Eu não me canso de cantar

Cante com quem é jovem: eu não me canso de cantar. 

A vida é caminhar. Sou peregrino do amor. Vou semear a esperança deste mundo que há de vir. Eu não me canso de cantar. 

Mundo novo vem aí. gente de coragem vai lutar. A verdade vencerá. Quem é da verdade saberá, eu não me canso de cantar. 

Gente nova vem dizer: vive de certezas quem lutou. A justiça já brotou. A libertação vamos colher. Eu não me canso de cantar.  

Se o trigo não morrer, fruto não se pode esperar.  Hoje é dia de plantar. Muita gente em breve vai colher. Eu não me canso de cantar. 

Eu não me canso de cantar. 

(Música de Monsenhor Jonas Abib).

Foto: Daniel Mafra/cancaonova.com

Já faz bastante tempo que eu compus esta canção, mas ela continua sendo uma das preferidas por causa de sua música, mas principalmente pela letra. 

Realmente a vida é caminhar e todos nós precisamos, continuamente, ser caminhantes nas duras trilhas da vida. E nesse caminho domos chamados a ser peregrinos do amor. Amar é a essência da vida e o distintivo do cristão. 

O nosso chamado é pelos caminhos que trilharmos para semear a esperança por onde passarmos. E a nossa maior esperança é o mundo que há de vir, Mundo novo que construímos hoje e que vamos desfrutar quando o Senhor vier na sua glória. E por isso eu não me canso de cantar e não me cansarei, porque muitos precisam saber e juntos cantar: “eu não me canso de cantar”.

A segunda estrofe da canção ressoa dizendo: “mundo novo vem aí”. É certo, não sabemos quando, mas ele se apressa. Por isso precisamos estar preparados sempre. Há uma convocação: gente de coragem e disposta a lutar. 

É certo: a verdade vencerá, e mais ainda, quem é da verdade saberá. Por isso, mais uma vez, eu não me canso de cantar, porque quem é da verdade vencerá. 

Quando Dom Afonso de Miranda, que naquele tempo era bispo de Lorena, colocou em minhas mãos a Evangelii Nuntiandi, ele me disse, com um acento especial: “comece com os jovens, porque com os jovens é mais fácil”. Ali estava a palavra-semente que gerou a Canção Nova.  Foi a realização do que eu cantei: “gente nova vem dizer, vive de certezas quem lutou”. Ser jovem é sinônimo de luta, e quem luta vive de certezas. Quem luta permanece jovem. Os anos passam e a juventude permanece mesmo nos cabelos brancos. Do coração de quem é jovem, a justiça vai brotar; e o que o jovem mais quer, a liberdade, rapidamente ele vai colher. Cante com quem é jovem: eu não me canso de cantar. 

É preciso que o trigo venha a morrer; só então o fruto se pode esperar. Hoje é dia de plantar; não esmoreça, aguarde com paciência, pois muita gente, incluindo você, é convidada para este grande coral: eu não me canso de cantar… 

>>> Introdução do livro: Canção Nova, um testemunho vivo e vivido, org. por Luzia Santiago (Cofundadora da Canção Nova)