Oração pela Cura das Feridas Emocionais. Padre Adriano Zandoná!

,“6 Semanas de Oração pela Cura das Feridas Emocionais”. Pe. Adriano Zandoná presidirá seis Missas na Catedral Maronita Nossa Senhora do Líbano, às 19h30, transmitidas ao vivo pela TV Canção Nova, com Adoração e Benção do Santíssimo Sacramento, em intenção da cura das feridas emocionais de todos os participantes.

Catedral Armênia Católica São Gregório Iluminador guarda ícone do Santo das causas urgentes

imagem/internet

Fiéis Católicos de rito Armênio celebram na quarta-feira,19, o dia de Santo Expedito – um santo de origem Armênia -, na Catedral São Gregório Iluminador, bairro da Luz, em São Paulo.

Ao longo do dia a Catedral, recém restaurada, ficará aberta à visitação pública. Às 16h haverá uma missa celebrada em português pelo Padre Antonio Francisco Lelo, administrador paroquial.

Conhecido como o “Santo das Causas Justas e Urgentes”, Santo Expedito é invocado na extrema dificuldade; quando os negócios precisam de uma solução imediata, cuja invocação nunca é tardia. Santo Expedito é protetor do estudantes e militares.

Tradicionalmente em São Paulo, milhares de fiéis participam da festa de Santo Expedito na Igreja da Capelania Militar, junto ao Batalhão da Rota, também no bairro da Luz. Mas o que muitos não sabem é que à cerca de 500m do batalhão da Polícia Militar, logo após o Mosteiro da Luz, na avenida Tiradentes, a Catedral Armênia Católica, também homenageia Santo Expedito.

Foto: Simone Nunes/CN

Construída em 1976, a igreja passou por uma grande restauração e ressurge com todo seu esplendor.  O Altar Mor em mármore, em estilo armênio, guarda ao centro um belíssimo ícone da Nossa Senhora de Narek folhado em ouro. As laterais foram reservadas à dois santos considerados colunas da Igreja: São Judas Tadeu e São Bartolomeu. Foram eles  que levaram o Cristianismo a Armênia. O país foi o primeiro a adotar o Cristianismo como religião oficial em 301.

O teto da Catedral recebeu molduras em gesso ornamentadas em estilo armênio. No teto, 23 pinturas em óleo sobre tela, revelam com riqueza de detalhes a trajetória de Jesus de Nazaré, do Nascimento até a Ascensão. As imagens foram distribuídas de acordo com cada momento da vida de Jesus. Os vitrais nas paredes laterais e na cúpula destacam santos armênios.

Na fachada, os três arcos e a Cruz de metal, que representam a Santíssima Trindade, também foram restaurados.

Na frente da Catedral foi erguido um monumento em homenagem às vítimas do Genocídio armênio, cometido pelo Império Turco- Otomano, que matou 1,5 milhão de pessoas durante a I Guerra Mundial. O monumento possui uma cruz de pedra de 700 quilos e relíquias dos mártires armênios, trazidas do deserto da Síria

História:

A Igreja Católica Armênia é uma entre as 24 Igrejas de diferentes ritos em plena comunhão com a Igreja Católica Apostólica Romana, ou seja, que aceitam a autoridade do Papa. Atualmente a Igreja Armênia Católica , tem cerca de 740 mil fiéis no mundo. A sede do Exarcado Armênio,  está localizada na Catedral São Gregório Iluminador, sob a responsabilidade do Exarca Apostólico Armênio, Dom Vartan Valdir Boghossian. O Exarcado Armênio possui comunidades no México, Venezuela, Brasil, Uruguai e Chile. Os 5 países reúnem cerca de 30 mil católicos armênios, sendo 16 mil na Argentina e os outros 14 mil nos demais países. No Brasil vivem  aproximadamente 7 mil católicos armênios, sendo grande parte em São Paulo e Rio de Janeiro.

A Catedral Armênia Católica São Gregório Iluminador fica na Avenida Tiradentes, 718, ao lado do Museu de Arte Sacra, próximo ao Metrô Tiradentes, no bairro da Luz, São Paulo.

Tel.: 11 32276703

Por, Sidnei Fernandes – (Jornalista Canção Nova)

Papa Francisco concede o título de Monsenhor a dois sacerdotes da Arquidiocese de São Paulo.

