Em entrevista, Mara Carvalho conta-nos como começou sua devoção a Virgem Maria e a fundação da Fraternidade Discípulos da Mãe de Deus.

Neste artigo, temos a entrevista com Mara Lúcia Figueiredo Vieira de Carvalho, fundadora da Fraternidade Discípulos da Mãe de Deus. Mara fundou a Comunidade juntamente com seu esposo César Augusto Saraiva de Carvalho e com o cofundador, Padre Flávio Jerônimo do Nascimento. A Fundadora conta-nos primeiramente como começou sua profunda devoção a Nossa Senhora e a propagação da consagração pelo método do livro “Tratado da Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem”, de São Luís Maria Grignion de Montfort.

Mara Carvalho conta-nos como começou sua devoção a Virgem Maria e a fundação da Fraternidade Discípulos da Mãe de Deus.

Mara Carvalho, Dom Matias P. de Macêdo, Dom Jaime V. Rocha e César Augusto S. de Carvalho na celebração do 10º aniversário da Fraternidade Discípulos da Mãe de Deus

A devoção de Mara Carvalho a Virgem Maria, aos poucos, vai mudando a sua vida e a de seu esposo. A partir de Mara e César, um casal consagrado a Nossa Senhora, tem início um grande apostolado de divulgação da escravidão de amor, segundo o método de São Luís Maria. Os dois começam a divulgar a consagração a Santíssima Virgem e Deus vai colocando pessoas que lhes indicará o caminho a seguir, dentre elas o Padre Flávio, carinhosamente chamado por Mara de “Padinho”. Em 2004, o Sacerdote e o casal fundam a Fraternidade Discípulos da Mãe de Deus, que tem como missão formar católicos na espiritualidade monfortina da “Escravidão de Amor”1. Sem mais delongas, segue a entrevista de Mara Carvalho na íntegra: Continue lendo…

Entrevista com Sandro Aparecido Arquejada sobre a sua consagração e devoção a Virgem Maria.

No lançamento do tema “Entrevistas” do blog “Todo de Maria”, temos a honra de conhecer um pouco sobre a vida e a vocação de Sandro Aparecido Arquejada, missionário da Comunidade Canção Nova, que foi consagrado a Santíssima Virgem Maria desde o ventre materno:

1. Como começou a sua história com a Virgem Maria?

Minha história com a Virgem Maria começou antes de eu nascer. Quando meus pais escolheram meu nome: Sandro Aparecido Arquejada, o Aparecido é por causa da oferta que meu pai e minha mãe fizeram a Nossa Senhora Aparecida. Portanto, sou consagrado a ela desde o ventre materno. Depois, na minha infância e adolescência, a oração do Terço era frequente. Na intervenção dela num acidente do meu irmão, em que eu via minha mãe clamando a Nossa Senhora que não acontecesse nada de mais grave, e de uma forma ou outra Maria sempre estava presente. Muito discreta, nem se fazia muito perceber, mas puxando pela memória, sempre lembro de uma imagem, de uma festa ou novena que participávamos. Tempos depois, já crescido, me lembro que da espiritualidade da Canção Nova – as cinco pedrinhas: Santo Terço, Missa, Adoração, Estudo da Palavra e Confissão, a oração do Santo Rosário foi a primeira que eu me propus a fazer, por iniciativa própria, antes mesmo de entrar no discernimento vocacional da Comunidade. Interessante, percebo dentro de mim, que “no fundo” nenhuma dessas experiências foi iniciativa minha. Eu me sentia impulsionado, mas há uma certeza no coração: quem foi responsável por este impulso foi a intercessão de Nossa Senhora ao Espírito Santo, e então o Espírito agiu em mim. Até mesmo nas vezes que eu quis rezar, que senti vontade de rezar.

Entrevista com Sandro Aparecido Arquejada sobre a sua consagração e devoção a Virgem Maria.

Mãe Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt

Continue lendo…

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com