Depois de ter mostrado o inferno e a sorte sofrida pelas almas que lá vão parar, Nossa Senhora disse-lhes qual o remédio para salvar as almas de se perderem.

Deus quer estabelecer no mundo a devoção a meu Imaculado Coração. Se fizerem o que eu disser salvar-se-ão muitas almas e terão paz. A guerra vai acabar, mas se não deixarem de ofender a Deus, no reinado de Pio XI começará outra pior.”

Esta parte do segundo segredo tem sido alvo de alguma polêmica e os cépticos sublinham que ela só foi revelada nas memórias da irmã Lúcia, publicadas já na década de 40, depois do início da II Guerra Mundial. Também não é claro se Nossa Senhora terá mencionado explicitamente Pio XI – o que na prática significaria profetizar o nome escolhido por esse Papa, eleito apenas em 1922, cinco anos depois das aparições.

Há ainda o facto de a data comumente indicada como o começo da II Guerra Mundial, 1 de Setembro de 1939 com a invasão da Polônia por parte da Alemanha, ter ocorrido já no reinado de Pio XII, que foi eleito precisamente em 1939. Contudo, essa data diz respeito apenas ao começo da guerra na Europa e não tem em conta a anexação da Áustria, por exemplo, que se deu em 1938 ainda no reinado de Pio XI, nem a guerra entre o Japão e a China, que começou em 1937 e também fez parte da Segunda Guerra Mundial.

A revelação de Nossa Senhora continuou: “Quando virdes uma noite, alumiada por uma luz desconhecida, sabei que é o grande sinal que Deus vos dá de que vai punir o mundo pelos seus crimes, por meio da guerra, da fome e de perseguições à Igreja e ao Santo Padre.” Lúcia interpretou este sinal como sendo a Aurora Boreal que foi vista em muitos pontos do mundo em Janeiro de 1938, causando pânico entre as populações.

Para a impedir virei pedir a consagração da Rússia a meu Imaculado Coração e a Comunhão Reparadora nos Primeiros Sábados. Se atenderem a meus pedidos, a Rússia se converterá e terão paz, se não, espalhará seus erros pelo mundo, promovendo guerras e perseguições à Igreja, os bons serão martirizados, o Santo Padre terá muito que sofrer, várias nações serão aniquiladas, por fim o meu Imaculado Coração triunfará.”

Numa explicação teológica dos segredos de Fátima, publicada pelo Vaticanodepois de ter sido revelada a terceira parte do segredo, o então cardeal Joseph Ratzinger referiu-se à noção de “Imaculado coração”, admitindo que esta pode soar estranha sobretudo a pessoas de mentalidade não-latina. “O termo ‘coração’, na linguagem da Bíblia, significa o centro da existência humana, uma confluência da razão, vontade, temperamento e sensibilidade, onde a pessoa encontra a sua unidade e orientação interior. O ‘coração imaculado’ é, segundo o evangelho de Mateus, um coração que a partir de Deus chegou a uma perfeita unidade interior e, consequentemente, ‘vê a Deus’. Portanto, ‘devoção’ ao Imaculado Coração de Maria é aproximar-se desta atitude do coração, na qual o “fiat” – ‘seja feita a vossa vontade’ – se torna o centro conformador de toda a existência.”

A referência à Rússia diz naturalmente respeito ao regime comunista que seria implantado alguns meses depois da revelação, mas no final desta segunda parte do segredo Maria apresentava uma solução: “O Santo Padre consagrar-me-á a Rússia, que se converterá, e será concedido ao mundo algum tempo de paz.”

A consagração da Rússia levaria, porém, muitos anos a ser concluída. Sucessivos Papas fizeram algo aproximado, mas a irmã Lúcia foi-lhes dizendo que os seus gestos não correspondiam aos desejos de Nossa Senhora, ora porque não referiam a Rússia pelo nome, ora porque não tinham sido feitos em união com todos os bispos do mundo.

Quando finalmente João Paulo II o fez de forma satisfatória em 1984 os efeitos, segundo os devotos de Fátima, foram quase imediatos. A consagração foi feita em 25 de Março e menos de dois meses depois um acidente numa base naval na Rússia destruiu dois terços dos mísseis da Frota do Norte da União Soviética, incapacitando-a numa altura em que Moscovo se preparava para a usar para atacar a Europa Ocidental por ter aceite a presença de um sistema de defesa americano. O acidente de Severomorsk aconteceu precisamente no dia 13 de Maio. No espaço de um ano foi eleito Gorbatchev, que espoletaria a reforma do regime comunista, levando à rápida dissolução de todo o bloco soviético.

(fonte: radio renascença)

Nossa Senhora, na Terceira Aparição, em 13 de julho, pede a prática dos cinco primeiros sábados e, após alguns anos, aparece à Ir. Lúcia, reforçando o pedido e explicando como praticá-lo. 

No dia 10 de dezembro de 1925, Nossa Senhora apareceu à Ir. Lúcia, juntamente com o menino Jesus, e ensinou-lhe a prática dos cinco primeiros sábados do mês em desagravo às ofensas cometidas contra a sua dignidade.

“Dia 10 de dezembro de 1925, apareceu-lhe a SS. Virgem e, ao lado, suspenso em uma nuvem luminosa, um Menino. A SS. Virgem, pondo-lhe no ombro a mão e mostrando, ao mesmo tempo, um coração que tinha na outra mão, cercado de espinhos.

Ao mesmo tempo, disse o Menino:

– Tem pena do Coração de tua SS. Mãe que está coberto de espinhos que os homens ingratos a todos os momentos Lhe cravam, sem haver quem faça um ato de reparação para tirá-los.

Em seguida, disse a SS. Virgem: – Olha, minha filha, o Meu Coração cercado de espinhos que os homens ingratos a todos os momentos Me cravam, com blasfêmias e ingratidões. Tu, ao menos, vês de Me consolar e diz a todos aqueles que, durante cinco meses, ao primeiro sábado, para se confessarem, recebendo a Sagrada Comunhão, rezarem um Terço e Me fizerem quinze minutos de companhia, meditando nos quinze mistérios do Rosário, com o fim de Me desagravar. Eu prometo assisti-los na hora da morte, com todas as graças necessárias para a salvação dessas almas.”

Mas por que cinco sábados? Anos mais tarde, Ir. Lúcia explicou que são cinco os sábados dessa devoção porque são também cinco as principais ofensas cometidas contra a dignidade de Nossa Senhora: primeiro, as cometidas contra a sua Imaculada Conceição; segundo, as cometidas contra a sua virgindade; terceiro, as cometidas contra a sua maternidade divina; quarto, as ofensas de quem ensina crianças a desprezar e ter ódio da Virgem; e, quinto, as ofensas feitas a ícones de Nossa Senhora.

Nilza e Gilberto Maia – Comunidade Canção Nova

Ter devoção ao Imaculado Coração significa adentrar numa espiritualidade da ternura, numa mística do afeto.

Nossa de Senhora, em Fátima, nos trouxe a mensagem do seu coração. Em seus relatos, Ir. Lúcia explica a vida mística de Francisco e Jacinta enfatizando os reflexos de luz que jorravam das mãos da Virgem Maria. Em seu livro Memórias, Ir. Lucia relata:

Foi ao pronunciar estas últimas palavras que abriu pela primeira vez as mãos, comunicando-nos uma luz tão intensa, como que reflexo que delas expedia, que penetrando-nos no peito e no mais íntimo da alma, fazendo-nos ver a nós mesmos em Deus, que era essa luz, mais claramente que nos vemos no melhor dos espelhos. Então, por um impulso íntimo também comunicado, caímos de joelhos.”

A luz tão intensa que penetrava no peito e no mais íntimo da alma dos Pastorinhos os fez experimentar um Amor de Deus imensurável e inesgotável, levando-os a uma íntima comunhão com Ele. Um mergulho no coração de Deus, indescritível ao entendimento meramente humano, porém possível através da experiência que se faz. É a Trindade – o Pai, o Filho e o Espírito Santo – derramando o Seu amor.