Durante a celebração da Missa do Crisma na Quinta-feira Santa, todos os sacerdotes da Região Sé entre eles  o Cônego José Paine e o Padre Antônio Fussari  que receberam das mãos do Dom Odilo o reconhecimento da Santa Sé pelos serviços prestados à Igreja em São Paulo.

Dom Odilo destacou em sua homília:

Lembramos em primeiro lugar que na Igreja existe um único Sacerdote, existe Jesus Cristo Sacerdote, Ele é o verdadeiro Sumo Sacerdote.

O nosso sacerdócio está relacionado a Jesus Cristo e com à Igreja, por isso, se exerce em comunhão com à Igreja e na íntima e sintonia comunhão com Jesus Cristo, Ele é o Sacerdote que dá sentido, força e vigor. Esse sacerdócio que é vivido no meio do povo de Deus, por homens que Ele escolhe, chama, consagra e unge com os Dons do Espírito Santo. Jesus Cristo quer continuar a anunciar a Palavra com liberdade, credibilidade e serviço para todos que creem e para os não creem.

Por meio dos sacerdotes Jesus Cristo quer continuar a santificar e a congregar seu povo em torno da mesa do altar, na celebração da Eucaristia que é Sacramento Dele e da Igreja, Ele quer continuar exercer a sua Verdade e a sua Misericórdia para com povo.

Que poderei retribuir ao Senhor Deus, por tão grande Graça que de nossa parte não merecemos, mas, recebemos por pura bondade e Misericórdia? Nós somos levados a retribuir a tão grande dádiva a tão grande Dom através do nosso serviço Sacerdotal, dedicado, generoso e alegre, Dom feito para toda Igreja e humanidade. Peço a todos as orações pelas vocações para que na Igreja não faltem sacerdotes que no futuro despertem boas e santas vocações.

Transcrição e adaptação: Simone Nunes (missionária Canção Nova) 

Em meio ao mundo exigente e extremamente rápido (corrido…) que vivemos atualmente, é fato que as pessoas acabam se tornando cada vez mais inclinadas a serem intolerantes, impacientes, e propensas a rotular as outras.

Sufocados por tantos dilemas e exigências, poucos conseguem ter a devida paciência para com os outros, e muitos, se não alcançam respostas imediatas em um determinado relacionamento, acabam desistindo facilmente destas pessoas que buscavam se aproximar.

Descobrir alguém leva tempo. E quando nos tornamos superficiais demais, desistindo facilmente frente ao primeiro desencanto, acabamos por perder a feliz oportunidade de descobrir pessoas maravilhosas.

Não é porque a pessoa não sorriu como quereríamos ou porque tenha um defeito latente, que temos o direito de encarcerá-la em um rótulo infeliz.

Acredito que todos querem ser bons e felizes, e todos lutam por isso. Pode ser que não sejam compreendidos assim – ou não se percebam assim -, mas no fundo buscam isso. Pode ser que palavras inicialmente ásperas sejam, no fundo, o pedido de socorro de alguém que recebeu pouco amor na vida, e que desesperadamente pede que a ensinemos amar.

Pode ser que as atitudes que mais o irritam em alguém sejam a prova do esforço profundo de um coração querendo sinceramente fazer o bem, e que nisso precisa ser estimulado/ensinado, para assim poder revelar suas melhores potencialidades.

Mesmo que o amor que recebamos não seja do jeito tínhamos buscado ou idealizado… mesmo assim é amor. Os gestos e iniciativas de amor que possam soar repugnantes para nós, podem ser o tudo do que o outro pode nos dar no momento. Precisamos aprender a acolher o que as pessoas conseguem oferecer hoje, valorizando o que elas nos oferecem.

Não podemos ser cruéis a ponto de destruir em nós aqueles que não se acomodam aos nossos esteriótipos e expectativas infantis.

O verdadeiro amor se expressa em um acolhimento que permite que o outro seja simplesmente o que é, sem precisar representar para nos agradar e assim ser aceito.

Amar é acolher e buscar compreender (o que não é fácil…). Dessa forma será possível permitir que o outro, neste universo de verdade e liberdade, se revele expressando o amor como sabe, pois só assim este poderá aprender – a partir do amor/acolhida que recebeu – a melhor forma de amar e se ofertar.

Eis o desafio: amar com acolhida e maturidade, sem exigir que o outro se transforme em uma representação fiel do que “estabeleci” como verdade e valor.

Assim as pessoas poderão ser de fato pessoas ao nosso lado – ao invés de coisas –, e na verdade do que recebemos e ofertamos, poderemos também nós nos tornar melhores, sem a exigência desumana de precisarmos nos alienar para sermos aceitos.

Pe Adriano Zandoná

Sede os protagonistas da mudança. Usai a vossa vocação para construir um mundo melhor. É este o repto lançado este mês pelo Papa aos jovens de todo o mundo, na edição de abril de O Vídeo do Papa.

                                       Vocacional Canção Nova São Paulo 

Com imagens que fazem um paralelismo entre a atividade desportiva da moda, o cross-fit, e o contributo trazido por essa dedicação, o vídeo deste mês procura tocar os sentimentos da juventude, interpelando as novas gerações sobre o seu papel na sociedade: «Sei que vós, os jovens, não quereis viver na ilusão de uma liberdade que se deixa levar pela moda do momento… que desejais algo maior. É assim, ou estou enganado?», questiona o Sumo Pontífice.

Segundo estudos da ONU, no início de 2012, a população mundial superou os 7 mil milhões, sendo mais de metade deste número (50,5%) constituída por pessoas com menos de 30 anos. Este documento define os jovens como «fator determinante nas mudanças sociais, no desenvolvimento económico e no progresso técnico. A sua imaginação, os seus ideais, as suas perspetivas e a sua energia são imprescindíveis para o desenvolvimento das sociedades em que vivem».

A propósito da intenção deste mês, o diretor internacional da Rede Mundial de Oração do Papa e do Movimento Eucarístico Juvenil (MEJ), P. Frédéric Fornos, sj, lembra que «na sua mensagem aos jovens para as Jornadas Mundiais da Juventude de 9 de abril de 2017 (preparando o encontro no Panamá – JMJ 2019), o Papa Francisco animou-os a “melhorar o mundo”, a “deixar um sinal que marque a história”. Agora, no seu vídeo mensal, manifesta a sua confiança nas capacidades dos jovens e na sua generosidade; anima-os a responder à sua vocação e a mobilizar-se pelas grandes causas do mundo», nota o P. Frédéric Fornos, s.j.
Fonte: Rede Mundial de Oração do Papa 

Só o Senhor tem o poder de curar nossas feridas interiores
6 semanas de Oração pela Cura das Feridas Emocionais

A Comunidade Canção Nova realiza entre os dias 24 de abril e 29 de maio de 2017, às segundas-feiras, “6 Semanas de Oração pela Cura das Feridas Emocionais”. Pe. Adriano Zandoná presidirá seis Missas na Catedral Maronita Nossa Senhora do Líbano, às 19h30, transmitidas ao vivo pela TV Canção Nova, com Adoração e Benção do Santíssimo Sacramento, em intenção da cura das feridas emocionais de todos os participantes.

O sacerdote refletirá também como são formados os nossos traumas e como podemos superá-los com a ajuda dos amigos, dos familiares e principalmente no poder da oração, do amor e da reconciliação.

Programação:

24/04: Curar o coração para restaurar os sonhos

01/05: Curar as feridas geradas pela mágoa

08/05: Curar as raízes da rejeição pela força do amor

15/05: Curar a autoimagem para enxergar-se a partir de Deus

22/05: Curar a raiz da amargura

29/05: Libertar-se dos medos para assumir o plano de Deus

Adoração ao Santíssimo Sacramento em todos os dias da programação, às 21h.

*Programação sujeita à alteração sem aviso prévio.
Participe e deixe-se curar pelo Senhor!

Tome Nota!

6 Semanas de Oração pela Cura das Feridas Emocionais

(Seis Missas presididas pelo Pe. Adriano Zandona)

Data e Horário:

De 24 de abril à 29 de maio de 2017 | Segundas-feiras

Santa Missa l 19h30

Adoração ao Santíssimo Sacramento l 21h

Local:

Catedral Maronita Nossa Senhora do Líbano

Rua Tamandaré, 355, Liberdade, São Paulo/SP

(metrô São Joaquim)

Informações:

(11) 3382-9800 ou eventossp@cancaonova.com

TEMA DO PROJETO CANÇÃO NOVA ABRAÇA SÃO PAULO 2017 É LANÇADO.
Versículo do livro do profeta Jeremias norteará as ações do projeto neste ano.

A Comunidade Canção Nova de São Paulo traz em sua programação, durante todo o ano de 2017, esta linda promessa do Senhor, presente no livro de Jeremias, capítulo 29, versículo 11: “Tenho para vós um projeto (um sonho) de felicidade”.

O tema será inspiração dos principais eventos da comunidade na cidade de São Paulo e norteará todas as atividades evangelizadoras do ano.

Diante dos desafios que a vida nos apresenta, Deus tem um sonho de felicidade para cada um de nós. E para voltar a sonhar, é preciso que o nosso coração seja curado das feridas emocionais causadas pelos sofrimentos da vida e pelo pecado.

Tenho para vós um projeto de felicidade!

É preciso permitir que os sonhos do Senhor em relação à nós se realizem, e para isso, Deus quer nos curar, quer restaurar nossa alegria, nossa fé, nosso abandono nas mãos d’Ele.

Deus quer devolver à nós a esperança, e curar as nossas feridas e dores mais profundas.

Viva com a Canção Nova a realização desta promessa! Ele, mais do que ninguém, está ansioso para ver, em nós, esta linda Palavra se cumprindo!

Siga-nos nas redes sociais Canção Nova São Paulo, fique por dentro das atividades da missão!

VIGÍLIA CANÇÃO NOVA ABRE A SEMANA SANTA

A Comunidade Canção Nova realiza no dia 08 de abril de 2017, a partir das 21h, a Vigília Canção Nova, com o tema:

“A Esperança não decepciona por que o Amor de Deus foi derramado em nossos corações”. (Romanos 5,5).

A noite de oração acontecerá na Basílica Nossa Senhora da Penha, São Paulo (SP), transmissão pela  Rádio América, 1410 AM. A Vigília abrirá a Semana Santa com a Missa de Ramos, liturgia que prepara para a memória e Celebração da Paixão do Senhor.

Estarão presentes para conduzir a madrugada de clamor e oração o Pe. Adriano Zandoná, o cantor e animador católico Gil Monteiro e a Comunidade Canção Nova.

A Vigília Canção Nova, tradicionalmente, proporciona aos participantes uma noite inteira de momentos intensos de louvor, súplica, intercessão, adoração ao Santíssimo Sacramento, confissões, Santa Missa e oração do Terço da Misericórdia às 03h da madrugada, na presença do Santíssimo.

São momentos privilegiados de oração em que o Senhor derrama profusamente graças e bênçãos, curas e milagres, pois Deus se deixa alcançar por aqueles que oram incansável e fervorosamente.

Participe conosco e venha você também experimentar as misericórdias do Senhor!

Tome Nota!

Vigília Canção Nova
“A Esperança não decepciona por que o Amor de Deus foi derramado em nossos corações (Romanos 5,5)

Data:

08 de abril de 2017

Horário:

A partir das 21h00

Presença:

Pe. Adriano Zandoná

Gil Monteiro

Comunidade Canção Nova

Local:

Basílica Nossa Senhora da Penha

Rua Santo Afonso, 199, Penha, São Paulo/SP

(metrô Penha)

 

* Levar 1Kg de alimento não perecível

Informações:

(11) 3382-9800 ou eventossp@cancaonova.com

Acesse: saopaulo.cancaonova.com

 

 

 

 

 

 

08-03

8 de Março dia da mulher, festa da humanidade.

E pensável uma humanidade só de mulheres?
E pensável uma humanidade só de homens?

Seria um horror.

Um pesadelo, anuncio de morte certa.

Não é bom que o homem esteja só…
Não é bom que a mulher esteja só..

Não há maior e nem menor.
Há caminhos juntos, vida juntos, partilha juntos.
Construindo juntos o presente e o futuro

A agressão de um é destruição do outro.

Assim Deus o quer, assim o amor o quer
Ou vivemos juntos ou morremos juntos.

Até Deus para se fazer carne no seu filho JESUS e habitar no meio de nós, precisou do SIM de Maria de Nazaré. As mulheres por serem geradoras de vida merecem atenção especial.

