Professor Felipe faz uma breve retrospectiva sobre as viagens do Papa Francisco em 2015

podcast_viagem_papa_franciscoAlessandra Borges
Da redação

Neste último dia do ano de 2015, o Portal Canção Nova preparou uma retrospectiva sobre as viagens apostólicas do Papa Francisco pelos continentes.

Convidamos o professor Felipe Aquino, apresentador do programa “Escola de Fé” da TV Canção Nova, para falar sobre as viagens do Santo Padre pelos seguintes países: Sri Lanka e Filipinas (12-19 de janeiro 2015) ; Sarajevo – Bósnia (6 de junho) ; Equador, Bolívia e Paraguai (5 a 13 de julho) ; Cuba e EUA (19 a 28 de setembro) e Quênia, Uganda e Republica Centro-Africana (25 a 30 de novembro).

Segundo professor Felipe Aquino, neste ano o Pontífice visitou os continentes como África, América Central, América do Norte, Europa e Ásia. Em cada uma dessas viagens, o Papa Francisco deixou sua mensagem de evangelização e missionariedade.

“É uma vontade muito grande do Papa cumprir o chamado munus petrino, o que Jesus disse a Pedro: ‘Apascenta as minhas ovelhas”. O Papa também não deixa de se encontrar com a comunidade muçulmana por onde vai, pedindo, inclusive, que eles não pratiquem as coisas do Estado Islâmico, essa loucura de matar cristão, ou seja, ninguém pode matar em nome de Deus. O Santo Padre sempre faz questão, nas viagens e encontros ecumênicos, de colocar assim: ‘Vamos viver a paz em nome de Deus’”, disse Aquino.

Ouça uma reflexão, na íntegra, com o professor Felipe Aquino sobre as viagens do Papa Francisco:

Leia também
.: Retrospectiva 2015: balanço do ano do Papa Francisco

Hoje, 1º de janeiro de 2014, celebramos o Dia Mundial da Paz. Vamos iniciar este novo ano refletindo com a mensagem do Papa Francisco para que promovamos e rezemos pela união e a paz entre os povos e as nações.

Papa Francisco

O tema central da primeira mensagem do Santo Padre para essa data é: ”Fraternidade, fundamento e caminho para a paz”. Convidamos padre Anderson Marçal, missionário da Comunidade Canção Nova, para falar sobre a mensagem do Sumo Pontífice, preparada com uma linguagem familiar e de fácil compreensão, cujo objetivo é despertar em nós a consciência de sermos fraternos uns com outros para a construção de um mundo mais justo, pacífico e solidário.

“Ele aborda o tema da fraternidade fazendo-nos algumas perguntas como: ‘Onde está o teu irmão?’ Tendo o irmão como o ponto de referência, pois, a partir do momento em que o Papa Francisco trata o tema da fraternidade com essa pergunta, ele também já coloca Deus como Pai de todos […]. O Pontífice vai tratar de assuntos não só relacionados à paz, mas àquilo que nos tira a paz, como, por exemplo, as guerras ou a economia desenfreada, as crises geradas pela ganância. E cita, como fundamento para o caminho para paz, a fraternidade”, explicou o sacerdote.

.: Ouça, na íntegra, o podcast da redação como padre Anderson Marçal:

Nesta mensagem Papa Francisco nos orienta, como tem feito desde o início do seu pontificado, a vivermos a humildade, a caridade e a fraternidade para que paz reine em nossa sociedade.

“Assim como o Santo Padre gosta de fazer em suas homilias, ele traz para nós três características para que esta paz aconteça: o dever de solidariedade, ou seja, cada um de nós, que tem Deus como único Pai, e todos nós somos irmãos, temos o compromisso de ser solidários e de ir ao encontro do outro […]. O dever da justiça social, pois há tantas injustiças que nós vemos no mundo de hoje e diante de tantas desigualdades, o Papa recomenda, como dever nosso, que a justiça seja igual para todos. A justiça social precisa ser igual para todos […]. E o terceiro ponto é o dever da caridade universal, pois o ser humano só se realiza a partir do momento em que ele é caridoso, uma vez que somos criados à imagem e semelhança de Deus nós somos criados à semelhança do amor, ou seja, nos só vamos nos realizar quando nos tornamos caridade para o outro. A caridade precisa ser vivida e exercitada da nossa parte para todos e não somente para aqueles que escolhemos”, recordou o sacerdote da Canção Nova.

A grande reflexão deixada pelo Papa Francisco para todos nós é que saiamos de nós mesmos e comecemos a ir ao encontro do próximo, pois como cristãos devemos ser praticantes da fraternidade, da bondade e do amor.

*Créditos Fotografia: Rádio Vaticano

.: Mensagem do Papa Francisco para a celebração do Dia Mundial da Paz
.: Canal do Papa Francisco
.: Vaticano publica primeira encíclica de Francisco, escrita por dois Papas – ‘Lumen Fidei’
.: Fatos curiosos do pontificado do Papa Francisco

 

Neste penúltimo dia da série em preparação para o Natal do Senhor, padre Flávio Sobreiro medita sobre o dom da fé. Durante todo o ano este tema foi abordado pela Igreja em razão do convite feito a nós por Bento XVI, assunto que continua a ser meditado pelo Papa Francisco por sua importância. O Ano da Fé, cuja abertura ocorreu no dia 11 de outubro de 2012, foi encerrado no dia 24 de novembro deste ano, em Roma, com a celebração da Santa Missa.

É preciso confiar em Jesus Cristo e deixar que Ele seja o condutor de todos nossos passos, pensamentos e atitudes. Para conseguir essa graça devemos clamar ao Espírito Santo de Deus que nos dê o dom da fé.

“A fé nasce de pequenas esperanças, pois na vida nem todos os dias são calmos e haverá dias de tempestades. Mas é nos dias de tribulação que somos chamados a redobrarmos nossa confiança em Deus, desta maneira é o próprio Cristo que vem ao nosso auxílio. Quando o ‘barco da nossa vida’ parece que vai afundar, Jesus nos mostra que ainda temos um caminho a seguir, pois a esperança existe e temos de colocar a nossa fé nela”, declarou o sacerdote.

Ouça, na íntegra, a reflexão do padre Flávio Sobreiro:

Reze conosco a Novena de Natal:

.: 8º dia da Novena de Natal – Blog da Oração

Estamos vivendo o Tempo do Advento, no qual aguardamos e nos preparamos para a celebração do Natal. Momento em que nos reunimos para esperar o nascimento do Filho de Deus em nossos corações, pois hoje continuamos à espera de Sua chegada.

Cristo veio para mudar o rumo da história, que se divide em “antes” e “depois” d’Ele, por isso utilizamos o calendário gregoriano, que norteia toda a era cristã. No entanto, nem todos O aceitaram e entenderam a maneira utilizada por Deus para a nossa salvação. O povo judeu esperava um Messias que lhes trouxesse paz e que os tempos vindouros, após a vinda do Senhor, fossem tranquilos e livres de guerras, enfermidades e demais problemas próprios da condição humana.

Papa Francisco, em alguns dos seus discursos, neste ano, pediu aos cristãos que rezem pela paz no mundo. Principalmente pela paz e liberdade religiosa na Terra Santa e em todo o Oriente Médio.

Bélem

“Que cessem, para sempre, a inimizade e as divisões. Que se retomem rapidamente os acordos de paz, muitas vezes paralisados por interesses obscuros e contrapostos. Sejam dadas, finalmente, reais garantias de liberdade religiosa a todos, junto ao direito para os cristãos de viver serenamente lá onde nasceram, na pátria que amam como cidadãos há dois mil anos, para contribuir como sempre ao bem de todos”, clama o Sumo Pontífice.

A pergunta que fazemos é: “Qual é a paz que o Messias trouxe para nós?”. Segundo padre Camilo, franciscano de 83 anos, começamos a contemplar esta paz quando começamos primeiro a vivê-la em nós, para depois passar este sentimento e atitudes para as outras pessoas.

“Quando olho para fora de mim, de fato, existe muita guerra, desde que os homens vivem nesta terra as guerras são existentes e a humanidade tem guerreado entre si. Há tanto sangue, e o que Isaías diz é válido e o que se faz necessário é entender. Quando eu, de forma singular, pego estas palavras de Isaías e começo a vivê-las em meu coração, assim começa a nascer a paz e não vemos o outro mais como inimigo”, disse o sacerdote.

