OEnamorar sexo tem um sentido muito profundo; é o instrumento da expressão do amor conjugal e da procriação. Toda vez que o sexo é usado antes ou fora do casamento, de qualquer forma que seja, peca-se contra a castidade.
A castidade é uma virtude moral. É também um dom de Deus, uma graça, um fruto da obra espiritual (Cf. Gl 5,22-23). O Espírito Santo concede o dom de imitar a pureza de Cristo àquele que foi regenerado pela água do Batismo. (Cat. §2345)
“E todo aquele que nele tem esta esperança, se torna puro como ele é puro.” (1Jo 3,3) A castidade significa a integração correta da sexualidade na pessoa e, com isso, a unidade do homem em seu ser corporal…
Para se viver uma vida casta é necessário uma aprendizagem do domínio de si; ou o homem comanda suas paixões e obtém a paz, ou se deixa subjugar por elas e se torna infeliz.
Santo Agostinho disse que: “A dignidade do homem exige que ele possa agir de acordo com uma opção consciente e livre, isto é, movido e levado por convicção pessoal e não por força de um impulso interno cego ou debaixo de mera coação externa. O homem consegue esta dignidade quando, libertado de todo cativeiro das paixões, caminha para o seu fim pela escolha livre do bem e procura eficazmente os meios aptos com diligente aplicação.” (Confissões, 10,29,40).
Para se viver segundo a castidade é preciso resistir às tentações através dos meios que a Igreja nos ensina: fugir das tentações, obedecer os mandamentos, viver uma vida sacramental, especialmente freqüentando sempre a Confissão e a Comunhão, e viver uma vida de oração. Muito nos ajuda nisto a reza do santo Rosário de Nossa Senhora e a devoção e auxílio dos santos. (cf. Cat. §2340)
Santo Agostinho disse que: “A castidade nos recompõe, reconduzindo-nos a esta unidade que tínhamos perdido quando nos dispersamos na multiplicidade.” (Confissões, 10,29,40) A virtude da castidade é comandada pela virtude cardeal da temperança, que faz depender da razão as paixões e os apetites da sensibilidade humana. (cf. Cat. §2341). O homem que vive entregue às paixões da carne, na verdade vive de “cabeça para baixo”; sua escala de valores é invertida; torna-se fraco. Não é mais um homem; mas um caricatura de homem.
Infelizmente a sociedade hoje ensina os jovens a darem vazão e satisfação a todos os baixos instintos; essa “educação” é uma forma de animalizar o ser humano, pois coloca os seus instintos acima de sua razão e de sua espiritualidade.
O domínio de si mesmo é fundamental para a pessoa ser capaz de doar-se aos outros. A castidade torna aquele que a pratica apto para amar o próximo e ser uma testemunha do amor de Deus. Quem não luta para ter o domínio de si mesmo é um egoísta; não é capaz de amar. Por isso, a castidade é escola de caridade. A Igreja ensina que: “Todo batizado é chamado à castidade. O cristão “se vestiu de Cristo” (Cf. Gl 3,27), modelo de toda castidade. Todos os fiéis de Cristo são chamados a levar uma vida casta segundo seu específico estado de vida. No momento do Batismo, o cristão se comprometeu a viver sua afetividade na castidade” ( Cat. §2348).cpa_a_moral_catolica
Santo Ambrósio ensinava que: “As pessoas casadas são convidadas a viver a castidade conjugal; os outros praticam a castidade na continência; isto significa viver a vida sexual apenas com o seu cônjuge. Existem três formas da virtude da castidade: a primeira, dos esposos; a segunda, da viuvez; a terceira, da virgindade. Nós não louvamos uma delas excluindo as outras. Nisso a disciplina da Igreja é rica (Vid. 23)”. ( Cat. §2349)
Também os noivos são chamados a viver em castidade. A vida sexual só deve ser vivida após o casamento, pois só então o casal se pertence mutuamente, e para sempre, com um compromisso de vida assumido um com o outro para sempre.
“Os noivos são convidados a viver a castidade na continência. Nessa provação eles verão uma descoberta do respeito mútuo, uma aprendizagem da fidelidade e da esperança de se receberem ambos da parte de Deus. Reservarão para o tempo do casamento as manifestações de ternura específicas do amor conjugal. Ajudar-se-ão mutuamente a crescer na castidade”. ( Cat. §2350)
Prof. Felipe Aquino – cleofas.com.br
Do livro: A Moral Católica

