A Comunidade Canção Nova esteve presente no  FEST (Festival da Juventude Salesiana) onde mais de 3.500 jovens se encontraram com o Reitor-Mor dos Salesianos o Padre Ángel Fernández Artime, 10º sucessor de Dom Bosco.

O dia iniciou com a Santa Missa que contou com a presença dos Padres Salesianos e dos jovens da  Articulação da Juventude Salesiana (AJS) que fazem parte da Inspetoria  Nossa Senhora Auxiliadora, de São Paulo.

Durante o dia os jovens puderam vivenciar um grande oratório festivo ao modelo de Dom Bosco, com músicas, esportes, danças, jovens partilhando no pátio, jogando futebol, demostrações circenses, confissões, estande vocacional da Família Salesiana onde estavam presentes: Salesianos de Dom Bosco, Maria Auxiliadora e Comunidade Canção Nova com a presenças dos missionários e vocacionados, entre outros.

O páteo estava totalmente festivo como Dom Bosco sempre sonhou, o Reitor Mor Padre Ángel pode sentir o calor do acolhimento dos jovens brasileiros. Todos puderem viver e reconhecer na presença do Reitor-Mor um dos desejos do Pai, e Mestre da Juventude quando disse:

                                                                                    Canção Nova e a Família Salesiana 

Fest 2017 Foto: arquivo CN – SP 

Familiaridade com os jovens especialmente no recreio, sem familiaridade não se demonstra afeto, e sem essa demonstração não pode haver confiança. Quem quer ser amado deve demonstrar que ama. O mestre visto apenas na cátedra é mestre e nada mais, mas, se está no recreio com os jovens torna-se irmão…

Os jovens vocacionados a Comunidade Canção Nova testemunharam como foi para eles esse momento de encontro com Reitor-Mor durante o Festival. 

”Para mim, foi uma graça imensa estar com o Reitor-Mor, vivi uma forte experiência com outros movimentos do carisma salesiano, estando nesse tempo de discernimento vocacional, junto a Canção Nova, pude sentir como um presente de Deus, para confirmar ainda mais esse chamado. Além disso estar no Colégio Santa Teresinha, me marcou muito , por eu ser muito devoto. A mensagem que ficou foi que ela também caminha com Dom Bosco. No momento não tive dimensão da graça que foi estar com o reitor, mas depois refletindo, pude ter a dimensão da bênção que foi estar com Dom bosco e poder abraçá-lo, na pessoa do Reitor. Guilherme Costa

Sobre vocacional na Canção Nova 

No encontro com o Reitor- Mor pude vivenciar a experiência de ser filho , acolhido realmente por Dom Bosco, a presença dele entre nós renovou em mim o ardor pela salvação das almas e a minha pertença como filho de Dom Bosco ! Vitor Hugo

Quando chegamos ao colégio, estava lotado de jovens, distribuídos entre quadra de vôlei, futebol e de dança, e entre eles havia um grupo de jovens em volta do Padre Angel tirando foto.Fiquei encantada como ele atendia a cada um recebendo-os com sorrisos e abraços, era como se conhecesse a todos e quando chegou nossa vez, ele acolheu um por um, eu me senti filha dele.Ele tem o olhar de Dom Bosco e uma presença alegre, foi uma experiência forte, foi Graça de Deus estar ali tão perto do Reitor-Mor, ainda mais como vocacionada da Canção Nova que é da Família Salesiana. Grazzy Câmara 

Dom Ángel deixou uma mensagem para a juventude do Brasil: Quero dizer duas coisas. A primeira, não tenha medo de seus sonhos e de seus desafios. A segunda, que deixe sempre que Senhor siga tocando seu coração, essa é a garantia da felicidade.”

Foto do Fest 2017 

(Transcrição e adaptação):  Simone Souza-CN 

Semana da Pátria
1º a 07 de setembro de 2017

07 de setembro – dia da Pátria: Vida em primeiro lugar
“A paz é o nome de Deus” (Papa Francisco)

”O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, reforçou a motivação para o Dia de Oração e Jejum pelo Brasil na carta enviada aos padres, diáconos, religiosos e leigos da Arquidiocese, na segunda-feira, 28. Na carta, Dom Odilo também recorda a celebração do aniversário da dedicação da Catedral da Sé no dia 5 de setembro.
. ”Peço que se organizem Missas e turnos de oração e adoração, na intenção posta; diáconos, ministros extraordinários da sagrada comunhão e equipes litúrgicas poderão ajudar. Para as Missas, oriento que se tomem as indicações do Missal Romano para as celebrações ‘pelo bem público’. As leituras poderão ser escolhidas de acordo com a circunstância”, orientou Dom Odilo.
Segundo o Arcebispo, será uma maneira diferente de se comemorar o Dia da Independência do Brasil. “E não esqueçamos de pedir a intercessão e a proteção de Nossa Senhora Aparecida pelo Brasil”, acrescentou.”

Acesse: Padre Jonas Orem em Línguas Brasil 

Diante do grave momento vivido por nosso país, dirijamos nossa oração a Deus, pedindo a bênção da paz para o Brasil.

Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!

Vivemos um momento triste, marcado por injustiças e violência. Para construirmos a justiça e a paz, em nosso país, necessitamos muito do vosso amor misericordioso, que nunca se cansa de perdoar.

Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!

Estamos indignados, diante de tanta corrupção e violência que espalham morte e insegurança. Pedimos perdão e conversão. Nós cremos no vosso amor misericordioso que nos ajuda a vencer as causas dos graves problemas do País: injustiça e desigualdade, ambição de poder e ganância, exploração e desprezo pela vida humana.

Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!

Ajudai-nos a construir um país justo e fraterno. Que todos estejamos atentos às necessidades das pessoas mais fragilizadas e indefesas! Que o diálogo e o respeito vençam o ódio e os conflitos! Que as barreiras sejam superadas por meio do encontro e da reconciliação! Que a política esteja, de fato, a serviço da pessoa e da sociedade e não dos interesses pessoais, partidários e de grupos.

Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!

Vosso Filho, Jesus, nos ensinou: “Pedi e recebereis”. Por isso, nós vos pedimos confiantes: fazei que nós, brasileiros e brasileiras, sejamos agentes da paz, iluminados pela Palavra e alimentados pela Eucaristia.

Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!

Vosso filho Jesus está no meio de nós, trazendo-nos esperança e força para caminhar. A comunhão eucarística seja fonte de comunhão fraterna e de paz, em nossas comunidades, nas famílias e nas ruas.

Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!

Neste ano em que celebramos os 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida, queremos seguir o exemplo de Maria, permanecendo unidos a Jesus Cristo, que convosco vive, na unidade do Espírito Santo.

Amém!
(Pai nosso! Ave, Maria! Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo!)
“Refugiei-me no amor de Deus para sempre…” (Salmo 52 (51), 10)

Fonte: Arquidiocese São Paulo
: CNBB    

Oração pela Restauração das Famílias.

Senhor Jesus, Tú me conheces e conheces a realidade de minha família. Sabes o quanto precisamos de Tua benção e da ação de Tua misericórdia.

Eu confio em Ti, e hoje invoco o Teu nome sobre todas pessoas e situações de minha família.

Restaura a minha casa Senhor: realiza uma obra de profunda cura, libertação e restauração na minha vida e na vida dos meus.

Liberta minha família de toda maldição, derrota e jugo hereditário que pese sobre nós. Desfaz Jesus, em Teu nome, todo laço e consagração ao mal que, porventura, nos amarre.

Lava-nos com Teu sangue, e liberta-nos de todos os vícios e contaminações espirituais.

Cura as feridas no coração e na alma dos meus: tapa as brechas em minha família Senhor.

Liberta meus familiares de todo ódio, ressentimento e divisão, e faça o Teu perdão acontecer em nossa vida.

Liberta o meu lar de todo desamor Senhor, e faça a Tua vitória acontecer em todas as áreas de nossa história.

Abençoa profundamente todos os meus familiares, antepassados e descendentes.

Eu declaro que Tu és, Jesus, o único Senhor de minha família e de todos os nossos bens.

Eu consagro toda a minha família a Ti Jesus e a Ti Virgem Maria: que nós sejamos sempre guardados e protegidos por Vós.

Em Ti Jesus estará sempre a nossa força e vitória.

Contigo queremos viver e amparados por Ti queremos sempre lutar contra o mal e o pecado, hoje e sempre. Amém!

Rezar 1 Pai-nosso, 1 Ave-Maria e o Creio.

Em 16 de Agosto de 1815 nasce em Turim, cidade ao Norte da Itália, João Melquior Bosco, conhecido mundialmente por Dom Bosco, completaria hoje 202 anos.

São João Dom Bosco é um santo como muitos de sua época que tiveram uma missão de marcar uma sociedade e se tornar um grande influenciador e incentivador da família, dos estudos, trabalho e oração. Estudotrabalho e oração: eis o que tornará bons os jovens” essas foram suas  metas no Sistema Preventivo, de formar ” Bons Cristãos e Honestos Cidadãos”. 

O Jovem Bosco venceu muitos os obstáculos em sua vida. Órfão aos dois anos de idade, precisaria de apoio para estudar, mas, seu irmão mais velho, Antônio, não aprovava sua dedicação ao estudo, queria que ele fosse ajudá-lo na agricultura. Para o seu irmão, o trabalho agrícola era o mais importante do que se dedicar aos livros. E como mudar a história? Como encorajar para seguir um sonho, um chamado, uma vocação?

  Saiba mais sobre Dom Bosco

Quando surge essas perguntas precisamos encontrar as respostas certas e muitas vezes encontraremos dentro da nossa família, foi o que aconteceu com ele, sua mãe conhecida como Mamãe Margarida, foi a grande incentivadora após um sonho que o seu filho teve aos 9 anos.  Nossa Senhora lhe apareceu revelando em sonho sua futura missão, após partilhar com sua mãe ela disse: ”Bem, filho, talvez você seja padre, algum dia!

Nossa Senhora foi muito presente na vida de Dom Bosco, após o sonho ele assumiu a presença Dela como Mãe,  dai no futuro ele diz ” Foi Ela quem tudo fez”. Encontramos nele um jovem de alma Mariana, suas experiências com a Virgem Maria fizeram com que não decidisse nada sozinho, na juventude, durante os estudos ele confiou tudo a Ela. Sua primeira devoção foi  Nossa Senhora das Graças, quem ele rezou uma novena para pedir ajuda na decisão de decidir o seu estado de vida e fazer a vontade de Deus.

Foto: Simone Nunes -

Casa Princesa Izabel – Cidade Imperial – Petrópolis- RJ / Foto: Simone Nunes – CN

Nesse dia que lembramos o seu nascimento quero trazer algumas particularidades de Dom Bosco e a presença da Família Salesiana no Brasil. Em 1885 a Princesa Izabel também foi uma grande incentivadora para que a Pedagogia de Dom Bosco fosse implantada aqui, na ocasião ela se preocupação com a libertação dos escravos e com a liberdade onde eles poderiam encontrar apoio e acolhimento para estudar e se profissionalizar. Para que isso acontecesse ela  doou o terreno em Niterói e em São Paulo, dando inicio a implantação da espiritualidade Salesiana nesse País, com as escolas profissionalizantes e colégios. Carta na íntegra 

Monsenhor Jonas Abib, foi um dos alunos Salesianos de São Paulo, ele estudou no Liceu Sagrado Coração de Jesus a segunda construção provida da Princesa. A Igreja no Brasil vem estudando desde de 2012 a possibilidade de dar entrada nos documentos pedido na beatificação da Princesa acreditando que sua religiosidade, bondade e caridade testemunhada por suas atitudes a elevam para os altares.

Rezemos nesse dia pedindo a intercessão de Dom Bosco e de Nossa Senhora Aparecida de qual a Princesa Izabel foi devota, (em agradecimento a uma graça recebida doou a coroa que está na imagem em Aparecida até hoje) que os estudos possam ajudar na comprovação de sua santidade confirmando que ela viveu sua fé como ” Uma Boa Cristã é uma Honesta Cidadã”

Instituto Canção Nova 

Mons Jonas é a figura de Dom Bosco, Padre Mario Bonatti – SDB

Conheça a Faculdade Canção Nova 

Brasil Salesiano  

Dom Bosco, rogai por nós!

A maioria de nós mulheres anseia por ser vista como princesa e traz na alma o anseio de ser verdadeiramente amada, admirada e compreendida como é. Viver um romance, uma aventura e encontrar um príncipe “encantado” também faz parte dos nossos desejos mais profundos. Porém, já está provado que a vida, apesar de bela e surpreendente, não é um conto de fadas. Trabalho, escola, família, viagens, agenda, amigos, casa e tantas outras coisas movimentam nossa vida o tempo inteiro, fazendo-nos até pensar: será que existe um lugar onde meus sonhos se realizam e onde eu posso ser eu mesma, sem me preocupar em dividir-me em mil para cumprir meu papel?

Alma feminina e sua importância para compreender o mundoAté que chega o dia em que você faz uma grande e definitiva descoberta: seu coração de mulher, cheio de mistérios, sonhos e anseios tem uma comunhão profunda com o coração de Deus! Então, você aprende a relacionar-se com Ele como sendo o grande amor da sua vida, e tudo que você vive a partir disso ganha um novo sentido. Deus mesmo se encarregará de proporcionar, a cada manhã, novas experiências e oportunidades inesperadas para revelar ao mundo a beleza do seu coração de mulher com tudo que ele traz na essência. O mais importante é que você não mais se sentirá sozinha nem incompreendida, pois Deus, que a criou com todos esses anseios, ama-a profundamente do jeito que você é e está ao seu lado aconteça o que acontecer.

    Aprofundamento ” A Cura da Alma Feminina” Inscrições on-line aqui, 

Particularidades do instinto feminino

Neste dia, você descobre que ser mulher não é qualquer coisa, mas é um dom, um desígnio do Criador. E como todo dom trás em si uma tarefa, a sua é, segundo São João Paulo II, “enriquecer a compreensão do mundo e contribuir para a verdade plena das relações humanas”. Isso porque uma mulher temente a Deus consegue transmitir, com sua vivência, um sentido mais suave às realidades duras que a humanidade inevitavelmente enfrenta. Pois é próprio do instinto feminino amenizar a dor, incentivar, dar conselhos, acolher e lutar por aqueles que ama, tornando tudo mais suave com sua ternura.

A realização da alma feminina

Quando conseguimos compreender bem isso e assumimos nosso papel, muitas coisas podem mudar. Começamos por considerar que não podemos encontrar a felicidade fazendo muitas coisas, adquirindo bens materiais, fama e status. A realização da alma feminina está justamente no amar, ou seja, na doação de si mesma para o bem comum, e aqui merece destaque especial a maternidade, que é uma das formas mais originais e profundas de doação. O coração de uma mãe tem muitas semelhanças com o coração de Deus, por isso é uma das obras mais sagradas que existe no mundo. Mas em geral, Deus deu a cada mulher uma feminilidade que é cativante, poderosa e terna, humana e divina; e quanto mais a exercermos, mais nos sentiremos realizadas, felizes e próximas d’Ele.

Por isso, acredito que viver de acordo com a nobreza da nossa vocação feminina pode ser hoje a forma mais original de encontrar esse lugar dos nossos sonhos: o coração de Deus. Nele, nós podemos ser quem somos sem culpa nem dor. Por Ele somos eleitas, amadas e admiradas com tudo que trazemos na alma, pois foi assim que Ele nos criou.

 

Dijanira Silva
Fonte: formacao.cancaonova.com 

Sociedade Maronita e Canção Nova realizam a 10ª Festa Nossa Senhora do Líbano.

A Festa de Nossa Senhora do Líbano acontece no terceiro final de semana de maio, nessa décima edição da Festa a comemoração será nos dias 20 e 21 de maio, ao lado da Catedral Nossa Senhora do Líbano onde está situada a Sede da Eparquia Maronita e Comunidade Canção Nova, ambas parceira nessa festividade.(foto)

Há dez anos que a Festa é um espaço onde as famílias de descendência libanesa e apreciadores da cultura se encontram para confraternizar. Durante a festa haverá apresentação da arte libanesa como dança típica , shows e a tradicional culinária. (foto)

A festa tem abertura com a Santa Missa presidida por Dom Edgard e animada pelos membros da Sociedade Maronita de Beneficência.(foto)

‘’ A Festa de Nossa Senhora do Líbano é a  comemoração da espiritualidade, da culinária e da música libanesa. Essa festa é uma parceria com os Maronitas e Canção Nova. A presença do Padre Adriano representa a presença do Mons. Jonas Abib… A Igreja Católica do Brasil e do Mundo inteiro que reza de uma maneira especial, de coração, com afetos.. Essa oração carismática que se reza comemorando o dia dos Santos e caminhando nos caminhos dos Santos… O Espírito Santo que foi na vida de Nossa Senhora  que seja na nossa vida  essa força que recebemos no Batismo… O Espírito Santo que iluminou, que deu para Nossa Senhora a força para aceitar mensagem do Anjo para Ela, aceitar o caminho de Jesus Cristo na vida Dela, Ela quem cuidou, Ela que viveu para o Senhor Jesus, essa é a santidade para cada um de nós; viver e aceitar a vontade de Deus em nossa vida.  O Papa Francisco fala da presença do Espirito Santo em nossas vidas, Ele é  quem traz alegria e paz!  (Dom Edgar Madi)

10º Festa Nossa Senhora do Líbano
Data: 20 e 21 de maio (sábado e domingo)
Horário: abertura – sábado, 16h00, e domingo, 11h30, com a Santa Missa
Entrada franca
Local: Catedral Maronita Nossa Senhora do Líbano. R. Tamandaré, 355 – Liberdade (próximo à estação S. Joaquim do metrô ou linha 4114-10 V. Gumercindo)

Informações: (11) 5072-7566
Acesse: www.igrejamaronita.org.br


É A NOSSA MÃE SOLÍCITA E CARINHOSA. TOMOU PELA MÃO JOÃO BOSCO E TOMA-NOS TAMBÉM A NÓS

GUIANDO-NOS PELOS CAMINHOS DESTE MUNDO

Precisamente ontem, uma jovem esposa que atravessa um momento difícil me dizia num momento em que se falava de fé: «Claro que tenho fé, padre. Quero viver com fé e na fé, posso dizer-lhe com absoluta certeza que, todas as manhãs, a primeira coisa que faço ao levantar-me é a minha oração a Maria Auxiliadora».
O meu pensamento voou logo para Dom Bosco e para a confiança absoluta que tinha em Maria Auxiliadora. Ele mesmo disse tantas vezes: «É impossível chegar a Jesus sem passar a través do amor de Maria» e ainda: «Maria foi sempre a minha guia. Quem n’Ela põe a sua confiança não será desiludido».
Quase a brincar, uma vez disse: «Se eu vier a saber que algum de vós rezou bem e não foi atendido, escreverei uma carta a S. Bernardo a dizer-lhe que se enganou ao afirmar: “Lembrai-Vos, ó piíssima Virgem Maria, que nunca se ouviu dizer que algum daqueles  que tem recorrido à vossa proteção, implorado a vossa assistência, e reclamado o vosso socorro, fosse por Vós desamparado”. Mas ficai descansados que não terei de escrever uma carta a S. Bernardo».
Imagino que, para esta jovem esposa e para muitíssimas outras pessoas que têm uma confiança absoluta na Mãe do Céu, o sentimento é o mesmo. A confiança em Maria Auxiliadora é uma certeza que não será defraudada.
Tudo isto me diz muito mais do que um piedoso pensamento retirado de Dom Bosco. Quantas vezes pude contemplar a simples e calorosa devoção de milhares e milhares de pessoas com os olhos do coração voltados para Maria, a Mãe do Senhor, em vários santuários marianos do mundo. A isto não posso ficar indiferente e sinto-me interiormente comovido.
E ver o que significa Maria Auxiliadora neste nosso “mundo salesiano”, na Basílica de Valdocco, toca profundamente o coração. Imagino Dom Bosco a caminhar neste mesmo espaço, a pisar este pátio, embora com outro revestimento, “a apaixonar” diariamente os seus rapazes, os seus jovens e os primeiros salesianos com este vivo e forte afeto pela  Mãe do Céu.
Ouço a sua voz a recomendar que, se queremos traçar um caminho de sucesso como educadores salesianos, temos de fazer vibrar com intensidade o coração dos nossos rapazes e das nossas raparigas pela Mãe de todos. Sem este forte sentimento, falta algo de essencial ao nosso princípio educativo dos “bons cristãos”.
Posso assegurar-vos que, nas minhas viagens pelo mundo, continuo a deparar-me diariamente com autênticos milagres fruto da educação salesiana, resultado de um sistema preventivo que é entrega a uma presença que torna racional a exigência de colocar Deus como sentido da vida e que faz sentir o autêntico afeto dos educadores que buscam somente o bem destas crianças, adolescentes e jovens, preparando-os para a vida e ajudando-os a crescer. A Virgem de Dom Bosco é sempre representada com um amplo manto acolhedor, refúgio protetor em muitos dos seus sonhos.
No primeiro sonho, Maria “tomou-me com bondade pela mão”. Dom Bosco nunca largará aquela mão. Assim, o extraordinário florescerá no ordinário, porque esta é a verdadeira fé. Poderemos dizer “Onde está Dom Bosco está Maria”. Uma presença concreta.
Como Dom Bosco tentou explicar às irmãs reunidas em Nizza.
«Quero só dizer-vos que Nossa vos ama muito, muito. E, sabeis, Ela encontra-se aqui no meio de vós!». Então o padre Bonetti, vendo-o comovido, interrompeu-o, e começou a dizer, só para o distrair: «Sim, assim, assim! Dom Bosco quer dizer que Nossa Senhora é vossa mãe e que Ela vos guarda e protege».
«Não, não, replicou Dom Bosco, quero dizer que Nossa Senhora está mesmo aqui, nesta casa e que está contente convosco e que, se continuardes com o mesmo espírito, tal como Nossa Senhora deseja…». O bom Pai comoveu-se ainda mais do que antes e o padre Bonetti retomou a palavra: «Sim, assim, assim! Dom Bosco quer dizer-vos que, se fordes sempre boas, Nossa Senhora ficará contente convosco».
«Não, não, tentava explicar Dom bosco, esforçando-se por dominar a própria comoção. Quero dizer que Nossa Senhora está mesmo aqui, aqui no meio de vós! Nossa Senhora passeia nesta casa e cobre-a com o seu manto» (Memorie Biografiche XVII, 557).
Quando esta é a realidade, quando se vê tanta vida nas casas salesianas do mundo e todo o bem que nelas se faz, pode verdadeiramente dizer-se: «Foi Ela que tudo fez e… confiai em Maria Auxiliadora e vereis o que são milagres».
Continue a abençoar-vos esta nossa Mãe, com todo o amor que só as mães sabem dar.

Fonte: Pe. Ángel Fernández – Reitor Mor- Salesianos

Catedral Armênia Católica São Gregório Iluminador guarda ícone do Santo das causas urgentes

imagem/internet

Fiéis Católicos de rito Armênio celebram na quarta-feira,19, o dia de Santo Expedito – um santo de origem Armênia -, na Catedral São Gregório Iluminador, bairro da Luz, em São Paulo.

Ao longo do dia a Catedral, recém restaurada, ficará aberta à visitação pública. Às 16h haverá uma missa celebrada em português pelo Padre Antonio Francisco Lelo, administrador paroquial.

Conhecido como o “Santo das Causas Justas e Urgentes”, Santo Expedito é invocado na extrema dificuldade; quando os negócios precisam de uma solução imediata, cuja invocação nunca é tardia. Santo Expedito é protetor do estudantes e militares.

Tradicionalmente em São Paulo, milhares de fiéis participam da festa de Santo Expedito na Igreja da Capelania Militar, junto ao Batalhão da Rota, também no bairro da Luz. Mas o que muitos não sabem é que à cerca de 500m do batalhão da Polícia Militar, logo após o Mosteiro da Luz, na avenida Tiradentes, a Catedral Armênia Católica, também homenageia Santo Expedito.

Foto: Simone Nunes/CN

Construída em 1976, a igreja passou por uma grande restauração e ressurge com todo seu esplendor.  O Altar Mor em mármore, em estilo armênio, guarda ao centro um belíssimo ícone da Nossa Senhora de Narek folhado em ouro. As laterais foram reservadas à dois santos considerados colunas da Igreja: São Judas Tadeu e São Bartolomeu. Foram eles  que levaram o Cristianismo a Armênia. O país foi o primeiro a adotar o Cristianismo como religião oficial em 301.

O teto da Catedral recebeu molduras em gesso ornamentadas em estilo armênio. No teto, 23 pinturas em óleo sobre tela, revelam com riqueza de detalhes a trajetória de Jesus de Nazaré, do Nascimento até a Ascensão. As imagens foram distribuídas de acordo com cada momento da vida de Jesus. Os vitrais nas paredes laterais e na cúpula destacam santos armênios.

Na fachada, os três arcos e a Cruz de metal, que representam a Santíssima Trindade, também foram restaurados.

Na frente da Catedral foi erguido um monumento em homenagem às vítimas do Genocídio armênio, cometido pelo Império Turco- Otomano, que matou 1,5 milhão de pessoas durante a I Guerra Mundial. O monumento possui uma cruz de pedra de 700 quilos e relíquias dos mártires armênios, trazidas do deserto da Síria

História:

A Igreja Católica Armênia é uma entre as 24 Igrejas de diferentes ritos em plena comunhão com a Igreja Católica Apostólica Romana, ou seja, que aceitam a autoridade do Papa. Atualmente a Igreja Armênia Católica , tem cerca de 740 mil fiéis no mundo. A sede do Exarcado Armênio,  está localizada na Catedral São Gregório Iluminador, sob a responsabilidade do Exarca Apostólico Armênio, Dom Vartan Valdir Boghossian. O Exarcado Armênio possui comunidades no México, Venezuela, Brasil, Uruguai e Chile. Os 5 países reúnem cerca de 30 mil católicos armênios, sendo 16 mil na Argentina e os outros 14 mil nos demais países. No Brasil vivem  aproximadamente 7 mil católicos armênios, sendo grande parte em São Paulo e Rio de Janeiro.

A Catedral Armênia Católica São Gregório Iluminador fica na Avenida Tiradentes, 718, ao lado do Museu de Arte Sacra, próximo ao Metrô Tiradentes, no bairro da Luz, São Paulo.

Tel.: 11 32276703

Por, Sidnei Fernandes – (Jornalista Canção Nova)

Em meio ao mundo exigente e extremamente rápido (corrido…) que vivemos atualmente, é fato que as pessoas acabam se tornando cada vez mais inclinadas a serem intolerantes, impacientes, e propensas a rotular as outras.

Sufocados por tantos dilemas e exigências, poucos conseguem ter a devida paciência para com os outros, e muitos, se não alcançam respostas imediatas em um determinado relacionamento, acabam desistindo facilmente destas pessoas que buscavam se aproximar.

Descobrir alguém leva tempo. E quando nos tornamos superficiais demais, desistindo facilmente frente ao primeiro desencanto, acabamos por perder a feliz oportunidade de descobrir pessoas maravilhosas.

Não é porque a pessoa não sorriu como quereríamos ou porque tenha um defeito latente, que temos o direito de encarcerá-la em um rótulo infeliz.

Acredito que todos querem ser bons e felizes, e todos lutam por isso. Pode ser que não sejam compreendidos assim – ou não se percebam assim -, mas no fundo buscam isso. Pode ser que palavras inicialmente ásperas sejam, no fundo, o pedido de socorro de alguém que recebeu pouco amor na vida, e que desesperadamente pede que a ensinemos amar.

Pode ser que as atitudes que mais o irritam em alguém sejam a prova do esforço profundo de um coração querendo sinceramente fazer o bem, e que nisso precisa ser estimulado/ensinado, para assim poder revelar suas melhores potencialidades.

Mesmo que o amor que recebamos não seja do jeito tínhamos buscado ou idealizado… mesmo assim é amor. Os gestos e iniciativas de amor que possam soar repugnantes para nós, podem ser o tudo do que o outro pode nos dar no momento. Precisamos aprender a acolher o que as pessoas conseguem oferecer hoje, valorizando o que elas nos oferecem.

Não podemos ser cruéis a ponto de destruir em nós aqueles que não se acomodam aos nossos esteriótipos e expectativas infantis.

O verdadeiro amor se expressa em um acolhimento que permite que o outro seja simplesmente o que é, sem precisar representar para nos agradar e assim ser aceito.

Amar é acolher e buscar compreender (o que não é fácil…). Dessa forma será possível permitir que o outro, neste universo de verdade e liberdade, se revele expressando o amor como sabe, pois só assim este poderá aprender – a partir do amor/acolhida que recebeu – a melhor forma de amar e se ofertar.

Eis o desafio: amar com acolhida e maturidade, sem exigir que o outro se transforme em uma representação fiel do que “estabeleci” como verdade e valor.

Assim as pessoas poderão ser de fato pessoas ao nosso lado – ao invés de coisas –, e na verdade do que recebemos e ofertamos, poderemos também nós nos tornar melhores, sem a exigência desumana de precisarmos nos alienar para sermos aceitos.

Pe Adriano Zandoná

Sede os protagonistas da mudança. Usai a vossa vocação para construir um mundo melhor. É este o repto lançado este mês pelo Papa aos jovens de todo o mundo, na edição de abril de O Vídeo do Papa.

                                       Vocacional Canção Nova São Paulo 

Com imagens que fazem um paralelismo entre a atividade desportiva da moda, o cross-fit, e o contributo trazido por essa dedicação, o vídeo deste mês procura tocar os sentimentos da juventude, interpelando as novas gerações sobre o seu papel na sociedade: «Sei que vós, os jovens, não quereis viver na ilusão de uma liberdade que se deixa levar pela moda do momento… que desejais algo maior. É assim, ou estou enganado?», questiona o Sumo Pontífice.

Segundo estudos da ONU, no início de 2012, a população mundial superou os 7 mil milhões, sendo mais de metade deste número (50,5%) constituída por pessoas com menos de 30 anos. Este documento define os jovens como «fator determinante nas mudanças sociais, no desenvolvimento económico e no progresso técnico. A sua imaginação, os seus ideais, as suas perspetivas e a sua energia são imprescindíveis para o desenvolvimento das sociedades em que vivem».

A propósito da intenção deste mês, o diretor internacional da Rede Mundial de Oração do Papa e do Movimento Eucarístico Juvenil (MEJ), P. Frédéric Fornos, sj, lembra que «na sua mensagem aos jovens para as Jornadas Mundiais da Juventude de 9 de abril de 2017 (preparando o encontro no Panamá – JMJ 2019), o Papa Francisco animou-os a “melhorar o mundo”, a “deixar um sinal que marque a história”. Agora, no seu vídeo mensal, manifesta a sua confiança nas capacidades dos jovens e na sua generosidade; anima-os a responder à sua vocação e a mobilizar-se pelas grandes causas do mundo», nota o P. Frédéric Fornos, s.j.
Fonte: Rede Mundial de Oração do Papa 

08-03

8 de Março dia da mulher, festa da humanidade.

E pensável uma humanidade só de mulheres?
E pensável uma humanidade só de homens?

Seria um horror.

Um pesadelo, anuncio de morte certa.

Não é bom que o homem esteja só…
Não é bom que a mulher esteja só..

Não há maior e nem menor.
Há caminhos juntos, vida juntos, partilha juntos.
Construindo juntos o presente e o futuro

A agressão de um é destruição do outro.

Assim Deus o quer, assim o amor o quer
Ou vivemos juntos ou morremos juntos.

Até Deus para se fazer carne no seu filho JESUS e habitar no meio de nós, precisou do SIM de Maria de Nazaré. As mulheres por serem geradoras de vida merecem atenção especial.

Frei Patricio Sciadini – (Atualmente ele se encontra em missão do Egito)

“Procura nos bolsos da minha batina. Tira a carteira para ver se há algum dinheiro. Creio que não há nada, mas se houver, entrega-o imediatamente ao ecônomo. Quero se saiba que Dom Bosco nasceu pobre e morreu sem um centavo”.
Um homem rico que ajudou Lázaro

O Papa Francisco em sua carta para a Quaresma deste ano faz um apelo a ser generosos com os necessitados, orientando que a generosidade nos leve a dar não o que nos sobra, mas a dar do nosso. Neste sentido, o exemplo de Chuck Feeney, homem de 85 anos, que doou toda a sua fortuna para obras de caridade aplica-se a frase: “Não repartiu migalhas. Deu o pão inteiro”.

Chuck vinha de uma família de católicos imigrantes da Irlanda do Norte que foi viver em Nova Jersey, Estados Unidos. Sua mãe era enfermeira e seu pai trabalhava numa seguradora. Seu primeiro trabalho, aos dez anos, foi vender cartões de Natal de casa em casa.

Ajuntou uma formidável fortuna de 8 bilhões de dólares; ele é o inventor dos “free shops” nos aeroportos. Seu interesse pelos problemas das pessoas mais carentes foi uma constante em sua vida mediante as obras de filantropia.

Há alguns anos, depois de garantir o futuro dos filhos, criou em 1982, a Fundação “Atlantic Philanthropies”. Com seu dinheiro serviu a causas que abrangem desde a saúde até as missões de paz. Em dezembro de 2016, desprendeu-se dos últimos sete milhões de dólares que lhe restavam. “Disse estar tranquilo consigo mesmo depois de dar todo o seu dinheiro”.

Vive atualmente com sua esposa num apartamento modesto, do qual nem sequer é proprietário. Sua propriedade mais valiosa é o relógio de plástico de 15 dólares que está sempre em seu pulso. Para sair de casa usa o metrô pois não tem automóvel.

O importante vai além do dinheiro. Consiste na satisfação de que se está conseguindo algo de útil para os outros. “Nunca me doeu desprender-me do dinheiro, porque nunca me senti apegado à riqueza material. Gosto de viver como acredito, sabendo que através do trabalho da fundação fizemos muito bem a pessoas que nunca o esperavam. E ver a felicidade dessa gente foi uma espécie de recompensa”. Palavras de Chuck Feeney.

