Pecados e fraquezas precisam ser constantemente combatidos!

“Mantém o teu coração firme e sê constante, inclina teu ouvido e acolhe as palavras inteligentes, e não te afobes no tempo da contrariedade.” (Eclo 2,2)

Você saberia dizer agora mesmo qual é o pecado que tem predominado em sua vida?

Você saberia dizer também que defeito tem predominado em você?

Tenho aprendido nestes últimos tempos que é muito importante que eu e que você tenhamos as respostas para estas perguntas acima. Ter estas respostas podem nos ajudar e muito em nosso caminho pessoal de conversão para Deus; e ainda nos ajudar a livrar os nossos pés de caminhos que querem nos tirar de Deus!

Existem pecados em nossas vidas que predominam, que insistem em voltar, e que ainda que confessemos os mesmos; acabamos caindo uma hora ou outra….
Nesta experiência de não conseguir vencer determinado pecado, você precisa aprender algumas lições muito importantes:

Primeira Lição:

A primeira e importante lição é que você mesmo, por suas forças não conseguirá vencer nenhum pecado e nenhuma limitação… Você precisará lembrar-se constantemente que vencer um pecado ou uma situação de pecado é sempre uma ação da graça de Deus em você. Isso parece ser muito simples de ser entendido. Mas …Continue lendo…

“É a Deus que você deve recorrer face aos assaltos do demônio.” (Padre Pio)

O caminho da Tentação!

Quero em primeiro lugar dizer que se você esta lendo este artigo neste exato momento, saiba que não foi somente uma coincidência você encontrar este Blog. Talvez você estivesse procurando por algum assunto relacionado ao Blog, ou coisas do tipo, e de repente o site de pesquisa te indicou este Blog e aqui você esta! …Continue lendo…

Também no deserto é preciso aprender a prosseguir…

Andar no deserto da OracaoQuando falamos de Cura e Libertação, não poderemos nunca esquecermos da palavra ORAÇÃO!
Quer seja para quem é ministro de Cura e Libertação, quer seja para quem está se empenhando num caminho pessoal de sua própria Cura e Libertação.

A Oração sempre será o ponto de partida! A Oração deverá ser sempre o centro e o fundamento desse nosso caminhar!

Mas quando a Oração se tornar um caminho de deserto para nós? Quando por meio da Oração tentamos buscar a Deus mas parece que não conseguimos nem mesmo ver um foco de Sua luz? O que devemos fazer? Como caminhar? …Continue lendo…

Sou mais do que o meu pecado…

“Este povo somente me honra com os lábios; seu coração, porém, está longe de mim.” (Mt 15,8)

O meu pecado não diz quem eu sou!Há muito tempo Deus vem falando ao meu coração sobre Judas Iscariotes. Porque é difícil de entender o que realmente aconteceu com ele, é difícil termos a compreensão de qual foi o momento em que ele decidiu não mais seguir Jesus…

Sabe, o que tenho aprendido neste tempo é:

Não foi propriamente o pecado de Judas que o levou a se suicidar, e nem mesmo foi o pecado dele que fez com que as consequências do seu erro fossem irreparáveis. Continue lendo…

“Meu filho, se pecadores quiserem seduzir-te, não vás atrás deles.” (Prov. 1, 10)

A primeira e importante instrução que o Senhor nos dá através deste capitulo é este: “Meu filho, se pecadores quiserem seduzir-te, não vás atrás deles.” (Prov. 1, 10)

Quantas vezes nos vemos diante de situações que querem nos arrastar ao pecado, nos arrastar para o mal, e mesmo assim arriscamos para vermos onde este caminho poderá nos levar…São caminhos que aparecem à nossa frente como uma força, que nos puxa, nos seduz e arrasta…
Quando percebermos que existe em nosso caminho tal força, saiba que por detrás desta força existe o MAL, existe uma grande tentação que quer fazer com que eu e você caiamos em pecado…Ainda é possível que este mal caminho se apresente a você através de pessoas, até mesmo pessoas na qual você goste muito. Mas infelizmente também, o demônio acaba se utilizando de pessoas para conseguir “jogar” um pouco de suas sementes em meio aquilo que o Senhor esta fazendo em nós!
Existe pessoas na qual convivemos que parece que elas exercem uma força sobre nós de fazer com que façamos sempre algo de errado, ou começam a nos desviar do bom caminho, ou começamos a entrar em conversas que não nos levam a nada e coisas do tipo….
São pessoas que sempre nos instigam a entrar em situações de perigo! Não perigo de vida ou algo assim, mas perigo de cairmos no pecado. Infelizmente é assim, e não é que estas pessoas são más ou algo do tipo, mas é que por mais que não queiramos elas fazem que retrocedamos do bom caminho que estávamos percorrendo…

Mas atenção neste dia, pois existem pessoas …Continue lendo…

Continuação “Os pecados dos nossos Pensamentos II”

2 – À sugestão segue-se a deleitação. Quando nos damos ao trabalho de repelir imediatamente a tentação, sentimos nela certa complacência ou prazer, que nos vai arrastando ao consentimento. Mesmo então, se a vontade não dá seu assentimento, não há pecado mortal; quando muito, poderá haver pecado venial. Se, porém, não recorrermos então a Deus e não nos esforçarmos por resistir à tentação, facilmente nos sentiremos arrastados ao consentimento e perdidos, segundo as palavras de Santo Anselmo (De similit., c. 40): “Se não procuramos impedir a deleitação, ela se transformará em consentimento e matará a alma”.
Uma senhora, que tinha fama de santa, teve, um dia, um mau pensamento, que não repeliu imediatamente, e pecou por pensamento. Por vergonha deixou de confessar esse pensamento criminoso e morreu, pouco depois, em estado de pecado. Porque morreu com fama de santidade, mandou o bispo que fosse sepultada em sua própria capela. No dia seguinte, porém, apareceu-lhe ela, toda circundada de fogo, e confessou – lhe, infelizmente já tarde demais, que estava condenada por ter consentido num mau pensamento.

3 – Consentimento: Toda a malícia do mau pensamento está, porém, no consentimento. Havendo pleno consentimento, perde-se a graça de Deus e chama-se sobre si a condenação eterna, quer se tenha o desejo de cometer um pecado determinado, quer se pense ou reflita com prazer no pecado como se o estivesse cometendo. Esta última espécie de pecado chama-se uma deleitação deliberada ou morosa, e deve-se distinguir bem da primeira, isto é, do pecado de desejo.
Entendemos nestes últimos artigos como é que a tentação age em nós querendo nos derrubar e nos fazer cair…Não deixe que estes ensinamentos de Santo Afonso Maria de Ligório passe despercebido sem que você se esforce para coloca – los todos em prática!
Recomendo ainda a releitura destes Artigos “Os Pecados dos nossos Pensamentos I, II, III” e junto da leitura dos deles que você faça suas anotações, trechos que o Senhor falou ao seu coração…Somente não deixe que tamanha preciosidade passe sem que você possa colher os frutos necessários!
Deus abençoe você!
Clique no ícone abaixo e siga – me no Twitter:

Siga-me no Twitter

Leia também:

1. Os Pecados dos nossos Pensamentos I

2. Os Pecados dos nossos Pensamentos II

3. Por detrás de Harry Potter

Sobre o Autor:

Danilo Gesualdo, é membro da Comunidade Canção Nova e atua junto ao Ministério de Cura e Libertação, residindo em nossa sede em Cachoeira Paulista.
Para contato me envie um e-mail: livresdetodomal@cancaonova.com

Saiba mais sobre: Danilo Gesualdo ou siga Twitter (danilogesualdo)

Os Pecados que envolvem nossos Pensamentos…

Dando continuidade sobre os artigos “Os pecados dos nossos pensamentos”, citei no artigo anterior (Clique aqui para acessa-lo) que 3 coisas precisam ser consideradas quando tratamos deste assunto, a saber: A Sugestão, a Deliberação e o Consentimento!

Geralmente – mas isso não é regra – estes 3 tipos de ações que se passam em nossos pensamentos seguem exatamente a ordem citada a cima.

Santo Afonso Maria de Ligório nos ajuda a entender como funciona estas 3 açõ­es em nossos pensamentos:

1 – Sugestão: Sob a palavra sugestão entende-se o primeiro pensamento que nos incita a praticar o mal que nos vem à mente. Esta instigação ou incitamento ainda não é pecado; se a vontade a repele imediatamente, é mesmo uma fonte de merecimentos. “Para cada tentação a que opuseres resistência, se te deverá uma coroa”, diz Santo Antão. Até os Santos foram perseguidos por tais pensamentos. São Bento revolveu-se sobre os espinhos para vencer uma tentação impura, e São Pedro de Alcântara lançou-se em um poço de água gelada.

São Paulo nos informa que também ele foi tentado contra a pureza: “E para que a grandeza das revelações não me ensoberbece, foi-me dado um espinho em minha carne, um anjo de satanás para me esbofetear” (2 Cor 12, 7). O Apóstolo suplicou várias vezes ao Senhor que o livrasse desse inimigo: “Por essa causa roguei ao Senhor três vezes que o afastasse de mim”. O Senhor não quis, porém, dispensá-lo do combate, e respondeu-lhe: “Basta-te a minha graça”. E por que não queria o Senhor livrá-lo? Para que adquirisse maiores méritos por sua resistência à tentação: “Porque a virtude se aperfeiçoa na fraqueza”. São Francisco de Sales diz que: “Quando um ladrão procura arrombar uma porta, é porque não está ainda dentro da casa; assim também, quando o demônio tenta uma alma, é porque se acha ela ainda na graça de Deus.”

Santa Catarina de Sena foi uma vez horrivelmente atormentada pelo demônio, durante três dias, com fortes tentações impuras. Apareceu-lhe então o Senhor para consolá-la, e ela perguntou-lhe: – Mas onde estivestes Senhor meu, durante estes três dias? Jesus respondeu-lhe: Dentro do teu coração, dando-te força para resistires à tentação. E o Senhor deu-lhe a conhecer que o seu coração estava, depois da tentação, mais puro que antes.

Penso que ficou bem claro o que seria a SUGESTÃO em nossos pensamentos! A SUGESTÃO pode provir da nossa própria concupiscência ou então do demônio que quer depois de nos SUGERIR, fazer com que nos DELEITEMOS e CONSINTAMOS no pecado que foi sugerido no inicio!

Por isso a importante dica que nos dá Sto. Afonso logo no inicio de sua explicação: Quando estes primeiros pensamentos que nos incite para qualquer tipo de mal começarem a surgir em nossa mente, precisamos imediatamente REPELI-LO, afasta-lo de nossos pensamentos. Pedir que Jesus ajude você a afastar estes tipos de pensamentos que estão surgindo! Eficácia muito grande é nestes momentos clamar o Santo nome de Jesus e da Virgem Maria!

Meu querido e minha querida, se você quiser sair desta luta que você enfrenta nos seus pensamentos vitorioso, você não pode permitir que estes pensamentos ganhem força dentro de você sem que você peça o auxilio do céu! E digo mais, se estes pensamentos que surgirem em sua mente forem de cunhos sexuais, mais rapidamente será necessário que você clame o Santo nome de Jesus; pois pensamentos com conteúdos sexuais costumam trazer consigo o prazer da carne, o prazer do momento; costumam serem bons no inicio, e depois trazem consigo todo o amargor próprio do pecado!
Esta atitude de logo repelir tais pensamentos sugeridos em sua mente também vem do auxílio do Espírito Santo, com a ajuda de um dom carismático chamado Discernimento dos espíritos. Dom este que é a ação da luz de Deus em nós, nos ajudando a enxergar da mesma maneira que Deus enxerga determinada situação; é luz de Deus que nos ajuda a distinguir o que é bom do que é mal, o que vem de Deus, e o que o que não vem de Deus! Em outro momento trarei com um pouco mais de detalhes sobre este carisma!

O importante agora é que você então peça ao Senhor este Carisma e diante dos pensamentos que serão sugeridos a você, imediatamente chame por Jesus e pela Virgem Maria!

No próximo artigo escreverei sobre a DELIBERAÇÃO dos nossos pensamentos!

Deus abençoe você e partilhe comigo suas vitórias!

Siga-me no Twitter

Leia também:

1. Os Pecados dos nossos Pensamentos III

2. Os dons que Satanás concede!

3. Posso ir a Benzedeiros?

Sobre o Autor:

Danilo Gesualdo, é membro da Comunidade Canção Nova e atua junto ao Ministério de Cura e Libertação, residindo em nossa sede em Cachoeira Paulista.
Para contato me envie um e-mail: livresdetodomal@cancaonova.com

Saiba mais sobre: Danilo Gesualdo ou siga Twitter (danilogesualdo)

A realidade espiritual que nos cerca é real; seja a realidade que nos inspira para o bem, seja para a realidade que nos inspira para o mal.

O importante é que não podemos deixar que estas realidades passem despercebidas em nossas vidas, seja por falta de conhecimento ou até mesmo por esquecimento devido ao nosso dia a dia tão corrido.

E queria aqui chamar atenção para uma das realidades espirituais que nos cerca e que é de fundamental importância: A tentação!

Não quero aqui tratar da tentação vista somente de maneira teológica, ou querer fundamenta – la ou algo deste tipo; mas quero expor uma realidade da tentação na pratica, que muitos homens experimentados em Deus aprenderam e que devemos ter a mesma postura.

Muitas pessoas perguntam como distinguir se estamos de fato sendo atingidos por uma tentação que tem a origem no diabo, ou se a tentação que estamos sofrendo provem de nós mesmos, da nossa concupiscência

É uma pergunta um pouco difícil de ser respondida, pois muitos fatores precisariam ser analisados para podermos chegar a uma conclusão mais acertada. Mas um bom critério para fazermos este discernimento é analisarmos como surgiu esta tentação, como ela nasceu dentro de nós. E para isso não é preciso muito tempo de discernimento não, até mesmo porque onde quero chegar com você em relação a este conceito de tentação, diz exatamente de tempo, e por isso não se pode perder muito tempo até mesmo no discernimento sobre a tentação.

Analise como foi que esta tentação surgiu: Foi de alguma situação que você viveu? Foi de algo que você viu? De algo que você ouviu?

Que área da sua vida esta tentação esta querendo atingir: É a sua Afetividade? É a sua Sexualidade? É o seu emocional, seu psíquico?

Qual a via que a tentação esta se utilizando: Pensamentos? Emoções? Fantasias? Lembranças? Imaginação?

Tudo isso nos ajuda a discernir quem esta por detrás da tentação que estamos sofrendo.

Um ponto que é fundamental para este discernimento é a intensidade e a constância na qual esta tentação esta atuando. Se você percebeu que de repente e sem nenhum motivo surgiu algum tipo de tentação sobre você, e a mesma veio de maneira muito violenta, com uma intensidade muito grande, não receio em dizer que é quase certa que esta tentação provenha do Maligno, do diabo, de forma a te atingir diretamente e sem querer dar tempo para que você reaja contra ela.

Uma outra forma de discernimento é a constância que esta tentação permanece atuando sobre você. Se você percebe que uma tentação permanece por muito tempo atuando sobre você, também não receio em dizer que a mesma provenha diretamente do diabo.

É difícil de fato ter a convicção de onde a tentação provenha. Não existe uma regra para o diabo agir, ele é sorrateiro, inteligente e muito astuto quando o assunto é fazer cair os filhos de Deus.

Não é regra geral, mas geralmente uma tentação que provenha na nossa natureza humana, da nossa concupiscência, ela é estimulada por algo que nos chame a atenção ou que nos seja prazeroso, ela precisa receber um estimulo para ser despertada e ai vai tomando espaço dentro de nós, até que se alimentada por muito tempo concebe o pecado!