“Testemunhar as maravilhas de Deus em minha vida”
Bom dia JS, hoje trago pra vocês o testemunho da Edimara Fernandes, ela que faz parte do nosso grupo.
Vale a pena ser de Deus, olha que benção Jesus fez na vida dela através do Jovens Sarados
Olá galera!
Meu nome é Edimara Fernades JS, faço parte do Grupo Jovens Sarados-RN e quero aqui, em poucas palavras, dizer como está sendo a minha vida depois que conheci esse grupo.
Ser uma Jovem Sarada para mim, é conhecer a face de Deus e permitir que Ele entre na minha história para moldar tudo que é velho.É deixar-me ser conduzida pelo NOVO.
Quando cheguei ao grupo, cheguei totalmente ferida, por consequência das minhas escolhas erradas. E tudo estava despedaçado dentro de mim.Mas permiti ser restaurada e transformada pelo amor de Deus. Um amor que faz nova toda as coisas e que é abundantemente misericordioso. E graças a Deus, hoje, depois de quase dois anos caminhando no grupo, sou uma jovem bem diferente de antes, com novos pensamentos, novas atitudes e com o desejo de permanecer fiel nesse caminho.
Quando temos nosso encontro com o Amor Maior, Jesus Cristo, deixamos as coisas do mundo: festas, namoros, amizades que não nos edificam, enfim,nada disso tem mais sentido, deixamos tudo. E apenas o que vem de Deus consegue nos satisfazer.
Vivo numa luta constante pela santidade, procuro ser o que Deus quer e viver seus mandamentos. Mas afirmo, não é fácil! É um SIM diário, que requer muita oração e renúncia.
Não me canso de dizer: VALE A PENA!Ser de Deus é a maior graça que um jovem pode querer e ter. Sou feliz demais por Deus ter me escolhido para ser quem sou e por caminhar com Ele sempre ao meu lado.
Louvo a Deus por tudo isso e por cada pessoa que Ele colocou em minha vida (os novos amigos), são pessoas que me ajudam a trilhar esse novo caminho de santidade.REPITO: sou feliz demais por tudo que deixei para trás e por ter aceitado que Deus escrevesse minha nova história.
E agora te faço o convite: ‪#‎VemAmigo‬ fazer parte dessa geração de Deus!
“…Se queres ser perfeito, vai, vende os teus bens, dá o dinheiro aos pobres, e terás um tesouro no céu. Depois vem e segue-me…!”
(Mat. 19, 20-21)10522449_684148384999653_2761280685125321916_n

Temos um excelente convite para você e toda a sua família!
A nossa Rádio Rural estará completando 56 anos e para comemorarmos teremos uma grande acampamento de oração nos dias 16 e 17 de agosto , no Ginásio da Sagrada Família, a partis das 08: 00 horas! Esse encontro de oração terá a participação mais que especial do nosso querido Padre Edimilson e do Alexandre , ambos da comunidade Canção Nova!
A entrada será 1 kg de alimento não perecível!
O nosso encontro terá como tema : “Se credes verás a glória de Deus” !
Venha contemplar a glória do Bom Deus na sua vida e na vida da Sua família!Cartaz Aniversario da Radio WEB

PQAAAILGsesS_5JCkyd4S2WAWVuBGyGzi_O7X8tobh-qy3WDGH2v-kZ5-jbJljfKPhHIL3DcT_JE39A9Gy7NCj9LFpkAm1T1UFyQqOVxyDresQ_KAtQ0ahi3PTGqÉ preciso tomar consciência de que não somos distraídos somente na oração, mas em todas as atividades. Quantas vezes estamos diante da TV, mas o nosso coração, fantasia e pensamento estão tão distantes que perguntamos a alguém: “De que este programa está falando?” Ou quem de nós não se “pegou distraído” no trânsito a ponto de entrar numa rua errada? Ou ainda, durante o estudo leu cinco páginas e nada reteve na memória porque estava distraído… A distração, portanto, faz parte da nossa humanidade. Ninguém consegue pensar horas a fio no mesmo assunto e argumento. O ser humano é volúvel, tem necessidade de voar a tantos lugares, pensar em muitas coisas ao mesmo tempo… Como a abelha vai de flor em flor e, sem parar em nenhuma, vai sugando o néctar para sua vida pessoal e comunitária.

