SEMANA-SANTA-300x135Ontem 29 de março a Igreja Católica deu inicio as celebrações da Semana Santa. Na Paróquia da Catedral, em Natal,
Na segunda e na terça-feira, dias 30 e 31, haverá atendimento de confissões nos seguintes horários: das 9 às 12h, das 14h30 às 17h e das 19h às 22 horas.
Na quinta-feira, 2 de abril, às 8 horas, será celebrada a Missa do Crisma, quando é dada a bênção dos óleos que são usados nos Sacramentos do Batismo, da Crisma e da Unção dos Enfermos. Essa celebração será presidida pelo Arcebispo Metropolitano, Dom Jaime Vieira Rocha, concelebrada por todos os padres da Arquidiocese. Ainda, na quinta-feira, às 19h, haverá a celebração da Ceia do Senhor, lava-pés.
Na sexta-feira, dia 3 de abril, às 15 horas, será celebrada a Paixão e Morte de Cristo, seguida de procissão pelas ruas adjacentes à Catedral.

No dia 4 abril, sábado, às 20 horas, haverá a Vigília Pascal. E, no domingo da Ressurreição, serão celebradas três missas, na Catedral: às 7h, às 11h, e às 19 horas. Na missa das 11 horas será celebrado o Sacramento da Primeira Eucaristia.

Não deixe de viver esta semana maior em nossa Igreja.

Maiores informações, acesse: http://arquidiocesedenatal.org.br/

Você gosta de ouvir música? Trago uma ótima dica pra você…

CD Forte e Santo do Emanuel Stênio da comunidade Canção Nova, com canções de adoração e exaltação ao nosso Deus Forte e Santo. São 13 canções, com a participação dos cantores Walmir Alencar, Dunga e Amor e Adoração e, em especial, Monsenhor Jonas Abib na música Ele é exaltado.

Espero que você também faça essa experiência: Adore o Deus Forte e Santo que nos faz vencer!

 Adquira já o seu na Loja Canção Nova de Natal/RN

Rua: Açu, 335 – Tirol – Natal/RN

Horário de funcionamento:

Segunda à Sexta 08:00h às 18:00h / Sábado até 12:00h

Informações: (84) 3201-1689

maria-de-nazareTrago para você uma PREGAÇÃO X ORAÇÃO com o Mons. Jonas Abib que pode mudar o curso da sua vida. Deixe-se tocar pelo Senhor através da intercessão da Virgem Maria.

Nossa Senhora que nos levar para perto do seu coração para que se realize em nossa vida a vontade do Pai, para que sejamos seu exemplo, para que sejamos morada do Senhor, para que levemos O Amor. Nossa Senhora que nos pegar no colo, Ela que nos dar o seu jeito.

A palavra do Senhor no evangelho de São Mateus 11,28 Jesus diz: “Vinde a Mim vós todos que estais cansados e sobrecarregados de fardos, e Eu vos aliviarei. Eu vos darei descanso. Tomai sobre vós o meu julgo e aprendei de mim porque sou manso e humilde de coração e encontrareis descanso para a vossa alma”.

Maria cura o meu coração. by Cancaonovanatal1 on Mixcloud

 

Deixe seu comentário, partilhando a sua experiência através dessa pregação.

Já se Programe para estar com a Canção Nova nesta grande Festa da Divina Misericórdia!

FESTA MISERICÓRDIA - Cartaz 2015 WEB (2)

“Desejo que a Festa da Misericórdia seja refúgio e abrigo para todas as almas, especialmente para os pecadores. (…). Derramo todo um mar de graças sobre as almas que se aproximam da fonte da Minha misericórdia. A alma que se confessar e comungar alcançará o perdão das culpas e das penas. Nesse dia, estão abertas todas as comportas divinas, pelas quais fluem as graças. Que nenhuma alma tenha medo de se aproximar de Mim, ainda que seus pecados sejam como o escarlate”
(Diário 699).

 

A festa da Anunciação do Arcanjo São Gabriel a Virgem Maria, é celebrada com muita alegria e devoção. Marca o início da Novena em Honra a Santa Gestação da Virgem Maria.

