Foto: Adriana e sua netinha)

Conheci uma menininha de sorriso fácil. Era uma garotinha muito feliz. Respirava alegria e crescia em graça, tamanho e sabedoria. Um dia, por causa de uma arte de criança, ouviu uma bronca de adulto e fechou o sorriso. Chorou e foi a primeira vez que vimos isso! E o que mais me encantou, foi que nos olhos apertados e contraídos, não saiu lágrimas. Foi então que percebemos. Ela veio ao mundo para sorrir e trazer a alegria que nos faltava a cada dia. O tempo passou e os caminhos desse mundo nos deixaram distantes. A vida dos que seguem a Cristo, é feita de portas estreitas..porque larga é a porta da perdição… E foi assim abrindo e atravessando portas estreitas, que a menina dos olhos sem Lágrimas foi o que precisava ser, para todos nós. Sorria em meio a dores, lutava sem se pensar em vitórias humanas…e com a voz suave e meio rouca, usava poucas palavras pra expressar o grande dom de nós fazer mais felizes! Hoje nossos olhos estão cheios de Lágrimas… Algumas de saudade daquele sorriso e outras de ofertas de carinho por aquela que um dia nos fez sorrir com.seu jeito simples.. Sorria com os olhos porque neles não havia espaço para lágrimas.. Talvez por acreditar que a vida terrena vai passar pra todos… Talvez por acreditar que o sorriso é capaz de curar todas as dores..inclusive a da saudade, que um dia vai desaparecer..porque acreditava e nos faz acreditar que um dia nos reencontraremos todos na presença do Nosso Senhor.. Adriana, minha prima dos olhos sem lágrimas…descanse em paz!

Deus abençoe!

Wallace Andrade
Comunidade Canção Nova
@wallace.andrade.cn

Desde pequeno aprendi que o homem da casa é o responsável por todos os reparos hidráulicos, elétricos e estruturais que a moradia da família necessite. Vi muito meu papai apertar parafusos, bater martelo nos pregos e até construir viveiros para galinhas e pássaros. Mas tinha uma área em que ele não entrava, pelo menos que eu me lembre de ter visto ele nessa ´”praia”! E quando surgia algum “enrosco” na parte elétrica da casa, aí ficava muito difícil de meu pai resolver. E é justamente aí que entra o meu personagem de hoje. Tio Sílvio, casado com minha tia Iracema, que morava no Rio de Janeiro e vinha sempre com a família passar uns dias de férias com a gente. Ele adorava fazer os reparos elétricos que as casas dos familiares necessitavam. Eu era um garoto, lembro bem das brincadeiras que ele fazia para nos fazer experimentar alguns choques de pequeninas voltagens. Tudo para fazer de mim e meus primos, homens corajosos. A gente tomava muito susto, mas depois dava bastante rizada com aquela inesquecível brincadeira. Mas o que mais me chamava a atenção no tio Silvio era o sorriso. Era uma marca registrada dele. Falava sorrindo, dava atenção a todos com olhos sorridentes e tinha um jeito muito especial e manso de se reportar a cada um de nós. Não me lembro de vê-lo bravo ou aborrecido. Pode até ter sido em alguns momentos de sua vida, quem não é? Mas o sorriso era marca do rosto que prevalecia e prevaleceu para mim. Nos despedimos dele, já com seus 85 anos e algumas dificuldades impostas pela idade. Mas repare bem nos olhos e no canto dos lábios!!! O jeito simpático e sorridente é marca de sua alma, que agora descansa na presença de Javé como ele sempre fez questão de dizer. Outra bela marca que tio Silvio deixa. A de ser fiel ao chamado do Senhor até o seu último dia de vida. Talvez seja essa a grande explicação da alma sorridente. Mesmo nas maiores tribulações de sua vida, ele não se deixou levar pelo desânimo e permaneceu fiel a sua fé! E num tempo como esse, onde todos vivemos grandes ameaças em nossas vidas, sejamos motivados a permanecer firmes e fiéis ao Senhor. Tio Silvio fez sua passagem no último dia 28 de maio, mas sempre será lembrado por mim como o tio do sorriso sincero e da alegria de ensinar às crianças a ciência da eletricidade. Meu tio Francisco se formou em eletrotécnica, talvez estimulado por esses momentos. Eu me formei em eletromecânica, apesar de não exercer a profissão, e não tenho dúvidas que fui motivado por esses momentos de infância. E aqui termino minha oração de agradecimento a Deus, que um dia nos presenteou com esse tio tão marcante. Que o Senhor o tenha por perto para continuar a usar o seu sorriso para alegrar os que com ele conviverem lá no céu!

Deus abençoe!

Wallace Andrade
Comunidade Canção Nova
@wallace.andrade.cn

Um domingo ensolarado, com muito vento e pronto! Combinação perfeita para pai e filho experimentarem uma sensação inesquecível. Um dia desses vi a alegria estampada nos olhos e nos lábios do meu pequeno, que vibrou ao ver aquela armação feita com varetas de bambu e papel de seda, ganhar o céu. Era a primeira vez que ele soltava pipa e eu ali comemorando com ele essa nova descoberta. E enquanto ele sorria no terreno ao lado de casa com aquela experiência, eu fui lançado para um lugar que marcou minha infância na década de 70. O distrito de Pipeiras, interior do município de São João da Barra, região norte do Rio de Janeiro. Ali morava numa casinha branca de varanda, com um quintal imenso,  minha saudosa vovó paterna, Eulália, que carinhosamente era chamada de “Lalita”. Meu pai fazia questão de ir visitá-la todo domingo. E numa dessas visitas tivemos a alegria de aproveitar o vento da manhã para juntos soltar pipa.  Isso tem mais de 45 anos e ainda hoje lembro do esforço dele, correndo comigo e me estimulando nessa experiência inesquecível para qualquer menino. Tudo bem que uma rajada mais forte fez a pipa girar várias vezes até cair no pasto bem distante da casa. E meu herói, atravessou o mato alto para pegar a diversão de volta e manter a alegria do filho. A história é bem simples, mas repleta de provocações. Num tempo repleto de meios eletrônicos e entretenimentos digitais, pai e filho são tentados a permanecerem trancados em casa e sem experiências assim. Tudo bem que nem todos têm a chance de ir ao lugar de nome tão sugestivo para soltar pipas. Até porque Pipeiras hoje tem mais residências e menos campos que na década de 70. Mas dá pra encontrar um terreno longe da rede elétrica e fazer o garoto viver algo inesquecível, como meu pai, eu e meu filho já vivemos. E diversão assim, precisa mesmo atravessar gerações. Mas para que isso aconteça, é preciso deixar o comodismo de lado, fazer memória das boas brincadeiras que viveu na infância e provocar situações atuais para levar seu filho a viver e guardar boas lembranças dessa relação com o pai. Foi assim também lá na pequena oficina de Nazaré, onde José ensinou o menino Jesus a brincar com as ferramentas, até se tornar o filho do carpinteiro que usou duas madeiras cruzadas para nos salvar. Assim também pode ser com você e seu filho. E que São José interceda por todos nós pais e filhos!

Deus abençoe!

Wallace Andrade
Comunidade Canção Nova

Em uma carta de 1959 dirigida ao seu superior, Padre Pio conta a revelação que Jesus lhe tinha feito sobre o fim do mundo.  A seguir um trecho com 12 mensagens tiradas do livro “I grandi profeti”, de Renzo Baschera. No fim de cada uma das mensagens, um parentese com um X para as profecias que já está em plena realização e as que ainda não aconteceram.

1) O mundo está andando em ruínas. Os homens abandonaram o caminho correto para se aventurar em caminhos que terminam no deserto da violência. Se não voltarem a beber na fonte da humildade, da caridade e do amor, será uma catástrofe. ( X )

2) Coisas terríveis virão. Já não posso interceder pelos homens. A piedade divina está a ponto de terminar. O homem fora criado para amar a vida, e terminou destruindo a vida… (   )

3) Quando o mundo foi confiado ao homem, era um jardim. O homem o transformou em uma atmosfera cheia de veneno. Nada serve agora para purificar a casa do homem. É necessário um trabalho profundo, que só pode vir do céu.  ( X )

4) Preparem-se para viver três dias em total escuridão. Estes três dias estão muito próximos. E, nestes dias, os homens permanecerão como mortos, sem comer nem beber. Depois, a luz voltará. Mas muitos serão os homens que não mais a verão. (   )

5) Muita gente escapará assustada. Correrão sem ter uma meta. Dirão que há salvação no oriente e as pessoas correrão para lá. Mas cairão em um precipício. Dirão que no oriente há salvação, e as pessoas correrão para lá. Mas cairão em um forno.  ( X )

6) A terra tremerá e o pânico será grande. A terra está enferma. O terremoto será como uma serpente: o sentirão arrastar-se por todos os lados. E muitas pedras cairão. E muito homens perecerão.  ( X )

7) Vós sois como formigas, porque virá o tempo em que os homens tirarão os olhos por uma migalha de pão. Os negócios serão saqueados, os armazéns serão tomados em assalto e destruídos. Pobre será aquele que, nestes dias escuros, estiver sem uma vela, sem um copo de água e sem o necessário por três meses.  ( X )

8) Uma terra vai desaparecer… uma grande terra. Um país será apagado para sempre dos mapas. E com ele serão levados para a lama os homens, a história e a riqueza.  (    )

9) O amor do homem será transformado em palavra vazia. Como podes esperar que Jesus te ame, se nem sequer tu amas os que comem em tua própria mesa? Da ira de Deus não serão perdoados os homens de Ciência, mas os homens de coração.  (    )

10) Estou desesperado. Não sei o que fazer para que a humanidade se arrependa. Se continuar por este caminho, a tremenda ira de Deus se desencadeará como um tremendo raio. (   )

11)  Um meteorito cairá sobre a terra e tudo brilhará. Será um desastre, muito pior que uma guerra. Muitas coisas serão canceladas. E este será apenas um dos sinais… (   )

12)  Os homens viverão uma experiência trágica. Muitos serão levados pelos rios, outros serão queimados pelo fogo, muitos serão enterrados pelos venenos. Mas eu me manterei perto dos puros de coração.   ( X )

Mas até quando vamos duvidar dessas revelações? Tenha cuidado para não se deixar pelas ondas das informações, cada vez mais truncadas e embaralhadas, cada

Deus abençoe!

Wallace Andrade
Comunidade Canção Nova

 

O mês de julho se despede e no coração a certeza de que, mesmo em meio a uma pandemia como essa, é preciso ter a certeza de como tem sido cuiado com carinho e atenção. Olha lá no alto da montanha e vai ver que tem algo diferente no ar! Olha ali no córrego que passa perto do seu quintal e vai notar que existe uma força que move esse filete de água até o rio mais próximo. Olha no galho de sua árvore esse carinha de penas e bico que todos os dias, na mesma hora, vem cantarolar um canto igual e tão novo a cada dia. Olha no canteiro de plástico, pendurado em sua janela e percebe que o colorido das flores ainda é o mesmo, mas o perfume delas tem o dom de alterar seu sorriso e gravar pra sempre esse momento em seu coração. Em meio a tudo isso, olhe para dentro de sua casa e veja que nessa carestia tem riqueza, que nesse barulho tem silêncio e que nessa oração, sempre terá fé e salvação. Pois o perfeito que te criou nunca desistiu e nunca vai desistir de você. Então não permita que você mesmo desista de seguir e continue a trilha… É só uma questão de fé!

Deus abençoe!

Wallace Andrade
Comunidade Canção Nova