Ser distraído pode ser considerado não como um mal, mas como uma forte intuição do amor. Às vezes, pode ser o Espírito Santo querendo recordar-nos algo importante. Quem sabe você está rezando e, de imediato, vem-lhe o pensamento de que se esqueceu de desligar o gás da cozinha… Santa distração, que leva a correr e a evitar o perigo! Ou se rezando se “distrai” pensando nos pais, nos trabalhos, nas dificuldades, na falta de amor, nas pessoas… É o momento para você colocar tudo no coração de Deus e transformar essas distrações em motivações orantes para sua vida.

Diante das distrações, temos duas opções: assumir a nossa situação e o que nos vem à mente, ao coração, e fazer de tudo isso oração a ser apresentada a Deus, que é o melhor caminho; ou “chamar de volta” a nossa memória, a nossa atenção ao que estamos meditando. Este constante esforço é agradável ao Senhor porque manifesta o nosso amor e a nossa decisão de estarmos atentos à voz do Espírito.

É bom não perder tempo com as distrações, não se deixar atrair por elas, mas saber administrá-las com paciência e alegria. Quanto menos importância lhes damos, menos elas nos perseguem. Esta sabedoria é própria dos santos e de quem quer ser santo. “Pensar”, nos adverte Teresa de Ávila, “o que estamos dizendo e a quem o estamos dizendo. Não seria justo falar com uma pessoa pensando em outras coisas ou com o olhar distante, como quem está cansado da presença do amigo”.

Esta sabedoria está presente na pedagogia da Igreja que, no Catecismo, nos recorda: “A dificuldade comum de nossa oração é a distração. Esta pode referir-se às palavras e ao seu sentido, na oração vocal. Pode, porém, referir-se mais profundamente àquele a quem oramos, na oração vocal (litúrgica ou pessoal), na meditação e na oração mental. Perseguir obsessivamente as distrações seria cair em suas armadilhas, já que é suficiente o voltar ao nosso coração: uma distração nos revela aquilo a que estamos amarrados, e essa tomada de consciência humilde diante do Senhor deve despertar nosso amor preferencial por Ele, oferecendo-lhe resolutamente nosso coração, para que Ele o purifique. Aí se situa o combate: a escolha do senhor a quem servir. Positivamente, o combate contra nosso “eu” possessivo e dominador é a vigilância, a sobriedade do coração” (Cat, 2729-2730).

Quando percebemos que estamos “voando por aí”, devemos aprender a voltar “ao assunto” e não permitir que alguém nos distraia do amor que devemos doar ao Amado. “Eu dormia, mas meu coração velava”…

Quem vive na tensão do amor será sempre como Maria, que “guardava todas estas coisas no seu coração e as meditava”.

As distrações, as fantasias são as loucas da casa e por isso é preciso aprender a recolhê-las quando querem ir mais longe do que lhes é permitido. Superar as distrações é um exercício. Nunca chegaremos a evitá-las plenamente. Somente com uma graça especial do Senhor ou um êxtase ou uma visão, quando todas as nossas potências estão suspensas. Enquanto estivermos por aqui mesmo é preciso saber colocar, como nos diz o salmista, “freio e cabresto” às fantasias e distrações para que não nos levem longe do nosso Amado. É preciso dominar, administrar as distrações sem violência. O segredo é que, segundo a intensidade do amor que arde no nosso coração, estaremos mais atentos e fiéis ao amor do nosso Deus.

No passado eu ficava nervoso, inquieto, desanimado diante das distrações da minha vida. Hoje, quem desanima são as distrações, porque sabem que, quando batem à minha porta, na maioria das vezes, a encontram fechada.

É necessário vencer as distrações com a força do amor. Mas, se elas vierem, convém aproveitar o que trazem, reciclar tudo isso e transformar em oração. Mesmo quando as distrações trazem à memória o pecado, que é como lixo, é preciso lembrar que o lixo reciclado gera energia e força. Reciclar as distrações é fazê-las passar pelo coração de Deus. Que o texto do apóstolo Paulo possa nos servir como exemplo: “Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, a angústia, a perseguição, a fome, a nudez, o perigo, a espada? … Mas, em tudo isso vencemos por aquele que nos amou” (Rm 8,35-37).

Nada pode nos separar do amor de Cristo. Nem as distrações, mágoas ou pensamentos inúteis; nada nem ninguém, porque Cristo é nosso e somos dele.