Para ser rezada diariamente, durante 9 meses: de 25 de março até 25 de dezembro, ou seja, da Anunciação até o Natal do Senhor.

Ó Maria, virgem Imaculada, Porta do Céu e causa da Nossa Alegria, Respondendo com generosidade ao Anúncio do Arcanjo São Gabriel, Vós pudestes dar curso ao plano de Deus para nossa salvação.
Vós fostes, pela Providência Santíssima desde toda a eternidade, constituída morada digna do Filho de Deus Encarnado. Pelo vosso “sim” e fidelidade ao Pai celeste, O Espírito Santo teceu em vosso ventre Jesus, nosso Senhor e Salvador.

Eis que desejando que o Filho de Deus que quis nascer em Vós, nasça também em meu coração e conceda-me o perdão de meus pecados, prostro-me aos vossos pés e vos imploro, com todo o fervor de minha alma, que vos digneis alcançar-me, do vosso Filho, a graça que tanto necessito… (colocar a graça)

Ouvi minha súplica, ó Virgem Santíssima, Vós que, perante o trono da Graça, sois a “Onipotência Suplicante”, enquanto vou meditando, com reverência e filial afeto, todos os momentos de dor e de alegria, de desolação e de providência, que vos acompanharam em vossa bendita e singular Gestação, na qual trouxestes em vosso ventre por nove meses o Filho do Deus Altíssimo.
Amém.

 

imagesO perdão começa sempre em nosso coração. Passa depois pela nossa inteligência. É uma decisão! Depois de concebido no coração e gestado no pensamento, ele [perdão] ganha vida por uma decisão irreversível e explícita. Enquanto não perdoamos, perpetuamos a falsa ideia de que a vingança e o ódio podem ser remédios para curar nossa dor, a vingança parece ser mais justa do que o perdão. Mas é só na hora. A longo prazo suas consequências serão terríveis e cruéis.

O perdão afeta o presente e o futuro, mas não pode mexer no passado. Não adianta nada querer sonhar com o passado melhor ou diferente. O passado foi o que foi. Não há o que fazer para mudá-lo. Podemos e devemos assimilá-lo e aprender o que ele tem a nos ensinar. Mais do que isso é impossível.

A esperança por um passado melhor é uma ilusão do encardido [demônio]. Ele é o grande especialista em passado. Jesus, ao contrário, nunca fez nenhuma pergunta sobre o passado de nenhuma pessoa. Ele nunca fez uma regressão ao passado com ninguém. Nem mesmo com aqueles que tinham sérios problemas afetivos e até sexuais. Parece estranho que o Senhor não tenha realizado uma sessão de cura interior das etapas cronológicas com Maria Madalena, Maria de Betânia, a Samaritana, Zaqueu, Pedro, Tiago e João, Judas e tantos outros que, por suas atitudes, demonstraram carregar sérios problemas oriundos da infância e mesmo na gestação.

Cristo não retomava o passado porque sabia que a única coisa que podemos fazer em relação ao passado é enxergá-lo de um jeito novo e aprender com o que ele tem a nos ensinar. Mas isso se faz vivendo intensamente o presente e projetando o futuro. Jesus foi o grande mestre do perdão. Ele nos mostra que o perdão não acontece de uma hora para outra e nem pode ser uma tentativa de abafar ou simplesmente ignorar essa dor. O perdão é um processo profundo, repetido tantas vezes quantas forem necessárias no nosso íntimo. A pressa é inimiga do perdão!

O perdão nos ensina a nos relacionar, de modo maduro, com o passado. Não é um puro esquecimento dos fatos, nem sua condenação. Não é a colocação de panos quentes e muito menos a tentativa de amenizar os acontecimentos. Perdoar é ser realista o suficiente para começar a ver o passado com os olhos do presente, voltados para o futuro.

Quem não perdoa não consegue se libertar das garras, interiores e exteriores, daquele que o machucou. Mesmo que seja necessário se afastar, temporária ou definitivamente, dessa pessoa, só podemos fazê-lo num clima de perdão.

Antes de colocar para fora do nosso coração alguém que nos machucou é preciso perdoá-lo. Sem perdão, essa pessoa vai permanecer ocupando um espaço precioso de nossa vida e continuará tendo um poder terrível sobre nós.

Do livro “Gotas de cura interior”.

grupo-de-orac3a7c3a3o

SEGUNDA-FEIRA é dia de Grupo de Cura Interior na Canção Nova de Natal às 19h.
Rua Açu, 335, Tirol (próximo a Catedral Metropolitana)
Informação, ligue: (84) 3201-1689

Esperamos por você e toda sua família!!!

A Quaresma foi inspirada numa grande catequese que a Igreja primitiva realizava

Dentre todas as solenidades cristãs, o primeiro lugar é ocupado pelo mistério pascal, porque devemos nos preparar para vivê-lo convenientemente. Por isso, foi instituída a Quaresma, um tempo de quarenta dias para chegarmos dignamente à celebração do Tríduo Pascal.

A origem da quaresma

A Quaresma, como prática obrigatória, foi instituída no século IV, mas, desde sempre, os cristãos se preparavam para a Páscoa com oração intensa, jejum e penitência. O número de quarenta dias tem um significado simbólico-bíblico: quarenta são os dias do dilúvio, da permanência de Moisés no Monte Sinai, das tentações de Jesus. Guiados por esse tempo e pelas práticas – como que guiados por uma bússola –, buscamos os tesouros da fé para crescer no seguimento de Nosso Senhor Jesus Cristo.

“Agora, diz o Senhor, voltai para mim com todo o vosso coração, com jejuns, lágrimas e gemidos; rasgai o coração e não as vestes; e voltai para o Senhor, vosso Deus; ele é benigno e compassivo, paciente e cheio de misericórdia, inclinado a perdoar o castigo” (Cf. Joel 12, 12-13).

Este tempo de quarenta dias foi inspirado numa grande catequese que a Igreja primitiva realizava. Ela durava quarenta dias, tempo em que os pagãos (catecúmenos) se preparavam para receber o batismo no Sábado Santo, dentro da Solenidade da Vigília Pascal. Acompanhavam também os irmãos que tinham cometido pecados graves para retornarem à fé. Esse tempo era marcado pela penitência e oração, pelo jejum e pela escuta da Palavra de Deus. Eles eram os “penitentes”, os quais renovavam a fé e recebiam o batismo ou eram reintegrados à comunidade no Sábado Santo.

Na Quarta-feira de Cinzas, iniciamos o tempo mais rico e profundo da liturgia. Na verdade, esse tempo, que abrange a Quaresma, Semana Santa e Páscoa até Pentecostes, é um grande retiro, centro do Mistério de Cristo e da nossa fé e salvação. Tempo privilegiado de conversão e combate espiritual, de jejum medicinal e caritativo. A Quaresma ainda é, sobretudo, tempo de escuta da Palavra de Deus, de uma catequese mais profunda, que recorda aos cristãos os grandes temas batismais em preparação para a Páscoa.

Toda a nossa vida se torna um sacrifício espiritual, que apresentamos continuamente ao Pai em união com o sacrifício de Jesus sofredor e pobre, a fim de que, por Ele, com Ele e n’Ele, seja o Pai em tudo louvado e glorificado. Por isso, a Quaresma é um caminho bíblico, pastoral, litúrgico e existencial para cada cristão pessoalmente e para a comunidade cristã em geral, que começa com as cinzas e termina com a noite da luz e do fogo, a noite santa da Páscoa da Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Vamos refletir sobre os rumos de nossa espiritualidade até a Páscoa de Nosso Senhor Jesus, ou seja, a vida nova que o Ele tem para nós, os exercícios quaresmais de conversão. A liturgia da Quarta-feira de Cinzas manda proclamar o Evangelho em que Nosso Senhor fala da esmola, da oração e do jejum, conforme Mateus 6,1-8. 16-18.

113_thumb

Padre Luizinho, natural de Feira de Santana (BA), é sacerdote na Comunidade Canção Nova. Ordenado em 22 de dezembro de 2000, cujo lema sacerdotal é “Tudo posso naquele que me dá força”.