Chá das Mães com a Canção Nova

Chá das Mães com a Canção Nova

COMUNIDADE CANÇÃO NOVA REALIZA CHÁ DA TARDE COMEMORANDO O DIA DAS MÃES

A Comunidade Canção Nova realiza no dia 19 de maio a primeira edição do tradicional Chá da Tarde desse ano de 2015. O evento será em comemoração ao dia das mães e terá início às 13h30, no salão do Santuário Nossa Senhora da Salette. O Chá Beneficente é um espaço preparado especialmente pela família Canção Nova para receber com acolhimento e alegria as pessoas que queiram passar uma tarde divertida, descontraída, cheia de atrações, brindes, música, oração e amizade, e ainda ajudarem o Projeto Dai-me Almas e a evangelização em São Paulo.

Estarão presentes para conduzir e animar esta agradável tarde o Pe. Adriano Zandoná e o missionário Orlando Junior, da Comunidade Canção Nova. Eles divulgarão o CD “Orações e Canções de Cura para as Mães”. Haverá no local autógrafos, Bazar Beneficente, Livraria Canção Nova e Clube da Evangelização. O convite para o evento pode ser adquirido na secretaria da Paróquia Nossa Senhora da Salette, na Loja Canção Nova – R. São Bento, 43 – Centro – ou na Casa de Evangelização da Canção Nova – R. Tamandaré, 355 – Liberdade – metrô S. Joaquim).

Tome Nota! Chá das Mães com a Canção Nova

Data:

19 de maio de 2015

Local:
Paróquia Nossa Senhora da Salette.
R. Dr. Zuquim, 1720 – Santana – São Paulo/SP

Horário:

13h30

Presença:

Pe. Adriano Zandoná
Orlando Junior

Convite: R$ 15,00
Local para adquirir os ingressos:

Secretaria da Paróquia Nossa Senhora da Salette
Loja Canção Nova – R. São Bento, 43, Centro
Casa de Evangelização da Canção Nova – R. Tamandaré, 355, Liberdade

Informações: (011) 3382-9800 ou
eventossp@cancaonova.com

01

A TV Canção Nova tem uma programação especial para alimentar nossa fé, afinal, nossa missão é evangelizar!

Para isso, conta com produtoras e retransmissoras no Brasil e no exterior. Fruto disso pode oferecer diversos programas com características peculiares de cada região onde estão localizadas.

Com uma equipe dinâmica e arrojada, a produtora de SP, enriquece ainda mais nossa programação deixando a segunda-feira com cara de São Paulo. São vários programas produzidos aqui na Capital com todo o jeito paulistano e com a participação de personalidades da igreja e missionários da Comunidade Canção Nova, que você já conhece. Vamos atualizar você:

Apresentação Margarida e Orlando Júnior
Exibição: Sábados – 18h:30
Reprise: Segundas-feiras – 4h:30

Apresentação – Dom Odilo
Exibição: Segundas-feiras – 6h:40
Reprise: Sábados – 6h:40

Apresentação Dra. Gisela Savioli
Exibição: Segundas-feiras – 9h:15
Reprise: Sextas-feiras – 13h

Exibição: Segundas-feiras – 19h:30

Apresentação Márcio Mendes
Exibição: Segundas-feiras – 22h:00
Reprise: Sábados – 1:30h

Exibição: Domingos – 22h:00
Reprise: Sextas-feiras – 00h:30

Apresentação  Dom Edgard Madi
Exibição: Quinta-feira – 20h:00
Reprise: Sábados – 12h:30

 

Anotou? Agora, fique ligado as datas da #VigíliaCN e a programação da nossa Casa de Missão, localizada na Rua Tamandaré, 355 – Liberdade.

Acompanhe nossas atividades pelas redes sociais.

CCP2-PgWIAEuNwW

Durante as aparições do Senhor a Santa Faustina, Cristo assegurou várias graças aos que se aproximassem de sua misericórdia. São João Paulo II, mais adiante, instituiu oficialmente a indulgência plenária para esta festa. Neste domingo da misericórdia de 2015 espera-se também o anúncio oficial do Ano Santo da Misericórdia proposto pelo Papa Francisco que terá início no dia 8 de dezembro deste ano.