“…O intelecto não se fixa em nada, parece frenético, de tal maneira está descontrolado. Quem assim está verá, devido ao sofrimento que lhe sobrevem, que não é culpado por isso. Não deve afligir-se, porque é pior, nem se cansar em querer trazer à razão quem não a tem, isto é, seu próprio intelecto; reze como puder… De nossa parte, o que podemos fazer é procurar ficar a sós, e queira Deus que isso baste, como eu digo, para que entendamos com quem estamos e a resposta que o Senhor dá aos nossos pedidos. Pensais que Ele está calado? Mesmo que não o ouçamos, Ele nos fala ao coração quando de coração lhe pedimos” (Santa Teresa)

Frei Patrício Sciadini, OCD

Estamos atravessando tempos de grandes combates espirituais, pois a nossa luta não é contra homens!

Por essa razão estamos durante essa semana com o nosso Cerco de Jericó ! Conheça essa poderosa oração de intercessão! Venha rezar conosco dos dias 21 à 27 de julho ! 581206_532028003526270_1889433735_n

O Cerco de Jericó é uma campanha de sete dias e sete noites de oração diante de Jesus presente no Santíssimo Sacramento. Sua inspiração mais remota encontra-se no capitulo 6 do livro de Josué. O texto sagrado nos conta que antes de chegar à terra prometida o povo de Israel se viu diante das grandes muralhas de Jericó.

que o impediam de prosseguir a caminhada. Obedecendo a voz de Deus, Josué, sucessor de Moisés e líder do povo, convidou os Israelitas a orarem durante sete dias e sete noites rodeando as muralhas de Jericó, tendo a frente a Arca da Aliança, sinal da presença de Deus que caminha com seu povo.

Josué e os Israelitas acreditaram na promessa divina de que no sétimo dia durante a sétima volta as muralhas cairiam e eles alcançariam a vitória, coisa que de fato aconteceu porque o Senhor é fiel e cumpre suas promessas!

Nos nossos dias colocamo-nos diante de Jesus presente no Santíssimo Sacramento e confiantes no poder da oração, pedimos que Ele derrube as muralhas que nos impedem de tomarmos posse de uma vida mais santa e feliz.

images (1)

É dever da família semear bons valores

A orientação sexual na adolescência ganha cada vez mais importância. Mais do que transmitir que sexo por sexo é fuga e sexo com consciência é amor, discutir as formas de relacionamento entre adolescentes é também uma das grandes preocupações da sociedade. Causa estranheza observar o descaso e o desrespeito com que o assunto ainda é tratado. Nem é preciso ser um especialista para perceber a discrepância das atitudes.

Uma médica pediatra de Fortaleza confidenciou recentemente que meninas pré-adolescentes são incentivadas pelos próprios parentes a engravidar, a fim de receber a verba do Programa Bolsa-Família. Em Porto Alegre (RS), uma parceria entre a prefeitura e a ONG Instituto da Mulher Consciente inicia um programa de implante de anticoncepcionais para prevenção de gravidez prematura em 2.500 adolescentes (entre 15 e 18 anos). Obviamente, meninas mais humildes serão o foco do projeto, dado sua condição econômica e vulnerabilidade social.Atitudes desse gênero sucitam o questionamento: será que essas iniciativas assistenciais irão ajudar de alguma forma a baixar o alto índice de gravidez precoce? Ou, ao contrário, acabam incentivando ainda mais a prática sexual entre adolescentes?

A sociedade vem se preocupando em proporcionar segurança e liberdade sexual para os adolescentes, mas não consegue orientar adequadamente os representantes do futuro da nação sobre o assunto. Isso sem contar a forma com que o tema é tratado na mídia, principalmente em novelas, filmes nacionais e em programas de auditório.

Por que as autoridades não promovem mais ações éticas e humanas para os adolescentes, especialmente os mais pobres? Devemos repudiar qualquer possibilidade de que sejam tratados como meros animais de reprodução, que podem fazer sexo à vontade e sem perigo.

No caso de Porto Alegre, o anticoncepcional que será aplicado nas adolescentes evita a gravidez por três anos. O implante ocorre com o uso de anestesia local sob a pele do braço. Durante o tempo previsto, o bastonete vai liberar hormônio diariamente na corrente sanguínea, a fim de inibir a ovulação. Que consequências esse medicamento trará para a saúde das meninas?