Esse é um testemunho digno de ser difundido, pois enquanto a sociedade e os meios de comunicação insistem em apresentar-nos as riquezas como meta e fonte da felicidade e do sucesso pessoal, este homem optou por ir contracorrente e dar tudo o que tinha para fazer o bem às pessoas ajudando-as a viverem mais felizes.

Chuck Feeney está longe da figura do homem rico que acaba ficando cego diante do sofrimento do irmão Lázaro e contentando-se com uma vida medíocre e egoísta. “Uma riqueza excessiva que exibe de maneira habitual todos os dias: «Banqueteava-se esplendidamente todos os dias» (v. 19). Vê-se nele de forma clara a corrupção do pecado, que se realiza em três momentos sucessivos: o amor ao dinheiro, a vaidade e a soberba” (Mensagem para a Quaresma).

Este testemunho apela à consciência de todo cristão a pensar onde está a verdadeira riqueza e onde exatamente está o coração no momento de compartilhar com o outro que nada tem. Damos, de verdade, ou damos somente do que nos sobra?

Dom Bosco antes de morrer pediu ao P. Rua que tirasse de seus bolsos as poucas moedas que tinha, expressando assim o seu desapego ao dinheiro: “Procura nos bolsos da minha batina. Tira a carteira para ver se há algum dinheiro. Creio que não há nada, mas se houver, entrega-o imediatamente ao ecônomo. Quero se saiba que Dom Bosco nasceu pobre e morreu sem um centavo”.

Fonte ANS (Agência de InfoSalesiana)

 

Pela Evangelização: Ajudar os cristãos perseguidos

Pelos cristãos perseguidos, para que experimentem o apoio de toda a Igreja na oração e através da ajuda material.

Oração

Deus de bondade,
ao longo da história da Igreja
os cristãos foram perseguidos por causa da sua fé em Jesus.
Hoje, esta perseguição ganha proporções dramáticas
e difíceis de entender
num mundo onde tanto se fala de tolerância e respeito pelas diferenças.
Ser discípulo de Cristo comporta sempre a cruz e a incompreensão,
mas há alturas em que este peso é quase insuportável.
Muitas vezes, são realidades distantes de nós, cultural e fisicamente,
as notícias chegam-nos de forma filtrada
e não temos consciência das situações terríveis
por que passam tantos irmãos e irmãs na fé.
Dá-lhes, Senhor,
a graça da fortaleza e da esperança,
e a nós,
a graça de um coração inquieto,
que não se deixe acomodar e procure fazer algo por eles, com urgência.

Desafios para o mês

  • Dar a conhecer, junto de amigos e conhecidos, através das redes sociais, os aspetos da perseguição aos cristãos que são silenciados pela comunicação social.
  • Organizar, nas próprias comunidades, eventos de oração e sensibilização pelos cristãos perseguidos.
  • Enviar ajuda material para instituições que trabalham com estas situações de perseguição.

A Catedral Maronita no Brasil celebra a Festa de São Marun.

Domingo dia 19 de fevereiro teremos Santa Missa em honra a São Marun, no Rito Maronita,  que será transmitida pela TV Canção Nova, às 11:30 h.
Rua Tamandaré 355, bairro Liberdade – SP.  Acompanhe pela http://tv.cancaonova.com/.

A Igreja Maronita deve seu nome a um importante mosteiro, São Marun, que recebeu o nome em homenagem ao anacoreta Marun (Maron). Infelizmente, temos poucas informações sobre a vida e as atividades de nosso eremita. O único relato que nos dá alguns pormenores vem-nos de Teodoreto, bispo de Cyr, morto no ano de 458, em sua obra HISTÓRIA RELIGIOSA, escrita por volta do ano de 440. Este grande historiador não nos informa sobre a data de nascimento ou de morte de São Marun. Todavia, graças a ele, sabemos que o monge Marun nasceu no século IV. Depois de renunciar ao mundo, levava, em seu eremitério, muitas vezes ao ar livre, vida ascética das mais austeras.

12366110_913722885371910_6030353653081195172_oA vida monástica na Igreja não se constituiu da noite para o dia; tampouco foi obra de um só homem: A vida monástica existiu desde o começo da Igreja. No fundo, é seguir a Cristo e o esforço constante de viver o Evangelho da maneira mais perfeita. Por isso que a vida monástica é chamada de “caminho da perfeição cristã”. Assim, das origens do cristianismo até nossos dias, encontramos número considerável de monges, eremitas, ascetas, que procuram viver o Evangelho. O monge Marun era apaixonado por Cristo, e tomado de entusiasmo pela perfeição cristã. Para atingir este ideal, renunciou ao mundo e às suas cobiças, e embrenhou-se numa das montanhas da diocese de Cyr, onde habitou nas ruínas de um antigo templo pagão, transformando-o em lugar de oração e meditação. Nessas montanhas, levou vida monástica mais austera que a de seus confrades, monges da região. Sua reputação logo atraiu ao seu redor todos os que, igualmente entusiasmados pela perfeição cristã, procuravam um modelo e um guia espiritual experiente. Destarte, seus discípulos foram muito numerosos e sua escola ascética, das mais prósperas. Muitas pessoas o visitaram no seu eremitério, solicitando a cura tanto das doenças corporais, quanto espirituais, e foram atendidos.

