Santuário da Divina Misericórdia - Polônia

Santuário da Divina Misericórdia – Polônia

Sinal da Cruz (Intensões).

Rezar o terço da Misericórdia e em seguida fazer a novena.

Quarto dia

Hoje traze-Me os pagãos e aqueles que ainda não Me conhecem e nos quais pensei na minha amarga Paixão. O seu futuro zelo consolou o meu Coração. Mergulha-os no mar da minha Misericórdia.

Misericordiosíssimo Jesus, que sois a luz de todo o mundo, aceitai na mansão do vosso compassivo Coração as almas dos pagãos que ainda não vos conhecem. Que os raios da vossa graça os iluminem para que também eles, juntamente conosco, glorifiquem as maravilhas da vossa Misericórdia e não os deixeis sair da mansão do vosso compassivo Coração.

Eterno Pai, olhai com Misericórdia para as almas dos pagãos e daqueles que ainda não Vos conhecem e que estão encerrados no Coração compassivo de Jesus. Atraí-as à luz do Evangelho. Essas almas não sabem que grande felicidade é amar-Vos. Fazei com que também elas glorifiquem a riqueza da vossa Misericórdia, por toda a eternidade. Amém.

 

Santuário da Divina Misericórdia - Polônia

Santuário da Divina Misericórdia – Polônia

Sinal da Cruz (Intensões).

Rezar o terço da Misericórdia e fazer a novena.

Terceiro dia

Hoje traze-Me todas as almas piedosas e fiéis e mergulha-as no oceano da minha Misericórdia. Estas almas consolaram-Me na Via-sacra; foram aquela gota de consolações em meio ao mar de amarguras.

Misericordiosíssimo Jesus, que concedeis prodigamente a todas as graças do tesouro da vossa Misericórdia, acolhei-nos na mansão do vosso compassivo Coração e não nos deixeis sair dele pelos séculos; suplicamo-Vos pelo amor inconcebível de que está inflamado o vosso Coração para com o Pai Celestial.

Eterno Pai, olhai com Misericórdia para as almas fiéis, como a herança do vosso Filho. Pela sua dolorosa Paixão concedei-lhes a vossa benção e cercai-as da vossa incessante proteção, para que não percam o amor e o tesouro da santa fé, mas com toda a multidão dos Anjos e dos Santos glorifiquem a vossa imensa Misericórdia, por toda a eternidade. Amém.

 

 

Santuário da Divina Misericórdia - Polônia

Santuário da Divina Misericórdia – Polônia

Sinal da Cruz (Intensões).

Rezar o terço da Misericórdia e fazer a novena.

Segundo dia

Hoje traze-Me as almas dos sacerdotes e religiosos e mergulha-as na minha insondável Misericórdia. Elas Me deram força para suportar a amarga Paixão. Por elas, como por canais, corre para a humanidade a minha Misericórdia.

Misericordiosíssimo Jesus, de quem provém tudo que é bom, aumentai em nós a graça, para que pratiquemos dignas obras de misericórdia, a fim de que aqueles que olham para nós, glorifiquem o Pai da Misericórdia que está no Céu.

Eterno Pai, dirigi o olhar da vossa Misericórdia para a porção eleita da vossa vinha: para as almas dos sacerdotes e religiosos. Concedei-lhes o poder da vossa benção e, pelos sentimentos do Coração de vosso Filho, no qual estão encerradas, dai-lhes a força da vossa luz, para que possam guiar os outros nos caminhos da salvação e juntamente com eles cantar a glória da vossa insondável Misericórdia, por toda a eternidade. Amém.

No exterior da Basílica do Santo Sepulcro encontramos várias capelas, entre elas à esquerda temos a capela de São Tiago para os fiéis de rito bizantino árabe. E à direita a capela armênia de São João.

Na entrada da Basílica temos um lugar reservado aos porteiros muçulmanos são duas família. Uma que conserva as chaves e a outra abre as portas do Santo Sepulcro.

Logo à frente, entrando na Basílica do Santo Sepulcro encontramos a Pedra da Unção. Ela mede 2,70 de comprimento e 1,30 de largura.

A Pedra da Unção é ungida com azeite e perfumes.

A Pedra da Unção é ungida com azeite e perfumes.

José de Arimatéia e Nicodemos depois de ter descido o corpo de Jesus da cruz o ungiu, colocando aromas e depois envolveu em um lençol branco.

Jesus foi depositado no Santo Sepulcro que fica no meio da basílica.

À direita da Pedra da Unção subimos uma escada, acima de 5 metros do pavimento da basílica que nos leva a capela da crucifixão, o “Calvário”.