Frei Patricio Sciadini – (Atualmente ele se encontra em missão do Egito)

17192645_1250642145013314_3024704252184795678_o

A Comunidade Católica Canção Nova realiza no dia 23 de março de 2017, quinta-feira, a partir das 09h30, o “Feirão da Providência”, com o objetivo de levantar fundos para as atividades evangelizadoras da Missão Canção Nova de São Paulo e em prol do Projeto Dai-me Almas.

O Feirão acontecerá na Catedral Maronita Nossa Senhora do Líbano. O Brechó Canção Nova traz artigos de decoração, roupas, sapatos, peças de vestuário em geral semi-novos, com descontos e preços acessíveis. E nesse dia estará abrindo as portas para quem deseja conhecê-lo e visitá-lo!

Venha participar e ajude a Canção Nova a evangelizar São Paulo!

Tome Nota!

Feirão da Providência

Data:

23 de março de 2017

Horário:  A partir das 09h30. Encerramento às 18h.

Local: Catedral Maronita Nossa Senhora do Líbano

R. Tamandaré, 355, Liberdade, São Paulo,SP  (metrô São Joaquim)

Informações: (11) 3382-9800 ou eventossp@cancaonova.com

“Procura nos bolsos da minha batina. Tira a carteira para ver se há algum dinheiro. Creio que não há nada, mas se houver, entrega-o imediatamente ao ecônomo. Quero se saiba que Dom Bosco nasceu pobre e morreu sem um centavo”.
Um homem rico que ajudou Lázaro

O Papa Francisco em sua carta para a Quaresma deste ano faz um apelo a ser generosos com os necessitados, orientando que a generosidade nos leve a dar não o que nos sobra, mas a dar do nosso. Neste sentido, o exemplo de Chuck Feeney, homem de 85 anos, que doou toda a sua fortuna para obras de caridade aplica-se a frase: “Não repartiu migalhas. Deu o pão inteiro”.

Chuck vinha de uma família de católicos imigrantes da Irlanda do Norte que foi viver em Nova Jersey, Estados Unidos. Sua mãe era enfermeira e seu pai trabalhava numa seguradora. Seu primeiro trabalho, aos dez anos, foi vender cartões de Natal de casa em casa.

Ajuntou uma formidável fortuna de 8 bilhões de dólares; ele é o inventor dos “free shops” nos aeroportos. Seu interesse pelos problemas das pessoas mais carentes foi uma constante em sua vida mediante as obras de filantropia.

Há alguns anos, depois de garantir o futuro dos filhos, criou em 1982, a Fundação “Atlantic Philanthropies”. Com seu dinheiro serviu a causas que abrangem desde a saúde até as missões de paz. Em dezembro de 2016, desprendeu-se dos últimos sete milhões de dólares que lhe restavam. “Disse estar tranquilo consigo mesmo depois de dar todo o seu dinheiro”.

Vive atualmente com sua esposa num apartamento modesto, do qual nem sequer é proprietário. Sua propriedade mais valiosa é o relógio de plástico de 15 dólares que está sempre em seu pulso. Para sair de casa usa o metrô pois não tem automóvel.

O importante vai além do dinheiro. Consiste na satisfação de que se está conseguindo algo de útil para os outros. “Nunca me doeu desprender-me do dinheiro, porque nunca me senti apegado à riqueza material. Gosto de viver como acredito, sabendo que através do trabalho da fundação fizemos muito bem a pessoas que nunca o esperavam. E ver a felicidade dessa gente foi uma espécie de recompensa”. Palavras de Chuck Feeney.

Esse é um testemunho digno de ser difundido, pois enquanto a sociedade e os meios de comunicação insistem em apresentar-nos as riquezas como meta e fonte da felicidade e do sucesso pessoal, este homem optou por ir contracorrente e dar tudo o que tinha para fazer o bem às pessoas ajudando-as a viverem mais felizes.

Chuck Feeney está longe da figura do homem rico que acaba ficando cego diante do sofrimento do irmão Lázaro e contentando-se com uma vida medíocre e egoísta. “Uma riqueza excessiva que exibe de maneira habitual todos os dias: «Banqueteava-se esplendidamente todos os dias» (v. 19). Vê-se nele de forma clara a corrupção do pecado, que se realiza em três momentos sucessivos: o amor ao dinheiro, a vaidade e a soberba” (Mensagem para a Quaresma).