No segundo domingo de Páscoa, que este ano se celebra no dia 12 de abril, “Concede-se a Indulgência plenária nas habituais condições (Confissão sacramental, Comunhão eucarística e orações segundo a intenção do Sumo Pontífice) ao fiel que no segundo Domingo de Páscoa, ou seja, da “Misericórdia Divina”, em qualquer igreja ou oratório, com o espírito desapegado completamente da afeição a qualquer pecado, também venial, participe nas práticas de piedade em honra da Divina Misericórdia, ou pelo menos recite, na presença do Santíssimo Sacramento da Eucaristia, publicamente exposto ou guardado no Tabernáculo, o Pai-Nosso e o Credo, juntamente com uma invocação piedosa ao Senhor Jesus Misericordioso (por ex., “Ó Jesus Misericordioso, confio em Ti”)”, diz o texto do decreto.

Deste modo se concede indulgência parcial “ao fiel que, ao menos com coração contrito, eleve ao Senhor Jesus misericordioso uma das invocações piedosas legitimamente aprovadas”.

“Desejo que a Festa da Misericórdia seja refúgio e abrigo para todas as almas, especialmente para os pecadores. (…). Derramo todo um mar de graças sobre as almas que se aproximam da fonte da Minha misericórdia. A alma que se confessar e comungar alcançará o perdão das culpas e das penas. Nesse dia, estão abertas todas as comportas divinas, pelas quais fluem as graças. Que nenhuma alma tenha medo de se aproximar de Mim, ainda que seus pecados sejam como o escarlate”, disse o Senhor em uma promessa que fez a Santa Faustina Kowalska em uma das aparições místicas que lhe concedeu.

Em 2002, esta promessa de Cristo se fez “oficial” na Igreja quando, por mandato de São João Paulo II, a Santa Sé publicou o “decreto sobre as indulgências recebidas na Festa da Divina Misericórdia”, um dom que também pode ser alcançados aos doentes e os navegantes em alto mar.

E-Flyer-A3

 

CANÇÃO NOVA REALIZA A 3º VIGÍLIA DO ANO DE 2015

A Comunidade Canção Nova de São Paulo (SP) promove a terceira Vigília do ano de 2015, dando sequência à novena das Vigílias na capital paulista. Com o tema: “Agindo Deus, alcançamos a vitória”, aguardamos cerca de mil pessoas para uma noite inteira de oração.

Transmitida ao vivo pela TV Canção Nova e Rádio América (1410 AM), a Vigília inicia no dia 25 de abril, às 22h00, na Basílica Nossa Senhora da Penha. Missa, pregação da Palavra e Adoração ao Santíssimo Sacramento fazem parte da programação. A condução será realizada pelos missionários da Comunidade Canção Nova: Pe. Paulinho, Maria Angélica e Orlando Junior, com participação do cantor católico Nando Mendes e Ministério de Música Canção Nova.

Tome Nota!

Vigília Canção Nova – “Agindo Deus, alcançamos a vitória”
(3º Vigília da Novena 2015)

Data:

25 de abril de 2015, às 22h00

Presenças:

Pe. Paulinho (Comunidade Canção Nova)
Maria Angélica (Comunidade Canção Nova e apresentadora da Rádio América)
Orlando Junior (Comunidade Canção Nova – Ministério de Música Canção Nova)
Nando Mendes (cantor e animador católico)
Ministério de Música Canção Nova

Local:

Basílica Nossa Senhora da Penha
R. Santo Afonso, 199, Penha, São Paulo (SP)
(metrô Penha)

Levar:

1Kg de alimento não perecível

Informações:

(11) 3382-9800 ou eventossp@cancaonova.com

Cerco de Jericó Palestras
Você que não conseguiu participar de todas as missas do Cerco de Jericó, acompanhe as pregações feitas pelo Pe. Adriano Zandoná.

     Organizamos todas elas para você não perder nenhuma. Fique ligado!

-23/02: Derrubar muralhas pela força da oração

-02/03: Libertar os relacionamentos do desamor

-09/03: Derrubando as muralhas e opressões em nossa mente

-16/03: Purificar e amadurecer a própria fé:

-23/03: Derrubando as muralhas do ciúme e da inveja:

30/03: Derrubar as muralhas na vida familiar

06/04: Libertos de todo o mal pelo poder do Espírito Santo

Agindo Deus, quem impedirá? Isaías 43,13

são josé 2                                                                                                 

Ó excelso São José, que fostes escolhido por Deus para o mistério mais sublime que possa confiar-se a uma criatura. Vós sois o anjo da pureza, lírio eleito de virgindade, pelo qual o próprio Deus se comprazeu em chamar-vos pai do Seu Unigênito, e transmitiu os seus direitos. Aquele que criou todos os corações dos homens, colocou em vós um coração de pai e deu ao mesmo tempo a Jesus um coração de filho para convosco. Ó beatíssimo São José, sede um pai também para mim. Tende também entranhas de pai para com todos aqueles que Jesus amou até se tornar seu irmãos.
Eu me prosto a vossos pés com todo afeto de minha alma, suplicando-vos que aceiteis a oferta que vos faço do meu coração, para que vós o torneis puro e casto, e assim o apresenteis, vós mesmo a Jesus vosso filho, a quem o consagro para sempre e sem reserva. Suplicai-lhe que tire deste miserabilíssimo coração o pecado, o amor ao prazer e tudo quanto lhe desagrada. Que inflame com o fogo sagrado do Seu Santo amor, que o adorne com a virtude angélica da pureza, e com todas as virtudes com as quais o seu adorável coração nos deu exemplos tão admiráveis, para que possuindo-o, Ele desde já, possa reinar para sempre e por toda eternidade. Amém.

semana_santa_2015

Na Semana Santa, a Igreja Católica celebra os mistérios da salvação, que Cristo cumpriu por amor. A Quaresma compreende um período de 40 dias, cujo início é na Quarta-feira de Cinzas, continua até a Quinta-feira Santa. A partir da Missa Vespertina da Quinta-feira (“in Cena Domini”/Ceia do Senhor) inicia-se o Tríduo Pascal, que abrange a Sexta-feira Santa “da Paixão do Senhor” e o Sábado Santo. E tem o seu ápice na Vigília Pascal e no Domingo da Ressurreição.

A Semana Santa começa no Domingo de Ramos, que une o triunfo de Cristo e o anúncio de Sua Paixão. Os cristãos celebram esse evento, imitando as aclamações e os gestos das crianças hebreias, que foram ao encontro do Senhor com o canto do “Hosana” (o grito de exaltação e adoração ao messianismo de Jesus).

Durante a Semana Santa, a Igreja Católica celebra todos os anos os grandes mistérios da redenção humana. O Tríduo Pascal tem início na Quinta-feira Santa com a Missa do Lava-pés, expressão máxima da frase de Jesus – “Eu vim para servir, não para ser servido”. Nessa celebração, Cristo deixa o exemplo do amor ao próximo. Nessa Missa também se recorda a instituição da Eucaristia e do sacerdócio. Ao final da celebração, acontece a “Transladação do Santíssimo”, na qual o sacerdote recolhe as Hóstias Consagradas e as deposita no sacrário. Tudo isso acontece numa procissão luminosa, na qual o povo, em silêncio e recolhimento, é chamado à adoração a Nosso Senhor Jesus Cristo, que vai se entregar como sacrifício.

Na Sexta-feira Santa recorda-se o dia em que Cristo se entrega como vítima pela humanidade. A celebração desse dia se dá em três partes: liturgia da Palavra com o Evangelho da Paixão, adoração da cruz, com o tradicional beijo da cruz e distribuição da comunhão. Esse é o único dia em que não há Missa. Nesse dia, os católicos observam o jejum juntamente com a abstinência de carne. Também nesse dia se guarda o silêncio numa atitude de oração e contemplação.

Na noite do Sábado, segundo uma antiquíssima tradição da Igreja Católica, celebra-se a chamada “Vigília Pascal”. Esta noite santa, em que Jesus ressuscitou, deve ser considerada como “mãe de todas as santas vigílias”. Esta celebração inclui a chamada “bênção do fogo novo” com uma procissão luminosa, por meio da qual os fiéis católicos renovam sua fé em Jesus: a luz do mundo; a proclamação solene da Páscoa com o canto do “Exultat”; as leituras do Antigo e Novo Testamentos; e a celebração de um batismo, que é expressão da vida nova, que Jesus veio trazer. Os fiéis são convidados a cantar com alegria que “Jesus Ressuscitou”.