Temos a rocha do Calvário que pode ser tocada por uma abertura em baixo do altar.

Neste local a cruz foi elevada, é o lugar em que Jesus morreu.

É visível a fenda irregular e vertical, sinal do terremoto ocorrido na morte de Cristo. Podemos ver a continuação desta rachadura até a Capela de Adão.

Segundo lendas antigas do cristianismo, diz que o primeiro homem, Adão foi sepultado nesta Capela.

Segundo lendas antigas do cristianismo, diz que o primeiro homem, Adão foi sepultado nesta Capela.

A Capela de Adão fica em baixo do Calvário, a história dos primeiros cristãos diz que Adão foi sepultado neste local.

Na sexta-feira santa o sangue de Jesus teria descido sobre a cabeça de Adão para lavar o seu pecado e o de toda humanidade.

São Pedro Galicantu, quer dizer Casa de Caifás, foi o local onde Jesus ficou preso e interrogado.

Jesus encontra – se em um tribunal judaico “O sumo sacerdote lhe tornou a perguntar, e disse-lhe: És tu o Cristo, Filho do Deus Bendito?

E Jesus disse-lhe: Eu o sou, e vereis o Filho do homem assentado à direita do poder de Deus, e vindo sobre as nuvens do céu.” Mc 14,61-62

A Igreja Galicantu vista do alto

A Igreja Galicantu vista do alto

Exterior da Igreja São Pedro Galicantu

Exterior da Igreja São Pedro Galicantu

Foi o suficiente para que todo o povo gritasse, blasfêmia. E Jesus passou a noite encarcerado.

Sexta-feira Santa onde nos recolhemos e passamos a noite com o Senhor, em adoração.

Mosaico da Igreja São Pedro Galicantu

No exterior da Igreja São Pedro Galicantu encontramos um mosaico, onde Jesus é preso.

Lindo vitral colorido do Santuário de São Pedro Galicantu

Lindo vitral colorido do Santuário de São Pedro Galicantu

Altar central do Santuário de São Pedro Galicantu

Altar central do Santuário de São Pedro Galicantu

A atual Igreja de Galicantu (o galo cantou) foi construída sobre ruínas de Jerusalém, que acredita ser o Palácio de Caifás.

Local onde Pedro nega o Senhor três vezes, “Mas Pedro disse: Meu amigo não sei o que queres dizer. E no mesmo instante, quando ainda falava, cantou o galo.

Voltando-se o Senhor, olhou para Pedro. Então Pedro se lembrou da palavra do Senhor: Hoje, antes que o galo cante, negar-me-ás três vezes.”

Esta estátua expressa a negação de Pedro

Esta estátua expressa a negação de Pedro

Buraco no chão da Capela das lágrimas de São Pedro

Encontramos esta passagem (buraco) no chão da Capela das lágrimas de São Pedro

Capela dedicada as lágrimas de São Pedro

Capela dedicada ao arrependimento de São Pedro

Mas o foco principal desta Igreja é recordar a negação de Pedro  em mosaicos que estão em toda parte, no interior e exterior da mesma.

Veja também o local em que Jesus ficou preso, passando a noite da agonia.

Uma boa semana de preparação para a Semana maior da nossa fé!

Segundo lendas antigas do cristianismo, diz que o primeiro homem, Adão foi sepultado nesta Capela.

Segundo lendas antigas do cristianismo, diz que o primeiro homem, Adão foi sepultado nesta Capela.

 

Para que possamos nos situar, vamos partir do início. Entrando na Basílica do Santo Sepulcro encontramos a Pedra da Unção.

À direita temos a Capela de Adão, e a escada ao lado nos leva ao Calvário.

A Capela de Adão pertence aos gregos, ela é o tumulo de Adão e a mansão dos mortos.

Segundo a tradição do cristianismo, diz que o corpo de Adão foi sepultado neste lugar.

Na sexta-feira Santa aconteceu um terremoto no momento da morte de Jesus. Abrindo uma fenda na rocha que a cruz de Jesus estava presa, diz a tradição que o sangue de Jesus se derramou sobre a cabeça do primeiro homem pecador lavando o seu pecado e de todos os mortos, dando lhes a salvação.

Dentro deste vidro está a fenda vertical de onde a cruz foi elevada no Calvário. Motivo pelo qual a caveira de Adão está aos pés da Cruz de Jesus.

Entrada do Santo Sepulcro

Esta é a entrada do Santo Sepulcro, onde encontramos a Pedra da Unção, a direita está a escada que nos leva ao Calvário e embaixo temos a Capela de Adão.

“Em cada dia da novena, conduzirás ao Meu coração um grupo diferente de almas, e as mergulharás no oceano da minha Misericórdia. Eu conduzirei todas as almas à casa do meu Pai. Por minha parte, nada negarei a nenhuma daquelas almas que tu conduzirás à fonte da minha misericórdia. Cada dia pedirás a meu Pai, pela minha amarga Paixão, graças para essas almas.”

Santuário da Divina Misericórdia - Polônia

Santuário da Divina Misericórdia – Polônia

Sinal da Cruz (Intensões).

Rezar o terço da Misericórdia e fazer a novena.

Primeiro dia

Hoje traze-Me a humanidade inteira, especialmente todos os pecadores e mergulha-os no oceano da minha Misericórdia. Com isso Me consolarás na amarga tristeza em que Me afunda a perda das almas.

Misericordiosíssimo Jesus, de quem é próprio ter compaixão de nós e nos perdoar, não olheis os nossos pecados, mas a confiança que depositamos em Vossa infinita bondade. Acolhei-nos na mansão do vosso compassivo Coração e nunca nos deixeis sair dele. Nós vo-lo pedimos pelo amor que Vos une ao Pai e ao Espírito Santo.

Eterno Pai, olhai com misericórdia para toda humanidade, encerra no Coração compassivo de Jesus, mas especialmente para os pobres pecadores. Pela Sua dolorosa Paixão, mostrai-nos a Vossa Misericórdia, para que glorifiquemos a onipotência da Vossa Misericórdia, por toda a eternidade. Amém.

Chegamos na quaresma, onde Jesus passou quarenta dias de solidão no deserto.

Levado pelo Espírito ao deserto, Jesus ali fica quarenta dias sem comer, vive com os animais selvagens e os anjos o servem. Satanás tenta o Senhor por três vezes e o questiona a sua atitude filial para com Deus. Mc 1,13

Recapitulamos as tentações de Adão no Paraíso com a tentação de Jesus no deserto de Israel. Jesus é o novo Adão, pois vence o tentador.

“A vitória de Jesus sobre o tentador no deserto antecipa a vitória da Paixão, obediência suprema de seu amor filial ao Pai.” *CIC 539

É um tempo de graça na Igreja que nos convida a conversão, estes grandes acontecimentos na história nos fazem relembrar da nossa salvação e nos faz experimentar na vida tudo aquilo que o Senhor viveu.

Precisamos vencer a preguiça, a gula, avareza, luxúria e etc. E é através do jejum, da abstinência, das renúncias que assim Deus trabalha no nosso íntimo para sermos pessoas melhores, mais belas.

 

Não podemos nos acostumar com a conduta pecaminosa, nos acostumamos de tal forma que não existe arrependimento e não nos confessamos. Acostumamos a falar mal das pessoas, a fazer fofocas, temos uma superioridade em acharmos que somos santos o suficiente e julgamos o outro.

É tempo de revisão, tempo de acender uma luz nas nossas misérias para perceber que não somos perfeitos.

O Senhor quer se reconciliar conosco, para que não sejamos pessoas insuportáveis.

A conversão é um benefício, permita que o Senhor ilumine todas as áreas. E para isso precisamos rezar, pedindo “Senhor ilumine a minha mente, os meus caminhos, os meu olhos, o que eu não tenho visto, me mostre.”

A oração vem acompanhada da penitência que por sua vez precisa investir na caridade com o próximo, esmola e partilhas fraternas (obras de caridade).

Trazendo a luz aquilo que somos, iniciamos um caminho de conversão para o nosso crescimento espiritual que nos levará a ressurreição.

Para colocarmos em prática, todas as sextas-feiras quaresmais em especial, são dedicadas a Paixão de Jesus, por isso o jejum e a abstinência são mais intensificadas.

“A penitência impele o pecador a suportar tudo de boa vontade. Em seu coração está o arrependimento; em sua boca, a acusação; em suas obras, plena humildade e proveitosa satisfação.” *CIC 1450

Toda penitência e reconciliação traz como fruto a graça de nos unirmos a Deus numa profunda amizade, restituindo a filiação.

A penitência e a oração que citamos, não é somente para deixar de tomar refrigerante ou não comer carne durante o período quaresmal, mas é oferecer para um fim. É para que eu seja melhor, e para deixar de cair no pecado da inveja, por exemplo. Todo o meu esforço é por esta causa.

Que este tempo de oferecimento e penitencia não seja para tomar um copo de refrigerante e comer churrasco na Páscoa, mas que nos traga a mudança de vida naquilo em que mais temos dificuldades e proclamar eu venci com Jesus!

*CIC – Catecismo da Igreja Católica

Placa da Catedral de Nossa Senhora del Pilar

Miguel Juan Pellicer Blasco morava em Calanda. Um município que produzia azeitonas e pêssegos.

Ele morava com seus pais e ao atingir a idade foi trabalhar na casa de um tio, em Castellón de La Plana.

Uma vez andando de carroça puxada por duas mulas, escorregou e caiu. A carroça passou por cima de sua perna e fraturou a tíbia.

Catedral de Nossa Senhora del Pilar - Imagem da aparição de Nossa Senhora ao apóstolo São Tiago

Catedral de Nossa Senhora del Pilar – Imagem da aparição de Nossa Senhora ao apóstolo São Tiago

Ele precisou ir ao hospital de Zaragoza para cuidar de sua perna, mas antes foi a Catedral de Nossa Senhora Del Pilar e rezou aos seus pés.

Ao chegar ao hospital os médicos decidiram amputar a sua perna, e o membro foi enterrado no hospital.

Diante daquela situação, Miguel que estava aleijado não podia trabalhar passando a viver na porta da Catedral de Nossa Senhora Del Pilar pedindo esmolas. Era um grande devoto de Nossa Senhora que participava das missas diariamente.

Ele era conhecido por todos os freqüentadores da Catedral e todo o dia untava com o azeite da lamparina do altar a sua perna amputada.

Após dois anos, Miguel despediu de Nossa Senhora e retornou a sua cidade com a ajuda dos tropeiros.

Chegando a sua cidade, os seus pais o acolheram com muito carinho, mas sem poder trabalhar continuou a pedir esmolas e a ajudar os vizinhos nas tarefas domésticas.

Em uma noite, sua família acolheu dois soldados que ficaram hospedados em seu quarto. O jovem querendo ser hospitaleiro se dispôs a ficar em uma esteira no quarto de seus pais.

Ao entrar no quarto, sua mãe sentiu um suave perfume e viu debaixo das cobertas dois pés cruzados.

Altar da Catedral de Nossa Senhora del Pilar

Altar da Catedral de Nossa Senhora del Pilar

Miguel dormia em um sono profundo e foi acordado por seus pais pois, estavam admirados ao perceber que sua perna amputada estava milagrosamente restaurada.

Naquele momento ele contou que “sonhava estar na Catedral de Nossa Senhora del Pilar untando a sua perna com o azeite da lamparina, conforme fazia em Zaragoza” ele tinha certeza que era Nossa Senhora quem havia realizado este grande milagre.

Os vizinhos constataram o milagre e o membro que havia sido enterrado já não estava no cemitério do hospital.

Todos que o conheciam em Zaragoza também ficaram surpresos, pois viam Miguel aleijado na porta da Igreja com freqüência.

O milagre se propagou em toda a região!

 

Ele não está aqui, mas ressuscitou! Lc 24,6 

 

José tomou o corpo, envolve-o num lençol branco e o depositou num sepulcro novo, que tinha mandado talhar para si na rocha.

Interior do Santo Sepulcro, foto da primeira câmara. Este local é chamado de Capela do Anjo.

Interior do Santo Sepulcro, foto da primeira câmara. Este local é chamado de Capela do Anjo.

Depois rolou uma grande pedra à entrada do sepulcro e foi-se embora. Mt 27,59-60

O Santo Sepulcro é o local onde Jesus foi depositado após ser preparado na Pedra da Unção para a sepultura.

Contemplamos a 14ª estação da Via Sacra.

A edícula do Santo Sepulcro mede 8,30m de comprimento e 5,90 m de altura e largura. Ela pertence a três principais comunidades religiosas, os cristãos, gregos e armênios.

A estrutura do túmulo foi construída com duas câmaras. A primeira é chamada de capela do Anjo, um local maior onde a família se reunia para o luto. Sua entrada mede 1,30 m de altura.

Este nome foi dado em memória do anjo que ficou sentado na pedra diante do sepulcro no dia da ressurreição de Jesus.

E a segunda câmara, é o cerne do Santo Sepulcro um local menor. Após ter sido enrolado em lençóis brancos, o corpo de Jesus foi depositado em uma prateleira de pedra ou caixão, conforme o costume da época.

Entrada para o Santo Sepulcro

Esta é a entrada para o Santo Sepulcro, local onde Jesus foi sepultado após a sua morte de cruz.

Suas medidas são de 2,02 m de comprimento e 0,93 cm de largura.

Abaixo deste revestimento de mármore encontramos a rocha primitiva.

Depois rolaram uma pedra grande e arredondada para fechar o túmulo.

Um jazigo onde Jesus ficou de sexta-feira até o pôr do sol de domingo.