Dar a vida pela evangelização

Somos chamados a nos comprometer por inteiro na evangelização. 

No dia 2 de fevereiro de 1978 éramos doze pessoas. Hoje, somos mais de mil. O segredo continua o mesmo: consagrar inteiramente a própria vida nesta companhia de pesca.

Graças a Deus, somos missionários da comunicação. Nossa missão é evangelizar 24 horas por dia, 365 dias no ano, dando a vida em cada coisa que fazemos. Não nos pertencemos mais: nossa vida está inteiramente entregue a linda aventura de evangelizar. 

Se a Canção Nova fosse formada apenas de homens, já teria sido extinta há muito tempo. Não chegaríamos a ter rádio, TV e todos os outros meios que Deus nos ofertou para evangelizar.  Ainda: se o nosso projeto fosse humano, já teria se desfeito. Nada pode destruir os planos de Deus. 

Somos uma comunidade de missão, uma companhia de pesca, em que todos os trabalhos convergem para  um mesmo objetivo: realizar a evangelização integral pelos meios de comunicação de massa. 

Foto: cancaonova.com

A meta da evangelização é o Homem Novo

Vivemos uma evangelização interativa, quer dizer, evangelizamos e somos evangelizados, porque se fôssemos perfeitos, as pessoas não se aproximariam de nós. Elas precisam ver Jesus em nós; nas minhas palavras, sorriso, olhar etc. Para que possamos dizer: “Já não sou eu que vivo, é Cristo que vive em mim”. A meta da evangelização é o Homem Novo à imagem de Jesus Cristo. A primeira evangelização traz à pessoa humana a graça do novo nascimento. Realmente ela se  torna nova criatura. 

A Canção Nova nasceu da Exortação Apostólica Evangelii Nuntiandi, que impulsiona a todos para a urgência de evangelizar nos dias de hoje. Nosso desejo era consagrar nossas vidas à realização deste mandato da Igreja, e foi isso que nos levou a deixar tudo para viver em comunidade. Somos chamados a ser profissionais: profissionais de mídia, profissionais de evangelização, profissionais de Deus.

Nós somos operários da última hora. A Canção Nova foi criada para salvar as almas. Somos salva-vidas, e salvar vidas é salvá-las para a vida eterna. Para isso, é preciso perder; perder a própria vida, se preciso for. É preciso ter pessoas provadas e aprovadas para realizar a missão de anunciar o Evangelho. Somos salva-vidas. É preciso ter sido bem treinado. A força de nossa evangelização nasceu da nossa pobreza. Pelo fato de sermos pobres, Deus multiplicou o pouco que tínhamos.

Para evangelizar o mundo paganizado de hoje, que recebe escolas e lições de paganismo, o único método a ser utilizado, a fim de mudar essa situação e a face da terra, é o método de Deus. Tal método, empregado por Barnabé e Saulo, não tem 20 anos nem 200 anos, mas sim 2000 anos, e consiste em levar as pessoas ao Batismo no Espírito Santo. Somos chamados a nos comprometer por inteiro na evangelização. Essa é a parte mais linda de  nossa missão.

Quanto tempo vai durar a evangelização? 

Nela trabalhamos em estreita colaboração com a pessoa e com Deus. Não precisamos mudar de profissão, mas colocar nossa profissão a serviço da nova evangelização. O Senhor nos mostra que todo ofício se torna evangelizador quando o colocamos a serviço do apostolado. O tempo que o Senhor está investindo nesta última evangelização é o agora. É o tempo em que Ele está disposto a perdoar a todos e transformar a vida daqueles que quiserem transformá-la.

É muito importante a evangelização, uma vez que todos nós precisamos estar evangelizados. Por isso, desde 1967, o Senhor derrama o teu Espírito sobre a Igreja. Quanto tempo vai durar esta última evangelização? Não se sabe. Só se sabe que hoje o tempo para evangelizar é menor que o de ontem. 

Impressiona, quando ao ler e reler o Ato dos Apóstolos e as cartas do Novo Testamento, os apóstolos, na primeira evangelização, já falavam da segunda Vinda do Senhor. Eles não viram o Senhor chegando, mas, quando eles morreram, estavam preparados para isso. Você pode até dizer: “eu não tenho tanta capacidade de evangelizar”, mas veja o próprio Jesus: comparou o  evangelho e os evangelizados ao sal, à luz, ao fermento. 

Leia também:

:: Somos Escolhidos

:: Como saber se é Deus quem me chama?

Não há portas fechadas para o Evangelho

Ele disse claramente: “Vós sois o sal da terra, o sal produz o seu efeito só porque ele está ali”. Seja você o evangelizado na sua casa, ainda que sua família reclame e chame você de fanático, de chato, e diga que você está fora do mundo e mil coisas e até o desprezem. Você é a presença do Evangelho nesta casa. Acredite que, por meio de você, verdadeiramente evangelizado, está acontecendo mudanças e, mais cedo ou mais tarde, eles serão contagiados.  

Não há portas fechadas para o Evangelho, e você não pode fechar as portas do Evangelho com seus medos e inseguranças. O trabalho de evangelização, para que seja eficiente – verdadeiramente faça o seu efeito – requer um coração de pastor, como o coração de pastor de Jesus. Ele procura pessoas que queiram ter o coração de pastor. 

Evangelizar pelo poder do Espírito. 

A evangelização só será possível com o poder do Espírito. Temos que recolher muitos batizados para a Igreja,  pois precisam urgentemente ser evangelizados e voltar para  a Igreja. Somente pelo poder do Espírito faremos um trabalho eficaz.

Uma evangelização realizada com estrutura, projetos, planos, dinheiro não funcionará, é necessário que toque o coração das pessoas. O inimigo, porém, está por aí e, sabendo que pouco tempo lhe resta, ele não quer a evangelização. Ele está nos ares, impedindo que o  Evangelho toque o coração das pessoas. 

Por isso a evangelização apenas será possibilitada pelo poder do Espírito. Uma evangelização com unção que atravesse as barreiras e atinja o coração. No entanto, não há evangelização sem pessoas batizadas pelo Espírito, assim devemos levar as pessoas ao Batismo no Espírito. 

A Canção Nova nasceu da evangelização e para a evangelização. Surgiu de um trabalho realizado com os jovens da Diocese de Lorena, chamado de catecumenato: era uma evangelização para batizados e não evangelizados. Deus quis que a Canção Nova nascesse e crescesse para a evangelização dos batizados.