O Domingo de Páscoa, para os católicos, marca o início de um novo ciclo ou como é chamado “O Tempo Pascal”, que se estende por cinquenta dias, até a chamada Festa de Pentecostes (descida do Espírito Santo). Esses dias são vividos com a mesma intensidade e júbilo como se fossem um só e mesmo dia, o “Dia da Ressurreição”.
Aqui em nossa casa de missão, não temos programação, pois orientamos que cada paroquiano viva este mistério de fé ao lado da sua família, amigos e irmãos de caminhada. Veja os horários de sua paróquia e esteja atento.
Tenhamos todos uma Feliz Páscoa!

Vai deixar saudade. Esse é o sentimento de todos que foram ao I Canção Nova Abraça São Paulo neste domingo, 22/03. Apesar da chuva, 10 mil pessoas estiveram no Ginásio do Ibirapuera para a primeira edição do evento que em 2014 “abraçou” aproximadamente 50 mil pessoas. E pelo visto vai continuar abraçando muito mais gente.

A manhã foi marcada pela presença do Cardeal Odilo Scherer, que abençoou e deu uma mensagem de esperança e otimismo a todos os presentes. O evento começou com o momento mariano conduzido pelo Pe. Paulinho, da Comunidade Canção Nova. As pessoas foram chegando e lotando as arquibancadas e a Celina Borges arrancou aplausos: “Estou aqui para abraçar São Paulo também”. O pregador Márcio Mendes falou sobre o tema: “Em Deus você terá a vitória”.  O ponto alto foi a Adoração ao Santíssimo Sacramento, que reuniu todos os pregadores e animadores do evento para conduzir um momento de fé e oração.

Na parte da tarde, Dunga levantou a juventude PHN e o Pe. Chrystian Shankar falou às famílias e convidou a todos a identificar quais são os sinais de que Deus está em suas casas – “Podem falar o que quiserem, mas, em nossa casa, quem dá a última palavra é o Senhor”. A jornalista e missionária da Comunidade Canção Nova, Paula Guimarães, autografou o seu livro: “TV Canção Nova – A Vida Por Trás Das Câmeras”. A Santa Missa de encerramento foi celebrada pelo Pe. Adriano Zandoná e teve um momento especial de benção das famílias. Todos puderam levar velas abençoadas para rezar em seus lares.

Depois de tudo isso, restam apenas duas certezas: valeu muito a pena. E em junho tem mais. Falta muito?
#CNAbracaSP – Quanto mais gente abraça, mais a gente evangeliza.

DSC_0165

 

 

” Precisamos nos empenhar em agradar a Deus, e não ao mundo, às pessoas. O que não agrada a Deus é fazermos de conta que Ele não existe, não fala, não deixou um mandamento… ” Dunga 

livro dunga

 

A missão da Canção Nova é evangelizar! E precisamos fazer isso usando todos os meios que Deus noS oferece, pois somos chamados a usar os novos areópagos que estão a disposição. Dessa forma, impedimos que a mentira seja propagada com jeito de verdade. Monsenhor Jonas sempre nos ensinou que não podemos perder tempo, pois a vinda do Senhor está próxima.

Nossa missão de anunciar a Boa Nova teve seus inícios com os encontros durante os fins de semana. A medida que mais pessoas precisavam ser evangelizadas, os missionários levavam as palestras em fita Cassete e as distribuíam. O tempo passou e Deus foi nos inspirando  novos meios. Um dos mais eficazes, sem dúvida, é o livro. As pessoas têm sede de conhecimento, de sabedoria, da verdade e esta verdade precisa chegar a todos.
11000614_790342057709994_3877983077420330855_n11014279_790349891042544_8292100832744380603_n                  Confira as  Fotos do lançamento

A Editora Canção tem a missão de ir ao encontro das pessoas que por algum motivo não podem  ou não sabem chegar até a Igreja ou num Retiro, pois ainda não receberam a primeira evangelização.

Nossos livros chegam aos presídios, hospitais, casas de recuperação, ou ainda chegam disfarçados de presente para amigos e familiares que não conhecem a Jesus!

