“Eu não sei falar com facilidade…” (Ex 6,30)

É fundamental para o cristão, para manter aquecida a sua vida espiritual, que, além da vivência sacramental, alimente a alma, continuamente, com o exercício da meditação. É por meio dela que Deus nos fala, nos santifica, nos ensina os seus caminhos e nos mostra a sua vontade. Sem isto, o cristão pode cair no perigoso ativismo, esquecendo o que Jesus disse: More »

Jesus sentado perante o templo de Jerusalém fala a seus discípulos da total destruição deste (24,1-2). Sobre esta destruição a maioria dos exegetas estão de acordo em que Jesus se referia historicamente à destruição de Jerusalém ocorrida no ano 70 d.C. Mas, esta destruição é figura profética da consumação dos tempos.

Perante este anúncio, os discípulos perguntam: quando sucederá? More »

1. “Nada temas, pois eu te resgato, eu te chamo pelo nome, és meu!” (Is 43,2).

2. “Uns põem sua força nos carros, outros nos cavalos: Nós, porem, a temos em o Nome do Senhor, nosso Deus” (Sl 19,8).

3. “E toda essa multidão saberá que não é com espada e nem com lança que o Senhor triunfa, pois a batalha é do Senhor, e ele vos entregou em nossas mãos” (1Sm 17,47). More »

Os livros da Bíblia foram escritos em três línguas muito antigas: o hebraico (todos os livros protocanônicos do AT), aramaico (Ev. Mateus); grego (livros do NT).

O hebraico era escrito sem vogais até o século VII dC. Somente nos séculos VII a X dC, os rabinos judeus fizeram a vocalização do texto hebraico introduzindo as vogais (texto massorético). O leitor colocava mentalmente as vogais entre as consoantes, o que podia gerar dúvidas. Por exemplo, a palavra “ah”, podia significar irmão, primo ou parente. O hebraico não tinha superlativo e não separava as palavras. More »

“Quão saborosas são para mim vossas palavras, mais doces que o mel à minha boca” (Sl 118, 103)

“Vossa palavra é um facho que ilumina meus passos. E uma luz em meu caminho” (Sl 118, 105). More »