Sara era casada com Abraão e não tinha filhos.

Por isso disse a Abraão: “Eis que o Senhor me fez estéril; rogo-te que tomes a minha escrava, para ver se, ao menos por ela, eu posso ter filhos.” Abrão aceitou a proposta de Sara. Gn 16,2

Agar concebeu e deu a luz a um filho e colocou o nome de Ismael, segundo pedido do anjo que lhe apareceu.

Mas Deus disse a Abraão que Sara iria ser abençoada e conceberia um filho, que seria mãe de nações. E que era Sara a sua mulher e não Agar.

E o Senhor continuou dizendo, “minha aliança eu a farei com Isaac, e Sara te dará à luz dentro de um ano, nesta mesma época”.

Depois do nascimento de Isaac que era o único herdeiro, Sara despediu Agar e seu filho Ismael.

Agar foi embora conforme havia pedido e chorou, mas o Senhor a confortou dizendo que Ismael teria uma grande nação. Gn 21,18

Ismael teve a sua descendência com doze filhos. Eles fizeram de seu nome uma cidade e tornaram chefes de suas tribos. Gn 25,12 e 16

Isaac casou com Rebeca e tiveram dois filhos gêmeos, Esaú o mais velho e Jacó.

Esaú vendeu a sua primogenitura por um prato de lentilha, e não conseguiu ser abençoado por Isaac seu pai, pois seu irmão Jacó o enganou dizendo ser o primogênito. Gn 27,1-46

Diante de toda a sua amargura, Esaú disse: Jacó tirou-me meu direito de primogenitura, e eis que agora me rouba a minha benção. Gn 27,36

Jacó estava indo para Padã-Arã e ao despedir de Isaac, o proibiu de casar-se com as filhas de Ismael e de sua descendência.

Esaú chamava-se também Edom (significa vermelho), vendo a obediência de seu irmão, foi à casa de Ismael e tomou por mulher uma de suas filhas. Gn 28,9

Ismael e Isaac eram filhos de Abraão e foram separados, pois Sara havia despedido Agar, a escrava.

Ambos constituíram sua descendência e tribo perante a vontade de Deus.

Isaac proíbe seus filhos de se casarem com uma das filhas de Ismael, pois eram irmãos, mas a pedido de Sara houve a separação.

Acreditava que Isaac era abençoado e Ismael, por ser o filho da escrava não.

Mas estas duas descendências de encontram, Esaú se casa com uma das filhas de Ismael, irmão de Isaac e filhos de Abraão.

Esaú tornou-se chefe de uma grande nação, os edomitas.

Esaú e Jacó se encontram, com suas esposas e filhos e se perdoam: Esaú correu-lhe ao encontro e beijou-o; ele atirou-se ao seu pescoço e beijou-o; e puseram-se a chorar. Gn 33,4

A cidade de Petra foi habitada pelos edomitas e a partir do século VII a.C a presença dos nabateus foi predominante.

Se para os Judeus o local onde foi construído o Templo de Salomão é um local sagrado, para os muçulmanos também é.

Muro das Lamentações - Jerusalém

Muro das Lamentações – Jerusalém

Para os judeus é considerado sagrado, pois foi onde Abraão construiu um altar para oferecer Isaac em sacrifício ao Senhor. E para os muçulmanos é considerado sagrado, pois acredita que o profeta Maomé subiu aos céus por meio de uma carruagem de fogo.

Ambos têm este local como sagrado, mas hoje o templo pertence a fé islâmica.

Este templo é conhecido como Domo da Rocha e Cúpula Dourada, uma Mesquita construída que é frequentada pelos muçulmanos.

Jerusalém

Domo da Rocha ou Cúpula Dourada – Jerusalém

Já para os judeus restou uma parte do muro ocidental, o Muro das lamentações local onde eles oram e choram pela destruição de seu Templo.

O Judaísmo é uma das mais antigas religiões abraâmicas. O significado do termo judeu quer dizer “Filhos de Judá ou hebreus”.

Em frente a este muro os judeus fazem suas cerimônias, suas comemorações e deixam os seus pedidos de oração.

Os homens ficam em oração separados das mulheres. Eles à esquerda e as mulheres à direita.

Os pedidos de oração são colocados no Muro das Lamentações - Jerusalém

Os pedidos de oração são colocados no Muro das Lamentações – Jerusalém

Mulheres e homens rezando diante do Muro das Lamentações

Mulheres e homens rezando diante do Muro das Lamentações