Uma amizade em Deus nos ajuda a responder ao chamado

Uma amizade em Deus nos ajuda a responder ao chamado. A Palavra de Deus diz que um “amigo fiel é poderosa proteção: quem o encontrou, encontrou um tesouro. Ao amigo fiel não há nada que se compare, pois nada equivale ao bem que ele é. Amigo fiel é bálsamo de vida; os que temem o Senhor vão encontrá-lo. Quem teme o Senhor, orienta bem sua amizade: como ele é, tal será o seu amigo.“(Eclo. 6,14-17). Precisamos de um amigo assim. Ele é o único capaz de corrigir e continuar nos amando, discordar, mas sem ferir ou deletar a nossa amizade.

O chamado de Deus

Nesse ano de 2023 em que a Canção Nova completa 45 anos, Luzia Santiago, cofundadora da Comunidade Canção Nova, completa 50 anos de sua amizade com Mons. Jonas Abib. Como vemos, essa amizade começou alguns anos antes da fundação da comunidade, como ela mesma conta no livro Canção Nova uma Obra de Deus“Como jovem, casei-me no dia 26 de setembro de 1972, ficando viúva com quarenta dias de casada. Naquela época, eu ainda não era capaz de entender, mas  foi por meio dessa morte que conheci a Deus verdadeiramente. Meu marido morreu em novembro de 1972 e, no mês de janeiro seguinte, já sentia que minha vida não era para ser jogada fora. Estava com 23 anos e sentia que devia me entregar totalmente a Deus. Para mim, Deus se fazia presente nas pessoas, no povo. Por isso prestei vestibular para serviço social e comecei a estudar em Taubaté.”

Luzia Santiago

Saiba mais: Canção Nova Casa de Maria 45 anos fazendo discípulos

Amigos que nasceram pela fé

Em maio, fiz meu primeiro encontro de jovens. Foi lá que conheci padre Jonas (hoje, Monsenhor Jonas). Acredito que tenha começado, naquele momento, minha história no serviço do Senhor. Era uma viúva muito jovem, por isso as senhoras de Lorena me procuravam e diziam: “Lu, você tem que se casar. Você é jovem. Onde já se viu isso?”. Sinto que toda a minha caminhada foi uma briga entre “o que Deus queria de mim” e o que as pessoas “achavam que era bom para mim”. 

Naquele tempo, estava iniciando a Renovação Carismática Católica em nossa diocese. Não havia muitas pessoas disponíveis. Os mais antigos se lembram disso: eu tinha um carrinho (um fusca branco – o Francisco) sempre disponível. Fazia faculdade à noite e trabalhava, mas estava sempre disponível. Lembro-me bem da primeira vez que entrei numa estrada de rodagem. Padre Jonas telefonou para minha casa e disse: “Lu, estou indo confessar em Bananal esta noite. Você poderia me levar?”. Era uma noite muito escura, mas respondi que o levaria. Fui com padre Jonas e, na volta, veio conosco padre Sebastião, da cidade de Queluz. Já era mais de uma hora da manhã e, apesar de ser a primeira vez, deu tudo certo, graças a Deus. Tornei-me, assim, uma ótima motorista; ia para todo lado, pois não havia mais quem o fizesse.

Luzia e Pe. Jonas

Orientar a amizade para o bem

Começou a partir daí minha cruz. Por quê? Jovem, viúva, viajando com o padre pra lá e pra cá. As pessoas me achavam sem juízo. Mas, dentro de mim, algo dizia que eu precisava ir em frente, falassem o que falassem. Convivendo com padre Jonas, que sempre foi um homem de profunda oração, aprendi a rezar. O que sou hoje, posso dizer que foi porque estive ali, “aos pés” dele. Não é isso que diz o livro do Sirácida?: “Ao contrário, frequenta quem é temente a Deus, todo aquele que souberes que observa os mandamentos” (Eclo 37,15).  

Chama-me a atenção esta frase de Eclo 37,15: “Frequenta quem é temente a Deus”. Ou seja, cultiva uma verdadeira amizade com quem é temente a Deus. Vá com frequência ao encontro de quem é temente a Deus. Uma amizade em Deus ajuda a responder ao chamado. Quando deparei-me com esta frase, percebi que para “andar com Deus” eu precisava da companhia de pessoas que, como eu, temiam a Deus. Em Eclo 37,16 continua: “cujo ânimo é semelhante ao teu”. São os “Amigos de Deus” que nos levam a caminhar com Deus, rumo à realização da nossa vocação e missão. Andar com os “Amigos de Deus”, com aqueles que vivem em Deus e nos apontam para Ele, faz com que realizemos o nosso  primeiro chamado, a nossa primeira vocação: sermos de Deus, sermos santos!

Uma amizade em Deus ajuda a responder ao chamado

A partir desses preciosos amigos na fé, que são “Amigos de Deus”, Jesus quer nos mostrar qual é o tipo de pessoa com quem devemos andar, para não nos desviarmos dos Seus desígnios e da Sua Vontade. Como diz a Palavra de Deus e testemunha Luzia: “frequenta quem é temente a Deus e cujo ânimo é semelhante ao teu”.  Precisamos discernir essa verdade e caminhar com Deus. Uma amizade em Deus direciona a nossa vida para a concretização daquilo que Deus tem para nós a partir do nosso testemunho, da vivência de fé.

Daí a necessidade de cultivarmos as “conversas de alma” e não ficarmos só na superficialidade, nas conversas “bobas” ou pelas redes sociais nos relacionamentos virtuais. Precisamos cultivar partilhas profundas com aqueles que se alimentam daquilo que é eterno; caminhar com pessoas que são marca da presença de Deus em sua vida, pois andar com essas pessoas é andar com Deus; segurar nas mãos delas é segurar na Mão de Deus. Uma amizade em Deus ajuda a responder ao chamado.

Um amigo em minha vida

Monsenhor Jonas também colheu os frutos desta linda amizade. Ele mesmo testemunha: “Antes da Canção Nova como instituição jurídica e bem antes da comunidade, Deus colocou Luzia em minha vida. Não foi algo previsto nem buscado. Pelo contrário, se fosse escolher, escolheria outra pessoa, mas foi ela quem estava ali, desde o início, como companheira na missão. Deus quis que Luzia tivesse uma participação especial em minha formação. Ele [Deus] dava a ela a coragem de me dizer e fazer coisas que ninguém diria ou faria, e de me corrigir tantas vezes. O padre precisava de correção, e as outras pessoas não tinham a coragem dela para agir assim.” 

E continua: “o início da Renovação e da comunidade foi duro demais: quanto desencontro e quanta incompreensão! Compreendo, hoje, que Deus lhe deu a fortaleza para que ela fosse meu ombro forte. Muitas vezes, ela nem sabia o que dizer, apenas me deixava ser gente: falar, chorar, desabafar”.

Faça a experiência

É possível relacionar-se com todos, mas é preciso escolher “andar com Deus” para dar passos firmes a partir da descoberta do chamado até a realização da Vocação que Deus tem para você. Aproveite este momento para se recordar dessas pessoas tão preciosas e queridas que Deus tem colocado ao seu lado, ao longo da sua caminhada e da sua história, para conduzi-lo a Ele, e diga o seu “sim” ao chamado de Deus, dizendo muito obrigado pela presença de cada uma delas em sua vida. Por outro lado, peça ao Senhor que coloque sempre ao seu lado pessoas assim, que possam levá-lo a essa experiência de caminhar com Ele na fidelidade, para ver realizar o sonho que Ele sonhou para você!

Se você deseja iniciar um Caminho de Discernimento Vocacional com a Comunidade Canção Nova, clique aqui e fique por dentro: Ouse responder ao chamado de Deus.

Membro Comunidade Canção Nova

Siga-nos nas Redes Sociais 😃

Instagram

Twitter

Facebook