É importante verificar que Maria, ao revelar o seu Imaculado Coração, não comunica a si mesma, mas unicamente o próprio Deus: “Foi então que a celeste Mensageira, abrindo os braços com um gesto de maternal proteção, nos envolveu no reflexo da luz do imenso Ser de Deus. Foi uma graça que nos marcou para sempre na esfera do sobrenatural”. (Livro Ir. Lúcia Memórias)

Francisco, embora parecesse não compreender realmente os fatos, depois perguntava: “Para que estava Nossa Senhora com um coração na mão espalhando pelo mundo essa luz tão grande que é Deus?. Com esta pergunta, ele acaba nos relevando ainda mais o Imaculado Coração de Maria.

Foi desse modo, através de Maria e do seu Imaculado Coração, que Deus quis manifestar, mais uma vez, o Seu Amor ao mundo, através das Aparições em Fátima.

Ir. Lúcia diz no seu livro “Como vejo a Mensagem” que “Deus é amor, por isso, só o amor nos pode levar a mergulhar no imenso Ser de Deus, a ser um com Deus“.

Texto Extraído do livro: Mistica de Fátima

Adquira: https://goo.gl/oPuiwm

A consagração ao Coração de Maria revela a purificação do próprio coração. Maria pede esta purificação e santificação do nosso coração, que obrigatoriamente abrange a nossa personalidade… Maria aponta o Seu próprio Coração Imaculado para assim acelerar a nossa interiorização, para conduzir o nosso olhar para o nosso interior e assegura-nos que só a partir de dentro, no mais íntimo de nós mesmos, se pode realizar a purificação, consagração, a reparação e a santificação.

A consagração quer atingir o nosso interior e deve partir de dentro, do íntimo do nosso coração, pois requer a purificação do nosso interior, com o intuito de buscar a docilidade da ação de Deus.

“Quem é bom, tira boas coisas do tesouro do seu coração, que é bom; mas quem é mau, tira más coisas do seu tesouro, que é mau. Pois a boca fala aquilo de que o coração está cheio” (Lc 6,45)

O coração é um depósito em que armazenamos o que é bom e o que é mau. É a fonte de atitudes e ações. A Bíblia refere-se ao coração como o centro da pessoa, que engloba a sua totalidade.

Provérbios 4,23 diz: “Com todo o cuidado guarda o teu coração, pois dele procede a vida”. O coração nos é apresentado nessa passagem bíblica como o âmago do nosso ser, algo peculiar e íntimo de um indivíduo. Do coração vêm as nossas atitudes e comportamentos.

Por isso a consagração precisa brotar do íntimo do nosso coração, nos levando a uma purificação, para retirar dele toda a mancha, ou seja, tudo o que está armazenado nele – as impurezas, as paixões desordenadas, o egoísmo etc –, e nos conduzindo a uma conversão constante, através do nosso autoconhecimento, das nossas limitações e fraquezas, para uma transformação de vida guiada por Deus e, ao mesmo tempo, a reparação pelo Coração Imaculado de Maria.

Quando nos deixamos ser iluminados pela luz que jorra do Coração Imaculado de Maria, somos purificados e mergulhados na imensidão de Deus, que, na Sua misericórdia inesgotável, perdoa os nossos pecados no mais íntimo do nosso ser. Poderemos, então, reparar não somente os nossos pecados, mas também os de toda a humanidade, lembrando-se sempre de que reparar é retornar ao estado original ou fazer melhor.

A partir dessa experiência, a nossa consagração terá sentido e realizaremos um ato consciente do compromisso e do apostolado. É no coração do homem que Deus quer falar e atuar, por isso Ele fala através de Maria, nos dando conhecimento da Devoção ao Coração Imaculado.

Fonte: Trecho retirado do livro Mistica de Fatima

Adquira: https://goo.gl/UPzxgp

A devoção ao Imaculado Coração de Maria deve se estabelecer no mundo por uma verdadeira consagração de conversão e doação. Pela consagração, o pão e o vinho se convertem no Corpo e Sangue de Cristo.

Sim, porque a consagração ao Imaculado Coração de Maria é um laço de união com a Mãe do Corpo Místico de Cristo, e com Cristo presente na Eucaristia, feito nosso Pão de cada dia. Seja oferecida uma reparação de súplica pelo Seu povo, peregrino na terra.

É desta forma que este Imaculado Coração será para nós o refúgio e o caminho que nos leva a Deus. Foi no Coração de Maria que Deus iniciou a obra de nossa Redenção: “E a Palavra se fez carne e veio morar entre nós” (Jo 1,14). Antes de Maria gerar Jesu em seu ventre, ele gerou Deus no coração.

Na mais estreita união que pode existir entre dois seres humanos…

As palpitações do Coração de Cristo são as palpitações do Coração de Maria, a oração de Cristo é oração de Maria, as alegrias de Jesus são as alegrias de Maria; de Maria recebeu Cristo o Corpo e o Sangue… imolado e derramado para a Salvação do mundo. Maria, feita uma com Cristo, é a corredentora do gênero humano: com Cristo no seu seio, com Cristo nos seus braços.

Maria, por vontade de Deus, participa da corredenção do mundo. Ela está unida ao Filho em todos os momentos – na vida pública, nas dores e nos sofrimentos O sangue derramado na Cruz também foi o sangue de Maria. Ela tudo colheu em seu Coração Imaculado, até o último suspiro do seu Filho, e ofereceu ao Pai.

Ela ficou conosco para participar da nossa vida – das alegrias, das dores, das lutas, das vitórias e das conquistas – e apresentará ao Pai o nosso coração.

É nesse Coração Imaculado que Deus quer que a nossa devoção crie raízes, pois nele Deus depositou muito amor, como num coração de Mãe universal, que consagra e converte a sua geração no Corpo e no Sangue de Cristo.

Fonte: Trecho Extraido do Livro Mistica de Fátima

Adquira

https://goo.gl/REYk66

 

PapansenhoraConsagração pessoal ao Coração Imaculado de Maria

(oração escrita por Ir. Lúcia)

Virgem Maria, Mãe de Deus e nossa Mãe, ao Vosso Coração Imaculado nos consagramos, em ato de entrega total ao Senhor. Por Vós seremos levados a Cristo. Por Ele e com Ele seremos levados ao Pai. Caminharemos à luz da fé e faremos tudo para que o mundo creia que Jesus Cristo é o enviado do Pai. Com Ele queremos levar o Amor e a Salvação até os confins do mundo. Sob a proteção do Vosso Coração Imaculado seremos um só povo com Cristo. Seremos testemunhas da Sua ressurreição. Por Ele seremos levados ao Pai, para glória da Santíssima Trindade, a Quem adoramos, louvamos e bendizemos. Amém.

papel-de-parede-nossa-senhora-de-fatimaTer devoção ao Imaculado Coração significa adentrar numa espiritualidade da ternura, numa mística do afeto.

Nossa de Senhora, em Fátima, nos trouxe a mensagem do seu coração. Em seus relatos, Ir. Lúcia explica a vida mística de Francisco e Jacinta enfatizando os reflexos de luz que jorravam das mãos da Virgem Maria. Em seu livro Memórias, Ir. Lucia relata:

Foi ao pronunciar estas últimas palavras que abriu pela primeira vez as mãos, comunicando-nos uma luz tão intensa, como que reflexo que delas expedia, que penetrando-nos no peito e no mais íntimo da alma, fazendo-nos ver a nós mesmos em Deus, que era essa luz, mais claramente que nos vemos no melhor dos espelhos. Então, por um impulso íntimo também comunicado, caímos de joelhos.”

A luz tão intensa que penetrava no peito e no mais íntimo da alma dos Pastorinhos os fez experimentar um Amor de Deus imensurável e inesgotável, levando-os a uma íntima comunhão com Ele. Um mergulho no coração de Deus, indescritível ao entendimento meramente humano, porém possível através da experiência que se faz. É a Trindade – o Pai, o Filho e o Espírito Santo – derramando o Seu amor.

É importante verificar que Maria, ao revelar o seu Imaculado Coração, não comunica a si mesma, mas unicamente o próprio Deus: “Foi então que a celeste Mensageira, abrindo os braços com um gesto de maternal proteção, nos envolveu no reflexo da luz do imenso Ser de Deus. Foi uma graça que nos marcou para sempre na esfera do sobrenatural”. (Livro Ir. Lúcia Memórias)

Francisco, embora parecesse não compreender realmente os fatos, depois perguntava: “Para que estava Nossa Senhora com um coração na mão espalhando pelo mundo essa luz tão grande que é Deus?. Com esta pergunta, ele acaba nos relevando ainda mais o Imaculado Coração de Maria.

Foi desse modo, através de Maria e do seu Imaculado Coração, que Deus quis manifestar, mais uma vez, o Seu Amor ao mundo, através das Aparições em Fátima.

Ir. Lúcia diz no seu livro “Como vejo a Mensagem” que “Deus é amor, por isso, só o amor nos pode levar a mergulhar no imenso Ser de Deus, a ser um com Deus.

Texto Extraído do livro: Mistica de Fátima

Adquira: https://goo.gl/oPuiwm

irmaluciaSobre a Aparição de 10 de Dezembro em Pontevedra, escreveu a irmã Lúcia : «Dia 10-12-1925, apareceu-lhe a SSma Virgem e, ao lado, suspenso em uma nuvem luminosa, um Menino. A SSma Virgem, pondo-lhe no ombro a mão, mostrou-lhe ao mesmo tempo um Coração que tinha na outra mão, cercado de espinhos.

Ao mesmo tempo, disse o Menino : “Tem pena do Coração da tua SSma Mãe, que está coberto de espinhos, que os homens ingratos a todos os momentos Lhe cravam, sem haver quem faça um ato de reparação para os tirar” 

Em seguida, disse a SSma Virgem : “Olha, Minha filha, o Meu Coração cercado de espinhos, que os homens ingratos a todos o momentos me cravam, com blasfêmias e ingratidões. Tu, ao menos, empenha-te em Me consolar e diz que todos aqueles que durante 5 meses, no primeiro sábado, se confessarem, receberem a Sagrada Comunhão, rezarem um Terço, e Me fizerem 15 minutos de companhia, meditando nos 15 mistérios do Rosário, com o fim de Me desagravar, Eu prometo assistir-lhes na hora da morte com todas as graças necessárias para a salvação dessas almas”.

Cumpriu-se o que Nossa Senhora tinha dito na Aparição de 13 de Julho em Fátima :“Virei pedir a devoção reparadora dos primeiros Sábados”.

Foi este o grande pedido de Reparação ligada ao Imaculado Coração de Maria e à Mensagem de Fátima, pelo que o Dr. Formigão Sob o pseudónimo de Mira Ceti, escrevia na revista Stella em 23 de Outubro de 1939 : «A humanidade debate-se atualmente numa das crises mais graves e mais angustiosas da sua história muitas vezes milenar.

Os pecados dos indivíduos e dos povos clamam vingança ao Céu. Grandes e terríveis provações de toda a ordem impendem sobre o mundo e ameaçam talvez Portugal.

Que todos quantos veneram e amam a Virgem Santíssima se apressem a praticar, renovando-a muitas vezes, a devoção dos cinco sábados que Ela se dignou revelar à Irmã Maria Lúcia de Jesus, a humilde vidente de Fátima, e assim porventura a paz tão suspirada descerá sobre as nações e a graça de Deus iluminará e vivificará as almas – tão grande número de almas nas sombras do erro e da morte.(Pag.260).

Em 4 de Maio de 1944 Pio XII ordenou que esta festa fosse observada em toda a Igreja para obter a intercessão de Maria para : A Paz entre as Nações. A liberdade para a Igreja. A conversão dos pecadores. O amor pela pureza e a prática da virtude.

Dois anos mais tarde consagrou toda a raça humana a Maria sob o título de Imaculado Coração de Maria.

PapansenhoraA 13 de Junho de 1929, na capela do Convento das religiosas Doroteias, em Tuy, numa Hora-Santa das 11 à meia-noite, cumpriu-se a promessa feita por Nossa Senhora no dia 13 de Julho em Fátima :”Virei pedir a Consagração da Rússia ao meu Imaculado Coração“. Lúcia descreve essa Aparição : «Estando uma noite só, ajoelhei-me entre a balaustrada no meio da capela a rezar, prostrada, as orações do Anjo. Sentindo-me cansada, ergui-me e continuei a rezá-las com os braços em cruz.

A única luz era a da lâmpada.

De repente iluminou-se toda a capela com uma luz sobrenatural e sobre o altar apareceu uma Cruz de luz que chegava até ao teto.

Em uma luz mais clara via-se na parte superior da cruz uma face de homem com corpo até a cinta, sobre o peito uma pomba também de luz, e pregado na cruz o corpo de outro homem. Um pouco abaixo da cinta, suspenso no ar, via-se um cálix e uma hóstia grande, sobre a qual caíam algumas gotas de sangue que corriam pelas faces do Crucificado e duma ferida no peito. Escorregando pela Hóstia essas gotas caíam dentro do cálix.

Sob o braço direito da cruz estava Nossa Senhora (era Nossa Senhora de Fátima e Seu Imaculado Coração…na mão esquerda…sem espada nem rosas, mas com uma coroa de espinhos e chamas), com o Seu Imaculado Coração na mão…”

Sob o braço esquerdo, umas letras grandes, como se fossem de água cristalina que corresse para cima do Altar, formavam estas palavras : GRAÇA E MISERICÓRDIA

Compreendi que me era mostrado o Mistério da Santíssima Trindade, e recebi luzes sobre este Mistério que não me é permitido revelar».

Depois Nossa Senhora disse-me :“É chegado o momento em que Deus pede para o Santo Padre fazer, em união com todos os Bispos do Mundo, a consagração da Rússia ao Meu Imaculado Coração, prometendo salvá-la por este meio”.(Doc.463).

602949_590931404285754_350368730_nOs desígnios misericordiosos de Deus começam a manifestar-se nas Aparições de Junho e sobretudo de Julho de 1917, na Cova da Iria e tiveram o seu magnífico Epílogo em Espanha, nas visões de 1925 e 1926 em Pontevedra, e em 1927 e 1929 em Tuy.

Em Fátima, no dia 13 de Junho manifesta-se o Coração de Maria circundado de espinhos, pedindo reparação, enquanto a Senhora pronuncia estas palavras “Jesus quer estabelecer no mundo a devoção ao meu Imaculado Coração“.

Na Aparição de Julho, os destinos do mundo e das almas aparecem dependentes do Coração Imaculado de Maria, segundo o que foi revelado na visão do Inferno : – «Vistes o Inferno, para onde vão as almas dos pobres pecadores. Para as salvar, Deus quer estabelecer no mundo a devoção ao meu Imaculado Coração. Se fizerem o que Eu vos disser, salvar-se-ão muitas almas e terão a paz. A guerra vai acabar, mas, se não deixarem de ofender a Deus, no reinado de Pio XI começará outra pior.

Quando virdes uma noite alumiada por uma luz desconhecida, sabei que é o grande sinal que Deus vos dá de que vai punir o mundo de seus crimes por meio da guerra, da fome e de perseguições à Igreja e ao Santo Padre. Para a impedir, virei pedir a consagração da Rússia ao meu Imaculado Coração e a Comunhão reparadora nos primeiros sábados.

Se atenderem a meus pedidos, a Rússia converter-se-á e terão paz. Se não, espalhará os seus erros pelo mundo promovendo guerras e perseguições à igreja; os bons serão martirizados; o Santo Padre terá muito que sofrer; várias nações serão aniquiladas.

Por fim, o meu Coração Imaculado triunfará.

O Santo Padre consagrar-me-á a Rússia que se converterá e será concedido ao mundo algum tempo de paz. Em Portugal se conservará sempre o Dogma da fé; etc.…”

Esse conteúdo encontra-se no Livro Mistica de Fátima