Este testemunho apela à consciência de todo cristão a pensar onde está a verdadeira riqueza e onde exatamente está o coração no momento de compartilhar com o outro que nada tem. Damos, de verdade, ou damos somente do que nos sobra?

Dom Bosco antes de morrer pediu ao P. Rua que tirasse de seus bolsos as poucas moedas que tinha, expressando assim o seu desapego ao dinheiro: “Procura nos bolsos da minha batina. Tira a carteira para ver se há algum dinheiro. Creio que não há nada, mas se houver, entrega-o imediatamente ao ecônomo. Quero se saiba que Dom Bosco nasceu pobre e morreu sem um centavo”.

Fonte ANS (Agência de InfoSalesiana)

 

unnamedPROMOÇÃO: CANÇÃO NOVA EM MINHA CASA

Durante todo o mês de março de 2017, as pessoas que se tornarem Sócias Evangelizadoras da Canção Nova em São Paulo (SP), fazerem sua contribuição e doarem o seu algo a mais, estarão concorrendo a uma visita do Pe. Adriano Zandoná e dos missionários da Comunidade Canção Nova em sua casa.

O sacerdote e missionário da Comunidade Canção Nova, juntamente com os missionários da Canção Nova, estará conduzindo um momento de oração e de benção do lar, além de autografar os seus livros e promover uma confraternização com a família.

O sorteio acontecerá durante a sua Missa, no dia 1º de maio, às 19h30, na Catedral Maronita Nossa Senhora do Líbano, no bairro Liberdade, São Paulo (SP).

Para concorrer, além de se tornar sócio e realizar a sua contribuição, o algo a mais deverá ser feito nos seguintes locais:

  • Casa de Evangelização Canção Nova R. Tamandaré, 355, Liberdade, São Paulo/SP (metrô São Joaquim)
  • Loja Canção Nova Rua São Bento, 43, Centro | Horário: seg. à sex., das 9h às 18h (metrô Sé)
  • Grupo de Oração De Mãos Unidas – Auditório Paulo Apóstolo R. Dona Inácia Uchoa, 62, Vila Mariana, São Paulo/SP Terças, de 19h30 às 22h Obs.:


*A promoção é válida somente para São Paulo e região metropolitana.

Torne-se sócio e evangelize conosco!

Tome Nota!

Promoção: Canção Nova em Minha Casa Data: Promoção válida durante o mês de março de 2017 Prêmio:

O ganhador receberá uma visita do Pe. Adriano Zandoná e dos missionários da Canção Nova em sua casa. Haverá benção do lar e das famílias, oração, autógrafos e confraternização.

Critérios para participar:

● Se cadastrar como um novo sócio dentro deste período, e já fazer uma contribuição;

● Fazer o seu algo mais (com comprovante de recebimento) nos locais acima citados.

Visite o Clube da Evangelização anexo a Loja Canção Nova: Rua: São Bento, 43 Tel: 11-3587-3141.

Pela Evangelização: Ajudar os cristãos perseguidos

Pelos cristãos perseguidos, para que experimentem o apoio de toda a Igreja na oração e através da ajuda material.

Oração

Deus de bondade,
ao longo da história da Igreja
os cristãos foram perseguidos por causa da sua fé em Jesus.
Hoje, esta perseguição ganha proporções dramáticas
e difíceis de entender
num mundo onde tanto se fala de tolerância e respeito pelas diferenças.
Ser discípulo de Cristo comporta sempre a cruz e a incompreensão,
mas há alturas em que este peso é quase insuportável.
Muitas vezes, são realidades distantes de nós, cultural e fisicamente,
as notícias chegam-nos de forma filtrada
e não temos consciência das situações terríveis
por que passam tantos irmãos e irmãs na fé.
Dá-lhes, Senhor,
a graça da fortaleza e da esperança,
e a nós,
a graça de um coração inquieto,
que não se deixe acomodar e procure fazer algo por eles, com urgência.

Desafios para o mês

  • Dar a conhecer, junto de amigos e conhecidos, através das redes sociais, os aspetos da perseguição aos cristãos que são silenciados pela comunicação social.
  • Organizar, nas próprias comunidades, eventos de oração e sensibilização pelos cristãos perseguidos.
  • Enviar ajuda material para instituições que trabalham com estas situações de perseguição.

