preciso fazer de sua rotina uma novidade a cada dia. Como Pe. Joseph Kentenich fez num campo de Concentração Nazista, na Segunda Guerra Mundial. Ali ele evangelizou e ajudou muitos a permanecerem firmes. Esse conteúdo, como o primeiro, nasceu nos bastidores das notícias veiculadas no Canção Nova Notícias. Algumas madrugadas a frente do computador e experiências muito concretas nos Santuários da Mãe Rainha em algumas cidades do Brasil e o resultado é essa obra, que considero um segundo presente de Nossa Senhora pra mim, que escrevi e para você que ao ler, vai ter a chance de tocar em grandes milagres na vida daqueles que estão nas páginas desse material, assim como na sua vida, que jamais será a mesma, depois dessa leitura. Que Nossa Senhora Mãe e Rainha seja presença materna em toda a sua estadia nesse mundo. 

 

Deus abençoe!
Wallace Andrade
Comunidade Canção Nova
 


Jornalista, missionário da Comunidade Canção Nova, escritor, casado com Valeria Martins Andrade e pai de Davi Andrade, natural de Campos dos Goytacazes-RJ.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *