1ª Carta aos Tessalonicenses > Leitura #244

Vossa perseverança é a nossa alegria

Vossa perseverança é a nossa alegria, pois não corremos em vão e o seu testemunho ecoa onde quer que estejamos. Um amor cristão verdadeiro se expressa assim.

“Agora revivemos, já que estais firmes no Senhor. “

No tempo dos apóstolos as notícias, mesmo as ruins, não chegavam assim tão depressa…As distâncias eram grandes e os meios eram poucos e restritos. Uma carta não chegava pelos correios ou por outra empresa especializada em mensagens ou encomendas, não tinha fotografia, não tinha e-mail…

Dessa forma, a presença era algo muito valorizado e a carta também, assim como o seu conteúdo.

Por isso Paulo enviou Timóteo até Tessalônica para conferir se os efeitos do evangelho estavam mesmo se manifestando naquele povo como eles ouviam dizer. Lembrando que a notícia demorava para chegar, dias, até meses, sobretudo para quem era encarcerado.

Confirmar os irmãos na fé era uma preocupação constante de Paulo e seus colaboradores. Seria terrível receber a notícia de que os Tessalonicenses tivessem perdido e fé e voltado os ídolos ou à observância da lei Judaica. Mas a surpresa do apóstolo é que sua comunidade é um exemplo de perseverança e testemunho de fidelidade, mesmo na distância, ainda que na provação, apesar da prisão de Paulo e seus companheiros. Por isso Paulo exclama: “Agora revivemos, já que estais firmes no Senhor.”

A maior alegria de quem é de Deus é ver os outros experimentando a mesma graça, o mesmo amor. A tristeza assaltaria o coração de Paulo se seus companheiros caso Timóteo trouxesse notícias diferentes com relação aos Tessalonicenses, mas com as atuais notícias, o que resta é desejar rever esta comunidade que tanta alegria e apresso traz em seu coração.

Não há promessas ordens ou princípios eternos a anotar.

Leia o trecho em I Ts 3, 1-10

Na Bíblia cnbb página 1454-1455

Título: Envio e relatório de Timóteo

Qual a mensagem de Deus para mim hoje?

A quem você tem confirmado na fé? Confirme os seus irmãos na fé.

Como posso por isso em prática?

Falar de Deus numa evangelização ostensiva. A começar dos mais próximos: a minha família.