Card-Missa-Cinzas“Eis o tempo de conversão”
Comunidade Canção Nova celebra Missa de Cinzas

A Comunidade Canção Nova celebra, no dia 1º de março de 2017, a Santa Missa de Cinzas, rito que marca o início da Quaresma, tempo de penitência e oração para toda a Igreja.

A Missa de Cinzas acontecerá na Catedral Maronita Nossa Senhora do Líbano, com início às 19h30, presidida pelo Pe. Adriano Zandoná.

“As cinzas bentas e colocadas sobre nossas cabeças nos fazem lembrar que nosso corpo corruptível, em Cristo, é refeito de maneira gloriosa para não mais perecer, e ganhar a vida eterna” (Professor Felipe Aquino)

Venha viver a Quaresma com a Canção Nova!

Tome Nota!

Missa de quarta-feira de Cinzas

Data: 1º de março de 2017   Horário: 19h30  Celebrante:   Pe. Adriano Zandoná

Local: Catedral Maronita Nossa Senhora do Líbano
Rua Tamandaré, 355, Liberdade, São Paulo/SP
(metrô São Joaquim)

Informações:

(11) 3382-9800 | eventossp@cancaonova.com

A Catedral Maronita no Brasil celebra a Festa de São Marun.

Domingo dia 19 de fevereiro teremos Santa Missa em honra a São Marun, no Rito Maronita,  que será transmitida pela TV Canção Nova, às 11:30 h.
Rua Tamandaré 355, bairro Liberdade – SP.  Acompanhe pela http://tv.cancaonova.com/.

A Igreja Maronita deve seu nome a um importante mosteiro, São Marun, que recebeu o nome em homenagem ao anacoreta Marun (Maron). Infelizmente, temos poucas informações sobre a vida e as atividades de nosso eremita. O único relato que nos dá alguns pormenores vem-nos de Teodoreto, bispo de Cyr, morto no ano de 458, em sua obra HISTÓRIA RELIGIOSA, escrita por volta do ano de 440. Este grande historiador não nos informa sobre a data de nascimento ou de morte de São Marun. Todavia, graças a ele, sabemos que o monge Marun nasceu no século IV. Depois de renunciar ao mundo, levava, em seu eremitério, muitas vezes ao ar livre, vida ascética das mais austeras.

12366110_913722885371910_6030353653081195172_oA vida monástica na Igreja não se constituiu da noite para o dia; tampouco foi obra de um só homem: A vida monástica existiu desde o começo da Igreja. No fundo, é seguir a Cristo e o esforço constante de viver o Evangelho da maneira mais perfeita. Por isso que a vida monástica é chamada de “caminho da perfeição cristã”. Assim, das origens do cristianismo até nossos dias, encontramos número considerável de monges, eremitas, ascetas, que procuram viver o Evangelho. O monge Marun era apaixonado por Cristo, e tomado de entusiasmo pela perfeição cristã. Para atingir este ideal, renunciou ao mundo e às suas cobiças, e embrenhou-se numa das montanhas da diocese de Cyr, onde habitou nas ruínas de um antigo templo pagão, transformando-o em lugar de oração e meditação. Nessas montanhas, levou vida monástica mais austera que a de seus confrades, monges da região. Sua reputação logo atraiu ao seu redor todos os que, igualmente entusiasmados pela perfeição cristã, procuravam um modelo e um guia espiritual experiente. Destarte, seus discípulos foram muito numerosos e sua escola ascética, das mais prósperas. Muitas pessoas o visitaram no seu eremitério, solicitando a cura tanto das doenças corporais, quanto espirituais, e foram atendidos.