Com o objetivo de chegar  às livrarias seculares, a Editora canção Nova faz uma parceria de coedição com  a Editora Planeta. Para abrir esta nova fase da missão no mercado editorial, teremos o lançamento do livro : ‘Sementes de uma nova geração’.
Adquira já o seu  Livraria Cultura – Conjunto Nacional – Av. Paulista, 2073, São Paulo – SP. Tel: (11) 3170 4033

E-FLYER-CN-Abraça-2015_mudança-logotipo-2

I CANÇÃO NOVA ABRAÇA SÃO PAULO 2015 SERÁ NO GINÁSIO DO IBIRAPUERA
Evento reúne milhares de pessoas para um dia inteiro de oração na capital paulista

A Comunidade Canção Nova promove o I Kairós Canção Nova Abraça São Paulo 2015, e convida você para este imenso abraço. O primeiro evento do ano acontecerá no dia 22 de março, no Ginásio do Ibirapuera, São Paulo (SP). O tema deste evento norteia todas as iniciativas evangelizadoras da Canção Nova na capital paulista neste ano de 2015: “Agindo Deus, quem impedirá?” (Is 43,13). O encontro será realizado das 07h30 às 18h00. Os portões estarão abertos para receber os participantes a partir das 07h00. A programação estará cheia de momentos de oração. Haverá também adoração, pregações e Missa de encerramento.

O I Canção Nova Abraça São Paulo traz as presenças de Pe. Adriano Zandoná, Pe. Paulinho, Pe. Chrystian Shankar, Márcio Mendes, Celina Borges, Dunga, Felipe, Paula Guimarães e Ministério de Música Canção Nova. As vagas são limitadas. Para participar, basta adquirir o ingresso levando 1 kg de alimento não perecível a um dos seguintes pontos de distribuição: Casa de Evangelização Canção Nova São Paulo e Loja Canção Nova de São Paulo.

A Canção Nova quer continuar levando este abraço de Deus à milhares de pessoas, de diversos lugares, ficando muito mais próxima dos Sócios Evangelizadores e daqueles que fazem esta obra acontecer aqui em São Paulo e em todo o mundo. Portanto, o convite é para todos aqueles que desejam fazer esta experiência de fé. Abrace você também! Porque quanto mais gente abraça, mais a gente evangeliza.

Confira a programação:

Programação

Tome Nota!

I Canção Nova Abraça São Paulo 2015

Tema:

“Agindo Deus, quem impedirá?” (Is 43,13)

Data:

22 de março de 2015, das 07h30 às 18h00 (abertura dos portões às 07h00)

Presenças Confirmadas:

Pe. Adriano Zandoná (Missionário da Comunidade Canção Nova)
Pe. Paulinho (Missionário da Comunidade Canção Nova
Pe. Chrystian Shankar (sacerdote em Divinópolis – MG, apresentador da TV Canção Nova)
Márcio Mendes – (pregador ministeriado em cura e libertação, autor de livros e apresentador da TV Canção Nova)
Celina Borges (cantora católica)
Dunga (Missionário da Comunidade Canção Nova)
Felipe e Paula Guimarães (Comunidade Canção Nova)
Ministério de Música Canção Nova São Paulo

Local:

Ginásio do Ibirapuera
R. Manoel da Nóbrega, 1361, Paraíso, São Paulo (SP)

Entrada:

Ingressos antecipados. Levar 1 Kg de alimento, o qual deverá ser entregue no ato da retirada do ingresso.

Postos de distribuição dos ingressos:

Casa de Evangelização Canção Nova
R. Tamandaré, 355, Liberdade, São Paulo (SP)
(Metrô São Joaquim ou Linha 4114-10 Vila Gumercindo)
Informações: (11) 3382-9800(11) 3382-9800 ou eventossp@cancaonova.com

Loja Canção Nova
R. São Bento, 43, Centro, São Paulo (SP)
(Metrô Sé)
Informações: (11) 3587-3141(11) 3587-3141

Informações gerais sobre o evento:
(11) 3382-9800(11) 3382-9800 ou eventossp@cancaonova.com
Acesse: saopaulo.cancaonova.com

 

cerco de jericó       Tudo começou na Polônia, quando para obter uma vitória, alguns piedosos poloneses organizaram em seu país sete dias e seis noites de oração do rosário. O Cerco de Jericó tem sua origem num incessante “assalto” de rosários, durante 7 dias e 6 noites, rezados diante do Santíssimo Sacramento exposto.

 O Cerco de Jericó tem sua inspiração no Antigo Testamento. Depois da morte de Moisés, Deus escolheu Josué para conduzir o povo hebreu. Deus disse a Josué que atravessasse o Jordão com todo o povo e tomasse posse da Terra Prometida. A cidade de Jericó era uma fortaleza  inconquistável. Ao chegar junto às muralhas de Jericó, Josué ergueu os olhos e viu um Anjo, com uma espada na mão, que lhe deu ordens concretas e detalhadas. Josué e todo Israel executaram fielmente as ordens recebidas: durante seis dias, os valentes guerreiros de Israel deram uma volta em torno da cidade. No sétimo dia, deram sete voltas. Durante a sétima volta, ao som da trombeta, todo o povo levantou um grande clamor e, pelo poder de Deus, as muralhas de Jericó caíram… (cf. Js 6).

