Continuando nosso caminho ao cume quero partilhar uma experiência muito especial que fizemos de fraternidade, unidade e comunhão.

A fraternidade que já se manifestou na nossa ida até a cidade de Delfim Moreira no sul de Minas Gerais, que foi um ato de profunda caridade de nosso amigo Paulo Martins. Ele veio nos buscar em Cachoeira Paulista às 5h da madrugada. Um detalhe: Ele não subiu! Por problemas físicos ficou na base dos Marins. Mas fez questão de nos levar. Valeu Paulão!

Nossa equipe e o Cícero que tirou essa foto

Depois do Morro do Careca (1900m de altura) continuamos nossa escalada e as subidas eram cada vez mais íngremes e a beleza da natureza cada vez mais exuberante. Neste trecho, fizemos uma linda experiência de família, fraternidade e comunidade.

Um cuidava do outro. Ajudando-se a transpor os diversos obstáculos, sendo apoio para não cair nas pedras, sempre em grupo, em família… Muito legal a experiência que fizemos da partilha: da água, da farofa, da paçoca, do chocolate, de vida e de oração…

A alegria da fraternidade foi um combustível. A unidade era o ânimo àqueles que tinham mais dificuldades na subida. Nós tínhamos uma meta em comum: O cume!

Foram quase três horas de caminhada até o último ponto com água, já nas alturas… Momento de descansar um pouco, lanchar e preparar-se para o último trecho, a escalada final.

Fonte de água a mais de 2000mts de altura

Precisamos em nossa vida sempre ter este sentido de fraternidade para que juntos alcancemos nosso objetivo principal que é a salvação. Se preciso for, fazer-se como o Cirineu que ajudou Jesus Cristo a carregar a Cruz até o fim.

No próximo artigo, continuaremos nossa aventura ao cume, trecho final.

Até a próxima!

Be Sociable, Share!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *