Novena de Nossa Senhora Auxiliadora 5º dia

Quinto Dia:
Maria, a mulher que guarda a profecia em seu coração!

Comentário Inicial
Hoje, nós somos convidados a refletir sobre a grande profecia de Simeão a respeito do menino Jesus e de Maria. Jesus será causa de queda e elevação para muitos em Israel e também entre nós. Quanto à sua mãe, como que antecipando à paixão de Jesus, Simeão diz que “uma espada de dor haverá de transpassar-lhe a alma”. Maria guarda a profecia em seu coração, mas jamais desanima diante das dificuldades que terá que enfrentar. Trata-se de um  exemplo para nós: jamais devemos desanimar diante dos problemas, mas enfrentá-los com serenidade e, sobretudo, deixando que Deus realize em nós a sua vontade.

Clique acompanhe esta oração pelo IGTV

Acolhida
P: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
T: Amém.
P: A graça de Nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a comunhão do Espírito Santo estejam sempre convosco!
T: Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!
P: Invoquemos as luzes do Espírito Santo sobre a nossa novena:

Oração do Quinto Dia da Novena

P: Rezemos a oração deste quinto dia de nossa novena:
T: Querida Mãe, Maria, que no passado, no triunfo da Igreja, mostrastes o vosso valoroso patrocínio, estendei o vosso manto poderoso sobre a comunidade cristã e sobre toda a humanidade, em especial sobre o nosso Papa: defendei-o sempre contra os assaltos de todos os seus inimigos, livrai-o das penas temporais e assisti-o sempre, a fim de que possa conduzir a nave de São Pedro ao porto seguro e que a Igreja possa triunfar sobre as ondas orgulhosas que tentam afundá-la. Ó poderoso auxílio dos cristãos e da humanidade, pedimos que leveis a nossa oração ao Pai e ao vosso Filho Jesus Cristo, que vivem e reinam na unidade do Espírito Santo. Amém.

Evangelho

P: Preparemos os nossos corações para ouvir o Evangelho.
L: Leitura do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.
T: Glória a vós, Senhor!

L: 2,21 Quando se completaram os oito dias para a circuncisão do menino, deram-lhe o nome de Jesus, como fora chamado pelo anjo, antes de ser concebido.
22 Terminados os dias da purificação deles, conforme a Lei de Moisés, levaram o menino para Jerusalém, a fim de apresentá-lo ao Senhor,
23 conforme está escrito na Lei do Senhor: “Todo primogênito de sexo masculino será consagrado ao Senhor”.
24 Foram também para oferecer em sacrifício um par de rolas ou dois pombinhos, conforme ordena a Lei do Senhor. 25 Havia em Jerusalém um homem chamado Simeão. Era justo e piedoso. Esperava a consolação de Israel, e o espírito Santo estava com ele.
26 O Espírito Santo tinha revelado a Simeão que ele não morreria sem primeiro ver o Messias prometido pelo  Senhor.
27 Movido pelo Espírito, Simeão foi ao Templo. Quando os pais levaram o menino Jesus, para cumprirem as prescrições da Lei a respeito dele,
28 Simeão tomou o menino nos braços, e louvou a Deus, dizendo:
29 “Agora, Senhor, conforme a tua promessa, podes deixar o teu servo partir em paz.
30 Porque meus olhos viram a tua salvação,
31 que preparaste diante de todos os povos:
32 luz para iluminar as nações e glória do teu povo, Israel”.
33 O pai e a mãe estavam maravilhados com o que se dizia do menino.
34 Simeão os abençoou, e disse a Maria, mãe do menino: “Eis que este menino vai ser causa de queda e elevação de muitos em Israel. Ele será um sinal de contradição.
35 Quanto a você, uma espada há de atravessar-lhe a alma. Assim serão revelados os pensamentos de muitos corações”. Palavra da salvação.
T: Glória a vós, Senhor!

Maria na vida de Dom Bosco

P: Ouçamos, neste momento, um fato da vida de Dom Bosco:
L. Um dia, Dom Bosco saiu para a cidade. Voltando ao Oratório, viu perto da portaria uma pobre mulher que carregava nos braços uma criança de cerca de um ano, macilenta, cheia de pústulas, sem se mexer, sem voz. Um cadáver…
Parou e perguntou à mãe:
— Desde quando está doente?
— Sempre foi assim. Desde que nasceu.
— Já levou ao médico?
— Já. Mas diz que não adianta.
— E se sarasse, ficaria contente?
— Oh. Imagine só, o meu pobre filhinho — e o cobria de beijos.
— Acha que Nossa Senhora pode curar seu filhinho?
— Sim. Mas não mereço tão grande graça. Se o curasse, daria tudo quanto tenho de mais caro.
— Então, quando puder, confesse e comungue. Reze, por nove dias, o Pai Nosso e a Ave Maria, e convide seu marido a rezar também. Nossa Senhora a ouvirá. E abençoou o pequenino com a bênção de Maria Auxiliadora.
Quinze dias depois, num domingo, na sacristia do santuário, entre as pessoas que buscavam falar com Dom Bosco, havia uma mulher trazendo nos braços uma criança de olhos límpidos e vivazes. Chegada à presença de Dom Bosco, exclamou radiante:
— Eis o meu filho!
— E o que deseja, minha senhora?
Dom Bosco tinha se esquecido da bênção que dera à criança. A mulher lho lembrou e disse que, no terceiro ou quarto dia da novena, o menino tinha sarado.
— Agora — continuou — vim cumprir minha promessa.
E dizendo isso, mostrou uma caixinha na qual guardava as suas pobres joias: um colarzinho de ouro, um anel, dois brincos. Ao vê-los, quase iguais talvez aos de sua mãe, Dom Bosco se comoveu. Entretanto a mulher dizia: 
— Prometi a Nossa Senhora que lhe daria o que tinha de mais caro. Rogo-lhe, pois, que as aceite.
Dom Bosco meneava a cabeça:
— Minha boa senhora, tem algum recurso para viver?
— Não. Vamos levando, um dia depois do outro, com o que meu marido ganha, trabalhando na fundição de ferro.
— Puderam fazer alguma poupança?
— Que poupança se pode fazer com três liras por dia?
— E seu marido sabe que quer doar estes objetos a Nossa Senhora?
— Sim, sabe. E está contente.
— Mas se vocês se desfizerem de tudo, que farão se lhes sobrevierem alguma desgraça, alguma doença?
— Deus sabe que somos bem pobres. Pensará em nós. Eu devo dar o que prometi.
— Escute, façamos assim. Nossa Senhora não lhe pede um sacrifício tão grande. Se quiser mesmo deixar um sinal de sua gratidão, deixe-lhe apenas o anel. O mais, o colar e os brincos, leve-os para casa.
— Isso não. Prometi tudo. Devo dar tudo.
— Faça como lhe digo. Nossa Senhora está contente assim.
— Acha mesmo? Olhe que não quero faltar com minha palavra.
— Não faltará. Eu lho garanto em seu nome.
— Está bem. Seja como diz. Mas se quiser todo o meu ouro, aqui o tem. Dom Bosco repetiu que ficasse tranquila e fez uma carícia no menininho (Memórias Biográficas, vol. 10, p. 94-95).

Invocações a Nossa Senhora Auxiliadora

P: Invoquemos a Maria, poderoso auxílio do povo cristão e da humanidade, pela nossa Igreja, para que seja anunciadora do Reino de Deus no mundo.
T: Pai Nosso… Ave Maria… Salve Rainha…
P: Graças e louvores sejam dados a todo o momento,
T: Ao Santíssimo e diviníssimo sacramento.
P: Maria Auxiliadora dos Cristãos e da Humanidade,
T: Rogai por nós!
P: Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
T: Como era no princípio, agora e sempre. Amém.
P: Invoquemos a Maria, poderoso auxílio do povo cristão e da humanidade, para que em nossas famílias haja diálogo, paz e perdão e que todos possam gozar sempre de boa saúde de alma e de corpo.
T: Pai Nosso… Ave Maria… Salve Rainha…
P: Graças e louvores sejam dados a todo o momento,
T: Ao Santíssimo e diviníssimo sacramento.
P: Maria Auxiliadora dos Cristãos e da Humanidade,
T: Rogai por nós!
P: Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
T: Como era no princípio, agora e sempre. Amém.
P: Invoquemos a Maria, poderoso auxílio do povo cristão e da humanidade, pelos nossos jovens, para que sejam construtores de uma sociedade mais humana, mais justa e mais fraterna.
T: Pai Nosso… Ave Maria… Salve Rainha…
P: Graças e louvores sejam dados a todo o momento,
T: Ao Santíssimo e diviníssimo sacramento.
P: Maria Auxiliadora dos Cristãos e da Humanidade,
T: Rogai por nós!
P: Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
T: Como era no princípio, agora e sempre. Amém.
P: Rezemos juntos:
T: Lembrai-vos, ó piedosa Virgem Maria, que jamais se ouviu dizer que aquele que tenha recorrido à vossa proteção, implorando vossa assistência e pedindo o vosso auxílio, tenha sido desamparado. Animado eu por esta confiança, a vós também recorro, ó Mãe, Virgem das Virgens, e, gemendo sob o peso dos meus pecados, atrevo-me a comparecer diante de vossa soberana presença. Ó Mãe de Deus, escutai e acolhei benignamente minhas súplicas. Amém. (Faça seu pedido)
P: Rogai por nós, Maria, consolo dos aflitos, auxílio dos cristãos e mãe da humanidade.
T: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

Oração a Nossa Senhora Auxiliadora

P: Invoquemos, agora, a proteção de Maria, a Auxiliadora do povo cristão e da humanidade:
T: Ó Santíssima e Imaculada Virgem Maria, Mãe amorosa nossa e poderoso auxílio dos cristãos, nós nos consagramos inteiramente a vós, para que sempre nos conduzais ao Senhor. Nós vos consagramos nossa mente, com os seus pensamentos, nosso coração, com os seus afetos, nosso corpo, com os seus sentimentos e com todas as suas forças, e prometemos querer sempre trabalhar para a maior glória de Deus e a salvação das almas.
P: Vós, entretanto, ó Virgem incomparável, que sempre fostes a Mãe da Igreja e a Auxiliadora do povo cristão, continuai a vos mostrar assim, em especial neste nosso tempo.
T: Iluminai e fortalecei os nossos bispos e os nossos sacerdotes e conservai-os sempre em unidade com o Papa. Aumentai as vocações sacerdotais e religiosas, a fim de que, também por meio deles, o Reino de Jesus Cristo se conserve entre nós e se estenda por todo o mundo.
P: Nós vos pedimos, ainda, ó dulcíssima Mãe, que mantenhais os vossos olhares amorosos sempre voltados para as crianças e para os jovens, expostos a tantos perigos; para os casais, jovens ou não, em suas dificuldades; para os necessitados, os explorados e os esquecidos da sociedade; e para os pobres pecadores e enfermos.
T: Sede para todos, ó Maria Auxiliadora, refúgio e amparo, Mãe de misericórdia e porta do céu.
Também vos pedimos, ó grande Mãe de Deus, que nos ensineis a imitar as vossas virtudes, em particular a angélica modéstia, a humildade profunda e a ardente caridade.
P: Fazei, ó Maria Auxiliadora, que sintamos o amparo do vosso manto de Mãe. Fazei que nas tentações
vos invoquemos com confiança.
T: Fazei, enfim, que o pensamento de que sois tão boa, tão amável e tão querida, a lembrança do amor que tendes pelos vossos devotos, nos conforte de tal modo que, na vida e na morte, saiamos vitoriosos contra os inimigos de nossa alma, e possamos depois unir-nos convosco no Paraíso. Amém.

Bênção Final

P: A nossa proteção está no nome do Senhor.
T: Que fez o céu e a terra.
P: Ave Maria…
P: À vossa proteção recorremos, ó Santa Mãe de Deus. Não desprezeis as nossas súplicas em nossas necessidades, mas livrai-nos sempre de todos os perigos, ó Virgem gloriosa e bendita. Maria, Auxiliadora dos Cristãos e da humanidade.
T: Rogai por nós.
P: Ouvi, Senhor, a minha oração.
T: E chegue a vós o meu clamor.
P: O Senhor esteja convosco!
T: Ele está no meio de nós.
P: Oremos: Senhor eterno e onipotente, que, pela intervenção do Espírito Santo, vos dignastes preparar o corpo e a alma da gloriosa Virgem e Mãe Maria para digna morada do vosso Filho, fazei que sejamos livres da morte eterna e dos males que nos rodeiam, pela intercessão daquela cuja invocação nos alegra. Por Cristo, nosso Senhor.
T: Amém.
P: A bênção do Deus de Sara, Abrão e Agar. A bênção do Filho, nascido de Maria. A bênção Espírito Santo de amor, que cuida com carinho, qual mãe cuida da gente, esteja sobre todos vós.
T: Amém.

 

Clique acompanhe esta oração pelo IGTV