Um dia histórico e profético para cidade de Assis e para Igreja.

No século XIII (anos 1200), Francisco de Assis foi a Roma pedir ao Papa Inocêncio III a aprovação pontifícia do modo de vida de sua fraternidade. Os cardeais relutavam na aprovação, mas o Papa teve um sonho no qual Francisco de Assis sustentava sozinho a Basílica de Latrão da queda e destruição. Depois deste sonho, Inocêncio III aprovou a forma de vida da fraternidade, por ser um sinal profético para reforma da Igreja da época. Hoje este sonho profético se atualiza com o Papa Francisco que sustenta a Igreja com seus ombros.

Pintura do século XIII do sonho do Papa Inocêncio III

800 anos depois da vida e missão do santo, um Papa chamado Francisco visita Assis. Neste dia, o Papa foi como um grito do próprio santo para apresentar qual é o verdadeiro sentido de sua mensagem de amor e paz ao mundo, pois muitos interpretam a seu bel-prazer o que foi a figura do Irmão de Assis:

“A paz franciscana não é um sentimento piegas. Por favor, este São Francisco não existe! E também não é uma espécie de harmonia panteísta com as energias do cosmos… Também isto não é franciscano, mas uma ideia que alguns se formaram. A paz de São Francisco é a de Cristo, e encontra-a quem «toma sobre si» o seu «jugo», isto é, o seu mandamento: Amai-vos uns aos outros, como Eu vos amei (cf. Jo 13, 34; 15, 12).” (Homilia do Papa Francisco em Assis, 04/10/2013)

Assim o grito do Santo de Assis continua a ressoar em nosso meio mediante o Papa Francisco que purifica e amplifica esta mensagem de amor e paz tão necessárias para os nossos dias.

Neste dia que celebramos sua memória litúrgica, rezemos:

São Francisco de Assis rogai por nós!

Ademir Costa

Be Sociable, Share!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *