O Templo de Salomão, onde foi depositada a Arca da Aliança, foi destruído por Nabucodonosor no ano 586 a.C.

 

Muro das Lamentações - Jerusalém

Muro das Lamentações – Jerusalém

 

Herodes o reconstruiu no ano 20 a.C. como forma para agradar os governantes judeus. Este Templo foi rodeado por grandes muralhas de proteção, sendo destruído novamente por Tito no ano 70 d.C.

Nesta destruição restou uma das partes do muro do lado ocidental, conhecido como Muro das lamentações, onde os judeus choram até hoje pela destruição do Templo.

No mesmo local foi construída a Cúpula Dourada ou Domo da Rocha, nomes dados a Mesquita, um lugar sagrado para os muçulmanos.

 

Jerusalém de Ouro

Jerusalém de Ouro

Festividade próximo ao Muro das Lamentações

Comemoração dos judeus próximo ao Muro das Lamentações

Jerusalém

Jerusalém – Domo da Rocha

O Rei Davi tinha um projeto para a construção de um Templo para guardar a Arca da Aliança.

A mesma Arca da Aliança que estava em um Tabernáculo desde a época de Moisés.

O Senhor não permitiu que Davi construísse este Templo, pois estava acontecendo muitas guerras e derramamento de sangue.

Este projeto foi confiando a Salomão, seu filho que era um homem pacífico.

 

Acompanhemos a passagem onde o Senhor confia a construção do Templo a Salomão.

“Sabes que Davi, meu Pai, não pôde edificar um templo em nome de Senhor seu Deus, por causa das guerras que teve de sustentar até o dia em que o Senhor pôs os seus inimigos sob a planta de seus pés. Agora, porém, o Senhor deu-me paz de todos os lados: não há mais inimigos nem calamidades. Por isso penso em edificar um templo em nome do Senhor, meu Deus. O Senhor, com efeito, falara disso a Davi, meu pai, nestes termos: Teu filho, que eu farei sentar em teu lugar no trono, este edificará um templo em meu nome.” (I Reis 5,3-5; 6,21)

 

A construção do templo para depositar a Arca da Aliança, foi feito sobre o Monte Moriá, local onde Deus firmou sua aliança com Abraão, quando levou seu filho Isaac em sacrifício.

Depois disso, Deus provou Abraão, e disse-lhe: “Abraão!” – “Eis-me aqui”, respondeu ele. Deus disse: Toma teu filho, teu único filho aquém tanto amas, Isaac; e vai à terra de Moriá, onde tu o oferecerás em holocausto sobre um dos montes que eu te indicar.”

No dia seguinte, pela manhã, Abraão selou o seu jumento. Tomou consigo dois servos e Isaac, seu filho, e, tendo cortado a lenha para o holocausto, partiu para o lugar que Deus lhe tinha indicado.

Ao terceiro dia, levantando os olhos, viu o lugar de longe. “Ficai aqui com o jumento, disse ele aos seus servos; eu e o menino vamos até lá mais adiante para adorar, e depois voltaremos a vós.”

Abraão tomou a lenha do holocausto e a pôs aos ombros de seu filho Isaac, levando ele mesmo nas mãos o fogo e a faca. E enquanto os dois iam caminhando juntos, Isaac disse ao seu pai: “Meu pai!” – “Que há, meu filho?” Isaac continuou: “Temos aqui o fogo e a lenha, mas onde está a ovelha para o holocausto?” Gen 22,1-7

 

A construção aconteceu em um período muito próspero que duraram sete anos.