cabeça vazia

“A consciência laxa ou relaxada é a que levianamente julga não incorrer em pecado ou incorrer em falta leve quando na realidade comete falta grave.” (Dom Estevão Bettencourt)

Uma consciência Laxa é consequência de uma vida contaminada pelo relativismo e arrastada pelo secularismo. As pessoas que ainda não conheceram Jesus, estão na ignorância. Porém nós não estamos na ignorância. Nós conhecemos Jesus Cristo, tivemos um ”encontro pessoal” com Ele. Portanto, o laxismo que um católico praticante vive é consciente.

Isto é um grande perigo para nossa vida, pois estamos colocando em risco nossa salvação. Muitos deixaram sua fé ser minada pelo secularismo e pelo relativismo e agora vivem uma fé morna.

Podemos também viver um laxismo farisaico; enganar as pessoas colocando ”máscaras” naquilo que somos e vivemos, fingindo ser santo(a), mas em verdade é um(a) hipócrita. Esquece que nada escapa aos olhos de Deus. Uma fé morna de aparências que leva a pessoa para o inferno.

Sabemos que Deus é misericórdia. Mas a misericórdia só age em nossa vida, quando a deixamos agir. A pessoa laxa dirá: “no dia do julgamento: Senhor! Preguei, curei, libertei, cantei…” E o Senhor lhe responderá: Não te conheço, infiel!

Clamo ao Espírito Santo que me purifique de toda contaminação do relativismo e me conceda forças para não ser arrastado pelo secularismo do mundo vivendo com uma consciência laxa que leva para o inferno.

Senhor tende piedade e dai-me sua Graça!

Ademir Costa

 Seminarista da Comunidade Canção Nova

Precisamos em primeiro lugar saber o que é o relativismo. O Papa Bento XVI te explica:

papa-bento-xvi-f6c3

“O relativismo é deixar-se levar “aqui e além por qualquer vento de doutrina”, vai-se constituindo uma ditadura do relativismo que nada reconhece como definitivo e que deixa como última medida apenas o próprio eu e as suas vontades. (Ratzinger, Homilia da Missa Pro Elegendo Pontífice, 18/04/2005)

Nesta cultura, eu construo as minhas verdades como convém. Incluindo as verdades religiosas. Vivo a minha fé como quero. Eu mesmo faço o meu Catecismo e minhas regras de fé! Diminuo e menosprezo aquilo que a Igreja ensina e não me agrada. Não sigo seus ensinamentos, porque vai contra as minhas vontades. Penso, a Igreja é atrasada e conservadora com suas leis arcaicas que não se enquadram ao nosso tempo. Eu não seguirei estas bobagens…

Vai nessa! Segue pela “cabeça” dos outros e lá na frente com certeza vai se lascar…

Desculpem, mas ser cristão católico deste jeito é ser hipócrita! Relativizar a fé ao meu bel-prazer é querer enganar a Deus. É tonto, quem vive de máscaras! Por exemplo: Na Igreja é uma pessoa santa, piedosa, carismática, reza até em “línguas”… Porém, fora da Igreja vive de maneira profana e libertina – sexo, bebidas, noitadas, rolezinhos, ficando com um, ficando com outra, pegando ali, pegando aqui e etc… Entra no “laxismo”, que me empenharei em escrever em um artigo futuro.

Papa Francisco também nos exorta sobre esta cultura: “Na cultura do provisório, do relativo, muitos pregam que o importante é “curtir” o momento, que não vale a pena comprometer-se por toda a vida, fazer escolhas definitivas, “para sempre”, uma vez que não se sabe o que reserva o amanhã.”(Papa Francisco, Discurso aos Voluntários da JMJ)

Meus irmãos, os mornos serão vomitados! (cf. Ap.3,16) Viver a ditadura do relativismo dentro da Igreja é ser morno. Repito: Os mornos serão vomitados! Não vale a pena!

Sei, que não é fácil nadar contra esta correnteza. Mas temos que nadar!

“Eu tenho confiança em vocês, jovens, e rezo por vocês. Tenham a coragem de “ir contra a corrente”. E também tenham a coragem de ser felizes!” (Ibidem)

 

 

Coragem meus irmãos,

 

Até a próxima!

 

@ademircn

calaboca

Em primeiro lugar, devemo-nos perguntar: O que é o secularismo radical?

O secularismo radical é a exclusão de todo aspecto religioso na vida civil. Inclusive anulando a pessoa religiosa de toda a influência na sociedade. Nesta ideologia, a Igreja e as outras religiões não podem interferir em nenhum assunto que não seja religioso. Uma exclusão dos debates públicos: como aborto, eutanásia, moral familiar, política, liberação das drogas e etc… Um cala a boca ao nosso direito de expressão.

É na verdade uma “tentativa de “redução da liberdade religiosa à simples liberdade de culto, sem garantias de respeito a liberdade de consciência”.

Isto já acontece!

A Igreja deve manter silêncio sobre certos assuntos. Calar a boca e ir para sacristia. Agora vocês conseguem entender o motivo de algumas pessoas e países estar tentando tirar a voz da Santa Sé na ONU. Tudo isso é bem planejando por pessoas que perseguem e querem acabar com a Igreja.

Neste secularismo radical, os caras também tentam de todas as formas denegrir a imagem e debilitar a credibilidade da Igreja no mundo. Fechando-se em notícias que não expressam a totalidade da verdade. É como tem dito o Papa Francisco: “…faz mais barulho uma árvore que cai, do que uma floresta que cresce.”

É este sistema que rege e organiza todos estes movimentos pelo aborto, deturpação da família tradicional, casamento homoafetivo, descriminalização da maconha, eutanásia, perseguição à Igreja… O demônio age disfarçadamente no mundo.

O que fazer? Desesperar-se? Aderir ao sistema?

Diante deste secularismo radical, não devemos aderir e nem nos acomodar ao sistema, muito menos se desesperar. Devemos vigiar e orar! Nós estamos inseridos no mundo, na sociedade, não somos Et’s. Por isso Jesus orou ao Pai para que nos não nos tirasse deste mundo, mas concedesse forças para viver aqui.

Em meio a correnteza que tentam nos arrastar constantemente, sejamos sal da terra e luz no mundo pela graça de Deus, pela força do Espírito Santo. Não estamos sozinhos, Cristo está conosco!

Forte abraço,

Até a próxima!

@ademircn