PercepçãoA percepção seletiva é um estudo bem interessante na área de organizações, mas totalmente aplicável a nossas realidades, em especial, ao cristianismo, pois é a tendência que as pessoas têm de ver e ouvir somente os fatos que apóiam suas crenças e os seus referenciais socioculturais.

Nossos cinco sentidos recebem informações o tempo todo, sem interrupção, por este motivo, só nos tornamos conscientes de parte destes dados, deixando o resto ao processamento inconsciente. Isso nos poupa de ficar ouvindo o som de nossa própria respiração, por exemplo, ou sentindo o gosto de nossa própria língua.

Um autor, certa vez disse que não vemos o mundo como ele é, nós o vemos como SOMOS. Vemos e encontramos as coisas que PROCURAMOS! Se corremos atrás de paz, só descansaremos ou veremos pela nossa frente a paz. Tudo o mais que aparecer pela nossa frente ou não veremos ou passará despercebido.

A Palavra de Deus, nesse contexto, diz-nos em Mt 6, 22-23: “O olho é a luz do corpo. Se teu olho é são, todo o teu corpo será iluminado. Se teu olho estiver em mau estado, todo o teu corpo estará nas trevas.” Nesse sentido de Percepção, precisamos estar atentos em como nosso olho se encontra, pois se ele está são, todo nosso corpo será iluminado, mas, do contrário, nosso corpo estará nas trevas.

Quando vivemos somente pela percepção, podemos dar abertura às não-verdades por inteiro, as minhas verdades, e não à verdade real, a verdade como verdade, a verdade que é Jesus. Vivendo pela percepção seletiva, eu verei o que sou, verei as questões direcionadas de acordo com aquilo que sou, logo as verdades dependerão de mim e não daquilo que realmente elas são. E pior ainda, uma vez que estamos em contrução, até morrermos, minhas vontades e pensamentos variarão de acordo com o momento que estou. Logo, até as minhas verdades poderão variar durante minha vida.

Imagina a loucura que seria viver dessa forma! Cada um tendo a sua verdade! Mas é o que estamos vendo hoje: estão nos vendendo a idéia de que a verdade não existe, mas sim, as verdades individuais, e essas precisam ser respeitadas e direcionarem até nas nossas verdades. É isso que nos é vendido de informação, e isso está entrando em nossas casas, em nossas famílias, no coração dos nossos filhos.

Jesus disse “Eu sou a verdade”(Jo 14,6). É nessa verdade que precisam se basear nossos valores, e não em outras verdades. Se não concordamos com algumas verdades ditas pelo Senhor, temos que pedir a Ele a direção, mas não criarmos uma outra verdade ou uma meia-verdade, ou uma verdade que nos conforte que siga aquilo que sou…

Assumamos a Verdade por si só, que é o Senhor Jesus. Peçamos a Ele que nos faça Dele, para que a verdade que saia de nós seja somente uma, a verdade de Deus. Que possamos dizer, como Santa Terezinha: o meu nome é vontade de Deus.

Junior Alves

1 comentário

  1. Paz e Bem, Júnior! Excelente abordagem! Parabéns! Vou publicar nos meus grupos! Ontem mesmo estava conversando com um amigo sobre isso e lembrei da Gestalt, psicologia da forma, e das difrentes percepções das pessoas. Publiquei uma imagem num grupo de músicos e promovi uma pergunta sobre isso. Vou add vc no grupo tb, blz? Gostaria de sugerir que vc mude a cor da fonte para branco, pois ficou difícil a leitura. Jesus e Nossa Senhora abençoem a sua vida!