«

amigosdoceu

Santa Isadora

Isadora, a “Pele de Asno” do Céu

Você conhece a história da Pele de Asno? A linda princesa que se vestia com a pele de um asno e, com essa aparência horrível, era desprezada por todos e fazia o serviços mais humildes do palácio, até o dia que se descobriram sua verdadeira identidade?

Assim foi com Santa Isadora…

Em Tavenni (Ταβέννη: ilha do rio Nilo onde Agios Pachomios fundou um mosteiro no início do século IV, existia um convento com cerca de quatrocentas freiras, em frente ao masculino. Nele vivia uma moça egípcia chamada Isidora (Ισιδώρα). Ela era muito simples e passava por uma pessoa estúpida aos olhos de sua comunidade, todos achavam que tinha um retardamento mental. O que ninguém sabia é que ela tinha escolhido ser tratada com desprezo por todos, para mortificar seu ego e seu orgulho. Além disso, os cabelos das outras freiras eram cortados curtos, mas ela não os cortava, usando-os amarrados com um trapo em volta da cabeça para esconder um sinal em forma de cruz. Todas as irmãs ficavam tão enojadas com a aparência de Isadora, que nem queriam comer com ela, mas Isadora aceitava isso de bom grado.

Sua virtude foi muito útil para todo o mosteiro, porque fazia todos os serviços, obedecia a todos como se fosse uma escrava de todas as suas necessidades e servia a todos com bondade. E era para a Irmandade a esponja que limpa tudo (isto é, assim como a esponja limpa todas as impurezas, ela fazia todo o trabalho humilde, realizava todos os serviços, os mais humildes, os que as outras tinham nojo de fazer).

Nenhuma das quatrocentas freiras a viu comer ou pegar um pedaço de pão da cesta, pois ela comia as migalhas das mesas e as sobras. Ela nunca calçou sapatos, nunca brigou com ninguém, nunca gritou, nunca pronunciou uma palavra abusiva ou orgulhosa, embora fosse insultada, espancada e muitas vezes recebesse maldições e muitos ficassem enojados da sua presença.

Por esta razão, em um lugar longe dali, um Anjo do Senhor apareceu a um eremita, já idoso e com grande fama de santidade, Megas Pitiroun (Μέγας Πιτηρούν), que era um padre muito experiente e virtuoso, e disse-lhe: “Por que você tem uma grande ideia de sí próprio? De suas realizações, de que você é piedoso? Você quer ver uma mulher mais piedosa do que você? Vá ao convento do povo de Tavenni (as monjas eram chamados pelo nome da ilha) e lá você encontrará uma freira que tem uma “coroa que brilha acima de sua cabeça”, ela é muito melhor do que você. Porque embora ela sirva a tantas pessoas, ela nunca deixou sua mente se afastar de Deus, mesmo que todos a abominem”.

Imediatamente, Padre Megas Pitiroun foi a Tavenni, até o convento. Ele pediu para ver todas as monjas, uma por uma. Mas Isadora não foi trazida. O padre Santo disse a elas: “Tragam-as todas diante de mim”. “Estamos todas aqui”, responderam elas. Ele retrucou: “Ainda falta uma, aquele que o anjo me indicou”. Aí lembraram de Isadora: “Temos um na cozinha, mas é idiota”. O grande sacerdote disse-lhes: “Tragam-na aqui e deixem-me vê-la”.

Mas ela não obedeceu, obviamente percebendo o motivo (talvez Deus até tenha revelado a ela) não queria ir. Então a arrastaram à força, disseram: “O Padre santo quer ver você.” (a santidade desse padre era famosa).

Assim que a trouxeram, Megas olhou para ela com cuidado a “coroa de trapos” sobre a cabeça de Isadora, tirou o trapo em volta da cabeça e viu a Cruz na testa de Isadora, ele olhou para ela e depois caiu a seus pés, dizendo: “Santa Mãe, me abençoe.” E ela fez o mesmo, caiu aos pés  do santo e disse-lhe: “Abençoe-me, meu pai.”


Ao verem isso, disseram-lhe: “Pai não se humilhe, porque ela é uma idiota, uma demente.”. Então o Santo lhes disse: “Vocês é que são tolas; ela é melhor do que vocês e eu. Ela é uma mãe espiritual e desejo que Deus exija que eu esteja com ela no Dia do Juízo.”


Assim que as freiras ouviram isso, todas imediatamente prostraram-se a seus pés e confessaram que, de maneiras diferentes, cada uma delas causou tristeza àquela santa. Umas disseram que zombavam dela, outras que zombava dela por sua aparência humilde, outras que derramaram o detergente em cima dela, outra que lhe causou feridas e outra que bateu nela. E geralmente todos elas relataram que a insultaram de várias maneiras. Depois que padre Pitiroun ouviu a confissão da comunidade, orou junto com Isadora por elas e implorou a honesta serva de Cristo que orasse por ele, depois foi embora.


Isadora foi honrada por Deus e assim passou a ser bem tratada no convento, mas incomodada com isso, depois de alguns dias deixou secretamente o Mosteiro, pois todos a honravam e cuidavam dela e ela não pôde aceitar essas homenagens e as desculpas da irmandade pelo comportamento anterior.

Isadora viveu o resto de seus dias escondida em um mosteiro do Egito, onde ninguém a conhecia. Morreu santamente no ano 365 DC. e a Igreja  do oriente  celebra sua memória no dia 1º de maio de cada ano.

https://www-impantokratoros-gr.translate.goog/5BF3DC5E.el.aspx?_x_tr_sl=el&_x_tr_tl=pt&_x_tr_hl=pt-BR&_x_tr_pto=nui,sc


“Educar para a fé é belo, é talvez, a melhor herança que podemos dar a alguém: a fé! Educar na fé para que essa pessoa cresça. Ajudar as crianças, os rapazes, os jovens, os adultos a conhecerem e a amarem sempre mais o Senhor, é uma das aventuras educativas mais belas. É construir a Igreja.”  (Papa Francisco – Congresso Internacional  de Catequese – 27  Setembro 2013)

Link permanente para este artigo: https://blog.cancaonova.com/amigosdoceu/santa-isadora/

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com