Ilustração: DAVI ANDRADE

Vivemos num tempo de grande aceleramento físico,mental, psicológico e corremos feito carro descendo a montanha e com falhas no freio. Todos os dias me pergunto, onde esse carro vai parar? Será que na próxima curva eu consigo saltar dele sem muitos danos? E se continuo nele, vou conseguir sobreviver ao impacto que o fim da estrada me reserva? Pois bem meus amigos, a melhor saida será sempre a de usar a sabedoria e a inteligência que Deus nos deu como dom divino. Lembra que disse no início que o carro tinha falhas no freio? Isso signifca que em alguns momentos dessa ladeira ele funciona. E é exatamente nessa hora que devo parar o carro, descer dele e buscar uma alternativa mais segura. O primeiro passo é travar suas rodas com pedra ou pedaço de árvore, pra que ele não continue a descer “desembestado” e causar um dano sério. Depois dessa operação preciso olhar ao meu redor e acreditar que sou um milagre. Se continuo de olhos abertos é porque Deus ainda tem planos pra mim. E se observar com requintes de detalhes, verei sua grande obra de arte na montanha em que estou, cercada de árvores, com acordes diferenciados de Tiziu, Sabiá, Gaturamo e até Bem-Te-Vi. E sem renegar o autor dessa obra, fazer minha oração contemplativa e agradecer, que mesmo sem carro, continuarei a ter pernas pra descer e subir o monte, quantas vezes for preciso. E em todas as vezes, terei olhos para admirar e coração para agradecer o dom de minha vida. Não sabemos quanto tempo temos pra isso nenhum ser humano é capaz de precisar isso, mesmo se eu tivesse continuado no carro sem freio e me acidentado gravemente no trecho final. Só Deus pode dizer a hora e o local do “The End” de nossa passagem por esse mundo. Então saidocarro da morte em que te colocaram e acredite: a vida é muito mais do que andam pintando na TV e nos meios sociais. Libere ou liberte sua imaginação e contemple o que muita gente não contempla mais. E seja feliz em Deus!

Deus abençoe!

Wallace Andrade
Comunidade Canção Nova 


Jornalista, missionário da Comunidade Canção Nova, escritor, casado com Valeria Martins Andrade e pai de Davi Andrade, natural de Campos dos Goytacazes-RJ.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *