Precisas de amor? Buscas intensidade?

Cada ser humano já nasce sedento de amor, do Amor que é o próprio Deus, derramado em seu coração pelo Espírito Santo que nos foi dado.

Há uma semana vivemos a Solenidade de Pentecostes, onde toda a Igreja celebra o derramamento do Espírito Santo sobre os apóstolos e Maria, a mãe de Jesus, no Cenáculo; como cumprimento da promessa do Pai: “derramarei naquele dia o meu espírito” (Joel 3,2), por meio de Seu Filho: “E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre; O Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco, e estará em vós. Não vos deixarei órfãos; voltarei para vós” (João 14:16-18).

Desde o Pentecostes da Igreja nascente, vivemos no tempo do Espírito Santo, e a exemplo dos Apóstolos somos chamados a anunciar a Vinda do Reino de Deus deixando-nos conduzir pelo Paráclito, pelo Consolador, o Auxílio do Céu, que vem em socorro as nossas fraquezas pois não sabemos orar como convém (conf. Rm 8,26-30). Como nos disse o Senhor, o Seu Espírito nos ensinará e nos recordará tudo o que Ele nos disse  (conf. Jo 14,26) e por meio Dele veremos milagres e prodígios ainda maiores.

Foto: Patrícia Coêlho Costa

Ou somos carismáticos ou falimos no ponto de partida da nossa missão

A Canção Nova é carismática desde a sua origem, e o nosso Carisma só se realiza se vivermos na dinâmica do Espírito Santo. Somos chamados a sermos homens e mulheres carismáticos com a missão de levar a todos, com ousadia e intrepidez, o Batismo no Espírito Santo, o exercício dos Seus Dons e a maravilha de sermos conduzidos por Ele. Como nos diz o nosso pai fundador, Monsenhor Jonas Abib: “ou somos carismáticos ou falimos no ponto de partida da nossa missão”.

Os últimos parágrafos do IV capítulo da Exortação Apostólica Christus Vivit destaca a Terceira Pessoa da Santíssima Trindade, o Espírito Santo que dá vida.  No parágrafo 131 da Christus Vivit, o Santo Padre, nos diz:

“Todos os dias invoca o Espírito Santo, para que renove em ti constantemente a experiência do grande anúncio. Porque não? Tu não perdes nada e Ele pode mudar a tua vida, pode iluminá-la e dar-lhe um rumo melhor. Não te mutila, não te tira nada, antes ajuda-te a encontrar da melhor maneira aquilo que precisas.

Precisas de amor? Não o encontrarás na devassidão, usando os outros, possuindo ou dominando os outros; n’Ele, o encontrarás duma forma que te fará verdadeiramente feliz. Buscas intensidade? Não a viverás acumulando objetos, gastando dinheiro, correndo desesperadamente atrás das coisas deste mundo; chegará duma maneira muito mais bela e satisfatória, se te deixares guiar pelo Espírito Santo”.

Mais sobre o Capítulo IV da Christus Vivit:

:: O Amor de Deus supera a medida do amor humano

:: O amor e a dor igualmente se “perdem” num abraço

O Espírito Santo é a Fonte

Cada ser humano já nasce sedento de amor, do Amor que é o próprio Deus, que fora derramado em seu coração pelo Espírito Santo que nos foi dado (conf. Rm 5,5). Amor este que precisa ser para nós, como nos disse o Papa Francisco:

“Ele é a fonte da juventude melhor. Com efeito, quem confia no Senhor «é como a árvore plantada perto da água, a qual estende as raízes para a corrente; não teme quando vem o calor, e a sua folhagem fica sempre verdejante» (Jr 17, 8). Enquanto «os adolescentes se cansam e se fatigam» (Is 40, 30), aqueles que esperam, confiados no Senhor, «renovam as suas forças. Têm asas como a águia, correm sem se cansar, marcham sem desfalecer» (Is 40, 31)”. (Christus Vivit – nº 133)

 

Patrícia Coêlho Costa

Comunidade Canção Nova