Essa devoção recebeu várias adaptações, de acordo com a realidade do povo e da Comunidade que assume essa batalha de oração. Há pessoas que rezam sozinhas, em suas casas, em grupos, ou ainda missas que são celebradas com esta motivação de derrubar as muralhas que nos impedem de chegar ao coração de Deus.

Aqui em São Paulo, estamos celebrando sete missas, clamando a Deus que derrube as muralhas de nossa vida!

Saiba mais no livro Livro Cerco de Jericó – Orações de Fé para Vencer o Combate.

Cerco-de-Jericó---Oração

Faça o download da Oração e participe do Cerco de Jericó!

Cerco-de-Jericó_A3

A Comunidade Canção Nova realiza na Catedral Maronita Nossa Senhora do Líbano, às segundas-feiras, o grande Cerco de Jericó com o tema: “Agindo Deus, Quem Impedirá?” (Is 43,13). Serão sete Missas celebradas pelo Pe. Adriano Zandoná, às 19h30, transmitidas ao vivo pela TV Canção Nova, com início dia 23 de fevereiro e encerramento dia 06 de abril de 2015 (segunda-feira após o domingo da Ressurreição do Senhor). Na programação, haverá participação de diversos cantores católicos que animarão as Celebrações Eucarísticas. Após às 20h30, cada encontro será encerrado com Adoração ao Santíssimo Sacramento e oração de “quebra das muralhas de Jericó”, momento em que cada participante poderá interceder pela quebra das “muralhas” de sua vida pessoal e de seus relacionamentos familiares, e por diversas outras intenções.

O Cerco de Jericó será conduzido pelos seguintes temas:

23/02: Derrubar muralhas pela força da oração

02/03: Libertar os relacionamentos do desamor

09/03: Derrubando as muralhas e opressões em nossa mente

16/03: Purificar e amadurecer a própria fé

23/03: Derrubando as muralhas do ciúme e da inveja

30/03: Derrubar as muralhas na vida familiar

06/04: Libertos de todo o mal pelo poder do Espírito Santo

Saiba mais sobre o Cerco de Jericó:

A prática do Cerco de Jericó nasceu na Polônia. Consiste na oração incessante e suplicante durante sete dias e seis noites, diante do Santíssimo Sacramento exposto. No Antigo Testamento, depois da morte de Moisés, Deus escolheu Josué para conduzir o povo hebreu. Deus disse a Josué que atravessasse o Jordão com todo o povo e tomasse posse da Terra Prometida. A cidade de Jericó era uma fortaleza inexpugnável. Ao chegar junto às muralhas de Jericó, Josué ergueu os olhos e viu um Anjo, com uma espada na mão, que lhe deu ordens concretas e detalhadas.Josué e todo Israel executaram fielmente as ordens recebidas: durante seis dias, os valentes guerreiros de Israel deram uma volta em torno da cidade. No sétimo dia, deram sete voltas. Durante a sétima volta, ao som da trombeta, todo o povo levantou um grande clamor e, pelo poder de Deus, as muralhas de Jericó caíram… (cf. Js 6).

(Fonte: Professor Felipe Aquino)

Tome Nota! More »

Campanha_da_fraternidade_2015A quaresma é lembrada apenas por ser um tempo de penitência e privações, mas ela vai muito, além disso. É tempo de revisão de vida, arrumar a casa física e interior. Pôr em ordem os sentimentos e jogar fora aquilo que não nos constrói.

A Igreja nos apresenta o jejum, a penitência e a confissão como vias seguras para esta organização interior. O jejum e a penitência são formas de oração do corpo. A confissão é sacramento que nos permite assumir os nossos pecados e erros contra Deus e contra os irmãos e recebermos do Senhor a absolvição.

