Matrimônio: É possível casar para sempre?

“A vocação para o matrimônio está inscrita na própria natureza do homem e da mulher, tais como saíram das mãos do Criador”. (CIC 1603)

Quando criança, sempre contemplava o matrimônio dos meus pais com um olhar de admiração e, conforme ia crescendo e entendendo a vocação que eles abraçaram e que eu fazia parte como fruto, também eu me confrontava com as seguintes perguntas interiores: Como saber qual é a pessoa certa? É possível casar para sempre?

Anos se passaram e hoje escrevo esse texto, sendo um homem muito bem casado com uma mulher na qual sou apaixonado há pouco mais de 6 anos, e pai de uma linda menina que acabou de completar 4 anos. Além destes grandes dons que recebi de Deus, formei esta família dentro de uma grande família que se chama Comunidade Canção Nova.

A missão da Comunidade Canção Nova é evangelizar, comunicar Jesus e a vida nova que Ele veio trazer” (Estatuto Canônico – Comunidade Canção Nova ).

Depois dessa pequena introdução, retorno ao questionamento partilhado acima que trazia em boa parte da minha infância e adolescência: Como saber qual é a pessoa certa? É possível casar para sempre?

Para chegar a qualquer resposta é preciso colher informações e contemplar dia a dia os fatos concretos da vida, chegando ao ponto que chamamos de discernimento. O mesmo processo que se faz para discernir qual profissão me identifico e qual a vontade de Deus  na minha vida, deve também ser utilizado diante de um sentimento e da amizade que vai sendo alimentada no dia a dia com quem estou apaixonado, para aí poder dar os passos necessários em busca da resposta se a pessoa na qual hoje namoro é a pessoa na qual irei me casar para todo sempre.

Veja também:

:.Como saber se tenho vocação ao matrimônio?

Diante de tantas evoluções a nível tecnológico, propostas ideológicas ou filosóficas em que tudo é relativo e ainda com a ditadura do relativismo, é possível pensar em compromissos definitivos? Digo para você que sim. É possível não só pensar em algo para todo o sempre como viver isso na sua vida. Talvez, lendo esse texto você pode agora mesmo já pensar: É fácil falar, pois você mora com sua família dentro de uma comunidade, está dentro de uma bolha e por isso tudo se torna mais fácil. Se você ainda tiver disposição para ler, eu tenho disposição para te explicar como funciona ser casal, ou melhor dizendo, uma família missionária dedicada de forma integral em uma Comunidade católica, pode ser?

Arquivo Pessoal

A primeira coisa que partilho é que, mesmo estando na comunidade Canção Nova casado e pai, tocamos nos desafios que todo casal toca quando decide receber o sacramento do matrimônio e criar seus filhos na fé católica, pois por mais que pareça, olhando de fora, não estamos imunes aos desafios da vida normal, em todas as suas realidades; como por exemplo as enfermidades que aparecem em todas as fases da vida, os conflitos em busca do diálogo, a harmonia conjugal e familiar, a administração financeira, a educação dos filhos em cada necessidade referente a sua idade e assim tantos outros. Como fazemos para enfrentar tudo o que nos aparece no dia a dia estando dentro de uma comunidade de vida e sendo família?

Concretamente no carisma Canção Nova, independente dos estados de vida que assumimos, somos chamados a viver os conselhos evangélicos adaptados à vida secular (castidade, pobreza e obediência), que na Canção Nova chamamos de princípios de vida (viver da providência, sadia convivência, autoridade e submissão, partilha e transparência e viver reconciliados).
O mesmo Evangelho de Jesus Cristo que eu e minha família somos chamados a viver é o chamado de todo cristão, contudo, nós decidimos viver de forma radical em cada segundo de nossas vidas, transbordando a nossa vivência em família e em comunidade para todos aqueles que o próprio Deus nos confiar como missão.

Nas realidades que vão se apresentado em nossas vidas, vamos buscando nesses princípios que citei, as ferramentas para não somente superar os desafios, mas também colher os frutos daquilo que eu e minha esposa assumimos diante de Deus e da Igreja quando buscamos receber o sacramento do matrimônio e ali nasceu a nossa família.

Eu N., recebo-te por minha esposa a ti N., e prometo ser-te fiel, amar-te e respeitar-te, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, todos os dias da nossa vida.

Arquivo Pessoal

Partilho com você que o princípio no qual me sinto mais desafiado diariamente é viver da providência. Confesso que não toco nesse princípio somente na realidade material e que normalmente é mais visível aos olhos humanos,  porque educar os filhos e sustentar uma família é o desafio do dia a dia, porém depender inteiramente de Deus me faz, como esposo e pai, me submeter diante do meu criador e N’ele depositar todas a minhas preocupações no presente e mais ainda referente ao futuro.

Encerro respondendo esse último questionamento que partilhei com você no início do texto: É possível casar para sempre?

É possível sim. Como? Casando todos os dias com a mesma pessoa. Escrevendo a vida juntos, colhendo os frutos do sacramento do matrimônio em cada realidade que se apresenta e buscando viver o que diante de Deus e da Igreja assumimos: prometo ser-te fiel, amar-te e respeitar-te, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, todos os dias da nossa vida.

Os esposos cristãos, «no seu estado de vida e na sua ordem, têm, no povo de Deus, os seus dons próprios» (161). Esta graça própria do sacramento do Matrimónio destina-se a aperfeiçoar o amor dos cônjuges e a fortalecer a sua unidade indissolúvel. Por meio desta graça, «eles auxiliam-se mutuamente para chegarem à santidade pela vida conjugal e pela procriação e educação dos filhos». (CIC 1641)

Que Deus abençoe os seus propósitos de santidade e te leve hoje e sempre para águas mais profundas.

Maranata, Vem Senhor Jesus!

 

Saulo Macena Lima, missionário da Canção Nova, membro definitivo no modo de compromisso do Núcleo, desde 2009.