Dar tudo por Quem?

Eu costumo cantar para minha filha dormir uma música que sempre causou-me “inquietação”. Canto porque ela pede e canto porque a canção converte-me. Uma das estrofes atinge-me de modo certeiro:

Liliane Borges

“ Irmão Francisco, vem me
Ensinar, Clara de Assis
Aponta o que fazer. Para
Que o Senhor seja o tudo
Em mim. Para só servi-lo
Que devo fazer? Vem dizer.

Já volto a falar da música…

Durante o período de formação inicial, ouvi uma pregação na qual o sacerdote afirmava que os motivos pelos quais nos entregamos a Deus, em uma comunidade, não são os mesmos que nos fazem permanecer. Eu achei um tanto equivocada aquela afirmação ! Ora, eu estava entregando-me inteira a Jesus e assim o seria por toda a vida. Mal sabia que muita água haveria de passar debaixo da ponte para começar a entender o que é uma vida entregue a Deus.

:. https://blog.cancaonova.com/vocacional/lancamento-do-clipe-tudo-pelo-tudo/

Eu entendia a vida consagrada como um constante fazer; um dinamismo evangélico que não encontra descanso e não deixa descansar. Uma vida tumultuada de coisas para realizar, desafios a serem vencidos, movimento, falatório e tantas loucuras mais. O problema não eram as atividades, que em si mesmas (algumas delas) eram muito nobres e verdadeiras. O engodo era uma cega guiando a outros…Eu não tinha dentro de mim Aquele de quem eu falava. O resultado foi um enorme vazio e o desejo de desistir de tudo.

Bom, o caminho de conversão foi longo e doloroso, ainda mais porque eu era uma pessoa consagrada a Deus, ao Tudo que eu mal conhecia. Para encurtar a história, volto com a música. Esse desejo de que Ele fosse tudo em mim nasceu como resposta a dor e me ajudou a entender que a regra do consagrado é o Amor. Não simplesmente fazer as coisas com amor, mas deixar-se vencer pelo Amor e fazê-las por amor. Mais ainda, ser “um” com o Amor. Parece complicado, mas não é – pelo menos teoricamente. E aqui entra a outra parte da música:

Irmão Francisco, irmão de
todo irmão. Clara de Assis,
irmã de toda irmã. Cantam ao
mundo só Deus nos bastará,
o amor é lindo, ele vencerá

O Amor há de ser o caminho, a verdade e a vida em todos os instantes. Há de ser o anseio de quem se consagra a Deus e quer servi-Lo. O amor é exigente, chega a doer e tem sua expressão máxima na cruz. Não é a toa que seguir a Cristo é tomar a cruz e manter-se em caminho. Seguir num processo – que levará toda a vida – de configuração com o Amado.

Liliane Borges, seu esposo Gilson e seus dois filhos

E não é que me esqueci dos motivos que me levaram a dizer sim a Deus na Canção Nova. O motivo que me faz permanecer? Ah, este eu sei: Ele mesmo…o Amor. Agora a última parte da música, e de certa forma, a parte prática que só consegue entender quem quer antes fazer a experiência transformadora do Amor.

“Se você quiser servir
A Deus, faça poucas coisas,
Mas as faça bem.
Pedra por pedra, com esperança
De ver Jesus.
Dia após dia, com alegria
Sempre buscando além”.

Já ia esquecendo-me de deixar claro ! Sou a pessoa mais desafinada que eu mesma conheço e não há solução para esse problema. Mas pelo sucesso que a música faz com meus filhos, acho que o coração anda aprendendo uma justa afinação…

 

Liliane Silva Borges de Oliveira é Brasileira, nasceu no dia 15/03/1980, em Estiva, MG. É membro da Comunidade Canção Nova, desde 2000 no modo de compromisso do Núcleo. Atualmente  reside na missão de Fátima – Portugal.