Enquanto Igreja do Brasil, vivemos a Campanha da Fraternidade, que já está em sua 52ª edição. A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) abriu oficialmente a Campanha da Fraternidade (CF) deste ano em cerimônia solene, na manhã desta quarta-feira, 18, na sede da instituição em Brasília. O tema da campanha deste ano é “Fraternidade: Igreja e sociedade” e o lema, “Eu vim para servir” (cf. Mc 10,45). Segundo o Papa Francisco, quando Jesus nos diz «Eu vim para servir» (cf. Mc 10, 45), nos ensina aquilo que resume a identidade do cristão: amar servindo.

Na Canção Nova durante a Quaresma, vivemos o Retiro Popular. Um meio de não perdermos a espiritualidade própria deste tempo, mesmo na correria do dia a dia. Dom Alberto nos apresenta um roteiro de vivência quaresmal, com propostas diárias de leitura orante da Palavra de Deus, textos dos santos, leituras espirituais, roteiros de práticas de piedade, como a Via-Sacra e o Rosário, indicações para a participação litúrgica na vida da Igreja, tudo encaminhado para a Vigília Pascal, quando estaremos unidos, renovando nossos compromissos de batizados.

“Aproxima-se a Quaresma, tempo de preparação para a Páscoa: tempo de penitência, oração e caridade, tempo de renovar nossas vidas, identificando-nos com Jesus através da sua entrega generosa aos irmãos, sobretudo aos mais necessitados”.

Veja mensagem na íntegra, escrita pelo Papa Francisco.http://goo.gl/WoBdKe

   MENSAGEM DO SANTO PADRE FRANCISCO
PARA O XXIII DIA MUNDIAL DO DOENTE 2015
papa_01

Tema: «Sapientia cordis. “Eu era os olhos do cego e servia de pés para o coxo”

(Jó 29, 15)»

Queridos irmãos e irmãs,

por ocasião do XXIII Dia Mundial do Doente, instituído por São João Paulo II, dirijo-me a todos vós que carregais o peso da doença, encontrando-vos de várias maneiras unidos à carne de Cristo sofredor, bem como a vós, profissionais e voluntários no campo da saúde.

O tema deste ano convida-nos a meditar uma frase do livro de Job: «Eu era os olhos do cego e servia de pés para o coxo» (29, 15). Gostaria de o fazer na perspectiva da «sapientia cordis», da sabedoria do coração.

1. Esta sabedoria não é um conhecimento teórico, abstracto, fruto de raciocínios; antes, como a descreve São Tiago na sua Carta, é «pura (…), pacífica, indulgente, dócil, cheia de misericórdia e de bons frutos, imparcial, sem hipocrisia» (3, 17). Trata-se, por conseguinte, de uma disposição infundida pelo Espírito Santo na mente e no coração de quem sabe abrir-se ao sofrimento dos irmãos e neles reconhece a imagem de Deus. Por isso, façamos nossa esta invocação do Salmo: «Ensina-nos a contar assim os nossos dias, / para podermos chegar à sabedoria do coração» (Sal 90/89, 12). Nesta sapientia cordis, que é dom de Deus, podemos resumir os frutos do Dia Mundial do Doente.

2. Sabedoria do coração é servir o irmão. No discurso de Job que contém as palavras «eu era os olhos do cego e servia de pés para o coxo», evidencia-se a dimensão de serviço aos necessitados por parte deste homem justo, que goza duma certa autoridade e ocupa um lugar de destaque entre os anciãos da cidade. A sua estatura moral manifesta-se no serviço ao pobre que pede ajuda, bem como no cuidado do órfão e da viúva (cf. 29, 12-13).

Também hoje quantos cristãos dão testemunho – não com as palavras mas com a sua vida radicada numa fé genuína – de ser «os olhos do cego» e «os pés para o coxo»! Pessoas que permanecem junto dos doentes que precisam de assistência contínua, de ajuda para se lavar, vestir e alimentar. Este serviço, especialmente quando se prolonga no tempo, pode tornar-se cansativo e pesado; é relativamente fácil servir alguns dias, mas torna-se difícil cuidar de uma pessoa durante meses ou até anos, inclusive quando ela já não é capaz de agradecer. E, no entanto, que grande caminho de santificação é este! Em tais momentos, pode-se contar de modo particular com a proximidade do Senhor, sendo também de especial apoio à missão da Igreja.

3. Sabedoria do coração é estar com o irmão. O tempo gasto junto do doente é um tempo santo. É louvor a Deus, que nos configura à imagem do seu Filho, que «não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida para resgatar a multidão» (Mt20, 28). Foi o próprio Jesus que o disse: «Eu estou no meio de vós como aquele que serve» (Lc 22, 27).

Com fé viva, peçamos ao Espírito Santo que nos conceda a graça de compreender o valor do acompanhamento, muitas vezes silencioso, que nos leva a dedicar tempo a estas irmãs e a estes irmãos que, graças à nossa proximidade e ao nosso afecto, se sentem mais amados e confortados. E, ao invés, que grande mentira se esconde por trás de certas expressões que insistem muito sobre a «qualidade da vida» para fazer crer que as vidas gravemente afectadas pela doença não mereceriam ser vividas!

4. Sabedoria do coração é sair de si ao encontro do irmão. Às vezes, o nosso mundo esquece o valor especial que tem o tempo gasto à cabeceira do doente, porque, obcecados pela rapidez, pelo frenesim do fazer e do produzir, esquece-se a dimensão da gratuidade, do prestar cuidados, do encarregar-se do outro. No fundo, por detrás desta atitude, há muitas vezes uma fé morna, que esqueceu a palavra do Senhor que diz: «a Mim mesmo o fizestes» (Mt 25, 40).

Por isso, gostaria de recordar uma vez mais a «absoluta prioridade da “saída de si próprio para o irmão”, como um dos dois mandamentos principais que fundamentam toda a norma moral e como o sinal mais claro para discernir sobre o caminho de crescimento espiritual em resposta à doação absolutamente gratuita de Deus» (Exort. ap. Evangelii gaudium, 179). É da própria natureza missionária da Igreja que brotam «a caridade efectiva para com o próximo, a compaixão que compreende, assiste e promove» (Ibid., 179).

5. Sabedoria do coração é ser solidário com o irmão, sem o julgar. A caridade precisa de tempo. Tempo para cuidar dos doentes e tempo para os visitar. Tempo para estar junto deles, como fizeram os amigos de Job: «Ficaram sentados no chão, ao lado dele, sete dias e sete noites, sem lhe dizer palavra, pois viram que a sua dor era demasiado grande» (Job 2, 13). Mas, dentro de si mesmos, os amigos de Job escondiam um juízo negativo acerca dele: pensavam que a sua infelicidade fosse o castigo de Deus por alguma culpa dele. Pelo contrário, a verdadeira caridade é partilha que não julga, que não tem a pretensão de converter o outro; está livre daquela falsa humildade que, fundamentalmente, busca aprovação e se compraz com o bem realizado.

A experiência de Job só encontra a sua resposta autêntica na Cruz de Jesus, acto supremo de solidariedade de Deus para connosco, totalmente gratuito, totalmente misericordioso. E esta resposta de amor ao drama do sofrimento humano, especialmente do sofrimento inocente, permanece para sempre gravada no corpo de Cristo ressuscitado, naquelas suas chagas gloriosas que são escândalo para a fé, mas também verificação da fé (cf. Homilia na canonização de João XXIII e João Paulo II, 27 de Abril de 2014).

Mesmo quando a doença, a solidão e a incapacidade levam a melhor sobre a nossa vida de doação, a experiência do sofrimento pode tornar-se lugar privilegiado da transmissão da graça e fonte para adquirir e fortalecer a sapientia cordis. Por isso se compreende como Job, no fim da sua experiência, pôde afirmar dirigindo-se a Deus: «Os meus ouvidos tinham ouvido falar de Ti, mas agora vêem-Te os meus próprios olhos»(42, 5). Também as pessoas imersas no mistério do sofrimento e da dor, se acolhido na fé, podem tornar-se testemunhas vivas duma fé que permite abraçar o próprio sofrimento, ainda que o homem não seja capaz, pela própria inteligência, de o compreender até ao fundo.

6. Confio este Dia Mundial do Doente à protecção materna de Maria, que acolheu no ventre e gerou a Sabedoria encarnada, Jesus Cristo, nosso Senhor.

Ó Maria, Sede da Sabedoria, intercedei como nossa Mãe por todos os doentes e quantos cuidam deles. Fazei que possamos, no serviço ao próximo sofredor e através da própria experiência do sofrimento, acolher e fazer crescer em nós a verdadeira sabedoria do coração.

Acompanho esta súplica por todos vós com a minha Bênção Apostólica.

Vaticano, 3 de Dezembro – Memória de São Francisco Xavier – do ano 2014.

 

Franciscus

papa_01