São Marun morreu no início do século V, e ao que tudo indica, no ano 410. Depois de morrer, seu corpo foi objeto de disputa entre os habitantes de diversas cidades da região, vistos os milagres que fazia. Cada uma queria para si o corpo daquele santo solitário; por fim, os habitantes do lugar mais povoado e o mais forte tornaram para si o corpo; depositaram-no em um templo construído especialmente para ele, e dedicado à sua memória. O santuário não tardou em transformar-se em local de peregrinação para os fiéis vindas de todas as regiões. No ano de 452, o Imperador Marciano mandou construir, para os discípulos deste santo, os monges maronitas, um grande mosteiro. Este mosteiro de São Marun foi o berço da Igreja Maronita.
                                                                             Unidade entre a Igreja de Roma e Igreja Maronita 
10714474_913708345373364_6615050501841514649_o
Como se formou a Igreja Maronita?
Depois do Concilio Ecumênico de Calcedônia que foi convocado em 451 e declarou que Nosso Senhor Jesus Cristo é, há um tempo, “Verdadeiro Deus e Verdadeiro Homem”, os monges maronitas se revelaram os mais fortes defensores desta verdadeira doutrina da Igreja. Neste momento, a importância do Mosteiro de São Marun foi se tornando cada vez maior, de modo que o seu superior logo tornou-se, num lapso relativamente curto, chefe da região ao mesmo tempo espiritual e temporal. Também a influência dos monges, discípulos de nosso Santo, sobre os fiéis, tornou-se tão grande que estes se aplicavam a imitar os monges no modo de rezar, trabalhar, comer, jejuar e repousar.

No século VII, no momento em que o mosteiro de São Marun gozava dessa proeminência e testemunhava grande influência, os árabes invadiram o Oriente Médio. Resultou que a Sé patriarcal da Igreja oficial de Antioquia ficou desocupada por quase um século, pois o patriarca se refugiou em Constantinopla, e vaga durante quase quarenta anos. Foi neste período, consideravelmente perturbado pelos acontecimentos, e enquanto a Igreja oficial de Antioquia ‘encontrava-se sem um chefe, que o poderoso mosteiro de São Marun, tendo jurisdição sobre a população das vizinhanças do convento, declarou-se independente, e formou uma verdadeira Igreja, à testa da qual encontramos, no século VIII, um patriarca: “Patriarca de Antioquia e de todo o Oriente”. Até agora, a Igreja Maronita é considerada “comunidade monástica”.

892356_913709018706630_7248779835449930309_oA Igreja de Antioquia foi fundada por São Pedro, chefe dos Apóstolos, antes de ir a Roma. Por isso, só o patriarca maronita tem a prerrogativa de acrescentar a seu nome o de “Pedro”, em honra de São Pedro que foi o primeiro patriarca de Antioquia. Esta Igreja Antioquia tem a honra de ter como língua litúrgica o aramaico, a língua falada por Jesus Cristo, como tem a honra de ter sido a única Igreja Oriental que ficou sempre Católica Apostólica Romana, ligada ao Papa.

Em 423, após o litoral fenício-libanês ter sido cristianizado pelos Apóstolos, depois da ressurreição de Nosso Senhor, a montanha libanesa, que ficou até esta data pagã, foi evangelizada pelo discípulo de São Marun, o monge Abraão de Cyr, que foi nomeado pelos historiadores “Apóstolo do Líbano”. Batizou o povo desta região; e podemos dizer que a montanha libanesa, a partir desta data, foi cristianizada e, mesmo, “maronitizada”. É bem verdade que o Líbano, terra e povo, existia bem antes da chegada dos maronitas. Mas o Líbano atual, território e povo, não existiria, se os maronitas não estivessem lá. Pos isso que se diz muitas vezes, e com justiça, que “O Líbano e a Maronidade são duas realidades gêmeas”.
Isto demonstra o insistente apego dos maronitas pelas montanhas libanesas e a resistência tenaz que testemunharam ao longo dos séculos para defender o Líbano, seu país e a fortaleza de sua fé, sua identidade, e sua liberdade. O centro desta Igreja está no Líbano onde fica a Residência do Patriarcado Maronita. Nesta TERRA SANTA libanesa nasceram nossos santos CHARBEL, RAFQA e NIMATULLAH. Os três foram buscar sua espiritualidade na tradição monástica da Igreja Maronita e foram formados na Ordem Libanesa Maronita que encarnou esta espiritualidade.
                                                                                               Festa Nossa Senhora do Líbano 

Oração para São Marun

Ó Deus, que suscitastes São Marun e fizestes dele um modelo de virtudes, concedei-nos, pela sua intercessão: compreender a nossa vocação cristã para uma vida de fé inabalável, de esperança firme e de amor perfeito; seguir pelo caminho da perfeição cristã e salvação; e chegar, por uma vida de oração e contemplação, às alegrias de Vosso Reino. Por Nosso Jesus Cristo Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo! Amém. Pai Nosso…Ave Maria…Glória…
São Marun, rogai por nós!

Fonte: Memórias do Líbano

Quinta-feira-de-Adoração (1)Eucaristia nosso tesouroO Corpo de Jesus, presente na Eucaristia, vem atingir plenamente o nosso ser.

Na comunhão:
Quem recebe a Eucaristia recebe o Corpo do Senhor. Ele permanece em nós e nós n’Ele.
Quando comungamos, é a pessoa inteira de Jesus que recebemos, é Cristo Ressuscitado com Seu Corpo glorioso.Ao comungar, entramos em comunhão com as chagas de Jesus, abertas por nós, para curar as nossas feridas e o que o pecado nos deixou. Comungamos o coração do Senhor, que amou e ainda ama cada um de nós, o mesmo coração que foi perfurado pela lança.
 
Na adoração:
A cura física e espiritual de que necessitamos está na adoração. Mesmo na fraqueza, precisamos usar nossa boca, nossa mente, nossos sentimentos e joelhos para adorar Jesus.
A adoração nos tira das garras do inimigo. Mesmo sem palavras, adoremos em espírito, diante do Trono da Graça. Na adoração, a tentação é obrigada a ceder.
Seu irmão,
Monsenhor Jonas Abib