Especialistas da Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul já alertaram para um possível relaxamento no uso de preservativos por parte das adolescentes que participam do programa. Sem contar que, associada à distribuição gratuita dos preservativos e da abortiva “pílula do dia seguinte”, a liberdade de atos sexuais entre adolescentes torna-se cada vez mais normal, na visão deles, como um incentivo à promiscuidade.

O ser humano não deve ser considerado apenas como um corpo. Sua alma necessita de afago. A simples promoção de sexo acintoso, sem responsabilidade e sem compromisso, também incita consequências trágicas como milhões de meninas gerando filhos, sendo violentadas, prostituindo-se à beira das estradas, crianças abandonadas por pais e mães despreparados para formar uma família e postadas em faróis à procura do sustento de cada dia. É claro, quem planta vento, colhe tempestades.

A moral e a ética exigem que ensinemos aos jovens o autocontrole de suas paixões intensas. Que devem vencer a Aids e outras doenças sexualmente transmissíveis com atos responsáveis, e não pelo uso da camisinha. João Paulo II assim se expressou sobre a camisinha: “Além de o uso de preservativos não ser 100% seguro, liberar o seu uso convida a um comportamento sexual incompatível com a dignidade humana… O uso da chamada camisinha acaba estimulando, queiramos ou não, uma prática desenfreada do sexo… O preservativo oferece uma falsa idéia de segurança e não preserva o fundamental”.

Devemos incentivar a formação de famílias com conceitos, raízes e sentimentos puros e morais. Conservadora ou não, a família é o sustento do espírito e a fonte de conforto nos anseios individuais. A sociedade, de uma maneira geral, deve ter mais cuidado com o que simplesmente “controla a transmissão de doenças e evita filhos indesejados”. Ela deve transmitir princípios e valores através da orientação, em busca do resgate das origens e do respeito a moral e a ética. A satisfação do sexo não está restrita ao corpo, ela deve estar atrelada ao coração, espírito e mente.

Professor Felipe Aquino

 

Temos um excelente convite para você e toda a sua família!
A nossa Rádio Rural estará completando 56 anos e para comemorarmos teremos uma grande acampamento de oração nos dias 16 e 17 de agosto , no Ginásio da Sagrada Família, a partis das 08: 00 horas! Esse encontro de oração terá a participação mais que especial do nosso querido Padre Edimilson e do Alexandre , ambos da comunidade Canção Nova!
A entrada será 1 kg de alimento não perecível!
O nosso encontro terá como tema : “Se credes verás a glória de Deus” !
Venha contemplar a glória do Bom Deus na sua vida e na vida da Sua família! Cartaz Aniversario da Radio WEB

EXPERIMENTE ESSA GRAÇA DE DEUS E DEIXE ELE REVELAR A VERDADE PARA VOCÊ. VENHA SER UM JOVEM DE DEUS, UM JOVEM SARADO.
O primeiro Grupo de Oração que frequentei foi o de Cura e Libertação na Canção Nova segunda-feira à noite. Depois, comecei a frequentar o Grupo Jovens Sarados porque percebi a necessidade de fortalecer meu lado espiritual, visto que os meus pensamentos e as minhas atitudes estavam mais voltadas para o lado corporal, ou seja, o mundo material, pensando que a realidade só é esta que vivemos e sentimos. Nós, quando estamos mergulhados no “reino deste mundo”, sem nos importarmos muito com o espiritual, não reconhecemos em nosso interior que somos apenas humanos e acabamos considerando nós mesmos como sabedores do bem e do mal. Nessa experiência de participar do Grupo de Oração Jovens Sarados, pude notar as “escamas” caindo dos meus olhos, isto é, pude ir percebendo que fui criado por Deus, que esse mundo é breve e, então, fui perdendo as ilusões dessa vida. Além disso, fui notando meus erros tanto de atitude como de pensamento, além de crescer em meu coração a necessidade de conhecer a minha Igreja Católica Apostólica Romana, estudar mais sobre a realidade desse mundo e conhecer a verdade pelos meus estudos. Esse desejo é uma ação de Deus, porque “O estudo poderia se definir pelas seguintes palavras: é Deus que toma em nós a consciência de sua obra.” (Antonin-Delmance Sertillanges). Então, venha experimentar essa graça de Deus, deixar Ele revelar a verdade para você e saber o real sentido de estarmos nesse mundo. Venha ser um Jovem de Deus, um Jovem Sarado.
#VemAmigo #SerJovemSarado

Igor Fernandes
igor