Já a tentação que vem diretamente do Maligno pode até mesmo surgir do mesmo modo, de algo que nos estimulou, e logo recordamos de algo que vivemos, e se não a rejeitarmos conceberemos o pecado. Mas neste caso então, é preciso que nos foquemos nos dois critérios que citei acima: Intensidade e Constância!

Quero aqui citar um exemplo simples, mas que nos ajudará a entender um pouco a diferença entre uma e outra:

“Um homem por muito tempo que foi um dependente do álcool, um alcoólatra;  estava na passando na rua, em direção a sua casa e passou em frente a um bar na qual por muito tempo ele frequentou. Ao passar pelo bar seus pensamentos começaram a relembrar os momentos que ele estava ali bebendo e se divertindo, e novamente ele começa a sentir vontade de beber, mesmo que seja pouco este desejo de ir lá e beber é real dentro dele. Mas ele se lembra de toda a luta que foi para largar o álcool e tudo o que de ruim as consequências do álcool trouxeram para a vida dele. Ele continua a andar e tenta por alguns minutos esquecer tudo o que viveu e tenta esquecer este desejo de ir lá e beber. Passado algum tempo o desejo se foi, passou como se nunca estivesse existido.”

É possível que esta tentação que este homem acabou de vivenciar tenha vindo da sua própria concupiscência. Pois foi estimulada pela lembrança quando passou em frente ao bar, porque depois de um tempo de luta ela deixou de atormentar este homem, então a intensidade e a constância não fugiram da normalidade.

A outra situação é também relacionado a um dependente do álcool, e  é a seguinte:

“Um homem esta em sua casa arrumando o encanamento da pia para sua esposa, e ali ele esta concentrado no trabalho. De repente e sem nenhum motivo aparente este homem é tomado pelas lembranças de quando ele ficava naquele bar bebendo. Se lembra ainda dos companheiros e de toda a diversão vivida ali. As lembranças são tão intensas que o seu corpo começa a reagir mostrando o desejo e o prazer que a bebida lhe trazia. Este homem se lembra que o bar é próximo a sua casa, e que talvez se ele for lá ele nem mesmo beba, mas quer ir lá somente para rever os amigos e conversar um pouco. Aqueles pensamentos não param em sua mente, e ai ele começa com uma auto sugestão de que se ele for lá e tomar somente um copo de cerveja ele não irá voltar a cair no vicio. Estes pensamentos por mais que o homem tente rejeita – los eles persistem e vão montando articulações nos seus pensamentos de que este homem já superou a dependência do álcool e que não haverá problema ir até este bar…”

É possível que esta tentação tenha vindo diretamente do Maligno. Pois não a estimulou, surgiu de repente. A intensidade e a constância por mais que este homem rejeitasse este pensamento, continuaram! Os seus pensamentos já começaram incentiva – lo a ir ao bar não para beber, mas para rever os amigos; pura estratégia de satanás querer manobrar a realidade e disfarçar a verdadeira intenção. Logo depois a tentação começa e lhe sugerir que este homem já superou o seu vicio e que, somente um copo não lhe fará mal algum! Mais uma vez satanás quer mascarar a verdadeira intensão!

Coloquei este exemplo simples para começarmos a ficar atentos ao nosso dia a dia, as tentações que temos sofrido e como a mesma tem se comportado dentro de nós!

E para terminar – pois escreverei ainda mais para frente sobre a tentação – quero dizer que nada melhor do o Espirito Santo a nos ajudar neste discernimento sobre a tentação. Peça ao Espirito Santo o Dom Carismático do Discernimento dos espiritos, na qual lhe ajudará a discernir a fonte do mal que lhe atinge!

Rezo por você e pelas intenções que você traz no seu coração!

Que Deus possa lhe abençoar e te dar todas as armas necessárias para vencer suas lutas no dia a dia!

Acesse também o Artigo: “Por que escrever sobre o Mal?”

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com