“Agradecemos a Deus sem cessar, porque, ao receberdes a palavra de Deus que ouvistes de nós, vós a recebestes não como palavra humana, mas como o que ela de fato é: palavra de Deus, que age em vós que acreditais.” (I Tessalonicenses 2,13)
A Palavra de Deus é ação contínua, é fala contínua. Ela é tão ação que não temos como dizer que já a conhecemos, pois seu poder de agir não a deixa ser estática e parada, mas vive em constante movimento. Ela não pára de nos dizer e sempre de forma diferente. A mesma coisa nos é falada de várias formas devido seu jeito didático de nos falar. É como se, recebendo um presente, abríssemos o mesmo bem devagarinho: tirássemos o laço, o embrulho, abríssemos a caixa, até chegarmos no presente. Assim é a Palavra de Deus.
A Palavra de Deus é VERBO, é ação que como tal é movimento constante que nos impulsiona sempre para frente. Ela é comunicadora de verdade e, como tal, nos mostra o caminho por onde andar, os passos a serem dados.
Quando lemos uma autobiografia de alguém, essa pessoa se dá um pouco a conhecer para aqueles que forem leitores de sua autobiografia. Na Palavra de Deus encontraremos quem é Deus. Saberemos como Ele age, quais suas qualidades e projetos para nós. Entenderemos melhor o Senhor do senhores. Isso se faz importante pois só se ama aquele que se conhece. Para amarmos o Senhor, faz-se necessário conhecê-lo e nada melhor que sua Palavra, sua autobiografia, para nos dizer quem Ele é.
Assim como o cantor que interpreta uma música, vive-a quando canta. Transparece com gestos e com o olhar a letra que canta. Deus quer que nós sejamos intérpretes de sua Palavra. Deseja que a conhecendo, vivamos dia após dia o que ela nos diz. Deseja que as nossas atitudes sejam evangélicas para chegarmos a ponto dizer o que São Paulo disse: “já não sou eu que vivo é Cristo que vive em mim” (Gálatas 2,20).
Conforme nos entregarmos a conhecer a Palavra de Deus, sentiremos que sua ação iniciará uma mudança em nós. Nossas atitudes serão transformadas e melhoraremos nossa “interpretação” da Palavra. Interpretação não de interpretar, mas de agir diferente. Agir de acordo com o que a Palavra nos diz. Aproximaremo-nos do “intérprete” que Deus deseja que nós sejamos. Aproximaremo-nos do EU que o Senhor sonhou para nós quando Ele pensou em nós, na nossa existência. E sendo aquilo que o Senhor sonhou para nós, chegaremos a viver o que nos disse São Francisco de Assis: “evangelizem, e se necessário for, falem”.

Deus os abençoe e nos encontramos na Eucaristia.

Junior Alves, missionário da Comunidade Canção Nova
Missão Rio de Janeiro

Comments closed.