Padre Camilo reforça que hoje o verbo que nos conduz não é mais o “esperar”, porque hoje Deus está presente entre nós, só não O vemos.

“Agora não é mais a espera [do nascimento de Jesus], mas procurar saber e enxergá-Lo, porque Ele se faz presente, é o Deus vivente. Hoje é o verbo ‘procurar’ que devemos utilizar, pois, neste tempo da história, nós não O vemos caminhando nesta terra, mas Ele disse que estaria presente em meio a nós. Porque cremos em Sua Palavra nós devemos buscá-Lo em tudo o que é verdadeiro, e o primeiro lugar é a Eucaristia, lugar de encontro com Ele”, recordou o franciscano.

Hoje, estamos às vésperas do Natal, momento em que vamos receber o nascimento da Criança de Belém, que nasceu com a missão de salvar a humanidade e pregar sobre o amor, a humildade, a fé, o perdão e a caridade.

“Existe no coração do homem o desejo de se encontrar com Deus e, no Cristianismo, o Senhor desce e diz a cada um: ‘Eu me faço homem como você e o coloco em meu Coração e o faço sentir-se filho de Deus, como Eu’. Para que isso aconteça Cristo veio ao mundo como um Bebê frágil, dependente de Seus pais e Ele nos convida a nos tornarmos crianças como Ele. Se formos capazes disso, então poderemos seguir e amar a Criança eterna e chamar a atenção de todos. Portanto, este ‘abaixamento’ de Cristo, como Menino, é lei para a psicologia do homem, pois Deus sabe que somos orgulhosos e só mesmo um Bebê poderia nos conduzir à esperança de trazer a novidade”, explicou o frei.

Peçamos a Deus a graça de ter um coração grato por Seu Filho ter se feito Menino e vindo morar entre nós, para que conseguíssemos compreender Sua pedagogia e Sua Palavra e nos tornar irmãos d’Ele e filhos de Deus. Preparemos o presépio de nosso coração para receber, com alegria, a chegada do Nosso Salvador e Deus.

Confira a reportagem produzida pelos missionários da Comunidade Canção Nova na Terra Santa:

Veja mais:

.: Natal feliz é Natal com Cristo
.: Tempo de Natal: nasceu para nós um Salvador
.: A luz de Cristo e as trevas do mundo
.: Alegrai-vos!
.: A gruta onde Jesus nasceu está vazia
.: Salmo Dominical: “Hoje nasceu para nós o Salvador, que é Cristo, o Senhor”

Epub da Exortação Apostólica Evangeli GaudiumHoje, 26, durante coletiva de imprensa, no Vaticano, foi lançada a primeira Exortação Apostólica Evangelii Gaudium (A Alegria do Evangelho) do pontificado de Francisco.

Para os cristãos que desejarem conhecer e se aprofundarem no conteúdo desta obra, a equipe do cancaonova.com disponibilizou o documento na íntegra, no formato ePub, para dispositivos móveis.

.: Baixe o ePub ‘Exortação Apostólica Evangelii Gaudium’ – Papa Francisco

No primeiro texto, escrito de maneira simples – assim como seus discursos -, o Santo Padre fala sobre a alegria de anunciar o Evangelho e indica os caminhos da Igreja para os próximos anos. Com 288 parágrafos, o documento está dividido em cinco capítulos: “A transformação missionária da Igreja”, “Na crise do compromisso comunitário”, “O anúncio do Evangelho”, “A dimensão social da evangelização” e “Evangelizadores com Espírito”.

O Pontífice reforça, logo no início do documento, a importância de, como cristãos, fazermos parte desta nova etapa evangelizadora que a Igreja irá trilhar nos próximos anos.

“A alegria do Evangelho enche o coração e a vida inteira daqueles que se encontram com Jesus. Quantos se deixam salvar por Ele são libertados do pecado, da tristeza, do vazio interior, do isolamento”, destacou Papa Francisco no início da exortação.

.: Acesse o canal do Papa no cancaonova.com

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com