São Marun morreu no início do século V, e ao que tudo indica, no ano 410. Depois de morrer, seu corpo foi objeto de disputa entre os habitantes de diversas cidades da região, vistos os milagres que fazia. Cada uma queria para si o corpo daquele santo solitário; por fim, os habitantes do lugar mais povoado e o mais forte tornaram para si o corpo; depositaram-no em um templo construído especialmente para ele, e dedicado à sua memória. O santuário não tardou em transformar-se em local de peregrinação para os fiéis vindas de todas as regiões. No ano de 452, o Imperador Marciano mandou construir, para os discípulos deste santo, os monges maronitas, um grande mosteiro. Este mosteiro de São Marun foi o berço da Igreja Maronita.
                                                                             Unidade entre a Igreja de Roma e Igreja Maronita 
10714474_913708345373364_6615050501841514649_o
Como se formou a Igreja Maronita?
Depois do Concilio Ecumênico de Calcedônia que foi convocado em 451 e declarou que Nosso Senhor Jesus Cristo é, há um tempo, “Verdadeiro Deus e Verdadeiro Homem”, os monges maronitas se revelaram os mais fortes defensores desta verdadeira doutrina da Igreja. Neste momento, a importância do Mosteiro de São Marun foi se tornando cada vez maior, de modo que o seu superior logo tornou-se, num lapso relativamente curto, chefe da região ao mesmo tempo espiritual e temporal. Também a influência dos monges, discípulos de nosso Santo, sobre os fiéis, tornou-se tão grande que estes se aplicavam a imitar os monges no modo de rezar, trabalhar, comer, jejuar e repousar.

No século VII, no momento em que o mosteiro de São Marun gozava dessa proeminência e testemunhava grande influência, os árabes invadiram o Oriente Médio. Resultou que a Sé patriarcal da Igreja oficial de Antioquia ficou desocupada por quase um século, pois o patriarca se refugiou em Constantinopla, e vaga durante quase quarenta anos. Foi neste período, consideravelmente perturbado pelos acontecimentos, e enquanto a Igreja oficial de Antioquia ‘encontrava-se sem um chefe, que o poderoso mosteiro de São Marun, tendo jurisdição sobre a população das vizinhanças do convento, declarou-se independente, e formou uma verdadeira Igreja, à testa da qual encontramos, no século VIII, um patriarca: “Patriarca de Antioquia e de todo o Oriente”. Até agora, a Igreja Maronita é considerada “comunidade monástica”.

892356_913709018706630_7248779835449930309_oA Igreja de Antioquia foi fundada por São Pedro, chefe dos Apóstolos, antes de ir a Roma. Por isso, só o patriarca maronita tem a prerrogativa de acrescentar a seu nome o de “Pedro”, em honra de São Pedro que foi o primeiro patriarca de Antioquia. Esta Igreja Antioquia tem a honra de ter como língua litúrgica o aramaico, a língua falada por Jesus Cristo, como tem a honra de ter sido a única Igreja Oriental que ficou sempre Católica Apostólica Romana, ligada ao Papa.

Em 423, após o litoral fenício-libanês ter sido cristianizado pelos Apóstolos, depois da ressurreição de Nosso Senhor, a montanha libanesa, que ficou até esta data pagã, foi evangelizada pelo discípulo de São Marun, o monge Abraão de Cyr, que foi nomeado pelos historiadores “Apóstolo do Líbano”. Batizou o povo desta região; e podemos dizer que a montanha libanesa, a partir desta data, foi cristianizada e, mesmo, “maronitizada”. É bem verdade que o Líbano, terra e povo, existia bem antes da chegada dos maronitas. Mas o Líbano atual, território e povo, não existiria, se os maronitas não estivessem lá. Pos isso que se diz muitas vezes, e com justiça, que “O Líbano e a Maronidade são duas realidades gêmeas”.
Isto demonstra o insistente apego dos maronitas pelas montanhas libanesas e a resistência tenaz que testemunharam ao longo dos séculos para defender o Líbano, seu país e a fortaleza de sua fé, sua identidade, e sua liberdade. O centro desta Igreja está no Líbano onde fica a Residência do Patriarcado Maronita. Nesta TERRA SANTA libanesa nasceram nossos santos CHARBEL, RAFQA e NIMATULLAH. Os três foram buscar sua espiritualidade na tradição monástica da Igreja Maronita e foram formados na Ordem Libanesa Maronita que encarnou esta espiritualidade.
                                                                                               Festa Nossa Senhora do Líbano 

Oração para São Marun

Ó Deus, que suscitastes São Marun e fizestes dele um modelo de virtudes, concedei-nos, pela sua intercessão: compreender a nossa vocação cristã para uma vida de fé inabalável, de esperança firme e de amor perfeito; seguir pelo caminho da perfeição cristã e salvação; e chegar, por uma vida de oração e contemplação, às alegrias de Vosso Reino. Por Nosso Jesus Cristo Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo! Amém. Pai Nosso…Ave Maria…Glória…
São Marun, rogai por nós!

Fonte: Memórias do Líbano